Reutilizar agulha de insulina coloca saúde de diabéticos em risco

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e os fabricantes recomendam usar a agulha para a aplicação de insulina apenas uma vez. Mas um novo relatório da SBD mostra que metade dos portadores de diabetedesconsideram essa norma — alguns reutilizam cada uma até cinco vezes.

“Reaproveitadas, as agulhas perdem a fiação e sofrem alterações, com risco de quebra e bloqueio do fluxo, por causa da cristalização da insulina”, explica Carolina Mauro, Consultora Educacional da multinacional de tecnologia médica BD.

Outro problema que pode ocorrer por causa do manejo inadequado das agulhas é a lipo-hipertrofia. Esse quadro de nome complicado nada mais é do que um acúmulo de gordura na pele. Só não pense que estamos falando de uma consequência meramente estética. Quando aplicada nas regiões com esses “caroços de gordura”, a insulina demora mais para ser absorvida.

abril

Conheça o kefir, kombucha e outras comidas vivas

À primeira vista, os alimentos cheios de micro-organismos que protagonizam esta matéria podem até causar rejeição. Mas isso não é um problema para os seus fãs cada vez mais numerosos. Se cultivadas direito, essas receitas podem durar anos e beneficiar a saúde.

Kombucha

A teoria mais antiga diz que ele era considerado um elixir da longa vida na China há pelo menos 4 mil anos. O kombucha nada mais é do que um chá fermentado com um disco gelatinoso, conhecido como scoby, onde vivem diversos fungos do tipo levedura e bactérias. É a combinação de todos esses minúsculos seres vivos que traria um efeito proveitoso ao nosso corpo.

“Os micro-organismos ingeridos no caldo ajudam a recolonizar o intestino e a melhorar o trânsito por ali. Isso é bem-vindo tanto para a eliminação de toxinas como para o controle do colesterol”, explica a microbiologista Sheyla Rodrigues, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe. A pesquisadora viu na prática como esse grupo combate agentes por trás de infecções intestinais, como a Escherichia coli. Sem contar que a base da bebida é o chá, que por si só contém minerais, vitaminas e antioxidantes. Saiba mais: Colesterol: 20 trocas alimentares que ajudam a manter as taxas sob controle.

Para cultivar em casa, é preciso ganhar um “filhote” do scoby e mantê-lo vivo com uma mistura de açúcar e chá-preto, verde ou mate. As alegações terapêuticas propagadas são muitas: de perda de peso a tratamento do câncer. Mas nem todas têm comprovação. Embora estudos de laboratório mostrem resultados animadores, faltam evidências de superbenefícios em humanos.

Para evitar efeitos indesejados, o Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC) recomenda um limite de 300 mililitros por dia. Tem mais: o teor alcoólico da receita. Algumas pesquisas mostram que, na versão caseira, ele chega a 3%. A título de comparação, uma cerveja comum tem cerca de 4%. Nas versões industrializadas, ainda pouco comuns aqui, o nível não ultrapassaria 0,5%. Veja se você tem contraindicações.

Kefir

O gosto levemente azedo divide opiniões, mas suas proezas à saúde estão virando unanimidade entre os especialistas. “O kefir é um probiótico, ou seja, tem micro-organismos que chegam vivos ao intestino e são vantajosos à microbiota”, define a nutricionista Cynthia Antonaccio, da consultoria Equilibrium, em São Paulo.

Formada por grãozinhos de polissacarídeos (um tipo de carboidrato), a colônia se reproduz tanto no leite quanto na água com açúcar mascavo — o leite, porém, é mais usado. “Trata-se de uma associação de bactérias e leveduras, que fermentam de três maneiras diferentes e liberam ácidos láctico e acético, vitaminas do complexo B, vitamina C e alguns aminoácidos”, detalha Karina Magalhães, microbiologista da Universidade Federal da Bahia.

A união dos bichinhos dá uma força para o organismo. “Já existem efeitos comprovados no aumento da imunidade, controle de inflamações e melhora do sistema digestivo”, diz Karina. Assim como o kombucha, o kefir parece enfrentar micróbios que causam infecções intestinais e outros pepinos.

Estela Saraiva Pitanga, confeiteira de 29 anos, é adepta do preparo e testemunha do seu valor. “Comecei a consumir há dois anos principalmente para aliviar as cólicas renais e agora é muito difícil eu sentir dor”, relata a paulistana, que também viu o intestino entrar no ritmo. Dificilmente encontrada à venda, a cultura costuma
ser doada pela internet ou entre amigos.

veja

Use a tecnologia para agilizar tarefas domésticas e integrar a família

Aquele velho e bom caderninho com contas a pagar, datas de aniversário, lista de supermercado e consultas ao médico está perdendo o lugar para a tecnologia. Quem adotou aplicativos para ajudar na organização da casa ou usa planilhas compartilhadas está tão satisfeito que não quer nem lembrar das anotações feitas à mão.

