Transações correntes têm melhor março desde 2005

Brasília – O Brasil teve superávit em transações correntes de 1,397 bilhões de dólares em março, melhor resultado para o mês desde 2005, puxado fundamentalmente pelo bom desempenho da balança comercial.

O dado também veio acima da expectativa de um resultado de equilíbrio no mês, conforme apontado em pesquisa da Reuters.

O último superávit em conta corrente do país havia ocorrido em maio de 2016 (1,186 bilhão de dólares). Considerando apenas meses de março, o último dado positivo foi registrado em 2007 (185,5 milhões de dólares).

No mês, os Investimentos Diretos no País de (IDP) somaram 7,109 bilhões de dólares, em linha com expectativa de mercado de 7 bilhões de dólares.

O bom resultado nas transações correntes decorreu de expressivo superávit da balança comercial, que ficou positiva em 6,935 bilhões de dólares em março, elevação de 63,5 por cento sobre igual período do ano passado.

Ao mesmo tempo, o déficit na conta de serviços diminuiu 13,1 por cento, a 2,523 bilhões de dólares, principalmente por menos gastos com aluguel de equipamentos e transportes, que acabaram compensando a alta de 26,8 por cento nos gastos líquidos de brasileiros no exterior, a 880 milhões de dólares.

Já as remessas de lucros e dividendos cresceram 32,7 por cento em março sobre um ano antes, a 1,874 bilhão de dólares.

Em 12 meses, o déficit em transações correntes caiu a 1,10 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), ante 1,24 por cento no acumulado até fevereiro.

No primeiro trimestre, o déficit em transações correntes recuou 39,1 por cento ante igual etapa de 2016, a 4,624 bilhões de dólares.

Para 2017, entretanto, o BC prevê um rombo de 30 bilhões de dólares, maior que o saldo negativo de 23,53 bilhões de dólares do ano passado, justamente por mais gastos de brasileiros no exterior, conta mais alta em aluguel de equipamentos e remessas mais fortes de lucros para fora do país.

extra

América Móvil, dona da Claro, diz não ter interesse em comprar a Oi

O presidente da América Móvil no Brasil, que controla a Claro, José Félix, afirmou nesta terça-feira (25) que a empresa não tem interesse na compra da Oi e que torce para que a concorrente, que passa por um processo de recuperação judicial, resolva seu problema.

“A gente não tem interesse nenhum na Oi”, disse Félix, em evento da Claro em Brasília.

A Oi está em processo de recuperação judicial e corre o risco de sofrer intervenção da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Félix disse acreditar que ainda há uma solução negociável para a empresa.

Investimentos

José Félix afirmou que a aprovação do projeto de lei que altera a Lei Geral de Telecomunicações não vai alterar a política de investimentos da empresa. Ele afirmou ainda que a Claro não tem adiado nenhum investimento à espera do projeto, que, entre outros pontos, trata dos chamados bens reversíveis, que são bens que deveriam voltar para a União ao fim das concessões de telefonia fixa.

Segundo Félix, o projeto evita que as empresas reduzam o ritmo de investimento conforme se aproxima o fim das concessões.

“O projeto fará com que, lá na frente, se preserve o ritmo de investimentos. Evitará uma ruptura dos investimentos”, disse.

O projeto está parado no Senado. Ele chegou a ir para a sanção presidencial, mas retornou ao Senado, que aguarda um posicionamento do Supremo Tribunal Federal (STF).

Mercado

O novo presidente da Claro, Paulo Cesar Teixeira, afirmou que o efeito clube no mercado móvel, quando os clientes têm chips de várias operadoras de celular, acabou. Segundo Teixeira, o movimento de limpeza da base de pré-pago das empresas, com a exclusão de chips sem uso, deve continuar por mais um tempo a reduzir o número de clientes da telefonia móvel.

Teixeira, que assumiu a presidência da empresa em abril, afirmou que vai buscar a liderança do mercado de telefonia móvel. Hoje a Claro é a terceira colocada em números de clientes gerais, incluindo pós e pré-pago.

Dentro da estratégia, a operadora acaba de lançar um pacote que vai deixar de cobrar pelas ligações de voz em todo o território nacional, inclusive em ligações para outras operadoras. A cobrança de ligações de voz será limitada a chamadas internacionais.

g1

Presidente da SAAEC Crato é eleito vice-presidente da Diretoria Regional da Assemae

O presidente da SAAEC Crato, Yarley Brito foi eleito ontem, segunda-feira, dia 24 vice-presidente da Diretoria Regional da Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento – Assemae, em Assembleia Geral de associados

A assembleia foi realizada no auditório da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (EMATERCE), em Jaguaribe. A pauta do encontro compreendeu a prestação de contas do mandato corrente, bem como a eleição da nova Diretoria Regional para o exercício de 2017 a 2021. O evento é destinado aos associados da Assemae nos estados do Ceará e Rio Grande do Norte.

A Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento – Assemae é uma organização não governamental sem fins lucrativos, criada em 1984.

A Entidade busca o fortalecimento e o desenvolvimento da capacidade administrativa, técnica e financeira dos serviços municipais de saneamento responsáveis pelos sistemas de abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo dos resíduos sólidos e drenagem urbana.

Pesquisa mostra que 88,9% dos que circulam no Centro do Recife não se sentem seguros na área

Uma pesquisa da Câmara dos Dirigentes Lojistas do Recife (CDL) traduziu, em números, o sentimento de medo compartilhado por quem transita pelas ruas do Centro da capital pernambucana. De acordo com o levantamento, divulgado nesta terça-feira (25), 88,9% dos entrevistados não consideram a área central da cidade um local seguro. Outros 77,4% dos que responderam ao questionário disseram não encontrar policiamento nas ruas.

Ainda segundo o levantamento, realizado entre os dias 17 e 20 de abril deste ano, 69,9% dos entrevistados já sofreram ou presenciaram assaltos no Centro do Recife. Feita com 521 pessoas acima de 18 anos, de todas as classes sociais e de 17 cidades pernambucanas, a pesquisa também mostrou que 74,3% das pessoas que vão ao Centro utilizam o ônibus ou o metrô como meio de transporte, o que também contribui para aumentar a sensação de insegurança.

Somente no mês de março deste ano, a Secretaria de Defesa Social (SDS) registrou 129 investidas criminosas em coletivos. Nos primeiros 86 dias de 2017, foram 503 assaltos a ônibus, segundo a pasta. O G1 procurou a Polícia Militar para repercutir a pesquisa e questionar a estratégia de policiamento na área e aguarda resposta.

De acordo com o presidente da CDL Recife, Eduardo Catão, o cenário prejudica não somente quem vai ao Centro para consumir, mas também os que trabalham com comércio na região. Ainda segundo Catão, os comerciantes são vítimas recorrentes de assaltos e de investidas criminosas. Para ele, a situação provoca êxodo de lojistas e clientes, provocando esvaziamento da área e desvalorização da economia.

Para reverter esse quadro, a CDL afirma já ter se reunido com representantes da Polícia Militar de Pernambuco para planejar soluções para o problema. Catão, no entanto, acredita que, nesse cenário de insegurança, o diálogo já não é mais suficiente e há necessidades de reforço no policiamento da área.

Fogo atinge apartamento e prédio é evacuado no Corredor da Vitória, em Salvador

Um incêndio atingiu um apartamento em um prédio residencial localizado no Corredor da Vitória, em Salvador, na noite desta terça-feira (25). O fogo teve início por volta das 20h30, no 9º andar do Edifício Casablanca. O prédio precisou ser evacuado.

Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada e encaminhada ao local, segundo informações da assessoria de comunicação do órgão. Por volta das 21h30, o fogo já havia sido controlado. Não há informações sobre feridos e nem sobre o que teria provocado o início das chamas.

Os bombeiros não informaram se alguma pessoa estava no imóvel no momento do incêndio. Os moradores dos demais apartamentos tiveram que deixar o local.

Incêndio atingiu apartamento em prédio no Corredor da Vitória, em Salvador (Foto: Marianna Falangola Martins/Arquivo pessoal)

Incêndio atingiu apartamento em prédio no Corredor da Vitória, em Salvador (Foto: Marianna Falangola Martins/Arquivo pessoal)

A professora Marianna Falangola Martins, que mora em um prédio que fica em frente ao edifício onde o apartamento pegou fogo, disse que houve correria e que, antes de ver as chamas, escutou gritos.

“Eu senti o cheiro e ouvir uma pessoa gritar. Depois, fui para a janela e o fogo estava bem alto. As esquadrias da janela são de madeira e o fogo se alastrou muito rápido”, destacou.

Conforme a moradora, a área foi isolada pela polícia até a chegada dos bombeiros. “Chegaram muitos policiais, mas os bombeiros só conseguiram chegar cerca de quarenta minutos ou uma hora depois. Os moradores [do prédio] desceram todos e a rua ficou movimentada”, destacou.

g1