Você vai adorar esse novo recurso do WhatsApp; confira

Agora, o aplicativo permitirá responder no privado uma mensagem enviada em grupo

Uma nova atualização no WhatsApp vai permitir que os usuários respondam no privado uma mensagem enviada em um grupo. O recurso começou a ser ativado nos dispositivos com a versão mais recente do sistema Android e aos poucos chegará a todos os usuários da ferramenta.

De acordo com o UOL, a nova funcionalidade une duas características já existentes no WhatsApp, a de citar uma mensagem e a de abrir uma nova janela de conversa. Agora, a citação feita no grupo aparecerá na conversa particular, o que ajudará a contextualizar o assunto.

Mas vale ressaltar que as respostas neste sentido só podem ser feitas para a pessoa que enviou a mensagem original. Ou seja, não será possível levar a conversa para um terceiro usuário.

O nova função não tem previsão de ser incorporada nos dispositivos iOS.

Fonte: Notícias ao Minuto

Incêndio destrói último “Engenho de Pau” no Sítio Fundão em Crato

Por Ronuery Rodrigues / Papo Reto

Uma perca para o patrimônio material e cultural do Cariri, com a destruição do mais antigo engenho de madeira movido a tração animal do Crato. O equipamento datado do final do século XIX e início do XX, ficava localizado na Unidade de Conservação Ambiental Sítio Fundão, no Geossítio Batateiras, foi completamente queimado no final de semana.

O Engenho possuía valor histórico e cultural não só para o Crato mais para a região, conforme destacou advogado e pesquisador Heitor Feitosa Macêdo. Ele participou da elaboração de um relatório que objetivava preservar o equipamento de possíveis danos – “ Há uns 4 meses, atendendo à solicitação da Secretaria do Meio Ambiente do Estado do Ceará, estive lá, juntamente com os professores doutores em história (Darlan Reis – URCA – e Virgílio Arraes – UNB), a fim de elaborar um relatório para a contenção das ruínas do dito engenho. Desde 2013, outro relatório já havia sido confeccionado com o mesmo objetivo, no qual foram feitas recomendações semelhantes às que nós apresentamos”, escreveu o pesquisador.

Para o pesquisador, era possível ter evitado o incêndio, com a retirada da vegetação do entorno, “ na boa linguagem matuta, fazer o aceiro”, o que não ocorreu. Heitor conta ainda que há mais de um ano, tenta implantar um museu do engenho no Crato, mas que pouco tem sido as pessoas que tem dado apoio.

Por fim, o  advogado lamentou que pontos de memórias tenham perdido o valor na sociedade – “ Além do Museu Nacional, quantos outros pontos de memória deverão ser sacrificados para que entendamos o valor dessas “velharias” que formam a matéria-prima de nossas digitais? O Crato, outrora, apossou-se do título de cidade da cultura, mas, agora, parece estar achacado por uma amnésia profunda e irreversível. Foram-se os casarões, foi-se o museu, foi-se o último engenho movido a boi e aí por diante”, lamentou.

SÍTIO FUNDÃO

O Parque Estadual Sítio Fundão, foi criado por Decreto Estadual nº 29.179, de 08 de fevereiro de 2008 e é uma Unidade de Conservação do grupo de Proteção Integral.

 

 

Antes de assumir, Bolsonaro já amarga primeira derrota no Congresso

Mergulhado nas decisões administrativas do governo federal, mesmo antes de assumir, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) teve na noite dessa quarta-feira, 07, sua primeira derrota no Congresso. Após declarar que não era o momento de aumentar salários, referindo-se a proposta de aumento dos salários dos ministros do Superior Tribunal Federal (STF) e procurador-geral da República, o Senado aprovou o projeto com ampla maioria.

Foram 41 votos favoráveis, 16 contrários e 1 abstenção, na votação que reajustou em 16,38% os salários dos ministros. Com o aumento, os salários passam de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil. Com o chamado “efeito-cascata”, o impacto nas contas públicas deve chegar a R$ 6 bilhões ao ano.

Mais derrota a vista

A tentativa de antecipar algumas decisões, ainda, para o governo Michel Temer, tem causado mal-estar no Congresso. Depois de fazer pressão para que o Congresso vote a reforma da Previdência, o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, foi rebatido pelo senador cearense Tasso Jereissati (PSDB).

Tasso disse que “o Congresso é soberano, independente, e não tem prensa por aqui”. O senador disse ainda que o PSDB deve ficar independente em relação ao governo Bolsonaro para não cometer o mesmo erro de 2016, quando entrou no governo de Temer.

