Amazon pode aceitar pagamentos com criptomoeda até ao final do ano

A gigante de comércio eletrónico pode até criar a sua própria criptomoeda no futuro.

Uma publicação britânica de nome City A.M. está a avançar com a informação de que a Amazon tem planos para começar a aceitar pagamentos em criptomoeda Bitcoin até ao final de 2021.

A publicação cita uma fonte interna (anónima), a qual nota também que a gigante de comércio eletrónico tem planos para aceitar mais sete tipos de criptomoeda no futuro. Mais ainda, a Amazon terá ainda planos para desenvolver a sua própria criptomoeda, oferecendo vantagens aos clientes que adotem este tipo de pagamento.

Como nota o Gizmodo, esta informação chega depois de vários internautas terem reparado numa vaga de emprego da Amazon que dá conta que a empresa procura alguém com experiência em “unidades monetárias digitais e ‘blockchain’”, competências consideradas essenciais na área das criptomoedas.

Fonte: Notícias ao Minuto 

Sente-se inchado? Beba este sumo diurético de limão e salsa

Bebida simples e muito saudável.

Sendo o corpo inchado e está à procura de uma solução prática e saudável, que o ajude a sentir-se melhor? Ora, o jornal Metro World News dá a conhecer uma receita de sumo natural com poucos ingredientes e que pode preparar numa questão de minutos – experimente!

Ingredientes:

– 60 g de salsa;
– 1 colher de sopa de sementes de linhaça;

– 250 ml de água filtrada;
– Sumo de um limão espremido.

Preparação:

. Bata todos os ingredientes no liquidificador;
. De seguida, caso queira, acrescente gelo;
. Prepare e consuma preferencialmente logo de manhã.

Fonte: Notícias ao Minuto 

Concurso da PM com mais de 2 mil vagas é anunciado no Ceará

O governador Camilo Santana também divulgou a abertura de um concurso na segurança pública para profissionais de saúde. Editais devem sair nos próximos dias.

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), anunciou um concurso para a Polícia Militar estadual (PMCE) com mais de 2 mil vagas nesta segunda-feira (26). Conforme Camilo, o edital com mais detalhes da seleção deve ser lançado ainda nesta semana.

Camilo ainda comentou sobre o lançamento de um concurso voltado para profissionais de saúde na segurança pública. “’Em breve também vamos lançar mais um outro concurso com mais 50 vagas para a área de saúde, área complementar tanto da Polícia Militar, quanto do Corpo de Bombeiros”, revelou o governador.

Atualmente, o Ceará está com processos seletivos em curso para a Perícia Forense (Pefoce) e Polícia Civil (PC-CE).

Os editais dos concursos foram divulgados na cerimônia de assinatura de um novo equipamento para as forças de segurança do Ceará. Uma ordem de serviço foi assinada para a construção do novo Complexo de Assistência Biopsicossocial, Odontológica e Laboratorial da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar.

Conforme o governador, no espaço funcionará a Coordenadoria de Serviço e Assistência Social e Religiosa (CSASR), Centro Odontológico; além das ofertas de fisioterapia e pilates; psicologia; consultório para atendimento médico e laboratório de análises clínicas.

Fonte: G1/Ceará 

Retomada gera corrida por eventos sociais no Ceará; lista de espera vai até o 1º semestre de 2022

Governo estadual liberou cerimônias sociais com até 200 pessoas a partir desta segunda-feira (26)

A liberação de eventos sociais no Ceará deve voltar a aquecer o setor, que esteve fechado por mais de um ano por conta da pandemia. Com a corrida para realizar eventos que ficaram represados, a previsão de empresários é uma lista de espera, tanto em buffetsquanto em templos religiosos, que deve se prolongar até o primeiro semestre de 2022.

O decreto estadual, anunciado na última sexta-feira (23) e válido a partir de hoje (26), permite que sejam realizadas cerimônias sociais para até 100 pessoas em espaços fechados e até 200 pessoas em espaços abertos.

Contudo, o texto prevê restrições. Convidados devem comprovar ter recebido duas doses da vacina contra a Covid-19 ou teste negativo (exame de antígeno ou RT-PCR) em até 48 horas antes do evento.

A empresária e organizadora de eventos Alda Iodes relata que a demanda é grande e, assim que foi anunciada a retomada na sexta, muitas pessoas já entraram em contato para contratar os serviços.

