Jovem casa em igreja e vota com vestido de noiva no Grande Recife

O dia 28 de outubro vai ficar marcado para sempre para Suzane dos Santos, de 20 anos, e Andrey da Silva, de 22 anos. A data do segundo turno das eleições foi a mesma do casamento, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. Por isso, a jovem saiu da igreja, ainda com vestido de noiva, direto para votar em uma escola. Depois, o casal seguiu para a festa para celebrar o matrimônio.

A reportagem do G1 conversou com Suzane, por telefone, na tarde deste domingo, durante a festa de casamento. A estudante contou que sair da igreja direto para a seção eleitoral, ainda com véu, foi a única forma de não perder tempo e chegar ao local da festa com tranquilidade.

“Eu moro em Cajueiro Seco, em Jaboatão. A cerimônia religiosa ocorreu em Candeias, bem perto da escola onde eu voto. Ficaria complicado se eu fosse para casa trocar de roupa e depois voltar para a votação e depois ir para a festa”, justificou.

Suzane disse que o comerciário Andrey conseguiu votar de manhã, por volta das 8h. Enquanto ele se dirigia para a seção eleitoral, ela se aprontava para o dia de festa. “Para ele foi mais fácil. Eu fui fazer maquiagem e o cabelo”, observou.

Na seção eleitoral, Suzane disse que todas as pessoas presentes se surpreenderam com a chegada de uma noiva e, com vestido branco, e do marido, também com roupa de festa. “Muita gente tirou foto. Ele estava ao meu lado, no primeiro compromisso como marido”, contou.

A estudante disse que só percebeu que tinha marcado o casamento para o segundo turno das eleições após a primeira votação, no dia 7 de outubro. “Quando foi definido que haveria segundo turno, a gente se deu conta. E teve que descobrir um jeito de não perder nada”, comentou.

Fonte: G1

Escolhido por Bolsonaro defende reforma da Previdência como no Chile

O deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), confirmado pelo presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) como ministro da Casa Civil em caso de vitória, afirmou neste domingo (28) que pretende buscar inspiração no modelo chileno para fazer a reforma da Previdência no Brasil.

Implantado em 1981 durante a ditadura de Augusto Pinochet, o regime chileno tem um sistema no qual cada trabalhador faz a própria poupança, que é depositada em contas individuais e então administrada por empresas privadas.

“Sempre defendi uma reforma da Previdência. Tem que ser preparada para durar 30 anos. Temos que separar assistência social do que é Previdência. Estimular a poupança, como fez o Chile, que é um bom parâmetro. Temos 15,5% do PIB como poupança interna. Queremos chegar aos 20%”, disse Lorenzoni.

O modelo chileno enfrenta crise em seu país de origem. Instalou-se no Chile uma grande discussão sobre as injustiças distributivas desse mecanismo que impulsionou protestos com pedidos de mudanças.

Segundo Lorenzoni, em caso de vitória de Bolsonaro, a ideia é viajar na quarta-feira (31) para Brasília para começar formalmente a transição de governo.

Sobre a governabilidade de Bolsonaro, Lorenzoni disse que ele contará com o apoio de mais de 320 deputados. Com informações da Folhapress.

Fonte: notícias ao minuto

No exterior, Bolsonaro vence na Suíça e Haddad ganha em Paris

Jair Bolsonaro (PSL) ganhou no Reino Unido e na Suíça

O resultado das eleições 2018 na França, Reino Unido e Suíça já são conhecidos, feitos por contabilização extraoficial, baseada nos extratos emitidos pelas seções. Jair Bolsonaro (PSL) ganhou no Reino Unido e na Suíça, com 61,38% e 58,4% dos votos, respectivamente. Na França, onde a votação no exterior deu a vitória a Fernando Haddad, o petista teve 69,45% dos votos.

Nas 16 seções de Paris, Haddad recebeu 69,45% dos votos válidos. Na capital francesa, 4.654 eleitores foram às urnas e deram 30,55% dos votos a Bolsonaro. Brancos e nulos somaram 402 votos.

