Pensando em ajudar pessoas a impulsionarem seus negócios no instagram, especialistas promovem curso em Juazeiro do Norte

Nos últimos dois anos o Instagram se tornou um oásis para as marcas que desejam dominar e fazer dinheiro na internet. Segundo dados divulgados pelo próprio Instagram no final de 2017, mais de 25 milhões de perfis comerciais estavam anunciando produtos em seu ecossistema. Loja de diferentes tipos,   e-commerces, marcas de variados tamanhos, profissionais autônomos, e prestadores de serviços passaram a divulgar na plataforma.

A frase “uma imagem vale mais que mil palavras” define exatamente a força comercial do Instagram. Diariamente 200 milhões de pessoas no mundo visitam perfis comerciais nessa rede social, em abrilde 2018, foram realizadas 180 milhões de vendas no ambiente do aplicativo.

Desde setembro de 2018, marcas podem dar mais detalhes e colocar links para vender seus produtos na ferramenta Stories’, além da possibilidade de aparecer no canal de compras da aba “Explorar”. Na região do Cariri, Jayan Duarte (CEO da Agência i360), e Carol Rocha (Sócia do Ballet Rocha e Produtora Digital), ministram o curso “Venda mais com Stories” onde os participantes aprendem a transformar a ferramenta em lucro, vendas, e clientes para seu negócio.

Segundo Jayan, o curso que tem como público alvo estudantes, empresários,
colaboradores, e profissionais liberais, têm como principal objetivo tornar essas marcas e pessoas referências em seus segmentos, e transformarseguidores em clientes através de técnicas que são desconhecidas pelo público em geral. De acordo com informações divulgadas pelo instagram, há 25 milhões de empresas no mundo inscritas e com perfil profissional na plataforma.

Mais informações: (88) 9.9642-4616 / (88) 9.9600-0013 ou através do site: https://doity.com.br/venda-mais-com-stories-02 – apenas 15 vagas!

I Encontro de Experiências e Saberes da Fé reuniu penitentes e estudantes em Várzea Alegre

Na manhã dessa quinta-feira, 25, foi realizado em Várzea Alegre o I Encontro de Experiências e Saberes da Fé envolvendo grupos de penitentes deste município, estudantes e outros segmentos culturais. Entre penitentes e estudantes, o encontro reuniu cerca de 150 participantes.

O evento aconteceu na Secretaria de Cultura e Turismo, na agenda do XV Edital Ceará da Paixão 2019, da Secretaria de Cultura do Ceará – Secult, que também contemplou a XIII Procissão do Fogaréu, realizada no dia 12 de abril com a participação de nove grupos de penitentes de Várzea Alegre e das cidades de Cedro e Aurora.

O coordenador de Cultura e Turismo de Várzea Alegre, Dr. Hélio Batista, falou que o encontro teve duas vertentes: fazer um apanhado e divulgar a história dos penitentes no transcurso dos tempos no Cariri e em Várzea Alegre; e a finalidade pedagógica de transferir para os alunos a tradição e a verdadeira missão dos penitentes.

Dr. Hélio Batista fez referência ao compositor Zé Clementino (in memoriam), que era admirador da cultura dos penitentes. Segundo Batista, Zé Clementino foi penitente e compôs vários benditos. Entre os benditos compostos por Zé Clementino, ele destacou “A via sacra de Cristo”, escrito em 13 janeiro de 1999; “Bendito de São João”; e o “Bendito de Jacó”.

Ruy Aurélio Rolim – agente cultural, que por sua atuação, viabilizou a participação de Várzea Alegre do XV Edital Ceará da Paixão 2019, disse que o município foi classificado em quinto lugar de um total de oito vagas na categoria “Manifestação Tradicional Popular”.

Segundo Ruy Aurélio, além da procissão e do encontro, a verba de R$ 13.300,00 do projeto subsidia também a compra de indumentárias doadas aos penitentes e a produção de um curta-metragem. Ele avaliou o encontro como positivo para a cultura dos penitentes que só acontece no Ceará devido aos esforços do Governo do Estado e das secretarias municipais de cultura. “No caso de Várzea Alegre, o município assume papel protagonistas por realizar durante 13 anos a Procissão do Fogaréu”, disse.

