Centro de Zoonoses de Juazeiro do Norte divulga novo calendário de vacinação antirrábica

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Juazeiro do Norte irá intensificar, de 23 a 30 de novembro, a vacinação antirrábica para cães e gatos em mais 06 bairros do município. Devem ser vacinados os animais a partir dos 03 de meses de vida que ainda não receberam a vacina este ano.

A campanha de vacinação foi encerrada oficialmente no dia 13 de novembro. Até esta data, foram vacinados 25.107 animais em 42 bairros da zona urbana e 30 comunidades da zona rural.

O CCZ já realizou intensificação da vacinação em 10 bairros e agora dá continuidade e este trabalho na Vila três Marias, Pio XII, São José, Romeirão, Franciscanos e Betolândia. A vacina antirrábica também está disponível na sede do CCZ, de segunda à sexta-feira, de 8h às 11h e de 13h30 às 17h.

Darlan confirma candidatura à reeleição para presidência da Câmara

O vereador Darlan Lobo (PTB), reeleito no último domingo com 3.667 votos, confirmou em entrevista à rádio Tempo que irá se lançar mais uma vez candidato a presidente do legislativo municipal para o biênio 2021-2022. O vereador disse que pretender dar continuidade à “boa administração na Câmara, com moralidade, responsabilidade e competência”. Darlan lembrou que durante sua gestão, cerca de R$ 4 milhões foram devolvidos ao município graças à economia de recursos.

Além de Darlan, os vereadores Capitão Vieira e Márcio Jóias também devem concorrer à presidência da casa legislativa de Juazeiro. A eleição está prevista para o dia primeiro de janeiro, mesma data da posso dos vereadores, prefeito e vice-prefeito eleitos.

Greve dos garis: lixo toma conta das ruas de Juazeiro do Norte

Os Trabalhadores terceirizados da limpeza pública de Juazeiro do Norte entraram hoje no terceiro dia de paralisação as atividades. Eles alegam que a empresa contratada pela prefeitura ainda não efetuou o pagamento referente a outubro. Na manhã desta quinta-feira (19) houve manifestação dos garis pelas principais ruas da cidade. Com a paralisação, as vias da cidade foram tomadas por verdadeiras montanhas de lixo.

Ao todo, 330 funcionários, entre garis e coletores de lixo, estão de braços cruzados desde a última terça-feira. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores de Asseio, Conservação e de Limpeza Pública, além do atraso salarial, existem problemas de atraso de pagamento de rescisões, FGTS e férias.

Em nota, a empresa MXM negou atraso no pagamento dos salários. Confira:

A empresa MXM empreendimentos vem a público esclarecer que os salários dos funcionários que trabalham na coleta de lixo urbano no Município de Juazeiro do Norte estão devidamente pagos.

Registra, ainda, que o movimento de paralisação instaurado pelos funcionários da empresa é ilegal por não ter cumprido os requisitos determinados pela lei de greve.

A paralisação dos funcionários fere a legislação por não ter cumprido o rito necessário para instauração do movimento grevista, bem como por ter deixado de disponibilizar trabalhadores suficientes para manter o mínimo de funcionamento do serviço de coleta de lixo, que é tido como essencial pela lei de greve.

Por fim, a empresa reitera o seu posicionamento de respeito aos direitos trabalhistas de seus funcionários, em especial o direito de greve constitucionalmente garantido, não podendo coadunar, todavia, com o prosseguimento da paralisação à margem do que determina a lei, inclusive tendo tomado conhecimento de constrangimento, por parte do movimento paredista, de funcionários que não pretenderam aderir à paralisação, impedido-os de retomar seus postos de trabalho.

Sendo o que tinha a esclarecer, desde logo, convoca os trabalhadores para retomar as atividades, em respeito à legislação vigente.

Primeiro lote da CoronaVac com 120 mil doses chega ao Brasil

O material desembarcou no Aeroporto Internacional de Guarulhos

As 120 mil primeiras doses da CoronaVac, vacina contra a covid-19, desenvolvida pelo laboratório Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, chegaram na manhã de hoje (19) a São Paulo. O material foi importado da China pelo governo de São Paulo e desembarcou no Aeroporto Internacional de Guarulhos.

A CoronaVac é uma das quatro vacinas contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2) que estão sendo testadas no Brasil. O governo de São Paulo firmou acordo para a compra de 46 milhões de doses e para a transferência de tecnologia para o Instituto Butantan. Entretanto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ainda não autorizou a utilização da vacina, que está na terceira fase de testes, quando é aplicada em humanos. Até o momento a vacina mostrou segurança e eficácia, segundo os estudos.