Em casa, o advogado Ricardo Silveira Petrone, 37, usa planilhas para controlar receitas e despesas, que incluem gastos com o mercado e roteiros de viagem.

— Após o casamento, passei a usar planilhas diariamente e acesso a qualquer momento, seja pelo notebook ou pelo celular. É uma alternativa mais descomplicada que os aplicativos e traz diferentes funções, combinações e formatações para que você possa se adequar como quiser, sem o “engessamento” de alguns apps.

Organização e controle na nuvem
Mas, depois de registradas as informações como ter a certeza de que todos da casa terão acesso? Aí entra a nuvem, que nada mais é do que uma opção de armazenamento segura, simples e rápida para enviar e compartilhar arquivos pela internet. Outra vantagem importante é poder acessar seus arquivos de qualquer dispositivo e sempre que desejar.

— A facilidade na organização das contas é notável. Eu e minha esposa utilizamos a mesma planilha, na qual cadastramos nossas despesas individuais e coletivas. No início do mês, a planilha já nos mostra quanto será a despesa de cada um nas contas compartilhadas (apartamento, luz, condomínio) e o valor total das despesas individuais (cartões de crédito e outras contas).

Muito além das despesas
Para a especialista em Gestão e Organização Doméstica, Ingrid Lisboa, a construção de uma planilha é sempre bem-vinda e pode ir além das despesas, ao incluir também a lista de tarefas do lar que serão executadas pelos filhos e pelo marido. Quem conta com a ajuda de uma funcionária, deve envolvê-la e dedicar um tempo para ensiná-la um pouco de tecnologia.

— O aplicativo Evernote é uma opção interessante para fazer anotações no smartphone. Essas notas podem incluir fotos, áudios e listas de compras. Tudo pode ser compartilhado no grupo da família.

Gestão compartilhada
Ingrid reforça que a responsabilidade com os afazeres domésticos é de toda família.

— A casa ainda é vista como um assunto feminino, mas essa gestão das tarefas domésticas deve ser feita por todos e é possível envolver cada um, do marido aos filhos adolescentes. Com as crianças é sempre mais fácil, pois podemos apelar para algo mais lúdico.

Aplicativos para um lar perfeito
Evernote: o aplicativo ajuda a organizar notas por cadernos e traz a possibilidade de acrescentar tags para facilitar a localização e a consulta. É possível incluir fotos, áudio, capturas de tela e até mesmo anexos. Feito isso, basta compartilhar com os demais membros da família.

Google Keep: permite criar anotações com a inserção de fotos, áudio e outros elementos. Com um sistema de organização baseado em cores, o app é muito bem-vindo para quem é mais visual.

Cal: clean e funcional, esse calendário sincroniza dados com o Google Calendar e o Exchange.

Guia Bolso: permite a sincronização de várias contas bancárias e oferece um controle detalhado dos gastos gerais da casa. O aplicativo ainda traz um gráfico das despesas mensais e informa onde você está gastando mais.

Boa Lista: esse aplicativo ajuda a criar uma lista padrão de compras e também mantém uma lista paralela com itens avulsos. Mas as vantagens desse app não param por aí. Ele também ajuda a economizar, pois compara preços de produtos de lojas e supermercados próximos. Outro diferencial importante é a possibilidade de saber rapidamente quanto custou um item adquirido no mês anterior.

Dr. Drauzio Primeiros Socorros: o app assinado pelo médico Drauzio Varella traz orientações básicas para acidentes do dia a dia, como um leve tombo na escada ou um pequeno corte no dedo. As informações são úteis principalmente para casos em que o socorro imediato se faz necessário. Vale lembrar que nada substitui o atendimento médico.

r7

Tecnologia por trás da câmera do Pixel nasceu no Google Glass

Após ter finalmente lançado o Pixel, o smartphone feito completamente pela Google, sua fabricante recebeu os mais diversos elogios sobre a câmera dele, que com 12.3 megapixels é capaz de registrar imagens em altíssima qualidade. Tudo isso é gerenciado por uma plataforma chamada Gcam, um software de fotografia computacional que foi – pasmem – desenvolvido originalmente para o finado Google Glass.