Governo do Ceará realiza cerca de 1,5 milhão de visitas domiciliares com foco no desenvolvimento infantil

Com foco no desenvolvimento infantil, o Programa Mais Infância Ceará já realizou cerca de 1,5 milhão de visitas domiciliares. Até o mês de abril, 59.380 crianças e 11.003 gestantes foram atendidas pelo Programa de Apoio ao Desenvolvimento Infantil (Padin), Programa para Resultados (PforR) e Primeira Infância no SUAS / Criança Feliz, contemplando 58.244 famílias beneficiadas com as ações realizadas no Estado.

“Todo esse trabalho é pensado para o desenvolvimento integral das nossas crianças, por isso temos uma atenção especial com a primeira infância do Ceará. Seja na capital ou no interior, sempre haverá um dos nossos profissionais visitando e auxiliando as famílias atendidas pelas ações de governo, para melhorar cada vez mais a qualidade de vida dos meninos e meninas cearenses”, destaca a primeira-dama do Estado, Onélia Santana.

Para a moradora do bairro Vila Velha, em Fortaleza, Juliana Cunha, as visitas domiciliares contribuem muito para o desenvolvimento do seu filho. “Aprendemos diariamente com a agente de saúde, desde os exercícios básicos para estimular o desenvolvimento dele, até a alimentação mais adequada e o acompanhamento das vacinas”, conta a mãe.

A dona de casa Edinara Lima vive no distrito de Caponga da Bernarda, em Aquiraz, na Grande Fortaleza, e está no sexto mês de gravidez. Segundo ela, as visitas domiciliares têm sido um aliado no período gestacional. “Tem sido de extrema importância esse acompanhamento que estou tendo na minha casa durante a gestação, pois as visitadoras me orientam em tudo. Sou grata por ser beneficiada e fazer parte desse programa e fico mais feliz de saber que meu filho também receberá essa atenção”, enfatiza.

O pilar Tempo de Crescer do Programa Mais Infância Ceará, no qual contempla as visitas, consiste na construção de uma rede de fortalecimento de vínculos familiares e comunitários através de serviços e formações que contemplem profissionais, pais e cuidadores. Até o momento, foi realizada ainda a capacitação de 16.598 profissionais das áreas da Saúde, Educação e Assistência. A meta é que mais cinco mil sejam qualificados até o fim do primeiro semestre deste ano.

“As crianças que passam pelas visitas se desenvolvem mais rápido, e tem uma aproximação maior com a família. Nós percebemos isso porque acompanhamos o dia a dia das famílias atendidas nos postos de saúde e nos Cras. É muito gratificante desenvolver este trabalho e ver de perto os resultados, sei que estamos colaborando para construção de uma infância plena para as crianças cearenses”, pontuou a supervisora intersetorial do Programa Cresça com Seu Filho/ Primeira Infância no SUAS/ Criança Feliz, Lorena Bernardino.

Governo vai lançar nova campanha publicitária a favor da Previdência

A verba inicial da campanha é de R$ 40 milhões

O governo bateu o martelo e definiu que vai lançar nova campanha publicitária a favor da reforma da Previdência para tirar dúvidas da população sobre o tema e tentar mudar o discurso da oposição de que a reforma irá prejudicar camadas mais pobres.

Segundo informações do site ‘G1’, o material será lançado logo no início dos trabalhos da comissão especial, a partir de 7 de maio e ficará no ar durante todo o processo de votação, mas principalmente nos primeiros debates da análise do mérito das mudanças nas regras de aposentadoria no país.

A verba inicial da campanha é de R$ 40 milhões. “Temos de ganhar o discurso da narrativa na largada, não cometer o mesmo erro do governo [Michel] Temer, que perdeu a batalha da comunicação”, diz um assessor presidencial para a publicação. Segundo ele, será uma campanha “agressiva, explicativa e de desconstrução do discurso da oposição”.