Reino Unido

Bolsonaro também ganhou no Reino Unido, onde levou 61,38% dos 8.405 votos válidos em Londres. Haddad teve 38,44%. Pouco tempo antes de as seções da embaixada brasileira em Londres serem fechadas, houve um princípio de confusão, controlado pela polícia.

Suíça

Em Genebra, na Suíça, Bolsonaro ganhou com 58,4%. Fernando Haddad ficou em segundo lugar com 1.077 votos. Na seção de Zurique, a diferença foi mais expressiva. Bolsonaro teve 2,7 mil votos e Haddad, 1,7 mil.

Apuração da votação no exterior só será divulgada às 19h deste domingo, 28, junto ao resultado nacional. Ao menos 65 países já fecharam as seções eleitorais nestas eleições 2018.

Nestas eleições 2018, há 500.727 brasileiros aptos a votar em 99 países. Em relação à eleição de 2014, já um aumento de 41%, resultado de uma campanha feita pelo Ministério das Relações Exteriores. Foram instaladas 744 urnas em 171 locais. Com informações do Estadão Conteúdo

Fonte: Notícias ao Minuto

Entenda por que o resultado da eleição sai tão rápido

Ao todo, 147,3 milhões de eleitores devem eleger o presidente e governadores em 13 estados e no Distrito Federal

No primeiro turno das eleições, apenas uma hora após o fechamento das urnas no Acre, às 20h de Brasília, os eleitores já sabiam que Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) estariam na disputa pelo posto de presidente da República. Afinal, como o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) garante tamanha agilidade?

Como explica a ‘BBC News’, no primeiro e no segundo turno, o TSE conta com 1,817 milhão de mesários, 15,4 mil servidores da Justiça Eleitoral e 556 mil urnas eletrônicas, que são utilizadas nas 454,4 mil seções eleitorais de todo o Brasil. Neste domingo (28), são 2.645 juízes eleitorais espalhados por todo o território, além de militares das Forças Armadas.

Toda esta estrutura se preparou para colher o voto de 147,3 milhões de eleitores, que devem eleger o presidente e governadores em 13 estados e no Distrito Federal.

Em 2014, as eleições custaram R$ 650,8 milhões, de acordo com o TSE.

Apuração

A apuração é feita em duas partes: primeiro, é realizada a contagem de votos que cada candidato teve numa determinada urna após o encerramento da votação, que ocorre depois das 17h, quando acaba a votação. Os mesários emitem o boletim de urna (BU), impresso em papel e um arquivo digital chamado Registro Digital de Voto (RDV), que é armazenado numa espécie de pendrive, chamado “memória de resultado”.

Nos centro urbanos, cada local de votação tem um terminal de acesso ao sistema da Justiça Eleitoral, por onde os dados são enviados a TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de cada estado. Já em locais afastados, em alguns casos, os pendrives são levados a uma outra seção eleitoral ou a um local que tenha acesso à rede da Justiça Eleitoral para que os votos sejam transmitidos por satélite.

A Justiça Eleitoral conta com uma estrutura de comunicação própria, fornecida pelas operadoras de telefonia, não sendo a mesma rede pela qual usuários residenciais acessam a internet.

A soma dos votos é feita, inicialmente, nos TREs dos estados. Neste momento, já é possível ver o resultado das disputas para governador. A votação para presidente é enviada pelos TREs ao TSE.

A transmissão e soma dos votos se dão em tempo real, sendo possível acompanhar a evolução da apuração online

Fonte: Notícias ao Minuto

Haddad vai acompanhar apuração com correligionários e simpatizantes

No hotel, foi montado um esquema chamado de “quartel-general” com estrutura para entrevistas coletivas para a imprensa e telefonemas para autoridades

Após votar, pela manhã, o candidato à Presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, passou o início da tarde com a família no apartamento, em São Paulo. Ele é esperado no final de tarde em um hotel da cidade, onde simpatizantes e correligionários o aguardam para acompanhar a apuração dos votos.

No hotel, foi montado um esquema chamado de “quartel-general” com estrutura para entrevistas coletivas para a imprensa e telefonemas para autoridades.

Pela manhã, Haddad votou acompanhado pela mulher Ana Estela e cumprimentou eleitores que estavam com rosas brancas e vermelhas, além de livros. As flores e os livros fazem parte de uma campanha lançada, na internet, pelos simpatizantes do PT.

