CORONAVÍRUS: Ceará registra 28.112 casos e 1.856 mortes; Brasil ultrapassa 265 mil casos e as 17 mil mortes

O estado do Ceará tem 28.112 casos confirmados de Coronavírus. Os dados foram atualizados pela secretaria de saúde do estado, e divulgados pela plataforma IntegraSUS, na noite desta terça-feira (19).

O número de óbitos ocasionadas pelo Coronavírus no estado subiu para 1.856. No total já são 15.238 casos recuperados em todo o Ceará.

Já são 659.521 exames realizados para diagnóstico de novos casos. Segundo a plataforma integraSUS, o número de casos sob investigação chegou a 41.351 no estado. A taxa de letalidade da doença no estado chegou a 6,6%.

No Brasil, até esta sexta-feira (15), já são 265.896 casos confirmados do novo coronavírus e 17.840 óbitos pela doença.

Barbalha registra primeira morte por Coronavírus

O município de Barbalha confirmou o primeiro óbito em decorrência da Covid-19 na noite desta terça-feira (19). A informação foi confirmada pela secretaria de saúde da cidade e pelo prefeito Argemiro Sampaio (PSDB), através de suas redes sociais.

Segundo a pasta, o óbito acorreu no último sábado (16) e só agora teve a confirmação após recebimento do exame enviado ao Laboratório Central de Saúde Pública do Estado do Ceará (LACEN-CE). A vítima residia na zona urbana da cidade.

Segundo a nota divulgada pela secretaria de saúde, por se tratar de um caso diferenciado de Covid-19, a secretaria da saúde por meio da vigilância em saúde/vigilância epidemiológica, em parceria com equipe do Hospital Regional do Cariri (HRC) e da Faculdade de Medicina de Barbalha (FAMED-UFCA), está realizando uma investigação epidemiológica para coleta de dados que serão enviados ao comitê estadual para melhor compreensão do caso.

Segundo o boletim epidemiológico da secretaria de saúde do estado, a cidade de Barbalha possui até esta terça-feira, 30 casos confirmados, sendo 16 recuperados, 81 notificações e um óbito.

Crato: Demutran instala semáforo no cruzamento da Santos Dumont

Já está funcionando um dos três semáforos instalados pela Prefeitura do Crato, por meio do Departamento Municipal de Transito (DEMUTRAN). O equipamento localizado no cruzamento das Ruas Cel Luiz Teixeira e Santos Dumont

começou a operar na tarde da última sexta-feira, dia 15, nessa que é uma importante via de grande fluxo de transito.

Os outros dois semáforos localizados na Av. Teodorico Teles, em frente à Escola Profissionalizante Violeta Arraes e o outro localizado na ponte da prefeitura, no cruzamento da Rua Barbara de Alencar com a Av. Jose Alves de Figueiredo, estarão funcionando em breve.

Segundo o diretor do Demutran, Daniel Aquino, os equipamentos foram instalados após uma análise técnica, feita previamente por especialistas, para poder atender demandas antigas da população.

A inserção de semáforos prevê melhorias nos principais cruzamentos da área central da cidade, com destaque para pontos onde há incidência de acidentes, grande movimento de pessoas e de veículos.

OPAS: todos países devem ter acesso às vacinas contra covid-19

Capacidade de pagamento não pode prevalecer, diz órgão

Em coletiva de imprensa virtual realizada hoje (19), o Organização Pan Americana da Saúde (OPAS) defendeu que, quando a vacina contra o novo coronavírus estiver pronta, todos os países devem ter acesso, independente de suas capacidades de pagamento. O brasileiro Jarbas Barbosa, diretor adjunto da organização, afirmou que a vacina poderá estar pronta para ser fabricada dentro de um ano.

