Conheça os lugares mais visitados no Google Maps; Brasil está na lista

O Google anunciou nesta terça-feira (24) os países, as cidades e os pontos turísticos mais visitados no Google Maps por usuários ao redor do mundo. A lista foi divulgada em comemoração aos 15 anos do recurso StreetView, que permite checar vistas panorâmicas de diversas regiões do globo. O Brasil ganhou destaque em algumas das principais posições, e o país, assim como o Cristo Redentor, estão no top 5 de países e pontos turísticos mais visitados globalmente no último ano.

O país mais procurado por usuários no Google Maps ao redor do mundo é a Indonésia, local que também lidera o ranking quando o assunto são as cidades mais visitadas. A lista segue com Estados Unidos em segundo lugar, Japão em terceiro, México em quarto e Brasil em quinto, completando o top 5. A lista com os dez mais visitados segue com Espanha em sexto, Itália em sétimo, Taiwan em oitavo, França em nono e Reino Unido fechando em décimo lugar.

Seu app de GPS está te dando o caminho errado? Veja dicas para contornar erros no Fórum do TechTudo.

Já São Paulo é a cidade brasileira mais procurada no Google Maps, seguida por Rio de Janeiro e Belo Horizonte, que aparecem na sequência. No ranking global, a capital paulistana aparece em quarto lugar, depois de Jakarta, na Indonésia, que lidera a lista, Tokyo, no Japão, e Cidade do México.

A classificação de cidades mais visitadas no Maps por usuários no mundo segue com Buenos Aires, na Argentina, completando o top 5, Nova Iorque, nos Estados Unidos, em sexto lugar, e Istanbul, na Turquia, Taipei, em Taiwan, Paris, na França e Osaka, no Japão, fechando o top 10 global.

Quando o assunto são os pontos turísticos, o Brasil continua em evidência, com o Cristo Redentor ocupando a quinta posição entre os mais visitados. Completam o top 5 o arranha-céu Burj Khalifa, nos Emirados Árabes, em primeiro lugar, seguido pela famosa Torre Eiffel, na França, o Taj Mahal, na Índia, e a Estátua da Liberdade, nos Estados Unidos, em quarto lugar.

Ocupando a sexta posição no ranking mundial de pontos turísticos mais procurados está o Labirinto de Rhyolite, também nos EUA, seguido pelas Necrópolis de Giza, no Egito, e a Casa Branca, também em terras norte-americanas. Já o Coliseu, na Itália, vem em nono lugar, enquanto o Monumento Nacional, na Indonésia, aparece em décimo e completa a lista com os dez mais visitados. Veja a lista completa ao final da matéria.

Novidades no StreetView

Além da divulgação da lista, o Google também anunciou novos recursos para o StreetView em comemoração aos 15 anos da ferramenta. Entre as novidades estão uma nova câmera, que deve facilitar o processo de captura de imagens, um modo de “Visão Imersiva” para possibilitar visitas mais realistas e em 3D a diversos locais, e uma função de “Imagens Históricas”, que vai permitir que usuários visitem lugares que já não existem mais.

O Google também vai incluir novas coleções à ferramenta, e pontos como As Pirâmides de Meroë, no Sudão, e Les Invalides, na França, poderão ser explorados pelo StreetView. Vale mencionar que, até o momento, não há previsão de lançamento para as funções no Brasil.

A seguir, confira as listas de países, cidades e pontos turísticos mais visitados no Maps no Brasil e no mundo.