Fonte: Notícias ao Minuto

Bolsonaro veta peça publicitária para o BB sobre diversidade

O episódio também envolveu a saída do diretor de Comunicação e Marketing do banco, Delano Valentim

Uma campanha publicitária do Banco do Brasil dirigida para o público jovem, divulgando o serviço de abertura de conta corrente por aplicativo no celular, foi retirada do ar por recomendação do presidente Jair Bolsonaro. O episódio também envolveu a saída do diretor de Comunicação e Marketing do banco, Delano Valentim, que atualmente está de férias.

Uma campanha publicitária do Banco do Brasil dirigida para o público jovem, divulgando o serviço de abertura de conta corrente por aplicativo no celular, foi retirada do ar por recomendação do presidente Jair Bolsonaro. O episódio também envolveu a saída do diretor de Comunicação e Marketing do banco, Delano Valentim, que atualmente está de férias.

Estrelado por atores negros e brancos, numa representação da diversidade racial e sexual do País, a peça começou a ser veiculada no dia 1.º de abril e saiu do ar há cerca de duas semanas. Tinha 30 segundos, e podia ser vista em comerciais veiculados na TV e na internet. A informação foi divulgada inicialmente pelo jornal O Globo e confirmada depois pela direção do Banco do Brasil.

Oficialmente, não foi apresentado um motivo para a retirada da propaganda. Bolsonaro procurou o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, para falar sobre a peça. Em nota enviada por sua assessoria de imprensa, Novaes disse ter concordado com o pedido apresentado por Bolsonaro. Ainda segundo ele, a decisão para a saída do diretor de Comunicação e Marketing da instituição foi tomada de forma consensual.

“O presidente e eu concordamos que o filme deveria ser recolhido. Saída do diretor em decisão de consenso, inclusive com aceitação do próprio”, escreveu Novaes. O Palácio do Planalto disse que não faria comentários sobre o assunto.

Esta é a quarta vez que o governo Bolsonaro determina a retirada de peças de comunicação por discordar do seu conteúdo. A primeira medida ocorreu ainda no início de janeiro, quando o Ministério da Saúde determinou a suspensão da divulgação de uma cartilha voltada para população de mulheres trans, que estava no ar havia seis meses. De acordo com a pasta, o material publicitário trazia “incorreções técnicas”.

Havia ali desenhos indicando como realizar o “pump”, uma espécie de seringa invertida aplicada para aumentar o clitóris. A cartilha voltou a ser veiculada dias depois, mas já sem a ilustração. O esquema foi substituído pela descrição da prática e um alerta sobre riscos de lesões e infecções.

A retirada da cartilha provocou reação de especialistas em saúde e foi classificada por eles como retrocesso na política de prevenção do governo. Como no caso recente do Banco do Brasil, poucos dias depois da suspensão no site, a então diretora do Departamento de Infecções Sexualmente Transmissíveis, HIV/Aids e Hepatites Virais, Adele Benzaken, foi exonerada do cargo.

Carnaval

No carnaval, houve o segundo veto. A campanha de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, ao contrário do que ocorria em anos anteriores, não fazia nenhuma referência a público gay. Como o jornal O Estado de S. Paulo mostrou, foram vetadas peças que mostravam casais do mesmo sexo. Em seu lugar, foi usado um material “genérico”, uma atitude que também foi criticada por especialistas em prevenção de doenças. Em vez do clima festivo, a ideia foi reforçar a responsabilidade para a prevenção.

Em março, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que “mandaria recolher” uma caderneta voltada para adolescentes, com várias informações sobre saúde e calendário vacinal.

