Mais um açude no Ceará atinge sua capacidade máxima e começa a sangrar

O açude São Pedro Timbaúba, localizado na cidade de Miraíma, distante 190 quilômetros de Fortaleza, atingiu 100% de volume na manhã desta segunda-feira (27).
Com capacidade de 15,77 hm³, o reservatório é o 5º do Ceará com sua capacidade máxima. De acordo com informações do Portal Hidrológico do Ceará, a última vez em que o açude atingiu seu volume máximo foi em outubro de 2011.
AÇUDES SANGRANDO
O principal motivo para o aumento no armazenamento de água no reservatório, foram as chuvas no Litoral Norte, macrorregião em que o açude está localizado. Conforme dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), já foi 77,5% acima da média histórica no local neste mês de março.
Além disso, especificamente na cidade de Miraíma, as precipitações registradas estão perto de atingir os 222,1 milímetros comumente observadas no município que hospeda o açude São Pedro Timbaúba. Ao todo, seis açudes já sangraram em 2017. Apenas o Tijuquinha, em Baturité, teve volume reduzido.
Com 98,9% de sua capacidade, outro reservatório que está prestes a sangrar é o Itaúna, na cidade de Granja, que é a cidade que mais recebeu chuvas no Ceará em março de 2017. Até a manhã esta segunda, a Funceme aponta um aumento de 128,6%, isto é, já foram registrados 651mm contra os 284.8mm normais.
Chuvas
No intervalo de 7h deste domingo (26) até as 7h desta segunda, foram registradas chuvas em, pelo menos, Litoral Norte A cidade com o maior volume foi Russas, que recebeu 50,3 milímetros.

Crato Câmara – Resumo da sessão desta segunda-feira, 27 de março

A Câmara de Vereadores do Crato esteve reunida por quase três horas nesta segunda-feira, 27, para debater demandas apresentadas por cratenses. Foram discutidos temas como recuperação de vias e do Centro de Velórios Municipal, e assuntos ligados à saúde, segurança pública, entre outros. O Plenário aprovou, ainda, a concessão de Título de Cidadania Cratense ao repórter João Vieira e a antecipação em uma hora da sessão desta terça-feira, 28, cujo início está agendado para às 8 horas.

“Teremos um título de cidadão cratense (ao professor José dos Santos), teremos representantes de construtora, Caixa Econômica Federal e Prefeitura Municipal para tratar sobre o Conjunto Minha Casa Minha Vida”, explica o presidente da Câmara, Florisval Coriolano (PRTB). “Logo após, teremos também a presença do secretário de Saúde para dar algumas explicações de como está a Secretária de Saúde do nosso município”.

Confira resumo da sessão:

Pequeno Expediente:

Jales Velloso (PSD): Solicitou que o município recupere o Centro de Velório do Cemitério Municipal Nossa Senhora da Piedade, em Crato. “Pedimos que o município veja o que pode fazer, pois do jeito que está, sem manutenção, não pode ficar”, disse. Também requereu melhorias em estrada do distrito Santa Fé.

Roberto Anastácio (PTN): Relatou visita feita por comissão de vereadores ao CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) após denúncias em sessão passada. O relatório da visita será apresentado na sessão desta terça-feira, 28.

Pedro Lobo (PT): Apresentou detalhes de visita que fez à Secretaria de Desenvolvimento Agrário do estado, em Fortaleza, para tratar questões ligadas ao abastecimento de água na Zona Rural do Crato.

Maurício Almeida (PDT): Destacou a ida de pacientes a cidade de Campos Sales para exames de ressonância magnética em Policlínica local. O assunto recebeu apartes dos vereadores Lunga (PSD), Roberto Anastácio (PTN) e Renan Almeida (PEN).

O vereador Lunga disse existir cerca de três mil pessoas em fila de espera para realizar este tipo de exame em Campos Sales. Roberto Anastácio ressaltou requerimento no qual pede o cancelamento de convênio entre o município do Crato e a Policlínica.

Líder do prefeito na Câmara, Renan Almeida esclareceu que o convênio celebrado na gestão anterior não foi renovado pela administração atual. O município, contudo, ainda possui créditos para enviar pacientes a fim de se submeterem ao exame.

Pedro Alagoano (PSD): Comentou requerimento através do qual solicita que bancos providenciem o cadastramento biométrico aos usuários, especialmente os que residem na Zona Rural do Crato. Além disso, requereu a convocação de empresas coletores de entulho que atuam na cidade para que prestem esclarecimentos sobre o destino do que recolhem.