Fonte:   Blog Madson Vagner

Grafites em muros de Salvador homenageiam mestre Moa do Katendê; morte do capoeirista completa 1 mês

Um mês após a morte capoeirista Moa do Katendê, soteropolitanos têm homenageado o baiano de várias formas. Uma delas é através do grafite. Em diferentes pontos de Salvador, é possível ver o rosto do ‘Moço lindo do Badauê’estampando muros, trazendo colorido para as ruas e também relembrando o assassinato que tirou o mestre da roda de uma forma brutal.

Romualdo Rosário da Costa, o Moa do Katendê, tinha 63 anos quandofoi assassinado no dia 8 de outubro, após se envolver em uma discussão sobre política, horas após a votação do primeiro turno das eleições.

Moa teria completado 64 anos no dia 29 de outubro, se estivesse vivo. “É triste saber que um assassino acabou com a vida do meu tio, acabou com uma família, por um motivo tão banal. Mas a gente encontra força espiritual e nas pessoas que estão lembrando dele o tempo todo”, diz Renilda Costa, sobrinha da vítima.

Sobrinha de Moa do Katendê fala sobre morte do tio, um mês após o crime

Sobrinha de Moa do Katendê fala sobre morte do tio, um mês após o crime

Uma das homenagens está no Colégio Estadual Victor Civita, que tem 300 estudantes. A escola fica no Dique Pequeno, onde vive parte da família de Moa e também perto do local onde aconteceu o crime.

A diretora Rodrenice Santana Borges conta que um grupo chamado Canteiros Coletivos se ofereceu para limpar o terreno perto da escola, que estava se transformando em um lixão. “Eles estavam fazendo um workshop de jardinagem bem na época do crime, então os estudantes tiveram a ideia de batizar o jardim com nome de Moa”, detalha.

A partir daí, a diretora decidiu renovar a pintura o muro da frente da escola com uma imagem do homenageado. O trabalho foi feito pelo arte educador Rodrigo Menezes e pelo grafiteiro Nailton dos Santos. A ilustração levou cinco horas para ser finalizada pela dupla, que se sente orgulhosa do resultado final, assim como os alunos.

“Os alunos ficaram encantados, porque estão homenageando uma pessoa próxima da realidade deles, que muitos conheciam. Isso renova a autoestima de toda a comunidade escolar”, diz Rodrenice.

Grafite Mestre Moa — Foto: Valma Silva / G1 BAGrafite Mestre Moa — Foto: Valma Silva / G1 BA

Grafite Mestre Moa — Foto: Valma Silva / G1 BA

A diretora revela que Moa tinha visitado a unidade poucos dias antes de ser morto, para agendar uma roda de capoeira e uma aula de cultura afrobrasileira no local, porém, o evento não chegou a ser realizado. Uma faixa também foi colocada por amigos de Moa que viviam no bairro, em um campo de futebol que fica em frente à escola.

Familiares de Moa visitaram o colégio no dia em que o muro e o jardim ficaram prontos, há uma semana. “Esse é um gesto de solidariedade muito bonito. Estamos recebendo manifestações de várias partes do Brasil e do mundo, mas ter esse acolhimento da comunidade traz um conforto maior para a nossa perda”, comenta Jaci Mahin Reis da Costa, uma das filhas do mestre Moa.

Pequeno jardim foi criado por estudantes em uma área estava virando lixão; espaço foi batizado com o nome de Moa do Katendê — Foto: Valma Silva / G1 BA

Pequeno jardim foi criado por estudantes em uma área estava virando lixão; espaço foi batizado com o nome de Moa do Katendê — Foto: Valma Silva / G1 BA

Outro grafite em homenagem ao capoeirista foi concluído no último fim de semana, na Escadaria do Paço, que fica no Centro Histórico de Salvador. A arte de Bruno Wiw virou ponto turístico, com grande movimento de pessoas tirando fotos.

“Eu pinto esse mural há cinco anos, sempre abordando um tema crítico e social, que chame a atenção das pessoas. Esse ano, retrataria uma família de retirantes sertanejos, mas quando ocorreu a morte do Mestre Moa, decidi adaptar um pouco o tema”, relata.

Grafite homenageia o Mestre Moa do Katendê — Foto: Valma Silva / G1 BA

Grafite homenageia o Mestre Moa do Katendê — Foto: Valma Silva / G1 BA

Bruno manteve a ideia original da pintura, entretanto, incluiu a figura do capoeirista como o chefe da família.