Também lançado no governo anterior, o material continha informações sobre sexualidade, mas, para o presidente, a leitura para crianças de 8 ou 9 anos “não ficava bem”. O Ministério da Saúde, na ocasião, afirmou que a caderneta seria revista. Agora, a determinação é de que o modelo seja destinado apenas para adolescentes com mais de 14 anos. Para o público mais novo, será feito um novo material. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Notícias ao Minuto

‘Tenho obsessão para desmascarar Sergio Moro’, diz Lula na prisão

Lula também afirmou que, sob atual gestão Jair Bolsonaro (PSL), o Brasil está sendo governado por “um bando de maluco”

CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) – O ex-presidente Lula afirmou nesta sexta-feira (26), em entrevista exclusiva concedida à Folha de S.Paulo e ao jornal El País, ter obsessão para “desmascarar” o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, responsável por sua condenação no caso do tríplex de Guarujá (SP).

“Eu tenho uma obsessão”, afirmou. “Porque eu tenho certeza, o Moro tem certeza [da inocência dele]. Se as pessoas não confessarem agora, no dia da extrema unção vão confessar. Ele [Moro] tem certeza que eu sou inocente.”

Lula também afirmou que, sob atual gestão Jair Bolsonaro (PSL), o Brasil está sendo governado por “um bando de maluco”.

Após uma batalha judicial na qual a entrevista chegou a ser censurada pelo STF (Supremo Tribunal Federal), decisão revista na semana passada pelo presidente da corte, Dias Toffoli, o petista recebeu os dois veículos, em uma sala preparada pela Polícia Federal na sede do órgão em Curitiba, onde está preso desde abril do ano passado.

Ele entrou na sala pouco depois das 10h para a entrevista que durou duas horas e dez minutos. Antes de ela começar, os jornalistas perguntaram como Lula estava. ” Não tão bem quanto vocês, mas estou indo aqui”, respondeu.

Veja trechos da primeira parte da entrevista, na qual Lula também disse que economizou R$ 1,2 trilhão de reservas sem prejudicar nenhum aposentado.

A gente queria começar falando sobre a prisão do senhor. O que passou por sua cabeça quando estava sendo preso?

Durante todo o processo, eu sempre tive certeza, [pelos] discursos da Lava Jato, de que [a operação] tinha um objetivo central, que era chegar em mim. Aliás uma jornalista importante, amiga nossa, escreveu um artigo em que dizia: o que eles querem é o Lula. E isso foi ficando patente em todos os depoimentos.

A imprensa retratava: prenderam fulano. Vai chegar no Lula. Prenderam fulano. Vai chegar no Lula. E muita gente que era presa, a primeira pergunta que faziam [para a pessoa] era: “Você é amigo do Lula? Você conhece o Lula?”.

A imprensa retratava, as pessoas contavam, advogado conversava com advogado. E foi ficando patente que o objetivo era chegar em mim. Tinha companheiros no PT que não gostava quando eu dizia isso. “Eles vão chegar em mim e depois vão caminhar para criminalizar o PT.”

Muita gente achava que eu deveria sair do Brasil, ir para uma embaixada, que eu deveria fugir. E eu tomei como decisão que o meu lugar é aqui [no Brasil].

Eu tenho tanta obsessão de desmascarar o [ex-juiz e ministro Sergio] Moro, de desmascarar o [procurador Deltan] Dallagnol e a sua turma, e desmascarar aqueles que me condenaram, que eu ficarei preso cem anos, mas eu não trocarei a minha dignidade pela minha liberdade.

Eu quero provar a farsa montada. Montada aqui dentro, montada no Departamento de Justiça dos EUA, com depoimento de procuradores, com filme gravado, e agora mais agravado com a criação da fundação Criança Esperança do Dallagnol, pegando R$ 2,5 bilhões da Petrobras para criar uma fundação para ele.

Eu tenho uma obsessão. Você sabe que eu não tenho ódio, não guardo mágoa porque, na minha idade, quando a gente fica com ódio a gente morre antes.

Então como eu quero viver até os 120 anos, porque eu acho que sou um ser humano que nasceu para ir até 120 [anos], eu vou trabalhar muito para provar a minha inocência e a farsa que foi montada.

Por isso eu vim para cá com muita tranquilidade. Havia uma briga no sindicato aquele dia [da prisão, em abril de 2018], entre os que queriam que eu viesse e os que queriam que eu não viesse [para a prisão].