Os 10 países mais visitados no Street View

  1. Indonésia
  2. Estados Unidos
  3. Japão
  4. México
  5. Brasil
  6. Espanha
  7. Itália
  8. Taiwan
  9. França
  10. Reino Unido

 

As 10 cidades mais visitadas do mundo

  1. Jakarta, Indonésia
  2. Tokyo, Japão
  3. Cidade do México, México
  4. São Paulo, Brasil
  5. Buenos Aires, Argentina
  6. Nova Iorque, Estados Unidos
  7. Istanbul, Turquia
  8. Taipei, Taiwan
  9. Paris, França
  10. Osaka, Japão

 

Os 10 pontos turísticos mais visitados no mundo no Street View no último ano

  1. Burj Khalifa – Emirados Árabes Unidos
  2. Torre Eiffel – França
  3. Taj Mahal – Índia
  4. Estátua da Liberdade – EUA
  5. Cristo Redentor – Brasil
  6. Labirinto de Rhyolite – EUA
  7. Necrópolis de Giza – Egito
  8. Casa Branca – EUA
  9. Coliseu – Itália
  10. Monumento Nacional – Indonésia

 

As 10 cidades brasileiras mais visitadas no Street View

  1. São Paulo
  2. Rio de Janeiro
  3. Belo Horizonte
  4. Curitiba
  5. Fortaleza
  6. Porto Alegre
  7. Recife
  8. Goiânia
  9. Manaus
  10. Salvador

 

Os 3 pontos turísticos mais populares do Brasil no Street View

  1. Cristo Redentor
  2. Catedral São Pedro de Alcântara
  3. Beto Carrero World

Fonte: TechTudo

Bolsonaro recorre de decisão de Toffoli e pede que notícia-crime contra Moraes vá à PGR

O presidente Jair Bolsonaro apresentou, nesta terça-feira (24), um recurso contra decisão do ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, que negou uma notícia-crime apresentada pelo presidente contra o ministro Alexandre de Moraes.

Bolsonaro acusa Moraes de abuso de autoridade.

No recurso apresentado nesta terça (24), a defesa de Bolsonaro argumenta que o pedido de investigação deveria ter sido encaminhado à Procuradoria Geral da República em vez de ter sido arquivado imediatamente, como foi feito por Toffoli.

A defesa do presidente pede que, caso a decisão não seja revista, que o recurso seja levado ao plenário do STF para que todos os ministros se manifestem sobre o assunto.

“Caso não seja exercido o juízo de retratação pelo ministro relator, com fundamento no que dispõe o caput do art. 317, parágrafo 2º, do Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal, que o presente Agravo Regimental seja levado à apreciação do Plenário do Supremo Tribunal Federal, a fim de se dar seguimento ao protocolo da presente Notícia-Crime, encaminhando-a à Procuradoria-Geral da República”, pediu Bolsonaro.

O presidente encaminhou uma notícia-crime ao STF contra Moraes, alegando que o ministro do Supremo tem cometido o crime de abuso de autoridade por sua atuação em investigações contra Bolsonaro. O relator do caso, ministro Dias Toffoli, porém, negou o pedido prontamente.

Fonte: CNN

Projeto de regularização fundiária oferece escritura pública gratuita em Barbalha

Teve início nesta segunda-feira, 23, em Barbalha, as ações do Projeto de Regularização Fundiária Urbana (Papel da Casa), que nessa etapa contemplará famílias do bairro Bela Vista. A iniciativa é da Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres e Direitos Humanos (STDSMDH), em parceria com o Governo do Estado.

O Projeto compreende o conjunto de medidas jurídicas, urbanísticas, ambientais e sociais que visam ofertar gratuitamente escritura pública do imóvel aos moradores, garantindo assim o acesso à moradia plena, a inserção da população de baixa renda no funcionamento da cidade legal, e o acesso às políticas públicas de financiamento, voltadas para melhoria de seus imóveis.

A implementação seguirá as seguintes etapas: Aplicação do Cadastro Multifinalitário Urbano; Georreferenciamento do Empreendimento e do Imóvel; Fiscalização da Secretaria das Cidades; Confecção das peças técnicas; Solicitação para emissão de Certidões junto aos Cartórios; Confecção dos Títulos de Propriedade; e entrega do Título de Propriedade aos Beneficiários.

