O que fazer para prolongar a bateria do iPhone

Se você tem a sensação de que a bateria do seu iPhone não está durando tanto quanto deveria, saiba que algumas medidas podem prolongar a vida útil do componente. Pensando nisso, o site ‘Olhar Digital’ publicou dicas para que usuários não danifiquem a bateria do modelo.

1. Temperaturas.

O iPhone funciona normalmente entre 0°C e 35°C. Segundo a reportagem, temperaturas muito acima ou abaixo disso podem trazer danos permanentes à capacidade da bateria. Em outras palavras, isso significa que o aparelho não será carregado o suficiente.

2. Capa de proteção.

Você tira a capinha do iPhone na hora de carregar o aparelho? Este não é um hábito muito comum, mas pode “salvar” a sua bateria. De acordo com a Apple, as capas protetoras podem gerar calor excessivo e, desta forma comprometer o bom funcionamento do componente a longo prazo.

3. Celular guardado.

Caso vá ficar muito tempo sem o celular, certifique-se que o aparelho seja guardado em uma temperatura abaixo de 32°C. Além disso, o ideal é que a bateria do celular esteja em torno de 50%. Se não seguir este padrão, o usuário corre o risco de deixar a bateria em modo de descarga intenso, a ponto de virar impossível armazenar carga.

Fonte: Noticias ao Minuto

Mar agitado dificulta trabalho de remoção de carcaça de baleia que encalhou em Salvador

O mar agitado e o mau tempo, nesta segunda-feira (4), dificultam o trabalho de remoção da carcaça da baleia jubarte que encalhou na praia de Ondina, em Salvador. De acordo com a Marinha, as ondas chegam a 3 metros de altura na região.

A maior parte do corpo do animal foi removida durante o fim de semana, mas ainda há restos no mar. Cerca de 15 agentes de limpeza trabalham no local. Os homens usam cordas e um caminhão guindaste na ação. O animal será encaminhado para o Aterro Metropolitano da Capital (AMC), localizado no CIA.

A remoção foi iniciada no sábado (2), com 44 trabalhadores, mas foi interrompida algumas vezes por conta da força da água. A baleia foi encontrada morta na sexta-feira (1º). O animal era uma fêmea, tinha aproximadamente 13 metros de comprimento e pesava mais de 20 toneladas.

De acordo com informações do Projeto Baleia Jubarte, que monitora os mamíferos na Bahia, o corpo da baleia estava em estado avançado de decomposição, o que leva a crer que o animal morreu em alto mar e foi levado para a praia pela força das ondas. A baleia foi a primeira a encalhar na capital baiana na temporada de reprodução deste ano.

Fonte: G1

‘Nós estamos no limite’, diz ministro da Defesa sobre bloqueio de verbas

ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou durante visita ao Recife, na segunda-feira (4), que o contingenciamento de recursos da União não afetou operações de segurança no país, mas que a situação está “no limite”. Jungmann veio à capital pernambucana em visita ao Programa Forças no Esporte, que atende crianças e jovens de escola pública.

Em março, foi anunciado um bloqueio de R$ 42,1 bilhões nos gastos da União, que afetou diversas áreas. Em julho, o governo fez novo corte, de R$ 5,9 bilhões. O Ministério da Defesa, pasta responsável pelos repasses ao Exército, teve R$ 5,75 bilhões de sua dotação orçamentária para 2017 bloqueada. Com isso, o valor liberado para despesas recuou de R$ 22,28 bilhões para R$ 16,52 bilhões. O Exército sofreu contingenciamento de 43%.

“Até aqui, nós não tivemos comprometimento operacional das Forças, mas nós estamos no limite. Ou seja, o nosso limite é exatamente o mês de setembro. Nós temos o compromisso que, aprovada a nova meta fiscal, nós vamos ter a liberação desse recurso e a vida segue para nós, eu espero, normalmente”, declarou Jungmann.

O ministro apontou que, caso não haja liberação do orçamento, o caminho vai ser o de reduzir os serviços. “[Caso não haja liberação] você terá um cenário complicado, em que terá que reduzir muitos dos serviços que são feitos. Você terá que, possivelmente, fechar unidades e outros problemas mais. Você vai ter que reduzir, por exemplo, o número dos que vão prestar serviço militar, que são 80 a 90 mil. Você vai ter uma série de restrições, procurando preservar o que é essencial para a defesa do país”, explicou.

Testes da Coreia

Durante a visita, Jungmann também demonstrou preocupação com o teste com uma bomba de hidrogênio feito pela Coreia do Norte no domingo (3). “Há um tratado de não proliferação [de armas nucleares], que está fazendo 60 anos, e está aí um caso a mais de que esse tratado não tem sido capaz de inibir. A situação é extremamente preocupante”, apontou o ministro.