O governador João Doria, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, e o secretário Estadual de Saúde, Jean Gorinchtey, acompanharam a chegada do lote.

Fonte: AGÊNCIA BRASIL

Quatro mil crianças e jovens de Fortaleza e Sobral são beneficiados com o projeto Esporte Superação

Participar do Esporte Superação tem me ajudado muito. Abriu a minha mente para novas oportunidades e desafios e, inclusive, me abriu portas para fazer um curso de Administração que eu queria muito”, relata Eliane Miranda, 21 anos, praticante de capoeira e residente no bairro Bom Sucesso, em Fortaleza. “Antes, eu vivia no celular e no videogame. Agora, estou fazendo karatê e isso está me ajudando muito no relacionamento com os amigos e na escola, e na minha concentração. Estou curtindo demais participar desse projeto”, acrescenta o garoto Daniel Ruan Moura Bandeira, 11 anos, morador do bairro Parque Santana, também na Capital.

Daniel e Eliane são dois dos quatro mil jovens participantes do Esporte Superação, projeto desenvolvido pela Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS), em parceria com a Federação de Triathlon do Ceará (Fetriece). Atualmente, o Esporte Superação é realizado em 70 comunidades de Fortaleza e outras 14 de Sobral.

“O foco desse projeto é a socialização, integração e a superação de desigualdades sociais, a partir do esporte e lazer. Ao mesmo tempo que oferta essas novas possibilidades, o projeto trabalha conceitos de cidadania e de formação dessa juventude”, destaca a secretária-executiva de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Lia Gomes. O projeto oferece 20 modalidades esportivas, além de promover atividades recreativas, lúdicas e complementares, com jogos e campeonatos entre os grupos.

“O Esporte Superação é, hoje, uma família. É um veículo de transformação para os nossos jovens”, retrata Ricardo Luz, professor de capoeira do Projeto, no bairro Bom Sucesso. “Por meio do esporte, os jovens aprendem a respeitar o outro, a ter disciplina e a se relacionar mais e melhor com os colegas da comunidade, além de melhorar o preparo físico e o desempenho escolar”, complementa a professora de karatê, Natália Rolim, no bairro Parque Santana.

“Esse é realmente um projeto que vem transformando a vida de milhares de pessoas no Ceará”, avalia a coordenadora da Fetriece, Janaína Malveira. Entre as 20 modalidades mais disputadas pela juventude estão futebol de campo, society, de areia e futsal, voleibol, basquetebol, handbol, capoeira, jiu-jitsu, judô, boxe, muay thai, kickboxing, karatê, ciclismo, corrida de rua, duathlon, triathlon, natação, atividade funcional, dança, ritmos e ballet.

 

Preço do chuchu cai 33,33% na Ceasa de Tianguá

Em virtude da sazonalidade e também por conta das questões climáticas, a Ceasa-CE de Tianguá registrou variação nos preços de alguns produtos comercializados no período de 13 a 17 de novembro deste ano.

Nas hortaliças, o chuchu declinou (-33,33%) passando de R$ 1,20 para R$ 0,80/kg, o tomate cajá caiu (-31,25%), passando de R$ 3,20 para R$ 2,20/kg e a cebola roxa caiu (-30,00%), sendo vendida a R$ 1,75/kg. Teve aumento significativo o maxixe (+71,67%), que custava R$ 2,33 e agora custa R$ 4,00/kg, o pepino que aumentou (+33,33%), encontrado a R$ 0,80/kg e a acelga (+20,00%), vendida a R$ 1,20 a unidade.

No setor das frutas, sofreram queda o limão Taiti (-16,67%), passando de R$ 1,20 para R$ 1,00/kg, o melão amarelo caiu (-14,47%), sendo vendido a R$ 13,6/kg e a melancia teve queda de (-10,00%), comercializada a R$ 0,90/kg. Em alta segue o abacate e a banana pacovan (+12,50), sendo vendidos a R$ 1,80/kg e R$ 0,63/kg respectivamente. Também em alta o preço da tangerina murkot (+11,11%), encontrada a R$ 4,00/kg.

Estudo identifica quatro novas linhagens do coronavírus no Brasil

Pesquisa da Fiocruz com amostras coletadas no Amazonas mostra que ao menos oito linhagens diferentes do vírus já entraram no Estado

Quatro linhagens do novo coronavírus que ainda não tinham sido identificadas no Brasil foram descobertas em um estudo da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) Amazônia a partir da análise de amostras coletadas no Amazonas. Com isso, sobe para 30 o número de linhagens encontradas no país.

A investigação, realizada por pesquisadores do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD) e divulgada nesta segunda-feira (16), encontrou, até agora, oito linhagens do coronavírus circulando no Amazonas, o que sugere que o vírus entrou ao menos oito vezes no Estado.