Toda essa história foi contada no blog da X, uma das empresas do grupo Alphabet, o mesmo que encapsula hoje a Google. “Às vezes, as equipes da X começam a criar algo apenas para descobrir que as tecnologias desenvolvidas possuem aplicações que vão muito além do problema inicial que estavam tentando resolver”.

Samsung vai vender unidades remanufaturadas do Galaxy Note 7

A Samsung afirmou nesta segunda-feira (27) que planeja vender versões remanufaturadas do smartphone Galaxy Note 7. A companhia retirou do mercado o modelo por causa de problema de fogo na bateria.

A fabricante sul-coreana informou que vai determinar em que mercados vai vender o produto renovado depois de discussão com autoridades e operadoras locais. Os aparelhos de quase US$ 900 foram retirados do mercado global cerca de dois meses depois do lançamento, em um dos maiores recalls por falha da história da indústria de tecnologia.

Os aparelhos pegavam fogo sozinhos e uma investigação mostrou problemas de fabricação das baterias fornecidas por duas empresas diferentes.

Análises da Samsung e pesquisadores independentes não encontraram outros problemas nos dispositivos Note 7, exceto as baterias, levantando a especulação de que a Samsung poderia recuperar algumas de suas perdas com a venda de unidades remanufaturadas do modelo. A empresa estimou um impacto de US$ 5,5 bilhões nos lucros de três trimestres por problemas no Note 7.

A Samsung, que havia vendido 3,06 milhões de Note 7 aos consumidores antes de retirar os telefones do mercado, não havia dito anteriormente o que planejava fazer com os telefones recuperados. Uma pessoa familiarizada com o assunto disse à Reuters em janeiro que estava considerando a possibilidade de vender versões remanufaturadas do dispositivo ou reutilizar algumas peças dos telefones recolhidos.

“Quanto aos dispositivos Galaxy Note 7 como telefones remanufaturados ou telefones de aluguel, a aplicabilidade dependente de consultas com as autoridades reguladoras e operadoras, bem como a devida consideração da demanda local”, disse a Samsung em um comunicado, acrescentando que a empresa vai escolher os mercados e datas de lançamento para os Note 7 remanufaturados.

A companhia sul-coreana também planeja se recuperar e usar ou vender componentes recicláveis dos aparelhos como microprocessadores e módulos de câmera, além de extrair metais usados no Note 7 como cobre, ouro, níquel e prata.

g1

Resultado de vendas de computadores em 2016 é o pior dos últimos treze anos

Depois de um 2015 fraco em vendas, com 6,6 milhões de equipamentos comercializados, o mercado brasileiro de PCs voltou a cair e fechou 2016 com 4,5 milhões de máquinas vendidas, o que representa uma queda de 31,7% em relação ao ano anterior. Os dados fazem parte do estudo IDC Brazil PCs Tracker Q4, realizado pela IDC Brasil, líder em inteligência de mercado , serviços de consultoria e conferências com as indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações. Do total de máquinas comercializadas, 2,8 milhões foram notebooks (queda de 30% na comparação com 2015) e 1,7 milhão foram desktops (queda de 35% na comparação com 2015). Ainda de acordo com o estudo, 3 milhões de computadores foram vendidos para o mercado doméstico e 1,5 milhão para o segmento corporativo.

“A venda de computadores em 2016 ficou dentro das nossas expectativas. Além da crise econômica que impactou o mercado, no ano passado houve mais interesse por smartphones, tablets e até por aparelhos televisores inteligentes, que oferecem a possibilidade de assistir a filmes e consumir entretenimento, em geral. Ou seja, o computador, que até 2012 era praticamente o único dispositivo a oferecer acesso a internet, ano a ano vem perdendo espaço para outros dispositivos”, diz Pedro Hagge, analista de pesquisa da IDC Brasil.

Além da queda nas vendas, a receita com a venda de PCs também diminuiu em 2016: o mercado todo faturou R$ 10,9 milhões ano passado, contra R$ 15,3 milhões em 2015. “O tíquete médio dos computadores em 2016 foi de R$ 2.413, enquanto em 2015 foi de R$ 2.326 e, em 2014 foi de R$ 1.694. “A alta nos preços deve-se a fatores como a alta do dólar e a chegada ao mercado de equipamentos mais robustos. Antes os fabricantes ‘brigavam’ para oferecer o menor preço, e hoje lutam por rentabilidade. O resultado é um mercado mais saudável e com equipamentos de melhor qualidade”.