Juazeiro do Norte deve sediar Centro de Inovação Tecnológica do Cariri

Foi aprovado, em etapa de habilitação, da proposta da Financiadora de Estudos e Projetos – FINEP, para a construção do Centro de Inovação e Tecnologia do Cariri. A proposta prevê financiamento de até R$5 milhões destinados ao equipamento, que deverá ter sede em Juazeiro do Norte.

O projeto foi desenvolvido pela Universidade Regional do Cariri, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação de Juazeiro do Norte – Sedeci, Universidade Federal do Cariri, Faculdade de Medicina de Juazeiro, FATEC e CENTEC Cariri, juntamente com o SEBRAE, Fecomércio, SENAI, Sindindústria, Grupo Empresarial Fissura, SEST-SENAT, empresa Link Kariri, Instituto Federal do Ceará, Unileão, Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos da Bio-região do Cariri e CECAPE.

O projeto segue para a etapa de avaliação de mérito, e o resultado final está previsto para o próximo mês de julho.

Após anúncio de troca na Petrobras, Ibovespa opera em queda

O Ibovespa, principal índice de ações da bolsa de valores de São Paulo, a B3, opera em queda nesta terça-feira (24), com a nova troca de presidente da Petrobras nos holofotes.

Às 14h34, o indicador caía 1,11%, a 109.124 pontos. Veja mais cotações.

Perto do mesmo horário, as ações da Petrobras caíam mais de 4%. Mais cedo, chegaram a recuar mais de 5%. Em Nova York, as ADRs da Petrobras (recibos das ações da petroleira negociados na Bolsa dos EUA) chegaram a cair mais de 11% no pré-mercado.

Na segunda-feira, a bolsa fechou em alta de 1,71%, a 110.346 pontos. Com o resultado, passou a acumular alta de 2,29% no mês, e alta de 5,27% no ano.

 

O que está mexendo com os mercados?

 

Nos mercados, permanecem preocupações de que a alta da inflação e o aperto dos juros possam provocar uma desaceleração da economia global.

Por aqui, os investidores reagiam ao anúncio de mais uma troca no comando da Petrobras em meio a progressiva elevação do preço dos combustíveis e críticas à política de preços da estatal. O Ministério de Minas e Energia anunciou em nota oficial na noite desta segunda-feira (23) a demissão de José Mauro Ferreira Coelho, após 40 dias no cargo. Esta é a terceira troca de presidente da estatal no governo Jair Bolsonaro.

As ações da petroleira também começam a ser negociadas nesta terça sem o direito do pagamento de dividendos anunciado no último dia 5, o que também contribuía para puxar o preço dos papeis para baixo.

Na avaliação do Credit Suisse, “mudanças recorrentes para o cargo de CEO aumentam substancialmente a percepção de riscos” para a Petrobras. O banco destaca, porém, que não espera mudanças significativas na política de preços da Petrobras no curto prazo.

A Petrobras está há 73 dias sem reajustar o preço do combustível nas refinarias. Trata-se do maior intervalo sem reajustes em ao menos mais de 2 anos e meio. Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom) aponta defasagem de 8% na paridade internacional e diz que Petrobras está ‘segurando preços’.

Na agenda de indicadores, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) – considerado uma prévia da inflação oficial do país – desacelerou para 0,59% em maio, mas atingiu 12,20% em 12 meses, acima das expectativas do mercado.

Para a Capital Economics, o novo aumento da inflação brasileira corrobora a visão de que haverá outros 0,75 ponto percentual de alta no atual ciclo de aperto monetário, com a Selic subindo para 13,50%.

Fonte: G1

Prévia da inflação perde força, mas é a maior para maio desde 2016

Depois de registrar a maior variação para o mês de abril em 27 anos (+1,7%), a prévia da inflação oficial desacelerou em maio ao avançar 0,59%, de acordo com informações divulgadas nesta terça-feira (24) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Com a variação, a maior para o mês de maio desde 2016 (+0,86%), o IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15) acumula alta de 4,93% em 2022. Nos últimos 12 meses, o salto dos preços é de 12,2%, patamar mais de três vezes superior à meta estabelecida pelo governo para este ano.