Haddad disse estar confirante de que haverá uma “virada” e que ele vencerá o adversário Jair Bolsonaro (PSL). O candidato afirmou que sua confiança se baseia não só nos resultados de pesquisas de intenções de voto, que mostram a redução da diferença entre ele e Bolsonaro, como também no que tem ouvido nas ruas.

O petista começou o dia com um café da amanhã com correligionários em um hotel no bairro Paraíso, na capital paulista. Ele agradeceu o apoio recebido nesta reta final da campanha. De acordo ele, a defesa da liberdade e democracia superará.

*Com informações da Rádio Nacional

Haddad chega em casa após votar e recebe aliados

Minutos antes, no colégio em que votou, Haddad disse que vai “lutar até o último minuto”

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, chegou há pouco na casa dele, no bairro da Saúde, zona sul da capital paulista.

Ele não falou com a imprensa. Minutos antes, no colégio em que votou, Haddad disse que vai “lutar até o último minuto” e que hoje é um dia “decisivo para a democracia”. “Espero que transcorra o dia com tranquilidade”, afirmou aos jornalistas.

Na casa dele, alguns apoiadores chegaram para visitá-lo, como o vereador Eduardo Suplicy. Ele disse estar confiante na vitória.

Há pouco, a mulher de Haddad, Ana Estela, saiu da casa para ir votar. A filha do casal, Ana Carolina, estava com o livro Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis. O livro é um dos favoritos do petista. Nos últimos dias, apoiadores do petista fizeram campanhas nas redes sociais para que eleitores fossem votar com livros nas mãos.

Na rua de Haddad, o clima é tranquilo. Alguns carros passam gritando “Bolsonaro presidente”.

“Quem vota no Haddad aqui nessa rua é só ele”, brincou um aliado político, que pediu anonimato. Com informações do Estadão.

Fonte: Notícias ao Minuto

Ciro: ‘Não quero fazer campanha para o PT nunca mais’

O pedetista reforçou que fará oposição a qualquer um que venha a ser eleito

O candidato derrotado à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes, chegou às 12h11 deste domingo, 28, acompanhado da sua esposa, Giselle Bezerra, ao local de votação, na Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, na Praia de Iracema, em Fortaleza. Sobre a ausência de um apoio efetivo à candidatura de Fernando Haddad (PT), Ciro afirmou que não se manteve neutro, mas que não devia apoio.

“Eu não quero fazer campanha para o PT nunca mais”, disse. Segundo o pedetista, o posicionamento já havia sido tomado desde o começo. Questionado sobre sua ausência no segundo turno, Ciro rebateu: “A quem que eu estou devendo essa presença? Estou devendo ao PT?”. Ciro afirmou que não quer influir na votação, justificando que os dois projetos apresentados neste segundo turno se antagonizam e “não desarmam essa bomba de ódio, de confrontação miúda”.

O pedetista reforçou que fará oposição a qualquer um que venha a ser eleito. “A minha posição é a mesma de antes. Se eu quisesse aderir a uma ou outra força, eu o teria feito antes. Acredito que o Brasil precisa desesperadamente desarmar essa bomba. Espero muito que esteja errado e que aquele amanhã vitorioso possa desarmar essa bomba por si e possa restaurar a paz política no Brasil, para que a gente possa resolver a equação social e política. Entretanto, eu não acredito.” Segundo ele, a bomba seria a intensa polarização.

Antes de deixar o local de votação, já dentro do carro, Ciro destacou a necessidade de acabar com a violência política, citando o assassinato de um jovem petista no sábado (27) por eleitores de Jair Bolsonaro (PSL) em Pacajus, na Região Metropolitana de Fortaleza.

No carro, além de Giselle Bezerra, acompanharam o prefeito de Fortaleza, Roberto Claudio (PDT), e o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, Zezinho Albuquerque (PDT).

Ciro manteve-se distante dos holofotes durante todo o segundo turno e evitou dar declarações em sua chegada a Fortaleza, na última sexta-feira (26). No sábado, optou por gravar um vídeo em que evitou demonstrar apoio explícito à candidatura petista, como era esperado.