4º trimestre de 2016

Ainda segundo o estudo da IDC Brasil, entre os meses de outubro e dezembro de 2016 foram vendidos 1,2 milhão de computadores no país, ou seja, queda de 11% em relação ao mesmo período de 2015. Do total de equipamentos, 450 mil foram desktops (queda de 15% na comparação com 2015) e 770 mil foram notebooks (queda de 9% na comparação com 2015). Em relação ao terceiro trimestre de 2016, houve um crescimento de 17%, sendo que desktops tiveram um incremento de 21% e notebooks de 14%. Segundo o analista da IDC, o último trimestre foi o mais forte do ano, representando 27% do mercado total de 2016. “Muitos varejistas abasteceram seus estoques para a Black Friday e para o Natal”.

Previsão para 2017

A tendência, segundo a IDC Brasil, é que o mercado se estabilize em 2017, mantendo os 4,5 milhões de computadores vendidos no ano passado. “Mesmo que a economia melhore, não devemos ter um incremento nas vendas este ano. O mercado de computadores é maduro e a vida útil das máquinas tem passado dos seis anos, já que a qualidade é melhor e o uso tem sido dividido com outros dispositivos. Para se destacar no mercado, os fabricantes precisam inovar e oferecer produtos com preços acessíveis”, finaliza Hagge.

Fonte: Agência IN

Grupo chinês quer criar sistema biométrico que usa lábios como senha

Um grupo da Universidade Batista de Hong Kong anunciou que está trabalhando em um sistema de biometria que usa os lábios como password, o que para eles, é o mais seguro.
De acordo com o Tecmundo, a ideia partiu do professor Cheung Yiu-ming. Ele e sua equipe acreditam que outros sistemas biométricos de desbloqueio de senhas, como o reconhecimento facial ou leitura da íris, o usuário não consegue mudar o padrão em caso de hackeamento. Além disso, o sistema labial funcionaria bem em qualquer idioma.

UOL

Empresa cria ‘camisinha inteligente’ que conta calorias e detecta doenças, destaca “Folha de S. Paulo

Atenção, varão: já quis saber qual a circunferência de seu pênis? Sonhou em verificar a tempo se você ou sua companhia têm doenças sexualmente transmissíveis? E buscou uma forma de medir a quantas anda seu desempenho sexual em comparação com o da concorrência? Curiosos ou não, homens de todo o mundo poderão ter essas e outras questões carnais respondidas por um dispositivo de alta tecnologia acessório ao preservativo —ao menos, é o que promete a fabricante britânica i.Con.

A empresa lançou no início do mês uma “smart condom” (“camisinha inteligente”), por enquanto disponível para pré-venda apenas no site British Condoms. O preço é de £ 59,99 (cerca de R$ 233).

O produto não é exatamente um preservativo, explica a fabricante, mas um anel de tamanho ajustável e reutilizável que segura uma camisinha na base do pênis.

Feito de nanochips e sensores e recarregável via USB, o dispositivo armazena e organiza informações para análise após o ato sexual. Os dados, então, podem ser descarregados em um aplicativo via bluetooth, diz a fabricante.

Entre outras funcionalidades, a “camisinha inteligente” promete registrar calorias queimadas, frequência e velocidade de relações e de ejaculações, medida de circunferência do pênis e quantidade de posições experimentadas no ato sexual.

Segundo a empresa, o produto também permite detectar a presença de proteínas ou antígenos encontrados apenas em doenças sexualmente transmissíveis, como sífilis e clamídia.

Ele tem ainda um recurso de mídia social que possibilita ao usuário comparar seu desempenho sexual com o de outros homens na região onde vive.

O anúncio no site de vendas não oferece imagens detalhadas do produto, e a empresa não respondeu aos pedidos de entrevista —as novas atualizações de status, portanto, podem demorar.

Fonte : Folha de S. Paulo

Conheça o concorrente do WhatsApp que permite envio de desenhos

O ‘Inbox Messenger’ é um aplicativo que implementou ferramentas especiais para concorrer com outros mensageiros, como o WhatsApp. Entre os diferenciais está a possibilidade de enviar desenhos e criar chats públicos com temas específicos.

De acordo com o ‘Techtudo’, o aplicativo está disponível gratuitamente para os sistemas Android ou iOS.

O aplicativo funciona como um bate papo. Na aba “salas”, é possível ver os espaços públicos, com temas determinados, onde qualquer usuário pode entrar e conversar. Também é possível criar salas de bate papo privadas, selecionando os contatos que poderão participar da conversa.

Para enviar um desenho, basta clicar no ícone de pincel e selecionar “tela em branco”. Depois, é só escolher a cor preferida e começar a obra de arte.

POR NOTÍCIAS AO MINUTO