“As quatro novas linhagens identificadas são a B.1.107; B.1.111; B.1.1.2; e  B.1.35  que circularam na Dinamarca, Colômbia, Reino Unido e País de Gales, respectivamente”, afirma o Instituto.

Desde o registro do primeiro caso de covid-19 no Amazonas, em março, os cientistas já sequenciaram 79 genomas do vírus que causa a covid-19 a partir de amostras colhidas em 18 municípios do estado: Manaus, Anori, Autazes, Careiro, Iranduba, Itacoatiara, Jutaí, Lábrea,  Manacapuru, Manaquiri, Manicoré, Maués, Nova Olinda do Norte, Parintins, Presidente Figueiredo,  Santa Isabel do Rio Negro, Santo Antônio do Içá, e Tabatinga.

De acordo com o pesquisador Felipe Nevaca, vice-diretor de Pesquisa e Inovação do ILMD e coordanador do estudo, a variabilidade de linhagens identificadas mostra que “foram diversas as entradas do vírus no estado, mesmo em um período onde, teoricamente, havia menor circulação de pessoas”.

Ele destaca a importância do sequenciamento genético do coronavírus para atualizar os protocolos de diagnóstico da infecção, o que garante resultados mais precisos e menos erros.

“Os dados do sequenciamento nos ajudam também a verificar se há a necessidade de ajustes nos protocolos de diagnóstico, por exemplo, se aqui o vírus acumulou alguma mutação que leve a um resultado falso-negativo”, explica.

“Os protocolos em uso hoje foram desenvolvidos em outros países, como China, Estados Unidos e Alemanha, levando em consideração o que se sabia da variabilidade viral naquele momento”, acrescenta.

Fonte: R7

Vacina de Oxford produz resposta imune em idosos acima de 70 anos

Estudo divulgado nesta quinta-feira (19) na revista “The Lancet” indica que resultados finais do imunizante contra covid deverão chegar antes do Natal

A vacina potencial contra a covid-19, desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, produziu uma forte resposta imune em idosos com mais de 70 anos de idade.

Os dados sobre a segunda fase de estudos clínicos foram publicados na quinta-feira (19) na revista científica “The Lancet”, que é referência mundial na área farmacêutica.

Os pesquisadores testaram a dose, denominada ChAdOx1 nCoV-19, em um experimento com 560 adultos saudáveis, incluindo 240 com mais de 70 anos, para observar seu impacto no sistema imunológico e possíveis efeitos colaterais.

Os “resultados preliminares promissores” indicam que esta vacina SARS-CoV-2 oferece “resultados de segurança e imunogenicidade semelhantes em idosos saudáveis ​​do que naqueles com idade entre 18 e 55 anos”, segundo o texto da Lancet.

Os dados, obtidos no final de outubro, mas publicados na íntegra somente hoje, sugerem que pessoas com mais idade, mais suscetíveis a morerr em decorrência da covid-19, podem desenvolver uma robusta imunidade.

“As respostas robustas de anticorpos e células T vistas em pessoas mais velhas em nosso estudo são encorajadoras”, disse Maheshi Ramasamy, consultor e co-investigador principal do Oxford Vaccine Group.

Dentro de 14 dias após a primeira dose, os pacientes geram uma resposta das células T. Já a geração de anticorpos ocorre 28 dias após a dose de reforço (que atacaria o vírus quando ele circula pelo sangue ou sistema linfático).

“Esperamos que isso signifique que nossa vacina ajude a proteger algumas das pessoas mais vulneráveis ​​da sociedade, mas mais pesquisas serão necessárias antes de termos certeza”, completou.

Entenda os testes

Nos testes da fase 2, os voluntários com mais de 55 anos foram divididos em dois grupos e receberam uma ou duas doses da vacina em um período de 28 dias. Todos foram observados desde o início para detectar efeitos adversos, bem como a resposta imune.

Os autores observam que os efeitos colaterais do imunizante foram “leves” (como dor à injeção, fadiga, dor de cabeça, febre ou dor muscular), embora mais comuns do que com a vacina de controle.

Treze casos graves foram detectados nos seis meses após a primeira dose, mas não são foram considerados relacionados às vacinas.

Os pesquisadores explicam que os efeitos colaterais foram ainda menos comuns em adultos mais velhos do que jovens, e a resposta imunológica foi “semelhante” em todas as faixas etárias após a dose de reforço.

A vacina induziu anticorpos contra a proteína de pico do coronavírus 28 dias após a primeira dose pequena ou quantidade padrão em todas as faixas etárias. Após a vacinação de reforço, o nível de anticorpos aumentou 56 dias após o início do experimento, e o mesmo aconteceu com os anticorpos neutralizantes 42 dias depois.