Diante da série de altas, o BC (Banco Central) já admite que os índices oficiais de preços vão superar meta estabelecida pelo CVM (Conselho Monetário Nacional) para a inflação em 2022, de 3,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto (de 2% a 5%), pelo segundo ano consecutivo.

No mês, o maior impacto positivo do índice partiu do grupo dos transportes (+1,8%). Ainda que o resultado represente uma desaceleração em relação a abril (+3,4%), a maior contribuição veio do item passagens aéreas (+18,4%), cujos preços subiram pelo segundo mês consecutivo.

Os combustíveis (+2,05%) também seguem em alta, embora a variação tenha sido inferior à registrada em abril (+7,5%). Entre os destaques figuram os aumentos da gasolina (+1,2%) e do etanol (+7,8%). Também merece destaque o seguro de veículo (+3,5%), que já acumula 18,2% somente neste ano.

Ainda aparecem entre as maiores altas do grupo o preço do táxi (+5,9%), alta influenciada pelos reajustes de 41,5% nas tarifas em São Paulo e de 14,1% em Fortaleza. No Rio de Janeiro, o reajuste de 12,07% das passagens de metrô fez com que o subitem subisse 2,2%. Já a variação do ônibus urbano (+0,17%) foi puxada pelo reajuste de 11,11% no preço das passagens em Belém.

 

Alimentos

O grupo de alimentação e bebidas também apresentou alta em ritmo menor neste mês, de 1,5%, ante salto de 2,25% apurado em abril. A maior influência do período foi dos itens para consumo no domicílio (+1,7%).

Entre os itens com as maiores altas, o leite longa vida (8%) e a batata-inglesa (+16,8%) representaram os maiores impactos. Ainda houve alta na cebola (+14,8%) e no pão francês (+3,8%), Por outro lado, as frutas (-2,5%), o tomate (-11%) e a cenoura (-16,2%) registraram quedas.

Já a alimentação fora do domicílio acelerou na passagem de abril (+0,3%) para maio (1%), principalmente por conta do lanche, que teve alta de 1,9% em comparação a 0,07% no mês passado. Já refeição (+0,5%) apresentou resultado mais próximo ao registrado em abril (+0,45%).

 

Conta de luz

A única diminuição de preços entre os grupos foi apurada em habitação (-3,85%), puxada pela tarifa de energia elétrica (-14%). A queda é influenciada pela entrada em vigor da bandeira verde, em que não há cobrança adicional na conta de luz.

A mudança passou a valer a partir de 16 de abril, após seis meses de bandeira Escassez Hídrica, que estabelecia um acréscimo de R$ 14,20 a cada 100 kWh (quilowatt-hora) consumidos pelas famílias.

Em termos regionais, houve quedas desde 17,6%, em Curitiba, até 2,18%, em Fortaleza, onde as tarifas tiveram reajuste de 24,2%. Também foi aplicado um reajuste tarifário de 20,1% em Salvador (-4,8%) e de 18,8% no Recife (-8,2%).

Ainda no grupo de habitação, pelas altas, houve aumento de 0,8% no gás encanado, consequência do reajuste de 5,95% aplicado no Rio de Janeiro (2,6%). Também houve alta da taxa de água e esgoto (0,55%), decorrente do reajuste de 12,9% em São Paulo (+1,7%).

Fonte: R7

Juazeiro do Norte e outras cidades são alvos de operação contra sonegação de impostos no setor de bebidas

A Secretaria da Fazenda do Ceará (Sefaz-CE) e o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) deflagraram, nesta terça-feira (24), a Operação Escócia, com o objetivo de desarticular um esquema milionário de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro envolvendo o segmento de bebidas. A Vara de Delitos de Organizações Criminosas expediu 32 mandados de busca e apreensão e oito mandados de prisão, sendo seis mandados de prisão temporária e dois mandados de prisão preventiva, contra empresários, contadores e facilitadores em oito municípios cearenses (Fortaleza, Caucaia, Maracanaú, Eusébio, Juazeiro do Norte, Iguatu, Crateús e Quixadá).

