Ferrero está perto de comprar chocolates da Nestlé nos EUA

A empresa italiana Ferrero está perto de comprar a divisão de doces e chocolates da multinacional suíça Nestlé nos Estados Unidos. Segundo o jornal “New York Post”, a companhia dona de ícones como Nutella, Ferrero Rocher e Kinder está disposta a pagar US$ 2 bilhões por um pacote de marcas que inclui Butterfinger e Crunch.

Se a operação for concluída, a Ferrero se tornará a terceira maior produtora de doces nos Estados Unidos, atrás de Hershey’s e Mars. A primeira também estava na briga pelos ativos da Nestlé, mas deixou a disputa após a compra da Amplify, dona das pipocas SkinnyPop, por US$ 1,6 bilhão.

Com isso, o único rival da Ferrero seria um pequeno fundo de private equity, que não é tido como favorito. Recentemente, a empresa italiana ampliou suas operações nos Estados Unidos ao adquirir a fabricante de balas Ferrara Candy.

O vencedor do “leilão” feito pela Nestlé deve ser anunciado nas primeiras semanas de janeiro, com a conclusão da operação prevista para março. A multinacional suíça alega que quer vender sua divisão de doces nos EUA para responder melhor “às exigências mais saudáveis dos consumidores” no país. Com isso, o grupo deve se concentrar em setores de maior crescimento, como café, comida para animais e água. (ANSA)

Fonte: Notícias ao Minuto

BNDES anuncia finalização de renegociação de dívidas de 13 estados

Assim, os Estados prorrogaram os prazos de pagamento em dez anos, incluindo a carência de quatro anos, informou o banco, em comunicado

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) concluiu a renegociação de dívidas de 13 estados, que somam R$ 7,8 bilhões. Assim, os Estados prorrogaram os prazos de pagamento em dez anos, incluindo a carência de quatro anos, informou o banco, em comunicado.

Do total renegociado, R$ 1,7 bilhão são relativos a São Paulo, o maior valor. Em seguida aparecem: a Bahia, com R$ 1,6 bilhão; Maranhão, com R$ 1 bilhão; Paraíba, com R$ 750,3 milhões; Piauí, com R$ 515,8 milhões; Santa Catarina, com R$ 440,7 milhões; Acre, com R$ 397,7 milhões; Ceará, com R$ 368,7 milhões; Mato Grosso do Sul, com R$ 341,2 milhões; Sergipe, com R$ 212 milhões; Alagoas, com 156,6 milhões; Pernambuco, com R$ 119,4 milhões, e Rio Grande do Sul, com R$ 106,9 milhões.

O banco afirma que a renegociação da dívida de R$ 420,9 milhões do Amapá ainda depende de comprovação do cumprimento de todas as condições prévias. Não informou, porém, quais são essas condições. Informou ainda que todos os contratos renegociados ainda terão que ser confirmados pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional.

“Todas (as dívidas) são referentes ao Programa Emergencial de Financiamento (PEF 2) e ao Proinveste, programas de apoio à execução de despesas de capital constantes do Plano Plurianual (PPA) e das Leis Orçamentárias dos Estados e Distrito Federal”, acrescentou o BNDES no comunicado. Com informações do Estadão Conteúdo.

Fonte: Notícias ao Minuto