“Já tínhamos a expectativa de que no segundo semestre seria mais aquecido. Os fins de semana, que normalmente são mais procurados, já estão todos ocupados. Então, as pessoas estão começando a procurar os dias da semana, provavelmente vamos ter eventos de segunda a segunda”.

Alda Iodes

cerimonialista

ALTA DEMANDA 

Com isso, a projeção de empresários é que a demanda reprimida deva gerar uma lista de espera até o primeiro semestre de 2022.

“Já estamos tendo uma lista de espera, talvez em agosto ainda tenhamos um pouco mais de flexibilidade, mas depois disso vai ser difícil. É uma demanda que vem desde o ano passado”, explica Iodes.

Segundo a cerimonialista, uma estratégia que tem sido usada por empresas de fotografia e banda musical, por exemplo, é a divisão de equipes para dar conta da demanda e atender pelo menos dois eventos em um dia.

Além dos eventos represados, Raquel Silveira, dona de um buffet em Fortaleza, pontua que “muitas pessoas que noivaram do ano passado para cá estavam inseguras de fechar seus contratos, pois não tinha nem como escolher datas. Nós acreditamos que agora esse público de festa vai voltar a nos procurar”.

Já Daniel Fiúza, diretor da Associação Brasileira de Empresas de Eventos no Ceará (Abeoc-CE) pontua que as recontratações de funcionários estão voltando, mas ainda de forma lenta. Ele diz que ainda há um receio por parte dos clientes.

“Tivemos que nos reinventar e ir para outros negócios, por isso já vínhamos realizando contratações. Agora com a retomada, sinto que os clientes ainda estão receosos se vai ser consistente ou não, ainda há esse risco”.

Daniel Fiúza

diretor da ABEOC-CE

Por isso, a procura maior, conforme Fiúza, é por datas no segundo semestre de 2022, já que a demanda de adiamentos ficou para até o primeiro semestre do ano que vem.

RECUPERAÇÃO ATÉ 2023

Para Raquel Silveira, a expectativa é de que o setor consiga se recuperar até 2023.

“Vai levar um tempo até conseguirmos normalizar nossas situações após tanto tempo parados. No período que abrimos em 2020, não realizamos nem cinco festas, mas temos esperanças. Estamos felizes com a retomada, as pessoas estão com sede de festa”.

Raquel Silveira

dona de buffet

A empresária diz ainda que o foco agora é a manutenção do espaço do buffet para iniciar as operações, já liberadas nesta semana.

“Após mais de um ano sem funcionar, estou na correria para fazer a readequação do local, pintura de paredes, paisagismo, reparos necessários, etc”.

Para Iodes, a pandemia ressignificou até o conceito de festas para muitas pessoas que acabaram por dar mais importância às celebrações, o que causou, inclusive, a alteração do formato desses eventos.

“Hoje em dia, é essencial estar perto de quem se ama. Tivemos que nos readaptar para um novo formato, de festas menores para até 50 pessoas. A preferência das pessoas não é mais por grandes festas para 500 pessoas, fizemos essa adequação para que as coisas pudessem acontecer da melhor forma para todos”.

RESTRIÇÕES E PROTOCOLOS 

Assim como já estipulado para os eventos corporativos, as empresas precisam seguir algumas restrições de capacidade e de controle de entrada, conforme consta no Diário Oficial do Estado (DOE). Além disso, obedecer a um protocolo que será divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa).

A reportagem entrou em contato com a Sesa para mais detalhes, mas até o fechamento desta matéria não obteve resposta.

O setor, por sua vez, rebate a necessidade de comprovação de imunização completa ou de teste negativo para a Covid-19, uma vez que os convidados são de controle dos contratantes da festa. Além disso, a logística para testagem de profissionais ficaria inviável pelo alto custo, de acordo com Iodes.

“Nós estamos preparados para realizar esses eventos com todos os protocolos de segurança. É compreensível que os protocolos sejam mais rígidos para nós. Nossa demanda é realizar, não deixar mais para adiar para o ano que vem, mas em um evento social, os noivos conhecem os convidados”, afirma Iodes.

Fiúza pontua também que as medidas ainda não estão claras. “Por falta de informação, acabamos fazendo o que havia sido estipulado anteriormente ainda no ano passado”.