O cumprimento dos mandados contou com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), da Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (Procap), do Núcleo de Investigação Criminal (Nuinc), da Sefaz e da Secretaria da Segurança Pública do Estado, por meio da Polícia Civil e Coordenadoria Integrada de Planejamento Operacional (Copol). Ao todo, participaram da operação 11 promotores de Justiça, 30 auditores fiscais, 19 delegados e 82 policiais civis.

Investigação

A investigação no âmbito do Ministério Público teve início em maio de 2019, após envio de informação fiscal pela Secretaria da Fazenda. Representantes do segmento de bebidas denunciaram à Sefaz Ceará a prática de concorrência desleal e nociva ao comércio local. No curso das investigações, foram afastados os sigilos bancário e fiscal de 47 pessoas físicas e jurídicas, permitindo assim, ao lado de outros dados e diligências, a revelação de todo o esquema criminoso.

Entre os delitos apontados estão a criação frequente de empresas de fachada para absorver a carga tributária das operações fraudulentas; operações de aquisições fictícias de mercadorias, além de inúmeras omissões e confusões nos registros de operações de compras e vendas de mercadorias, com o evidente propósito de dificultar a fiscalização do cumprimento de obrigações tributárias por meios tradicionais; pagamentos a pessoas jurídicas sem emissão de Nota Fiscal ou em valores divergentes daqueles informados nos documentos fiscais; além de diversas outras irregularidades, as quais possibilitam que a empresa beneficiária e alvo principal da operação realize vendas de mercadorias com preços significativamente abaixo do valor de mercado.

Somente entre abril de 2021 e fevereiro de 2022, o grupo investigado criou seis empresas fictícias com sede no município de Aurora com o objetivo de servirem apenas como “destinatárias” de Notas Fiscais, no total de R$ 3,5 milhões. As respectivas mercadorias, no entanto, não passaram pelos postos fiscais da Fazenda Estadual e foram destinadas a outras empresas que servem ao grupo criminoso, sem o recolhimento do ICMS devido pela entrada do produto.

Até o momento, apurou-se que entre o exercício de 2017 até meados de 2020, o esquema delituoso registrou cerca de R$ 95 milhões em operações com fortes indícios de irregularidades, o que implica dizer que aproximadamente R$ 28 milhões deixaram de ser recolhidos aos cofres públicos em decorrência da ação contínua do grupo criminoso, causando forte impacto na atividade comercial do segmento, com danos graves à ordem econômica local e à livre e leal concorrência.

A organização criminosa também é acusada de crimes de lavagem de dinheiro e ocultação patrimonial, ao utilizar contas bancárias de empresas fictícias para movimentação financeira do grupo, incluindo pagamento de fornecedores e aquisição de veículos de luxo e imóveis no nome da empresa. A frota foi avaliada em cerca de R$ 1,7 milhão.

Ceará apresenta redução de 78% nos incêndios em vegetação no primeiro quadrimestre

No primeiro quadrimestre deste ano, o Ceará apresentou redução de 78% nos casos de incêndio em vegetação. Segundo relatório do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBMCE), divulgado nessa segunda-feira (23), foram contabilizadas 151 ocorrências até o mês de abril de 2022. Em igual período do ano passado, foram 689 casos.

Em janeiro deste ano, uma redução de 85% já havia sido registrada, indo de 465 casos para 66 neste ano. Em fevereiro, a retração foi de 63,6%, indo de 154 para 56. Já em março, a queda foi de 32%, indo de 31 para 21. Por último, abril registrou uma redução de 79,4%, indo de 39 para oito casos.

A redução, informa a corporação, tem relação direta com o volume elevado de chuvas no Ceará. O estado já registrou 732,6 mm de chuva, de acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), em 2022. O número representa 93% de todo volume esperado para este ano.