Lunga (PSD): Advertiu que há 15 dias solicitou informações sobre obra inacabada de uma ponte que liga Ponta da Serra à Palmeirinha dos Vilar e não foi atendido. Notificou a ausência de materiais básicos, como luvas, em posto de saúde em Dom Quintino.

Amadeu de Freitas (PT): Mencionou a aprovação da ‘Lei das Terceirizações’ quem na opinião do parlamentar, “reduz direitos e representa menos empregos e garantias para os trabalhadores”.

Ticiana Cândido (PSDB): Abordou a falta de manutenção no CRAS Dedé de Luna, no Muriti. Segundo a vereadora, são repassados recursos para manutenção do equipamento, mesmo assim encontra-se mal conservado.

Ainda no Pequeno Expediente, a Mesa Diretora cedeu o uso da Tribuna para o defensor público Aníbal Azevedo, que se referiu a abertura da Defensoria Pública em Crato à participação popular da sociedade na construção do orçamento do órgão, bem como uma sede para a entidade, pretendida para o prédio do Sesi.

Grande Expediente

Fernando Brasil (PP): Discorreu sobre o cenário político nacional. Para o parlamentar, o governo Michel Temer trouxe consigo atrasos para o Brasil. Ao tratar de assuntos locais, cobrou zelo para prédios e equipamentos públicos ao citar atos de vandalismo que destruíram partes de quadra em Dom Quintino, bem como na Encosta do Seminário.

Pediu cautela à Câmara sobre a fiscalização obras inacabadas no município. Segundo Fernando Brasil, ainda de se abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o caso, como foi proposto pelos vereadores Roberto Anastácio e Lunga, é preciso, antes, ouvir as empresas. Assim, sugeriu a convocação destas.

Roberto Anastácio (PTN): Pediu a abertura de uma CPI para fiscalizar o destino de obras inacabadas, destacando que a gestão municipal anterior deve ser investigada. Retomou a sugestão de uso do prédio do Sesi para que o município instale uma escola modelo em tempo integral.

A Câmara ainda abriu espaço, durante a sessão, para residente do Conjunto dos Artesãos e moradora do Conjunto Vitória Nossa que apresentaram demandas relacionadas à iluminação pública, recuperação de vias, segurança, entre outras para as localidades nas quais residem.

Robson Roque – Diretor de Imprensa – Câmara Municipal do Crato
Contato: (88) 3523-2749

Em plenário, Eunício pede redução dos juros do FNE

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), pediu em plenário sensibilidade do Conselho Monetário Nacional para que se reduza a taxa de juros praticada nos financiamentos realizados com o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE).

De acordo com o senador, são mais de R$ 22 bilhões de reais disponíveis para financiamento, geridos pelo Banco do Nordeste, mas que não estão sendo empregados em razão de uma taxa abusiva, maior inclusive, do que a praticada pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento).

Eunício informou que até mesmo os dirigentes do Banco do Nordeste defendem essa redução. “O banco não tem condições de conceder esse financiamento por causa dessa alta taxa de juros. Há anuência completa da diretoria do Banco do Nordeste de que as taxas hoje estabelecidas, superiores às do BNDES, precisam ser reduzidas para alavancar os investimentos, a abertura de novos negócios, a geração de emprego e renda”, defendeu.

Eunício fez referência a reunião do Conselho Monetário Nacional que acontecerá nesta quinta-feira, para decidir, entre outras questões, a manutenção ou não da atual política de juros desse fundo.

Atualmente para adquirir um financiamento através do FNE é cobrada uma taxa de juros acima de 9%, o que tem gerado reclamações desde o grande empresário aos pequenos e médios empreendedores. O presidente do Senado lembrou que já esteve com o presidente da República, Michel Temer e com o ministro da Fazenda, Henrique Meireles para tratar do assunto. “Eu espero que esse governo, que busca acertar na luta para incremento na geração de emprego e renda, tenha a sensibilidade de deliberar sobre essa questão”, pediu Eunício.

Pasárgada. Dívida da SR com a Saaec pode chegar a R$ 50 mil

Administradora do Hotel Pasárgada no Crato, a empresa Silvio Rui Empreendimentos teria uma dívida de R$ 50 mil com a Saaec (Sociedade Anônima de Águas e Esgotos do Crato) e estaria enfrentando uma série processos referentes a causas trabalhistas. Uma fonte da Saaec confirma o passivo e diz que a empresa já foi procurada, mas não se manifestou sobre o pagamento.