“Representa a família dele, a nossa, os alunos dele na capoeira, o povo brasileiro. Todos somos vítimas dessa violência e da intolerância”, comenta.

Também foram deixadas as plantas coloridas, que já estavam pintadas antes do crime acontecer. “As cores trazem vida, alegria, enfim, tudo que Moa trazia para a sociedade com o trabalho dele”.

O grafiteiro Bruno Wiw pintou mural na Escadaria do Paço, no Centro Histórico  — Foto: Bruno Wiw / Arquivo Pessoal

O grafiteiro Bruno Wiw pintou mural na Escadaria do Paço, no Centro Histórico — Foto: Bruno Wiw / Arquivo Pessoal

Caso

Moa do Katendê foi morto a facadas em um bar, após se envolver em uma discussão sobre política, horas depois da votação do primeiro turno das eleições. O suspeito do crime é Paulo Sérgio Ferreira de Santana, de 36 anos, que está preso no Complexo Penitenciário da Mata Escura.

No dia 22 de outubro, a Justiça da Bahia aceitou a denúncia do Ministério Público do estado e o tornou réu. Paulo Sérgio é acusado de homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima.

Além disso, por ferir Germínio do Amor Divino Pereira, de 51 anos, primo que tentou defender o capoeirista das agressões, o barbeiro é acusado de tentativa de homicídio duplamente qualificado. O caso está no 1º Juízo da 1ª Vara do Tribunal do Júri e ele pode ir a júri popular.

Moa do Katendê foi morto a facadas após discussão por política — Foto: Reprodução/Facebook Moa do Katendê foi morto a facadas após discussão por política — Foto: Reprodução/Facebook

Moa do Katendê foi morto a facadas após discussão por política — Foto: Reprodução/Facebook

Moa foi fundador do grupo de afoxé Amigos do Katendê e um dos maiores representantes do gênero da Capoeira de Angola. Era militante das causas do povo negro e defensor da cultura afrobrasileira, através da música e da educação. Também era dançarino, músico e artesão.

A morte dele comoveu todo o Brasil. Artistas como Caetano VelosoGilberto GilChico César e Daniela Mercury lamentaram o fato nas redes sociais. Em Salvador, a missa de sétimo dia foi marcada pela participação de capoeiristas, na tradicional Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos.

Nos dias 10 e 16 de outubro, grupos culturais grupos culturais se reuniram no Pelourinho para homenageá-lo e foram acompanhados por uma multidão de baianos e turistas. No dia 18 de outubro, foi a vez do astro do rock Roger Waters reverenciá-lo durante show para mais de 28 mil pessoas na Arena Fonte Nova.

Mestre Moa é o homenageado deste ano na Semana da Igualdade Racial, realizada entre os dias 6 e 9 de novembro em Salvador. O evento reúne representantes do movimento negro e gestores públicos para discutir políticas afirmativas. A ação faz parte das comemorações pelo Novembro Negro, mês de conscientização e valorização da cultura afrobrasileira.

Moradores do Dique Pequeno fizeram homenagem ao Mestre Moa do Katendê — Foto: Valma Silva / G1 BAMoradores do Dique Pequeno fizeram homenagem ao Mestre Moa do Katendê — Foto: Valma Silva / G1 BA

Moradores do Dique Pequeno fizeram homenagem ao Mestre Moa do Katendê — Foto: Valma Silva / G1 BA

Fonte: G1

UFPE aciona Ministério Público Federal para investigar panfleto que ameaça alunos e professores

Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) acionou o Ministério Público Federal (MPF), nesta quarta (7), para investigar os autores de um panfleto que lista professores e estudantes que “serão banidos do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) em 2019” devido ao seu posicionamento político-ideológico e à sua orientação sexual.

O MPF informou que a representação da UFPE vai ser distribuída para um procurador da República, que ficará à frente do caso. A universidade abriu uma sindicância para apurar o fato e informou que também vai acionar a Polícia Federal (PF). Até a manhã da quinta (8), a corporação não havia sido acionada.

No material, alguns dos citados são chamados de “doutrinadores”, “comunistas” e “viados”. Um dos professores é apontado como “uma ameaça à moral e aos bons costumes cristãos com um exército de viados, travecos, feminazis, prostitutas e todos os tipos de degenerados que atuam contra a família”.

O texto chama as pessoas citadas de “escória” e traz críticas a objetos de estudo dos alunos, como a adoção de crianças por casais homossexuais, chamada de “adoção de crianças por viados e travecos”.