Por sua vez, a resposta das células T contra a proteína spike do coronavírus culminou 14 dias após a primeira inoculação, independentemente da idade ou da dose.

Testes finais e limitações

undefined

A pesquisadora Sarah Gilbert diz que este estudo “responde a algumas das questões” levantadas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) sobre a necessidade de vacinas contra covid-19 protegerem também os idosos.

No entanto, ressalta que outras “questões sobre a eficácia e a duração da proteção” ainda precisam ser respondidas e a vacina também deve ser testada em idosos com patologias para garantir que proteja aqueles que têm maior risco de evoluir para quadros graves.

Os autores reconhecem que os testes divulgados hoje “têm limitações”. Por exemplo, informaram que as pessoas mais velhas do experimento tinham uma idade média de 73 ou 74 anos e eram saudáveis.

Além disso, acrescentam, a maioria dos voluntários de qualquer idade eram brancos e não fumantes. Por isso, na terceira fase, os testes clínicos se estenderão a pessoas de diferentes origens.

Os testes em estágio final, ou fase 3, estão em andamento para confirmar as descobertas, disseram os pesquisadores. Essa fase também vai testar se a vacina protege contra a infecção com SARS-CoV-2 em uma ampla gama de pessoas, incluindo aquelas com outros problemas de saúde.

Os resultados da fase 3 devem ser definitivamente conhecidos até o Natal, disse o diretor do Oxford Vaccine Group, Andrew Pollard.

Fonte: R7

Fósseis cearenses eram vendidos por 100 mil euros na Alemanha

 

Material com 60 fósseis originários da Chapada do Araripe, na região do Cariri, foi apreendido nesta última segunda-feira (16) na Alemanha, após um pedido do Ministério Público Federal no Ceará. Os exemplares eram comercializados ilegalmente em um site de leilões por 100 mil euros, cerca de R$ 630 mil, e devem retornar ao país após a conclusão da investigação.

Entre os animais fossilizados estavam um pterossauro, uma raia, insetos e aracnídeos que foram levados do Ceará. Conforme a Constituição brasileira, os fósseis pertencem à União. Conforme o Ministério Público, o responsável pelas vendas em site hospedado na Holanda já foi identificado.

Para verificar a procedência do material, a Universidade Regional do Cariri (Urca) fez análise nos exemplares e atestou que os animais viveram no estado há mais de 120 milhões de anos.

“Ao observar as placas de calcário em que os insetos detalhados aqui estão preservados, é clara a identificação da pedra Cariri, variando de tonalidade acinzentada a creme e amarelada, com pequenos fragmentos de algas e por vezes, dendritos de manganês, configurando a característica típica desta rocha da Formação Crato e fartamente explorada nos municípios de Santana do Cariri e Nova Olinda, ambas no Estado do Ceará”, detalha o laudo técnico.

Foi realizada parceria com o Ministério Público de Kariserslautern, na Alemanha, pela Secretaria de Cooperação Internacional da Procuradoria-Geral da República (SCI/PGR), para a apreensão preventiva do material após a conclusão dos especialistas.

A região do Cariri cearense é uma das mais ricas em fósseis no país. Crimes de contrabando desse tipo de material são comuns, e o Ministério Público tem reforçado a fiscalização na área. Em 2015, alemães descobriram uma espécie inédita de cobra com patas por meio de um fóssil extraído no Ceará.

Investigação

 

O processo de investigação iniciou quando dois biólogos reportaram ao Ministério Público Federal que um site de leilões de fósseis anunciava a venda do material de origem brasileira. O procurador Rafael Rayol, responsável pelo caso, solicitou análise dos exemplares e cooperação das autoridades alemãs.

“Os sites foram retirados do ar, mas, antes disso, conseguimos preservar todas as provas e formalizamos o pedido de repatriação do material, que tem grande valor científico para o Brasil”, destaca.

 

Foi solicitado à Urca, então, laudo técnico com detalhamento material e para confirmar a origem cearense. Os especialistas indicaram as características de todos os animais encontrados na operação.

“A solicitação referente a data em que estas peças teriam sido extraídas é incerta, mas se sabe que a exploração do calcário Laminado de Nova Olinda-CE (Pedra Cariri, de onde a maioria dos fósseis deste processo são provenientes), só se iniciou comercialmente na década de 80”, afirmam.

Com a constatação, o responsável pelo site de leilões alemão foi identificado e a apreensão preventiva do material foi solicitada pelas autoridades brasileiras. Também foi feito pedido de cooperação internacional dirigido à Alemanha para conclusão da investigação e devolução de todos os fósseis brasileiros.

Fonte: G1