Vereadores discutem sobre obras no município

Os vereadores esiveram reunidos nesta terça (05) em mais uma sessão ordinária na Câmara municipal. Os debates foram iniciados com o pronunciamento do vereador Jales Veloso (PSB) que relatou solicitações da população de falta de material no posto Teodorico Teles (posto da grota) e atraso na entrega de exames. Jales ainda declarou que aguardava o inicio das obras prometidas pelo prefeito municipal. Fernando Brasil (PP) em resposta ao colega disse que as obras já estavam acontecendo e o prefeito Zé Ailton (PP) tinha palavra e compromisso com a população e atenderia a todas as reivindicações do povo. Também destacou que em breve Jales não teria do que reclamar da administração.

O presidente Florisval Coriolano (PRTB) declarou que era um debate normal entre os colegas porém o respeito deveria prevalescer. Florisval ainda destacou as obras que estão sendo realizadas como o programa “caminhos do Crato” que foi lançado oficilmente nesta segunda e beneficiará a população com 130 quilômetros de pavimentação. O líder do prefeito Dr. Renan Almeida (PATRIOTA) pediu cautela aos vereadores quando fossem fazer as suas reclamações e informou que a prefeitura já havia investido mais de 10 milhões de reais em contrapartida em pouco mais de um ano.

Ao final da sessão foram aprovados projetos de Lei como o de autoria do vereador Thiago Esmeraldo que institui o lema oficial permanente para as semanas da árvore, da água e do meio ambiente do município do Crato. Após os debates e votações a sessão foi encerrada.

Homem é preso por tráfico na porta de escola e por esconder drogas no telhado da unidade de ensino em Salvador

Um traficante foi preso por esconder drogas no telhado de uma escola pública e comercializar os entorpecentes em frente à unidade de ensino no bairro de Paripe, no subúrbio de Salvador.

O caso ocorreu na tarde de segunda-feira (4). De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), agentes da 19ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Paripe) receberam uma denúncia anônima de que a dupla estava vendendo drogas no local.

Chegando na porta da escola, os policiais conseguiram alcançar um dos suspeitos, que foi identificado como Gilvanei Santos Oliveira, 29 anos. Detido, o homem teria confessado que as drogas comercializadas ficavam escondidas no telhado na escola.

No telhado do colégio, a polícia diz que encontrou 51 trouxas de maconha, 13 sacos com cocaína e R$ 99. O suspeito preso foi encaminhado para o sistema prisional de Salvador. Já o comparsa conseguiu fugir e não foi localizado até a publicação desta reportagem.

Fonte: G1

PM é baleada em abordagem a grupo que tinha atirado em homem no Grande Recife

Uma policial militar de 44 anos foi baleada, na noite de segunda-feira (4), durante uma abordagem policial, em Itapissuma, no Grande Recife. Luciana Santos da Silva integrava uma equipe da Radiopatrulha acionada para atuar em um caso de tentativa de homicídio, na comunidade Cidade da Criança, no Centro do município. Atingida na perda esquerda, a militar encontra-se internada no Hospital da Restauração, no Derby, na área central da capital.

De acordo com a PM, a equipe da Radiopatrulha chegou ao local por volta das 20h de segunda (4). Bandidos tinham acabado de balear um homem, que estava caído no chão. Quando os militares desceram da viatura, os homens começaram a atirar nos policiais.

Ferida, Luciana foi socorrida pelos colegas e levada para o Hospital Miguel Arraes, em Paulista, no Grande Recife. Ela deu entrada às 20h34. Meia hora depois, foi transferida para o HR.

Segundo a assessoria de comunicação do HR, Luciana passou por uma cirurgia vascular. Ela encontra-se na sala de recuperação e o estado de saúde é estável.

O homem que estava caído quando a equipe chegou ao local do tiroteio foi levado com vida para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cruz de Rebouças, em Igarassu, no Grande Recife Segundo a PM, ele morreu na manhã desta segunda-feira (4).

 Fonte: G1

Petrobras fecha contrato de compra de gás natural da União no pré-sal

A estatal PPSA (Pré-Sal Petróleo SA) anunciou nesta segunda (4) os primeiros contratos para a venda de gás natural de campos do pré-sal que pertencem à União. Os contratos foram assinados com a Petrobras e envolvem a venda de cerca de 230 mil metros cúbicos de gás por dia dos campos de Lula e Sapinhoá, os dois maiores do país.