Por meio de nota, a UFPE afirmou “não admitir, sob qualquer hipótese, que a violência ameace as liberdades de cátedra e individuais”. No texto, a universidade também aponta que casos como esse podem ser denunciados à instituição através da Ouvidoria Geral da UFPE, no site da universidade.

Também através de nota, o professor José Luiz Ratton, coordenador do programa de pós-graduação em sociologia da UFPE e um dos citados na lista que circulou pelo CFCH, afirmou que “as providências legais estão sendo tomadas institucionalmente para proteger a todos”.

“Os ataques dirigidos a nós são, fundamentalmente, ofensas às várias e desejáveis formas de afirmação da cidadania brasileira, à autonomia da universidade pública, às liberdades civis, à democracia”, traz o texto do docente.

Fonte: G1

Lucro líquido ajustado do BB no 3º trimestre soma R$ 3,402 bi

O Banco do Brasil encerra nesta quinta-feira, 8, a temporada de balanços dos grandes bancos de capital aberto no País ao divulgar lucro líquido ajustado de R$ 3,402 bilhões no terceiro trimestre, montante 25,6% maior que o registrado um ano antes, de R$ 2,708 bilhões. Em relação aos três meses anteriores, quando a cifra foi de R$ 3,240 bilhões, cresceu 5,0%.

O lucro líquido ajustado do banco veio em linha com as projeções do mercado. A média de sete casas consultadas pelo Prévias Broadcast (BTG Pactual, JPMorgan, Morgan Stanley, UBS, Santander, Safra e XP) apontava para cifra de R$ 3,312 bilhões para o período de referência.

Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, considera que o resultado está em linha com as projeções quando a variação para cima ou para baixo é de até 5%.

O resultado do BB no terceiro trimestre, conforme relatório que acompanha suas demonstrações financeiras do período, foi impulsionado por menores gastos com calotes e crescimento da margem financeira líquida. Também serviu de motor, segundo o banco, o maior aumento da recuperação de créditos no período.

 

Nos nove primeiros meses de 2018, o lucro líquido ajustado do BB foi a R$ 9,7 bilhões, crescimento de 22,8% em relação ao mesmo período do ano anterior, de R$ 7,903 bilhões. “O resultado foi impactado pela redução das despesas de provisão de crédito, pelo aumento das rendas de tarifas, que cresceram acima da inflação e pelo controle de custos, que variaram abaixo da inflação”, explica o BB em relatório que acompanha suas demonstrações financeiras.

A carteira de crédito ampliada do BB totalizou R$ 686,264 bilhões ao fim de setembro, leve elevação de 0,1% ante junho, quando o saldo era de R$ 685,462 bilhões. Em um ano, aumentou 1,4%. O impulso veio da pessoa física, com expansões de 1,0% ante junho e de 2,3% em 12 meses. Na pessoa jurídica, porém, recuou 2,3% e 5,9%, respectivamente.

No critério carteira de crédito orgânica interna, referência do banco para seu guidance, o saldo foi a R$ 636,952 bilhões, aumento de 2,2% em um ano e de 0,6% ante o segundo trimestre.

O BB fechou setembro com R$ 1,471 trilhão em ativos totais, cifra 5,1% maior em um ano. No comparativo trimestral, aumentou 1,4%.

O patrimônio líquido do BB era de R$ 103,820 bilhões ao término de setembro, 11,0% superior em um ano e 1,2% em três meses. Seu retorno sobre o patrimônio líquido (RSPL) no quesito mercado foi a 14,3% no terceiro trimestre ante 14,3% no segundo. Em um ano, estava em 12,8%. No critério acionista, o retorno do BB foi a 15,7% contra 15,1% no segundo trimestre e 14,1% em 12 meses. Segundo o banco, a melhora do indicador “reforça o compromisso de aumento da rentabilidade”.

O lucro líquido do BB, considerando eventos extraordinários, ficou em R$ 3,175 bilhões no terceiro trimestre, elevação de 11,8% em um ano, de R$ 2,841 bilhões. Em três meses, quando foi de R$ 3,135 bilhões, cresceu 1,3%. A diferença entre o lucro ajustado e o resultado com eventos não recorrentes no segundo trimestre, conforme o banco, se deu por conta de R$ 444 milhões com provisão extraordinária com demandas contingentes e, do lado positivo, efeitos fiscais de R$ 211 milhões.