Fonte: Diario do Nordeste

Bolsonaro diz que vai vetar fundão de R$ 5,7 bilhões e indica apoio a um valor de R$ 4 bilhões

Após afirmar que vetaria integralmente o montante, presidente agora defende veto parcial do que considera ‘excesso’. O valor de R$ 4 bilhões é o dobro do fundo eleitoral das eleições de 2020.

Após dizer que vetaria os R$ 5,7 bilhões destinados a campanhas políticas por meio do fundo eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (26) que pretende derrubar apenas o que considera um “excesso” no montante e indicou apoio a um valor menor, de R$ 4 bilhões.

A previsão do valor para campanhas políticas em 2022 foi incluída na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), durante a tramitação do texto na Câmara e no Senado. A LDO estipula as regras para elaboração do Orçamento, incluindo as previsões de receitas, despesas, e a meta fiscal. O Orçamento 2022 propriamente dito deve ser enviado pelo governo para apreciação do Congresso até 31 de agosto.

“Vou deixar claro uma coisa. Vai ser vetado o excesso do que a lei garante. A lei, quase R$ 4 bilhões, o fundo. O extra de R$ 2 bilhões vai ser vetado. Se eu vetar o que está na lei, estou incurso na lei de responsabilidade. Espero não apanhar do pessoal como sempre”, disse Bolsonaro a apoiadores nesta manhã.

O valor de R$ 4 bilhões é o dobro do fundo eleitoral das eleições de 2020.

Técnicos do Congresso ouvidos pela reportagem, no entanto, avaliam que o presidente não tem o poder de vetar trechos separados do mesmo dispositivo, eliminado apenas o “excesso”. Ou seja, Bolsonaro teria que derrubar integralmente o valor de R$ 5,7 bilhões e depois enviar um novo projeto estabelecendo os R$ 4 bilhões para o chamado Fundão.

Ainda segundo os técnicos, caso o dispositivo seja vetado, não é preciso que a regra que destina verba ao fundo esteja inscrita na LDO. Basta que os R$ 4 bilhões, agora defendidos pelo presidente, sejam incluídos diretamente na Lei Orçamentária Anual (LOA).

Fundão

 

A LDO foi aprovada no Congresso em 15 de julho, antes do recesso parlamentar.

Em seu parecer, o relator, deputado Juscelino Filho (DEM-MA), incluiu um dispositivo que prevê que, além de ser composto por uma parte das emendas de bancada estaduais, o fundo receberá 25% dos recursos que a Justiça Eleitoral teve em 2021 e terá em 2022.

Segundo técnicos da Câmara e parlamentares, a redação permite que o fundo tenha montante de R$ 5,7 bilhões em 2022, ano de eleições presidenciais.

A quantia estipulada provocou críticas de alguns parlamentares e da sociedade civil, já que o valor é quase o triplo do que os candidatos receberam em 2020, quando foram distribuídos R$ 2 bilhões.

Após a repercussão negativa, o presidente disse em mais de uma ocasião, durante a semana passada, que vetaria o montante. Agora, defende um veto parcial do valor. Bolsonaro não detalhou como pretende fazer a operação.

Fonte: G1

Produção científica das universidades cearenses cresceu 16,7% em 2020

Na comparação com 2019, levantamento mostra que aumento do Ceará foi o triplo da média nacional. Urca aumentou 79% e Uece cresceu 26,5%

A produção científica do Estado do Ceará teve, em 2020, um crescimento de 16,7% no número de publicações de artigos científicos em periódicos internacionais (língua inglesa) em relação a 2019. Em todo o Brasil, o crescimento desse tipo de publicação foi de 5,1%. A informação é da Web of Science, entidade sem fins lucrativos que cataloga e acompanha a produção de pesquisadores de todo o mundo.

De acordo com a Web of Science, todas as universidades cearenses aumentaram sua produção científica nos últimos cinco anos. Entre as universidades públicas estaduais, a Universidade Regional do Cariri (Urca) aumentou em 79% e a Universidade Estadual do Ceará (Uece) cresceu 26,5%.

Os números refletem uma realidade que pesquisadores têm destacado: a administração estadual vem se consolidando como um suporte cada vez mais essencial para a ciência no Ceará, o que tem feito a diferença na produção de conhecimento e de inovação. Isso proporciona o quantitativo e qualitativo da produção científica, das parcerias com a indústria, da inserção internacional, da interiorização do ambiente de pesquisa.