A empresa não informou o valor dos contratos, alegando confidencialidade. Os recursos obtidos com a venda do gás vão reforçar o caixa do governo, que é dono de parte da produção dos campos porque parte das reservas se estende para fora da área concedida.

Em abril, a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis) estipulou que o gás de Lula vale R$ 0,66583 por metro cúbico. Já o de Sapinhoá vale R$ 0,71188. Os valores são definidos com base na composição do gás de cada campo e usados para o cálculo dos royalties devidos pelos concessionários.

Assim, considerando o preço mínimo, os contratos movimentariam em torno de R$ 5 milhões por mês. Dona da infraestrutura de transporte do gás entre as plataformas marítimas e o continente, a Petrobras é hoje a única potencial compradora da produção nacional.

 

PETRÓLEO

Na última quarta (30), a PPSA tentou vender em leilão contratos de parcela de petróleo do pré-sal que pertence à União. Seriam dois contratos de um ano da produção de Lula e Sapinhoá, vendidos ao preço de referência da ANP mais ágio.

No entanto, a única empresa que se habilitou para a concorrência, a anglo-holandesa Shell, não apresentou propostas. A direção da estatal diz que vai estudar o modelo para tentar outra alternativa de venda do petróleo.

A PPSA foi criada em 2010, com a lei que alterou as regras de exploração no pré-sal, com o objetivo de gerir a parcela da União nos contratos de petróleo. É responsável por fiscalizar os contratos e vender a produção do governo.

Até agora, porém, só conseguiu fechar um contrato de venda de petróleo, em contrato bilateral com a Petrobras de 500 mil barris.

Fonte: notícias ao minuto

Margens de lucro de postos dispararam durante paralisação, diz ANP

A pesquisa semanal de preços dos combustíveis da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocmobustíveis) divulgada nesta segunda (4) indica que as margens de lucro praticadas por postos de gasolina dispararam durante o período de paralisação dos caminhoneiros.

Em duas semanas, o litro da gasolina subiu 7,7%, o do diesel teve alta de 6,5% e o do gás de botijão, de 5,4%. O etanol, que está em momento de queda pelo início da safra de cana-de-açúcar, aumentou 6%.

Em todos os casos, a alta foi provocada pelo aumento das margens de revenda, comprovando percepção do consumidor de que os postos que receberam produtos aumentaram os preços durante a paralisação dos caminhoneiros.

Diante da falta de produtos, o número de postos pesquisados foi bem inferior à média das semanas anteriores. No caso da gasolina, foram 485, contra cerca de 5.627 na semana anterior. Para o diesel, o número de postos caiu de 3.182 para 378.

 

Em média, a margem de lucro na venda de gasolina subiu 51,8%, para R$ 0,62, entre a semana anterior à greve e a semana passada – quando o preço médio da gasolina no país foi de R$ 4,614 por litro. No caso do etanol, o aumento da margem foi de 18,7%, para R$ 0,52 por litro, levando o preço médio do combustível a R$ 2,953 por litro.

O menor aumento foi verificado nas vendas de óleo diesel, com a margem subindo 13% em duas semanas, para R$ 0,382. De acordo com a ANP, o preço médio de venda do diesel nos postos brasileiros durante a semana passada foi R$ 3.828 por litro.

A margem de revenda do botijão de gás também teve aumento expressivo: 32,6%, para R$ 22,15. Na última semana, diz a ANP, o preço médio do botijão de 13 quilos, chegou a R$ 70,61.

Houve aumento também nos preços de venda das distribuidoras, mas em menores percentuais. Entre a semana anterior à greve e a semana passada, a gasolina vendida pelas distribuidoras subiu 3%, o diesel, 5,8% e o etanol, 3,7%.

Nesta segunda, o governo anunciou que usará poder de polícia para garantir que os descontos no preço do diesel cheguem ao consumidor final. A expectativa é que o desconto seja de, no mínimo, R$ 0,41 por litro. Com informações da Folhapress.

Fonte: notícias ao minuto