O BB comenta seus resultados a partir das 10h, em coletiva de imprensa, na sede do banco, em São Paulo. Quem comandará a conversa, desta vez, será o novo presidente da instituição, Marcelo Labuto. Ele assumiu o comando do banco na semana passada após Paulo Caffarelli renunciar ao cargo a caminho da Cielo, controlada pelo próprio BB juntamente com o Bradesco e que estava mais de dois meses sem CEO.

Os resultados do terceiro trimestre do BB, contudo, ainda retratam a gestão do executivo, que, durante o governo de Michel Temer, recuperou a rentabilidade da instituição, reduzindo a distância em relação aos pares privados.

Caffarelli também capitaneou uma reestruturação no BB, que incluiu um plano de incentivo à aposentadoria, mudanças na estrutura de atendimento e ainda revisões de contratos em busca de maiores receitas como, por exemplo, a feita com a seguradora espanhola Mapfre em seguros.

Fonte: notícias ao minuto

Senado aprova reajuste salarial dos ministros do STF; saiba o valor

O Senado Federal aprovou nesta quarta-feira (7) o reajuste de salário de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) de R$ 33,7 mil para R$ 39,3 mil.

Foram 41 votos a favor e 16 votos contra. O texto depende de sanção do presidente Michel Temer para entrar em vigor.

Em seguida, também foi aprovado aumento no mesmo valor para o procurador-geral da República, em votação simbólica.

“Não haverá aumento do teto do gasto dos órgãos”, afirmou o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), após a votação.

De acordo com cálculo feito pelas consultorias Orçamento da Câmara e do Senado, o impacto anual nas contas públicas pode ser de R$ 4 bilhões.

Isso porque o aumento do salário dos magistrados gera efeito cascata, já que o valor da remuneração dos ministros é o limite máximo estipulado para os salários do funcionalismo. Além disso, algumas categorias têm suas remunerações atreladas às dos ministros.

O efeito cascata de reajustar o salário dos ministros de R$ 33,7 mil para R$ 39,3 mil deve ser de R$ 717 milhões no Judiciário e de R$ 258 milhões no Ministério Público da União.

No caso do Poder Executivo, onde o mecanismo do abate teto desconta os salários que hoje ultrapassam R$ 33,7 mil, o efeito pode ser de outros R$ 400 milhões.

Além disso, ainda de acordo com a consultoria, o impacto pode ser de R$ 2,6 bilhões nos entes da federação.

Segundo o senador Fernando Bezerra (MDB-PE), durante leitura de parecer no plenário da Casa, o presidente do STF, Dias Toffoli, se compromete a acabar com o auxílio-moradia. Isso, diz ele, diminuiria o impacto nas contas públicas.

Esta é a primeira das chamadas pautas-bomba armada para o governo de Jair Bolsonaro (PSL). O presidente eleito afirmou nesta quarta que “não é o momento de reajustar o salário do Poder Judiciário”.

Ele disse ver com preocupação a proposta. “Obviamente não é o momento. Nós estamos terminando um ano com déficit, vamos começar o outro ano com déficit”, afirmou ao deixar um encontro com o comando da Aeronáutica, em Brasília.

O projeto já foi aprovado pela Câmara e estava parado desde 2016 no Senado.

O STF (Supremo Tribunal Federal) aprovou em agosto deste ano uma proposta orçamentária para 2019 que prevê o mesmo reajuste salarial de 16,38%.

Após a aprovação pelos ministros, o presidente Michel Temer recebeu o presidente do Supremo, Dias Toffoli, para discutir a questão do aumento salarial.

Nesta terça-feira (6), Temer, Toffoli e Eunício se reuniram em evento no Congresso pela manhã. À noite, o presidente do Senado aprovou requerimento extrapauta para incluir o assunto na pauta do dia seguinte.

Líderes do Senado, tanto da base como da oposição, dizem que foram pegos de surpresa pela inclusão da matéria na pauta.

“Nós estamos trabalhando no escuro”, afirmou o senador Roberto Requião (MDB-PR), durante a sessão de votação.

Opositores de Bolsonaro também se colocaram contra o projeto criticado pelo presidente eleito. “É de uma irresponsabilidade enorme fazermos isso não com o presidente eleito, mas com o país”, afirmou o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Já Romero Jucá (MDB-RR) negou que se aumentarão as despesas do Judiciário para o novo governo . “O teto será cumprido. Não estamos aqui discutindo aumento de gasto do Poder Judiciário”, disse.

Ele afirmou que por causa da aprovação do teto de gastos, o valor de aumento de salário seria compensado em outros gastos do Poder.

Fonte: notícias ao minuto