Com atuação polêmica no Cariri, a SR é alvo de uma série de processos relacionados a contratos de concessões públicas em Juazeiro do Norte. Por decisão da justiça a empresa já perdeu as administrações de mercados públicos, mas ainda detém o controle do Terminal Rodoviário e o antigo Hotel Municipal.

Os contratos firmados nas administrações dos ex-prefeitos Raimundo Macedo (PMDB) e Manoel Santana (PT) têm validade de 30 anos. E, segundo fontes do departamento financeiro da Prefeitura de Juazeiro, não há registro de qualquer repasse ou benefício ao município, relacionados aos contratos com a SR.

Madson Vagner

Anvisa decide sobre reajustes e preços dos remédios vão aumentar

Prepare o seu bolso porque vem aumento por aí. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu sobre os percentuais de aumento nos preços de medicamentos. Os valores já mudam no mês que vem.
De acordo com o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, o percentual de reajuste dos remédios patenteados pode chegar a 4,76%, enquanto os genéricos e aqueles que não exigem prescrição, terão aumento em até 4,76%. Os demais serão reajustados em 3,06%.

noticiasaominuto

Consumidores devem ficar atentos a planos de internet fixa com limite

Os consumidores que forem assinar novos contratos de internet fixa devem ficar atentos para as condições oferecidas pelas empresas. A limitação do uso da banda larga fixa está proibida pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) desde abril do ano passado, mas o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) diz que continua recebendo reclamações de consumidores sobre a oferta de pacotes com franquia de dados pelas operadoras.
Além de ficarem atentos aos contratos, os consumidores devem reunir documentos para se prevenir de futuras cobranças, orienta o Idec. “Questionem isso por telefone, peguem o protocolo, ou acessem pela internet o espaço do consumidor e faça um download do contrato. Documente isso para depois contestar judicialmente, caso as empresas comecem a querer cobrar isso de forma retroativa, o que seria um absurdo”, diz o pesquisador em telecomunicações do Idec, Rafael Zanatta.

Segundo ele, o Idec ainda não recebeu reclamações de clientes que tiveram a internet reduzida ou cortada. “Ou seja, aparentemente as empresas estão cumprindo [a proibição de estabelecer franquia de dados], até porque está todo mundo em cima desse assunto”, comenda Zanatta.

Proibição

O Idec aposta que a pressão popular possa fazer com que o Congresso Nacional aprove um projeto de lei proibindo as empresas de limitarem a internet fixa. O PLS 174/2016, que trata do assunto, foi aprovado pelo Senado na semana passada, mas ainda tem que passar pela análise da Câmara dos Deputados.

“Há uma demanda popular muito forte pela proibição por lei federal. Existe um consenso entre as lideranças políticas de que esse é um tema importante e, em um momento em que o Legislativo está desgastado, é provável que eles aprovem rapidamente para dar uma resposta dizendo: ‘olha, fizemos alguma coisa por vocês’”, diz Zanatta.

Enquanto isso, a aplicação de franquia continua proibida pela Anatel, até que o assunto seja deliberado pelo Conselho Diretor. Neste momento, está aberta uma consulta pública sobre o assunto, que já recebeu mais de 2,8 mil contribuições, com a participação de 17 mil pessoas.

Depois da consulta, que termina em abril, as contribuições serão analisadas pela área técnica da agência e votada pelos conselheiros. A previsão do Idec é que o assunto só vá para a pauta da Anatel depois de outubro. “A Anatel não pode liberar até que ela termine o processo de consulta pública e tenha uma posição final sobre o assunto”, esclarece Zanatta.

Operadoras

A Vivo informou que cumpre integralmente a decisão da Anatel de não adotar práticas de redução de velocidade, de suspensão de serviço ou de cobrança de tráfego excedente após o esgotamento de eventual franquia de internet fixa. A NET também disse que atende integralmente a medida cautelar da Anatel.

A TIM diz que oferece o serviço de banda larga fixa apenas no Rio de Janeiro e em São Paulo e não possui franquia de dados nos seus planos de internet fixa. A Oi não comentou o assunto.

O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) considera que a proibição da oferta de planos com franquia para o acesso à internet em banda larga fixa trará significativos prejuízos à maioria da população brasileira. Para a entidade, o projeto aprovado no Senado interfere na livre iniciativa. “Uma eventual proibição eliminaria a possibilidade de adoção de diversas tecnologias adequadas a áreas remotas, inviabilizando o atendimento da população local”, diz o SindiTelebrasil. Com informações da Agência Brasil.