Eleições. Davi Macedo será o herdeiro político de Raimundão

Por Madson Vagner

O filho mais novo do ex-prefeito Raimundo Macedo (PMDB), deve ser seu herdeiro político na região do Cariri. A informação é do próprio Raimundão em entrevista à Rádio 100 FM. Para as eleições do próximo ano, Raimundão disse que seu nome está à disposição para concorrer a uma vaga na Câmara Federal com a de Davi Macedo a estadual.

Em caso de desistência do cargo federal, somente Davi deve representar a família rumo a Assembleia Legislativa. Sobre a participação do filho mais velho, o empresário Mauro Macedo, Raimundão descartou a possibilidade.

Mauro não teria aceitado uma candidatura a estadual. Apesar das afirmações, o ex-prefeito Raimundão disse que tudo depende do cenário político. Para Raimundão o novo cenário é que deve estabelecer a real situação sobre as candidaturas.

Várzea Alegre – Açude Olho D´Água só tem reservas para mais 12 meses de abastecimento da cidade

Na última sexta-feira, 14, os secretários municipais de Desenvolvimento Agrário e de Meio Ambiente, Cícero Izidório e J. Marcilio, com George Inácio – Coordenador Municipal da Defesa Civil, fizeram uma inspeção no espelho de água do açude Deputado Luiz Otacílio Correia (Olho D’Água), que abastece a cidade de várzea alegre.

Diante do quadro de estiagem dos últimos anos e da situação de emergência que se encontram os reservatórios de água do estado do Ceará, o Governo Municipal, através das secretarias, está estudando e avaliando a situação do volume do açude responsável pelo abastecimento da cidade.

Para Cícero Izidório, a situação inspira preocupação. Ele afirma que, diante dos dados fornecido pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos do Estado do Ceará – COGERH/CE, o açude se encontra com apenas 23,36% de sua capacidade de armazenamento de água que é 19.000.000 m³. “Com esse volume, caso não tenha recarga em 2018, Várzea Alegre só terá água nas torneiras até julho do próximo ano, ou seja, apenas mais 12 meses”, disse.

Cícero Izidório afirma que de acordo com a realidade vista no local, a impressão que se tem é que o açude tem menos água do que relatam os dados oficiais. “Os bancos de areia, as casas antigas, os postes de eletrificação, a caixa d’água da antiga cerâmica e os galhos secos das árvores… tudo isso que era submerso, faz parte da paisagem do açude agora”, disse.

Para Izidório, é importante que os responsáveis pelo uso e gerência do açude façam um plano de economicidade com a expectativa de conseguir água até pelo menos a quadra invernosa do ano de 2019.

Segundo J. Marcilio, ver os bancos de areia em volta do espelho d’água é muito preocupante. “O porão do açude pode está assoreado da mesma forma e a água que temos em números pode não ser a real”, disse.

Marcílio falou que a degradação ambiental, o assoreamento e os barramentos ao longo do Riacho do Machado até sua nascente, impedem que mesmo com chuvas na média, o açude consiga se reabastecer de forma favorável em 2018. “A situação é preocupante”, afirma o secretário.

Para George Inácio, a leitura dos secretários está correta. “Não somente os órgãos responsáveis precisam se preocupar com o uso da água, mas também, o cidadão precisa se conscientizar para economizar usando a água de forma racional. A situação não é para brincadeira. Várzea Alegre não tem mais apenas 25 ou 30 mil habitantes, somos mais de 40 mil pessoas para usar água, temos escolas, hospital e fábricas, como também, nosso lençol freático não é favorável para poços. Tudo isso é necessário levar muito à sério e economizar a água para evitar um colapso”, disse.

Assessoria de Comunicação

Camilo Santana assina projeto de lei que cobra reforço da segurança nas agências bancárias do Ceará

O governador do Ceará, Camilo Santana, assinou nesta terça-feira (18) um projeto de lei que estabelece uma série de medidas de segurança que devem ser adotadas pelas agências bancárias do Ceará. O objetivo é a redução dos ataques às instituições financeiras, com 35 casos nos seis primeiros meses deste ano.
No documento assinado, o governador dizer fazer um apelo às instituições para que modernizem e reforcem o sistema de segurança, garantindo tranquilidade aos clientes. “A gente recebe a cobrança por mais segurança, mas estabelecimento bancário é unidade privada. Não é responsabilidade do Estado”, disse.