Ciro foi o terceiro colocado no primeiro turno, obtendo mais de 13 milhões de votos (12,47%). No Ceará, foi o candidato mais votado, com 40,95% dos votos. Com informações do Estadão Conteúdo.

Fonte: Notícias ao Minuto

Eleitores fazem buzinaço e churrasco em frente à casa de Bolsonaro

Líder nas pesquisas de intenção de voto à presidência, Bolsonaro votou pela manhã em uma escola na zona norte da capital fluminense

Buzinaço, coro de “o capitão chegou”, gritos de “mito”, churrasco no canteiro e até um carro representando a morte do PT dão o tom no início da tarde deste domingo (28) em frente ao condomínio onde mora o candidato Jair Bolsonaro (PSL), na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

Líder nas pesquisas de intenção de voto à presidência, Bolsonaro votou pela manhã em uma escola na zona norte da cidade e passará o restante do dia em sua casa. Na rua em frente ao condomínio, o buzinaço é incessante desde a manhã. Pelo menos 200 pessoas já se aglomeram com camisas amarelas e bandeiras do Brasil.

Os amigos Thyago Pompeu, 30 anos, e Marcus Vinicius Vasconcellos, 25, levaram até mesmo uma churrasqueira para assar “o churrasco da vitória”. A dupla veio de Belém do Pará. “Viemos na quarta-feira só para comemorar a vitória do Bolsonaro”, disse. “Se Deus quiser vamos tirar essa bandidagem do comando.”

Fonte: Notícias ao Minuto

TSE registra 1,9 mil urnas trocadas e 35 prisões

Segundo o tribunal, o número representa 0,17% do total de 454,4 mil urnas utilizadas no pleito deste ano

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) atualizou para 1.956 mil o número de urnas eletrônicas que apresentaram defeito e foram substituídas em todo o país até as 11h50.

Segundo o tribunal, o número representa 0,38 do total de 454,4 mil urnas utilizadas no pleito de segundo turno deste ano. Até o momento, não foram registrados locais com votação manual.

O TSE também registrou 35 prisões de pessoas por propaganda eleitoral, que é proibida no dia da eleição.

Neste segundo turno, os eleitores de 13 estados e do Distrito Federal vão às urnas para escolher os governadores e vices e o futuro presidente da República. Nos outros 13 estados, as eleições para o governo estadual foram definidas no primeiro turno, e os eleitores vão votar somente para presidente. Com informações da Agência Brasil

Fonte: Notícias ao Minuto

Dia do Servidor Público

Dia do Servidor Público

O Dia do Servidor Público é celebrado anualmente em 28 de outubro.

Também conhecido como Dia do Funcionário Público, esta data não é um feriado nacional, mas sim um ponto facultativo, ou seja, os profissionais do serviço público não são obrigados a gozar de folga.
A data celebra o profissional que trabalha nas mais variadas áreas do Poder Público, seja em hospitais, escolas, escritórios e demais repartições públicas.
Existem três principais tipos de servidores públicos: municipal, estadual e federal.
Os servidores municipais pertencem à Prefeitura de uma cidade; os estaduais ao Governo de um estado e os federais são subordinados à União da República. Os salários dos servidores públicos são pagos com o dinheiro dos Cofres Públicos.
No Brasil, ser servidor público é sinal de estabilidade financeira para muitas pessoas, pois não podem ser dispensados facilmente de seus cargos depois de consolidado o período de estágio probatório.
Para entrar no serviço público, normalmente, o cidadão deve participar de um concurso público ou processo seletivo e ser aprovado.
Origem do Dia do Servidor Público
O Dia do Servidor Público surgiu através do Conselho Federal do Serviço Público Civil, homenageando a criação das leis que regem os direitos e deveres dos servidores públicos – Decreto Lei nº 1.713, de 28 de outubro de 1939.
O que motivou a criação da data pelo Conselho, em parte, foi a fundação do Departamento Administrativo do Serviço Público do Brasil, em 1938.
Na maioria dos estados e municípios brasileiros, o Dia do Servidor Público é considerado facultativo para os profissionais da área.
Assim, o artigo 236 da lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, determina que 28 de outubro é oficialmente o Dia do Servidor Público no Brasil.