“Neste momento, temos mais de 100 projetos de desenvolvimento de vacinas. Alguns já começaram testes em humanos, alguns já concluíram a primeira fase dos ensaios em humanos, que é a fase 1. Ou seja, pode-se ter como resultado dessa cooperação global uma vacina que talvez em um ano esteja disponível para ser fabricada. A OPAS trabalhou com sócios internacionais sobre o assunto da vacina para garantir que os países da região tenham acesso quando estiver disponível. Não podemos permitir que o acesso à vacina possa estar relacionado com a capacidade de pagamento de um país. É muito importante, como um dos pilares de nossa organização, a solidariedade”, afirmou Barbosa.

Com relação ao uso da hidroxicloroquina ou da cloroquina, Marcos Espinal, diretor do Departamento de Doenças Transmissíveis da OPAS, afirmou que não há nenhuma prova que indique ser recomendável o uso durante a covid-19.

“Não temos resultados dos ensaios clínicos que sugiram a eficácia desses dois remédios. De fato, desde o início, a OPAS trabalhou com todos os países e imediatamente produzimos uma revisão muito sistemática sobre as evidências desses dois medicamentos. Acabamos de atualizar esse documento e não há evidências de que sejam eficazes contra a covid-19. O uso deles é decisão de cada país, mas nossas recomendações são muito claras: de que não devem ser utilizados. E, de fato, há estudos que apontam para uma alta taxa de efeitos secundários, como problemas cardiológicos em pessoas que estão utilizando”, afirmou Espinal.

Espinal ressaltou, que é importante que os países transmitam uma mensagem consistente, em consonância com as recomendações da OPAS e da Organização Mundial da Saúde (OMS), para evitar que a população não sabia a quem deve escutar. “Os países implementam diferentes medidas. Cada país adota seu modelo e, para isso, a OPAS os assessora e está em comunicação constante através de seus especialistas”.

Sylvain Aldighieri, Gerente de Incidentes do organismo, ao ser questionado sobre a estratégia da “imunidade de rebanho” defendida por alguns países, respondeu que essa não é a estratégia recomendada pela OMS, nem pela OPAS.

“Os eixos e a estratégia de resposta se baseiam na detecção dos casos, o isolamento desses casos, a identificação dos contatos (daquelas pessoas que estiveram em contato com infectados), a quarentena deles, o manejo clínico para salvar vidas, e a implementação das medidas de saúde pública, com todas as suas etapas. Esse é o caminho que temos que seguir nessa região, não é buscar uma imunidade de rebanho. Na verdade, não gostamos dessas palavras, que não se aplicam ao ser humano”, disse Aldighieri.

O especialista também falou sobre a importância de reforçar a prevenção e o controle da covid – 19 em populações vulneráveis.

“Estamos falando de pessoas vulneráveis, de povos indígenas, não somente na região Amazonas, mas também nos Andes, na América Central. Além dos afrodescendentes, que são minoria em alguns países. São populações muito vulneráveis por diferentes razões. Além dos desafios da promoção da saúde e do acesso à informação, também vivem em condições de pobreza, em comunidades muito densas. Existe o risco de que o vírus se propague para as comunidades mais remotas através de rios e estradas no Amazonas. Nesse momento, temos diferentes pontos críticos e queria falar sobre a tríplice fronteira entre Brasil, Peru, Colômbia, onde estamos vendo uma tendência ascendente com uma alta taxa reprodutiva da covid-19. Devemos considerar os povos indígenas como populações vulneráveis e implementar medidas de prevenção e controle para protegê-los”, disse Aldighieri.

Fonte: Agência Brasil

Vacinação contra a gripe está suspensa em Juazeiro do Norte; saiba o motivo

A campanha de vacinação contra a gripe foi interrompida em Juazeiro do Norte por causa da falta de doses nos postos de saúde. A Secretaria da Saúde informou que aguarda o recebimento de uma nova remessa de vacinas para dar continuidade à imunização. O Ministério da Saúde envia as doses para os estados, que distribuem para os municípios.

