Morre Monsenhor Manuel Feitosa em sua residência no Crato

Por Rafael Pereira/Agência News Cariri

Morreu durante a madrugada dessa quinta-feira (28) monsenhor Feitosa em sua residência, em Crato. Padre Manuel Feitosa, como era muito conhecido, tinha 87 anos e faleceu em sua casa localizada na Rua Nossa Senhora de Fátima, no Pimenta, em Crato. O sacerdote morreu vítima de morte súbita.

A Diocese de Crato publicou uma nota em que lamenta a morte do padre. “A diocese de Crato manifesta seu pesar pelo falecimento do Monsenhor Manuel Alves Feitosa, ocorrido na madrugada desta quinta-feira, dia 28 de março. Ele tinha 87 anos, e era um dos padres mais antigos da nossa Igreja Particular.”, diz a nota.

Seu corpo está sendo velado em Crato na Matriz de Nossa Senhora de Fátima. Às 8h dessa sexta-feira será sepultado na Sé Catedral de Nossa Senhora da Penha.

Biografia

Monsenhor Manuel Alves Feitosa nasceu no dia 27 de novembro de 1931, em Arneiroz, sertão do Inhamuns. Com o objetivo de ser padre, veio ao Crato ainda com oito anos de idade onde fixou residência. Depois de ordenado, em 1959 foi nomeado vigário paroquial da Sé Catedral Nossa Senhora da Penha. Assumiu várias paróquias em municípios da região do Cariri como em Lavras da Mangabeira e Assaré. Por último assumiu a paróquia de Nossa Senhora de Fátima em Crato. Destacou-se em serviços de evangelização e obras de caridade.

Vira rotina asfalto ceder na Avenida Padre Cícero em Juazeiro do Norte

Por Agência News Cariri

Mais uma cratera provocada pelas chuvas se formou próximo ao Teatro Municipal Marquise Branca, em Juazeiro do Norte. O buraco está sendo concertado por técnicos da Secretaria de Infraestrutura (SEINFRA). O transito no local continua lento e os motoristas estão desviando por trechos alternativos.

A abertura de buracos já se torna comum em Juazeiro do Norte. No dia 12 de março o portal News Cariri noticiou um buraco que se formou quase no mesmo local, próximo a uma revendedora de carros. Em abril do ano passado, mostramos também que o asfalto cedeu no mesmo local formando uma grande cratera e atrapalhando a circulação de veículos.

Veja a cratera que se formou no local

Nota da SEINFRA:

“Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte, através da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), informa aos condutores de veículos que evitem passar pela Av. Padre Cícero, próximo ao Teatro Marquise Branca, e procurem trechos alternativos, pois equipes técnicas estão realizando serviços com máquinas pesadas no local onde cedeu o asfaltamento gerando um buraco na avenida. Com isso o trânsito irá fluir apenas por uma faixa da via. Uma equipe do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) estará no local realizando o disciplinamento doa veículos.”

 

Chuva de 75 milímetros no Crato volta atenções para o Canal do Rio Granjeiro; veja o vídeo

Por Rafael Pereira/Agência News Cariri

Em mais uma chuva na cidade do Crato, as preocupações se voltaram novamente para o Canal do Rio Granjeiro que teve forte cheia, mas não transbordou. Segundo o boletim diário de chuvas, a Funceme registrou 75 milímetros no posto localizado no bairro Lameiro. Em um vídeo, enviado por um leitor do site, a chuva que caiu no Lameiro quase transborda novamente o canal. As imagens do vídeo abaixo mostra a correnteza das águas faltando poucos centímetros para atingir as bordas.

Durante a noite dessa quarta (27) também houve fortes chuvas em Juazeiro do Norte e muitas ruas ficaram alagadas. Segundo a Funceme, choveu 56 mm na terra de Padre Cícero. Em Barbalha choveu 46 mm.

A maior precipitação de chuva na região do Cariri ocorreu no município de Abaiara. Foram 102 milímetros registrados nas últimas 24 horas de ontem para essa quinta-feira (28). No Estado o município ficou em 1º lugar.

Governador em Crato

Na ultima segunda-feira (25) o governador Camilo Santana em Crato e viu a situação do canal provocada pela últimaa chuva que alagou o centro da cidade. Camilo Santana esteve acompanhado do prefeito Zé Ailton Brasil e juntos procuraram soluções para a melhoria do canal do Rio Granjeiro.

Veja o vídeo da cheia no Canal do Crato:

O Crato e o Aeroporto Nossa Senhora de Fátima

Por Ronuery Rodrigues

Saiba mais sobre o funcionamento do Aeroporto da Princesa do Cariri através do Historiador e Pesquisador, Adeildo de Sousa.

De 1953 a 1974, funcionou em Crato um aeroporto, em plena Floresta Nacional do Araripe.Ele estava localizado a 13 km do centro da cidade (em frente à casa sede do antigo IBAMA, antes da divisa Ceará x Pernambuco).

Foi o primeiro aeroporto do interior do Ceará a possuir pista asfaltada (recebeu asfaltamento no ano de 1958).