E eu tomei a decisão. Eu falei “olha, eu vou”. Eu vou lá. Eu não vou esperar que eles venham até mim. Eu vou até eles porque eu quero ficar preso perto do Moro. O Moro saiu daqui [de Curitiba]. Mas eu quero ficar preso. Porque eu tenho que provar a minha inocência.

O senhor, concretamente, é um fato, pode ser que fique aqui para sempre. O senhor mesmo assim acha que tomou a decisão correta?

Tomaria outra vez.

O senhor já pensou que pode ficar aqui para sempre?

Não tem problema. Eu tenho certeza que eu durmo todo dia com a minha consciência tranquila. Eu tenho certeza que o Dallagnol não dorme, que o Moro não dorme. E aqueles juízes do TRF-4 (Tribunal Regional Federal), que nem leram a sentença? Fizeram um acordo lá [entre eles]. Era melhor que um só tivesse lido e falado “olha, todo mundo aqui vota igual”.

Então, sinceramente, quem tem 73 anos de idade, quem construiu a vida que eu construí nesse país, quem estabeleceu as relações que eu estabeleci nesse país, quem fez o governo que eu fiz nesse país, quem recuperou a auto estima e o orgulho do povo brasileiro como eu e vocês fizemos no meu período de governo, não vou me entregar.

Então eles sabem que eles têm aqui um pernambucano teimoso. É o que eu digo sempre. Quem nasceu em Pernambuco e não morreu de fome até os 5 anos de idade, não se curva mais a nada.

Você pensa que eu não gostaria de estar em casa? Adoraria estar em casa com a minha mulher, com os meus filhos, os meus netos, os meus companheiros. Mas não faço nenhuma questão. Porque eu quero sair daqui com a cabeça erguida como eu entrei. Inocente. E eu só posso fazer isso se eu tiver coragem e lutar por isso.

Com a decisão da Justiça de que a OAS devolva o dinheiro do apartamento de dona Marisa, o senhor acredita em sua absolvição?

Por incrível que pareça, eu acredito. Eu ainda continuo com a cabeça de Lulinha paz e amor. Eu acredito na construção de um mundo melhor, de um mundo de Justiça.

Eu penso que haverá um dia em que as pessoas que irão me julgar estarão preocupadas com os autos do processo, com as provas, e não com a manchete do Jornal Nacional, com a capa das revistas, com fake news.

As pessoas se comportarão como juízes supremos, de uma corte [o STF] [da qual] não podemos recorrer. E que já tomou decisões muito importantes.

Essa corte, por exemplo, votou [a liberação de pesquisas com] células-tronco contra uma boa parte da Igreja Católica. Já votou a questão [da demarcação da área indígena de] Raposa Serra do Sol contra os poderosos do arroz no estado de Roraima. Essa mesma corte votou a união civil [de homossexuais] contra todo o preconceito evangélico. Essa corte votou as cotas para que os negros pudessem entrar [nas universidades]. Ela já demonstrou que teve coragem e se comportou.

Ora, no meu caso a única coisa que eu quero é que votem com relação aos autos do processo. Eu não peço favor de ninguém, eu não quero favor de ninguém. Eu só quero que as pessoas, pelo amor de Deus, julguem em função das provas.

Porque eu tenho certeza, o Moro tem certeza [de sua inocência]. Se as pessoas não confessarem agora, no dia da extrema unção vão confessar. Ele tem certeza que eu sou inocente. Esse Dallagnol tem certeza de que ele é mentiroso. E mentiu a meu respeito. Então eu tô aqui, meu caro, para procurar justiça, para provar inocência. Mas estou muito mais preocupado com o que está acontecendo com o povo brasileiro. Porque eu posso brigar e o povo nem sempre pode.

O senhor, durante esse um ano, passou por dois momentos de muita tristeza, que foi a morte do seu irmão e depois a morte do seu neto Artur. O que, para o senhor, depois de viver isso, fica da vida?