A pasta diz ainda que a população será informada quando as doses chegarem e forem distribuídas para as Unidades Básicas de Saúde. A segunda etapa da 3ª fase da campanha inclui mais dois grupos prioritários, que são os adultos de 55 a 59 anos de idade e os professores de escolas públicas e privadas. Os professores devem apresentar documento que comprove a atividade profissional.

As pessoas que fazem parte dos grupos prioritários das fases anteriores, que ainda não tenham recebido a imunização, poderão se vacinar até o final da campanha, que vai até o dia 05 de junho.

Cadela policial da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas da Polícia Civil doa sangue para ajudar cão doente

A cadela policial Pallas, de dois anos, da raça pastor belga malinois, uma das integrantes do Núcleo de Operações com Cães (NOC) da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), doou sangue, na última sexta-feira (15), para ajudar um cãozinho diagnosticado com hemoparasitose (popularmente chamada de doença do carrapato, que é causada por protozoários, helmintos ou bactérias que atingem os animais por meio da corrente sanguínea), que resultou em uma anemia profunda. A doação ocorreu na sede do NOC e foi realizada por uma equipe veterinária.

Os cães policiais são ótimos doadores de sangue por manterem uma rotina de treinos frequentes além de hábitos saudáveis. Para o diretor da DCTD, Pedro Viana, a ação serve para ajudar um animal que necessita e também para lembrar a importância da doação de sangue, seja por animais ou por pessoas. “Doar sangue é um ato de generosidade. Que o exemplo da Pallas possa sensibilizar as pessoas para a doação”, disse o delegado.

Os critérios para que os cães sejam doadores de sangue são:

– ter idade entre 1 e 8 anos;
– o peso mínimo de 20 quilos;
– estar saudável, sem doenças e realização de transfusão ou cirurgias nos 30 dias anteriores;
– não realizar uso de medicamentos contínuos e
– está com a vacinação e vermifugação em dia.

O intervalo entre as doações é de dois meses.

Prefeitura de Santana do Cariri entrega Unidade Sentinela para atender casos suspeitos do Covid-19

A prefeitura municipal de Santana do Cariri entregou na última nesta sexta-feira (15) a Unidade Sentinela. O Centro de Saúde foi transformado nesse equipamento e concentra os atendimentos de pessoas que estejam com síndrome respiratória provocada pelo novo Coronavírus. O prefeito Pedro Henrique fez a entrega acompanhado da secretaria de saúde, Aline Alencar. A Unidade Sentinela está totalmente equipada e segue protocolo específico para proporcionar um atendimento mais ágil e com maior segurança para os profissionais de saúde e pacientes. Funciona de domingo a domingo das 7:30 às 17 horas, com médico, enfermeiro e técnico de enfermagem.

Esse equipamento soma-se as outras ações tomadas pela prefeitura para o enfrentamento do novo Coronavírus, a exemplo da Unidade de Apoio à Recuperação da Saúde, que funciona em parceria com o Museu de Paleontologia da URCA.

De acordo com a titular da saúde, Aline Alencar, esse é um suporte para a unidade hospitalar “A gente entende que é um suporte a mais para a unidade hospitalar até mesmo para desobstruir a unidade para atendimento das outras patologias que nós temos. Então o santanense pode procurar esse serviço. É importante dizer que as unidades de saúde continuam sendo porta aberta para o atendimento de pessoas com sintomas respiratórios”.

O prefeito Pedro Henrique, por sua vez, lembrou que a prefeitura preparou essa logística e remanejou os atendimentos do Centro de saúde para o CREI que fica nas proximidades da unidade sentinela.

” Em tempo recorde nós entregamos a Unidade Sentinela. Estamos felizes por mais um equipamento para combater o Covid-19. Mas o principal é que vocês façam a sua parte. Fique em casa, use máscara se possível e tenha cuidado com a higiene e eu tenho certeza que nós vamos vencer essa guerra”, afirmou o gestor.