Fonte:G1-Ce

Dois homens são autuados em flagrante no Grande Recife com 54.400 cigarros contrabandeados

A Polícia Federal em Pernambuco divulgou, nesta quarta-feira (19), a autuação em flagrante de dois homens sob suspeita de contrabandear cigarros de diversas marcas. As capturas, efetuadas pela Polícia Militar, ocorreram em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, na segunda-feira (17). Com a dupla, foram encontradas 2.720 carteiras, contendo 54.400 unidades do produto comercializado sem a devida documentação.
Esta é a primeira autuação de suspeitos feita pela PF após apreensão de cigarros contrabandeados, este ano, em Pernambuco. As capturas foram efetuadas por Policias Militares lotados no 6º Batalhão.
Os alvos da ação têm perfis distintos: um é um empresário, de 39 anos, de Porto Alegre (RS) e residia em Candeias, em Jaboatão. O outro é um motorista, de 36 anos, do Rio de Janeiro e morador da Zina Sul do Recife. Nenhum deles tinha antecedentes criminais, segundo a PF.
A prisão aconteceu após a polícia receber denúncias sobre a comercialização de cigarros contrabandeados. No imóvel residencial, em Prazeres, Jaboatão, os PMs acharam uma parte do material. Os cigarros estrangeiros de diversas marcas estavam escondidos em um compartimento de uma motocicleta.
Depois da comprovação da falta de documentos, o motorista foi detido em flagrante. Ele alegou que havia adquirido os produtos com um gaúcho. A partir de informações do endereço contidas em uma nota fiscal, os militares seguiram para Candeias, também em Jaboatão, para fazer a segunda prisão.
No apartamento do empresário gaúcho, os PMs localizaram 14 caixas de cigarros de diversas marcas, todos de origem estrangeira.

Fonte: G1-Pe

Brasileiro gasta acima do previsto e consumo consciente regride

Diante da crise econômica, os brasileiros estão cada vez mais gastando acima do previsto em promoções e se endividando no cheque especial. A informação foi divulgada pela pesquisa do crédito SPC Brasil.

Em 2016, o percentual dos chamados consumidores conscientes passou de 32% para os atuais 28%. A pesquisa ouviu 607 pessoas entre os dias 5 e 17 de maio, informou a Folha de S.Paulo.

“As práticas financeiras pioraram um pouco, enquanto achávamos que, com a crise, iam melhorar”, afirmou José Vignoli, educador financeiro do birô de crédito. “O que vimos foi que os consumidores negligenciaram as práticas financeiras.”

No último ano, 84,7% diziam não recorrer ao cheque especial para fechar as contas do mês. Neste ano, essa fatia caiu para 72,3%.

Já a parcela que não gastava mais que o previsto em promoções recuou de 80,6% no ano passado para 64,5%.

“As pessoas já fizeram os ajustes ou estão bastante apertadas. Não há uma política de educação financeira para explicar o melhor uso do crédito. Estamos em uma sociedade muito consumista, e as pessoas não conseguem simplificar seus hábitos”.

Parlamentares que vão votar perdão de dívidas devem R$ 533 milhões

Deputados e senadores que devem à União R$ 532,9 milhões serão os responsáveis por aprovar o texto do novo Refis – programa de parcelamento de débitos tributários e previdenciários concedido com descontos generosos de juros e multas. O governo enviou uma proposta ao Congresso, em janeiro, com a expectativa de arrecadar R$ 13,3 bilhões este ano, mas a medida foi alterada pelos parlamentares, derrubando a arrecadação para R$ 420 milhões. A nova versão pretende perdoar 73% da dívida a ser negociada.

Os dados da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), responsável pela gestão da dívida ativa, foram obtidos pelo Estadão/Broadcast por meio da Lei de Acesso à Informação. O valor inclui dívidas inscritas nos CPFs dos parlamentares, débitos nos quais eles são corresponsáveis ou fiadores e o endividamento de empresas das quais são sócios ou diretores.

Os R$ 532,9 milhões em dívida dos parlamentares consideram apenas as dívidas em aberto, ou seja, o endividamento classificado como “irregular” pela PGFN. Isso porque deputados e senadores já foram beneficiados por parcelamentos passados. O total de débitos ligados a deputados e senadores inscritos em Refis anteriores – ou seja, que estão sendo pagos e se encontram em situação “regular” – é de R$ 299 milhões.

Companhias administradas por parlamentares respondem pela maior parte dos calotes à União que seguem em aberto. As empresas de 76 deputados federais devem R$ 218,7 milhões, enquanto as geridas por 17 senadores acumulam débitos de R$ 201,2 milhões. É nesse grupo que está incluído o deputado Newton Cardoso Jr. (PMDB-MG), relator da medida provisória do novo Refis e responsável por modificar totalmente o teor do texto original para ampliar as vantagens aos devedores.

A Receita Federal vai recomendar o veto do novo Refis se permanecerem as condições propostas pelo relator. Desde o início, a Receita queria que essa versão do parcelamento saísse com regras duras para desestimular os “viciados” em parcelar dívidas tributárias – contribuintes que pagam apenas as primeiras prestações e depois abandonam os pagamentos à espera de novo perdão. Desde 2000, já foram lançados 27 parcelamentos especiais.

A PGNF informou ainda que 11 deputados são corresponsáveis em dívidas que chegam a R$ 31,8 milhões, bem como 3 senadores estão arrolados em débitos de terceiros que somam R$ 62,2 milhões.

A lista do órgão de cobrança expõe ainda os débitos diretos dos parlamentares, inscritos nos próprios CPFs. Nesse grupo estão 29 deputados federais, com dívida total de R$ 18,9 milhões, e 4 senadores, que juntos devem R$ 6 milhões.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.