O governo brasileiro, através do Itamaraty, emitiu uma nota condenando o teste, afirmando que “o exercício militar que teria envolvido a detonação de bomba de hidrogênio constitui inaceitável ato de desestabilização da segurança na região”. O texto aponta ainda que “é fundamental que se restabeleçam as condições para negociações de paz na península coreana”.

O ministro lembrou a necessidade de se negociar “uma saída que seja conciliatória”. Jungmann apontou que a situação da península coreana “é hoje o principal ponto nervoso de preocupação dos países e também da própria ONU”.

Pernambuco

O ministro também aproveitou a visita para falar sobre os índices da criminalidade em Pernambuco, que em julho chegaram à média de 14,4 homicídios por dia. Para o chefe da Defesa, a situação “pede esforços do governador Paulo Câmara”. Segundo ele, a situação tem se agravado em todo o país. “Caso o governador entenda necessário o apoio das Forças Armadas, como fizemos em dezembro de 2016, basta se entender com o presidente da República”, afirmou.

O ministro participou, nesta segunda-feira (4), do aniversário de dez anos do programa Programa Forças no Esporte (Profesp), desenvolvido em organizações militares da Marinha, do Exército e da Força Aérea e disponibiliza recursos para o fornecimento de alimentação saudável e de qualidade para as crianças, jovens e adolescentes.

“São 22 mil crianças, em todo o Brasil, que recebem iniciação esportiva, saúde, odontologia, reforço e aulas cívicas, voltadas para os princípios e valores que temos no país. É um programa que adoraria expandi-lo muito mais. Todas as crianças aqui são selecionadas em escolas públicas e escolas de periferia. É um diferencial muito importante na vida dessas crianças e algumas, eu espero, venham a representar o Brasil, um dia”, disse.

Fonte: G1

Dor no pé? Pode ser fascite plantar!

O problema

A fascite plantar é uma inflamação da fáscia, tecido na sola do  por onde passam os tendões. Atinge em geral a região do calcanhar e ocorre principalmente quando há uma sobrecarga ali devido a exercícios físicos. A fáscia ajuda a sustentar o arco do pé, que fica entre o calcanhar e os dedos. Em pessoas que tem essa curvatura mais acentuada, o tecido fica sob tensão com o impacto e tende a inflamar.

Sinais e sintomas

  • Dor no calcanhar, principalmente nas primeiras pisadas do dia
  • Fatores de risco
  • Idade acima de 40 anos
  • Exercícios físicos que exigem muito dos pés
  • Uso de sapatos que não respeitam o arco dos pés
  • Pisar colocando pressão demais no calcanhar

A prevenção

O ponto principal é evitar as situações que sobrecarregam os pés. Nesse pacote, entram medidas para corrigir a pisada, o uso de calçados mais adequados à curvatura do pé e diminuir, nem seja temporariamente, a rotina de exercícios. Algumas pessoas precisam recorrer a palmilhas e sapatos específicos, a outras se aconselha investir em alongamentos antes da atividade física. A orientação da conduta, em todo caso, deve ser feita pelo médico.

O diagnóstico

Como a dor da fascite é muito característica, o ortopedista se vale do exame físico para confirmar o motivo da queixa e bolar o tratamento. Em alguns casos, confirma-se o diagnóstico com exames de imagem como ressonância magnética.

O tratamento

Anti-inflamatórios são os principais medicamentos prescritos nesses casos. O especialista pode recomendar ainda sessões de fisioterapia com laser, ultrassom, terapias analgésicas e exercícios para alongar a fáscia. Se nada resolver, discute-se se o caso é cirúrgico, a fim de tirar a tensão excessiva da fáscia.

Fonte: Editora Abril

Um ano após divórcio, Angelina Jolie diz: ‘Não curto ser solteira’

Um ano após o divórcio de Brad Pitt, a atriz e diretora Angelina Jolie desabafou, em entrevista ao “Sunday Telegraph”, sobre sua atual situação.

“Tem sido difícil. Eu não curto ser solteira. Não é algo que eu gostaria de ser. Não há nada de legal nisso. É apenas difícil”, disse.

“Às vezes, parece que estou bem-resolvida, mas na verdade estou apenas tentando atravessar os dias. Emocionalmente, tem sido um ano muito difícil”, completou Jolie.

Ela e Brad Pitt assinaram o divórcio em setembro do ano passado, após rumores sobre um incidente envolvendo o filho Maddox, 16. O casal tinha oficializado a relação em 2014, após dez anos juntos, e são pais de Pax, 13, Zahara, 12, Shiloh, 11, e dos gêmeos Vivienne e Knox, 9.