Fiscalização intensificada em vários setores de Juazeiro do Norte

A Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte, através da Secretaria de Meio Ambiente e Serviços Públicos (Semasp), continua de forma intensa o trabalho de fiscalização no município. Esta ação tem como objetivo garantir o cumprimento dos Decretos Estadual e Municipal, que norteiam o enfrentamento a pandemia do novo coronavírus.

Diariamente, fiscais da Semasp estão nas ruas, em locais específicos, para garantir a realização de tais medidas e que se evite aglomerações. A atuação acontece em todos os Mercados Públicos do município, nas proximidades das agências bancárias e Centro da cidade. Além disso, nos três turnos há uma equipe que faz o monitoramento de diversos locais, com rondas em todos estes pontos.

Este trabalho é realizado para que os casos da Covid-19 diminuam e o mais breve possível e tudo volte a normalidade. Além das equipes de fiscalização nas ruas, é de suma importância a colaboração da população. Respeitar o distanciamento e isolamento social, sair de casa apenas para o necessário, uso de máscara obrigatório e higienizar as mãos com água e sabão ou álcool 70%, estão entre as principais recomendações.

Pesquisa de anticorpos já testou 15 mil pessoas na primeira etapa

A primeira fase do estudo termina nesta terça-feira (19). Cerca de 100 mil pessoas devem ser testadas em todo país

Mais de 15 mil pessoas em todo o país já foram testadas durante a primeira etapa da pesquisa “Evolução da Prevalência de Infecção por COVID-19 no Brasil: Estudo de Base Populacional”, que vai até esta terça-feira (19). As regiões Norte e Nordeste foram as que mais aplicaram testes até o momento, somando 8.106 testes. O estudo, financiado pelo Ministério da Saúde, coordenado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), do Rio Grande do Sul, e executado pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), será realizado em três etapas e prevê testar até 100 mil pessoas em 133 municípios. A expectativa é testar cerca de 33 mil brasileiros em cada etapa, sendo 250 pessoas em cada município selecionado. As próximas etapas de coletas estão previstas para acontecer em 28 e 29 de maio e 11 e 12 de junho.

“A pesquisa foi contratada pelo Ministério da Saúde para termos informações mais detalhadas sobre a situação de casos, ampliando cada vez mais o conhecimento sobre a doença. Por isso, a importância desta pesquisa”, destacou o secretário substituto de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário.

O objetivo do estudo é avaliar como o coronavírus se propaga pelo país, por meio da testagem de anticorpos na população. Com o inquérito, será possível identificar com que velocidade a população está adquirindo anticorpos contra a doença. Para isso, o Governo Federal disponibilizou 150 mil testes rápidos que detectam a presença de anticorpos IgM (de infecção mais recente) e IgG (de infecção mais antiga) para o novo coronavírus, a partir de amostras de sangue. Com os resultados do estudo, será possível criar estratégias mais precisas para o combate da pandemia, além de ações e programas de prevenção.

A coleta de dados está sendo feita nos domicílios pelos profissionais do Ibope. Em cada residência, é escolhido um morador para participar do inquérito. A cada etapa, a amostragem incluirá os mesmos setores, mas domicílios diferentes dos inquéritos anteriores. Durante a visita, a equipe do Ibope também disponibiliza um questionário sobre doenças preexistentes e possíveis sintomas da COVID-19 nos últimos 30 dias, além da aplicação do teste rápido.

Caso algum morador apresente resultado positivo para o coronavírus, todos os moradores da residência serão testados e a Secretaria Municipal de Saúde será informada para os cuidados e protocolos necessários. As medidas de segurança biológica também estão sendo adotadas, garantindo a proteção dos entrevistados e integrantes das equipes de campo que atuam na coleta dos dados e do material. Todas as equipes de campo já foram testadas.

Por Nicole Beraldo, da Agência Saúde