“Esse reconhecimento mostra que investir em ciência, tecnologia e ensino superior é uma decisão acertada do Governo do Ceará, principalmente em um cenário de diminuição de recursos em âmbito nacional”, diz o titular da Secitece, Inácio Arruda, ressaltando também a atuação do programa Cientista Chefe e o trabalho e a dedicação dos professores, estudantes e funcionários.

As áreas que mais se destacaram em volume de publicações, com cerca de 60% do total, são Engenharia, Química, Ciência da Computação, Agricultura, Bioquímica e Biologia Molecular, Ciências Ambientais: Ecologia, Farmacologia, Física, Saúde Pública Ambiental Ocupacional e Ciência de Materiais.

Fonte: Web of Science

 

Funcap

“O Governo do Ceará entende que a ciência é a chave para o desenvolvimento econômico, social e ambiental do Estado, e a Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap) tem sido um dos principais instrumentos de suporte a essa política”, explica o professor Luiz Drude, diretor científico da Funcap, órgão vinculado à Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece), que é citada nesse levantamento como financiadora de 9% dos artigos publicados.

Em 2020, a Capes, um dos órgãos federais de financiamento, diminuiu o total de bolsas de mestrado de 920 para 822. Em relação ao CNPq, outra importante agência da área na esfera federal, a queda foi de 258 para 217. Para cursos de doutorado, também houve redução na Capes de 890 para 824 bolsas. Em contrapartida, no mesmo período, as bolsas da Funcap foram ampliadas no mestrado (594 para 611) e no doutorado (464 para 473).

 

 

 

Por avanço de variante, Ministério estudar reduzir intervalo da Pfizer

Ministério da Saúde também orienta vacinar ‘maior número possível’ com 1ª dose

A secretária extraordinária de enfrentamento à covid-19 do Ministério da Saúde, Rosana Leite, defendeu nesta segunda-feira (26) que as vacinas disponíveis sejam usadas neste momento para garantir “o maior número possível” de pessoas com a primeira dose. Todavia, com a chegada de mais imunizantes da Pfizer/BioNTech, ela admitiu que a pasta estuda reduzir o intervalo entre as doses.

“O que nos preocupa muito é a variante Delta. Já temos 98 países na qual ela se encontra, e ela tem mostrado que vai a uma preponderância. Aqui no Brasil, ainda prepondera a P.1. Os estudos demonstram que qualquer que seja a vacina presente aqui no nosso país, ela protege as formas graves. Então, o norteador nosso é vacinar o máximo possível com D1 [1ª dose].”

Atualmente, o PNI (Programa Nacional de Imunizações) determina que a segunda dose da Pfizer seja administrada após 12 semanas. Não há previsão em bula para isto, mas estudos sugerem que não há prejuízo no intervalo maior.

A possibilidade estudada pelo governo é de aplicar a Pfizer com o período estabelecido na bula, de 21 dias.

“Teremos muitas vacinas e pensaremos talvez em reduzir este intervalo”, disse a secretária ao pontuar que há previsão de 63 milhões de doses para agosto.

A Pfizer tem um contrato com o Ministério da Saúde para fornecer 100 milhões de doses até dezembro, dos quais 17,8 milhões já foram recebidos.

Além deste contrato, outros 100 milhões de doses da Pfizer, de uma segunda compra, estão previstos para serem entregues em dezembro.

Rosana ressaltou que a única alteração estudada é para a vacina da Pfizer. A AstraZeneca também é aplicada com intervalo de 12 semanas, mas é o indicado em bula.

“A AstraZeneca mostra inclusive que quanto maior o tempo, melhor a formação de anticorpos neutralizantes.”

Fonte: R7

Butantan libera 1,5 milhão de doses da Coronavac ao PNI

De 14 de julho até hoje foram entregues 7 milhões de doses da vacina

O Instituto Butantan entregou na manhã desta segunda-feira (26) mais 1,5 milhão de doses da vacina contra o SARS-CoV-2 ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde.

Com a nova entrega, as liberações chegam à marca de 60,149 milhões de doses fornecidas ao Ministério da Saúde desde 17 de janeiro deste ano, quando o uso emergencial do imunizante foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

De acordo com dados do Instituto Butantan, desde o dia 14 de julho até hoje, foram entregues 7 milhões de doses da vacina. Essas novas entregas são referentes à produção de um novo lote de 10 milhões de doses processadas a partir dos 6 mil litros de ingrediente farmacêutico ativo (IFA), recebidos no dia 26 de junho.