Esses dois momentos foram os mais graves. Eu poderia incluir a perda de um companheiro como o [ex-deputado] Sigmaringa Seixas, que era meu companheiro de dezenas e dezenas de anos. A morte do meu irmão Vavá… O Vavá era como se fosse um pai da família toda. E a morte do meu neto é uma coisa que efetivamente não, não… [chora].

Eu às vezes penso que seria tão mais fácil que eu tivesse morrido. Eu já vivi 73 anos, poderia morrer e deixar o meu neto viver. Mas não são apenas esses momentos que deixam a gente triste.

Eu tento ser alegre e trabalhar muito a questão do ódio. Eu trabalho muito para vencer a questão do ódio. A questão da mágoa profunda.

Quando eu vejo essa gente que me condenou na televisão, sabendo que são mentirosos, sabendo que forjaram uma história… Aquela história do power point do Dallagnol, nem o bisneto dele vai acreditar naquilo. Nesse messianismo ignorante.

Então eu tenho muitos momentos de tristeza aqui. Mas o que me mantém vivo, e é isso o que eles têm que saber, eu tenho compromisso com esse país.

Eu tenho compromisso com esse povo. E eu estou vendo a obsessão que está acontecendo agora. De destruir a soberania nacional. De destruir empregos. De juntar R$ 1 trilhão, para que? Às custas dos aposentados?

Se eles lessem alguma coisa, se eles conversassem, eles saberiam que esse cidadão aqui, analfabeto, com um curso de torneiro mecânico, juntou R$ 370 bilhões e dólares de reservas, que a R$ 4 o dólar dá mais de R$ 1,2 trilhão, sem causar nenhum prejuízo a nenhum brasileiro.

Então, se eles querem economizar R$ 1 trilhão tem uma fórmula secreta: coloque o povo no orçamento da União. Gere emprego. Gere crédito para as pessoas.

Ah, o povo tá devendo? Tire todo o penduricalho da dívida do povo e ele paga apenas o principal no banco e você vai perceber que as pessoas voltam a comprar. Um país que não gera emprego, não gera salário, não gera consumo, não gera renda, quer pegar do aposentado e do velhinho R$ 1 trilhão? O Guedes precisava criar vergonha.

Onde ele fez esse curso de economia dele? Se ele quiser me visitar aqui, eu discuto com ele esse problema dos pobres sem causar prejuízo aos pobres. Por que ele não mostra os privilegiados [de quem] eles falam que vão acabar com os privilégios? Coloca a lista no jornal de dez privilegiados. Coloca o nome CPF. Não.

É o coitado que vai ter que trabalhar até 65 anos, que vai ter que contribuir 40 anos [para se aposentar]. Ele não percebe que muita gente morre sem chegar a essa idade. Lamento profundamente o desastre que está acontecendo nesse país. E é por isso que eu me mantenho em pé.

Fonte: Notícias ao Minuto

Moro rebate e diz que Lula pertence ao seu passado

“O Presidente Lula pertence ao meu passado. Agora estou a olhar em frente”, afirmou o ministro

O ministro da Justiça Sérgio Moro, afirmou que o ex-Presidente Lula é um “assunto do passado”, acrescentando que não lhe cabe comentar a redução de pena do petista.

“O Presidente Lula pertence ao meu passado. Agora estou a olhar em frente”, afirmou em Belo Horizonte o atual detentor da pasta da Justiça, e responsável por decretar a prisão de Lula.

Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado por Sergio Moro, em primeira instância, em 12 de julho de 2017 a nove anos e seis meses de prisão no caso do apartamento em Guarujá, em São Paulo.

Em janeiro do ano passado, a condenação foi confirmada pelo TRF-4, tribunal de segunda instância, que aumentou a pena para 12 anos e um mês de prisão.

No entanto, os juízes do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiram na terça-feira, de forma unânime, reduzir a pena do ex-Presidente Lula da Silva, de 12 anos e um mês para oito anos, dez meses e 20 dias de prisão.

Atualmente, Lula cumpre pena em regime fechado, na sede da Polícia Federal em Curitiba, por corrupção passiva e branqueamento de capitais, mas, de acordo com a Lei de Execução Penal, após cumprir um sexto da pena poderá progredir para regime semiaberto, onde poderá deixar a cadeia durante o dia para poder trabalhar.