Batizado com o nome de Nossa Senhora de Fátima, como uma homenagem a imagem de Fátima vinda de Portugal, que visitou o Crato no dia da sua inauguração, em 13 de Novembro de 1953.

Durante a sua breve existência, atuaram em nosso aeroporto as empresas AERONORTE (com os aviões C47), REAL AEROVIAS (aviões Douglas DC3) e VARIG (aviões DC3 e Avros – Turbo Hélice, a jato).

Os voos no aeródromo deixaram de ocorrer em 1971, ano em que a Varig retirou seus aviões do Crato. Após uma série de tentativas, foi definitivamente desativado em 1974, devido a inúmeros problemas de infraestrutura e clima, e principalmente, por estar situado no alto de uma serra (formavam-se cerrações que impediam o pouso e decolagem das aeronaves).

O acesso ao aeroporto pela estrada das Guaribas, também influenciou na decisão da desativação, assim como, o fato de Juazeiro também possuir um aeroporto que apresentava melhores condições que o de Crato (o Aeroporto Regional do Cariri Orlando Bezerra, em Juazeiro, foi inaugurado em Outubro de 1970.

Casado com baiana, italiano se apaixona pelo subúrbio de Salvador e investe em hospedaria: ‘Amor à primeira vista’

“Quando eu descobri esse lugar todo, o subúrbio, eu comecei a me apaixonar”. A declaração é do italiano Nino Pirro, 55 anos, que mora no bairro de Coutos, em Salvador, há 5 anos. Ele é enfático ao dizer que o amor por Clara Pirro, com quem é casado há 9 anos, e o encanto pela região onde a mulher nasceu foram determinantes para a escolha de uma nova moradia e uma transformação no estilo de vida que seguia em Roma.

“Foi amor à primeira vista. Eu acho que esse lugar vale a pena ser visitado. Eu sou um apaixonado de praia, de mar, e, ao mesmo tempo, sou um admirador de plantas. E, em Coutos, tem as duas coisas. Tem praia, tem mar e, ao mesmo tempo, ainda é um lugar arborizado, muito verde. Eu sempre digo que um lugar assim, em muitos lugares do mundo, seria [considerado] um lugar de primeira”.

Na semana em que a capital baiana completa 470 anos, o G1 conversou com Clara e Nino, que além de escolherem Coutos para morar, viram no local uma oportunidade de empreender na região.

Nino conheceu Salvador e também Clara, que nasceu e foi criada no subúrbio, há dez anos. Após casarem, eles chegaram a morar em Roma por quase 5 anos. Mas, apaixonado pela capital baiana e, principalmente, pelo subúrbio, Nino insistiu em voltar para a Bahia e começar uma vida nova. O desafio, conta o italiano, foi convencer a esposa de que há beleza no subúrbio e que é possível ter uma vida com qualidade no local.

Tarifa aérea média para Jericoacoara, no Ceará, aumenta 4,9% em um ano

A tarifa área média para voos de/para Jericoacoara, no litoral oeste do Ceará, subiu 4,97% entre 2017 e 2018. A praia é uma das mais visitadas do estado e o preço das passagens passou de R$ 694,18 para R$ 728,71 em apenas um ano, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O Aeroporto Regional Comandante Ariston Pessoa, no município de Cruz, a 32 quilômetros da Praia de Jericoacoara, recebe voos da Azul provenientes de Belo Horizonte (Confins) e Campinas (Viracopos). Já a Gol opera apenas de Guarulhos (São Paulo).

De acordo com a Anac, a tarifa média da Azul para voos de/para Jeri custa R$ 679,82, enquanto que os preços da Gol estão em R$ 827,98.

Conforme o engenheiro aeronáutico Igor Pires, o destino Jericoacoara se consolidou muito rápido. “Jeri saiu de dois voos por semana e chegou a ter em janeiro 12 voos semanais. As ocupações são muito altas, então esse viés de crescimento na tarifa é explicado pela alta demanda”.

Segundo ele, o perfil do passageiro para Jericoacoara é diferente em relação aos outros destinos cearenses, como Fortaleza e Juazeiro do Norte. “Para Jeri é um perfil de viajante mais abastado que não é muito sensível ao preço da passagem”, acrescenta.

O Aeroporto Regional movimentou no ano passado 89,9 mil passageiros. Nos primeiros dois meses deste ano, passaram pelo terminal 22 mil pessoas, alta de 42% em relação aos 15,5 mil passageiros movimentados entre janeiro e fevereiro de 2018.

Ceará

Na contramão de Jeri, a tarifa média no Ceará caiu 7,69%, influenciada principalmente pelo resultado de Fortaleza, onde o preço das passagens teve queda de 9,32%. Na Capital, os valores dos bilhetes passaram de R$ 416,01 para R$ 377,22, de 2017 para 2018.

Em Juazeiro do Norte, a tarifa teve alta de 1,79%. No aeroporto do Cariri a média das passagens mudou de R$ 418,97 para R$ 426,51, em um ano.