As vacinas liberadas hoje fazem parte do segundo contrato firmado com o Ministério da Saúde, de 54 milhões de vacinas. O primeiro, de 46 milhões, foi concluído em 12 de maio. O Butantan trabalha para completar, até o fim de agosto, 100 milhões de doses disponibilizadas ao PNI.

A matéria-prima recebida em junho foi envasada no complexo fabril do Butantan, na zona oeste da cidade de São Paulo, e passou por etapas como embalagem, rotulagem e controle de qualidade das doses.

Na madrugada do último dia 13, o instituto recebeu carga recorde de 12 mil litros de matéria-prima para produzir e entregar outras 20 milhões de doses.

Fonte: AGÊNCIA BRASIL

Banco de Alimentos de Uninter arrecadam alimentos para doação em Juazeiro do Norte

O Banco de Alimentos, equipamento vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Social e Trabalho de Juazeiro – Sedest, realizou uma ação em parceria com a universidade Uninter para a arrecadação de alimentos não-perecíveis, na última sexta-feira, 24.

Ao todo, foram distribuídos 71 livros e arrecadados 91 quilos de alimentos que serão doados para entidades cadastradas junto ao Banco de Alimentos do município.

A população foi estimulada a doar dois quilos de alimentos e, em troca, receber da escola, livros didáticos das áreas de economia, desenvolvimento pessoal, marketing, filosofia de relações humanas, entre outros. O doador também pôde fazer a inscrição gratuita em um dos 22 cursos de rápida duração, oferecidos pela instituição de ensino.

Atualmente, o equipamento possui parceria com 44 entidades públicas governamentais e do terceiro setor, que atendem pessoas em situação de vulnerabilidade social como orfanatos, comunidades religiosas e abrigo para idosos.

Para se tornar doador do Banco de Alimentos, o interessado pode se dirigir até a sede do equipamento, na Avenida Virgílio Távora, S/N, bairro Timbaúbas.

Crato inaugura novo boteco nesta segunda-feira (26) e firma força no setor gastronômico

Após a reabertura dos bares e restaurantes na Região do Cariri, passado o período mais crítico da pandemia, o Crato vem se destacando como polo de investimentos no setor gastronômico, atraindo as atenções dos empresários e de clientes. Nessa segunda-feira, 26, um novo estabelecimento deste ramo será inaugurado no município: trata-se do Santo Butteco, localizado no bairro Pimenta. Na última quinta-feira, 22, outro bar já havia sido aberto, o Boteco do Mattuto, situado no mesmo local onde funcionou o tradicional restaurante cratense “Só Baião”.

Para incrementar ainda mais o mercado, nos próximos dias será inaugurado o Pirikita´s Clube Bar, com localização privilegiada entre coqueiros frondosos e ambiente completamente arborizado, no bairro Palmeiral. A expectativa é que o local seja o mais sofisticado bar do Cariri. O estabelecimento é capitaneado pelos empresários Sávio Soares e Juan Levi, das empresas Mega Som e Lidercom, respectivamente. Sávio, inclusive, já é conhecido por atuar na organização de grandes eventos do entretenimento, como o Festival Expocrato.

A abertura dos novos estabelecimentos colocam o Crato em pé de igualdade com Juazeiro do Norte quando o assunto é o mercado de bares e restaurantes na região do Cariri. Além dos novos, outros já em funcionamento também fazem sucesso entre o público. É o caso do Terraço São Bento e do Monarca Lounge Bar, que costumar ser os mais disputados pelos clientes aos fins de semana.

Crato vacina índios contra a Covid-19 nesta segunda-feira (26)

A Secretaria Municipal de Saúde do Crato realizou, na manhã desta segunda-feira, 26, a vacinação contra a Covid-19 para os povos indígenas cratenses.

Após uma articulação entre o governo municipal, Associação dos índios Kariri de Poço Dantas Umari e Funai/Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), foram destinadas 40 doses para os indígenas.

“É um momento de muita alegria pra Secretaria Municipal de Saúde, que junto com a associação vinha lutando pelo reconhecimento dessa população, garantindo essas doses para os indígenas acima de dezoito anos, então é um momento de alegria, de garantir vacina a esse povo que faz história pra nossa população, história pra pra nossa região”, disse a secretária municipal de Saúde, Marina Feitosa.