Segundo a pena fixada na terça-feira pelos juízes do STJ, Lula terá de cumprir 17 meses de prisão para ir para o regime semiaberto.

O ex-chefe de Estado cumpriu 12 meses de cadeia, ficando assim faltando cinco meses para que Lula possa sair da prisão ainda em 2019, em regime semiaberto.

Lula afirmou na sexta-feira, na primeira entrevista concedida desde a sua prisão, há mais de um ano, que tem uma “obsessão em desmascarar” o antigo magistrado que o condenou.

“Eu tenho tanta obsessão de desmascarar o Moro, o Deltan Dallagnol [procurador do grupo de trabalho da Lava Jato em Curitiba] e a sua equipa. Eu ficarei preso 100 anos, mas não trocarei a minha dignidade pela minha liberdade. Eu quero provar a farsa montada”, frisou Lula.

Fonte: Notícias ao Minuto

Fábio Carneirinho é uma das atrações do Sarau dos Forrozeiros no próximo dia 4 de maio

No próximo dia 4 maio o Cariri vai receber o Sarau dos Forrozeiros, um evento que vai reunir quatro atrações que promete puxar o arrasta pé do público na área externa do Boulevard Buffet, em Barbalha.

Fábio Carneirinho é uma das atrações do Sarau, o cantor nasceu em São Caetano do Sul/SP e se mudou para Juazeiro do Norte com 4 anos, é músico desde os 12 anos de idade  e  apesar de ter nascido na região Sudeste tem o forró correndo nas veias e suas inspirações para cantar e compor são nada mais nada menos que o rei do Baião, Luiz Gonzaga e os cantores, Fagner, Dominguinhos e Flávio José.

Entre muitos sucessos que o compositor e cantor forrozeiro já emplacou, tem forró   para quem gosta de dançar um arrasta pé mais agitado e também para quem quiser dançar agarradinho, como é caso do sucesso “Tudo Que Eu Queria” que conta com a participação do cantor Tato, da banda Falamansa.

O Sarau dos Forrozeiros ainda   contará com outros  grandes nomes da nossa região, como Flávio Leandro, Wawa Pinho e a participação especial da cantora, Ana Paula Nogueira que participou do The Voice Brasil em 2015. O evento é uma realização do Boomerang e GR Produções.

Garanta já o seu ingresso lounge ou mesa nos seguintes pontos de vendas:

Crato: Empório – Flora Pura (Rua Dr. João Pessoa, 408 – centro)

Juazeiro: Sérgio’s – Cariri Garden Shopping

Barbalha: Armazém Confiança (Rua do Vidéo, 67 – centro)

Online: http://rmtickets.com.br

Parlamentares de Juazeiro do Norte participam da Marcha dos Vereadores 2019

Os vereadores Adauto Araújo, Valmir Domingos, José Leroso, e Vicente Dé estão participando daMarcha dos Vereadores 2019, que acontece de 23 a 26 de abril em Brasília/DF, realizada pela UVB emparceria com a Plenária Assessoria.

A União dos Vereadores do Brasil (UVB), foi fundada em novembro de 1964, congrega, em nível nacional, as Câmaras Municipais e as Associações/Uniões Estaduais de Vereadores, representando os 57.941 vereadores do Brasil.

A Marcha é reconhecida como um momento de lutas onde vereadores, prefeitos, vice-prefeitos, servidores, além de especialistas em gestão pública, personalidades políticas e administrativas, se reúnem para pensar o Brasil numa visão municipalista, que valorize a base da democracia, eos Legislativos Municipais Brasileiros.

O objetivo principal é fortalecer os municípios, para que sejam reconhecidos, como entes federados autônomos, e que tenham suficientes recursos para atender o povo. A Marcha defende que a força do municipalismo passa obrigatoriamente pelas Câmaras Municipais, onde Vereadores são à base da democracia, o representante mais próximo do cidadão.