Cearense inicia estudos aos 83 anos, após vida de proibições pelo marido: ‘meu maior sonho é de aprender’

Maria do Socorro aprendeu a ler e a escrever o próprio nome já na ‘quarta idade’, em uma escola pública de Fortaleza, por meio da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A aposentada Maria do Socorro Oliveira, 87, decidiu, há quatro anos, ingressar na Educação de Jovens e Adultos (EJA), em uma escola municipal de Fortaleza, para aprender a ler e escrever.

O machismo sofrido por parte do pai e, depois, do próprio companheiro privou a aposentada, durante 83 anos, de ter acesso à alfabetização. “Meu pai… A gente tinha era que trabalhar no roçado e tratando de animal, no interior, pra ajudar ele. Quando vim pra capital, foi pra trabalhar nas casas. Não podia estudar. No dia de me casar, só faltei morrer de vergonha: porque meu marido sabia ler e escrever, e eu fui botar o dedo”, relembra, referindo-se à assinatura por meio de impressão digital. A partir dali, seria o esposo o obstáculo ao letramento.

Liberdade

Aprender a ler e a escrever, então, foi sinônimo de liberdade. Em 2016, dois anos após a morte do marido, Maria do Socorro procurou a Escola Municipal José de Alencar, na periferia da capital cearense, no intuito de ocupar, nas noites de segunda a sexta-feira, uma das carteiras ocupadas pelas próprios filhos, quando pequenos. Era preciso saber juntar as letras e sílabas para compor os capítulos finais da própria história.

Em 2016, dois anos após a morte do marido, Maria do Socorro resolveu ir à escola — Foto: Fabiane de Paula
Em 2016, dois anos após a morte do marido, Maria do Socorro resolveu ir à escola — Foto: Fabiane de Paula
“Quando eu pedia pra estudar, meu marido dizia ‘não, Maria, tem que ficar é aqui mais as crianças, cuidar do comércio aqui fora’. Fiquei triste, mas não falei mais. Só que quando ele faleceu, eu vim.” Em 2020, ela completa quatro anos como estudante da instituição pública, com o mesmo brilho nos olhos do primeiro dia em que vestiu o uniforme e saiu com os livros embaixo do braço, rumo às aulas. 

“Me senti muito feliz. Que alegria é a gente não saber fazer o nome da gente, e depois já conseguir ver as letras, dizer os nomes”, empolga-se Maria.

Caminhada difícil

A aposentada revela as dificuldades que sente para aprender — Foto: Fabiane de Paula
A aposentada revela as dificuldades que sente para aprender — Foto: Fabiane de Paula

O percurso, contudo, não tem sido fácil: para permanecer na sala de aula, a aposentada precisou driblar a perda de memória causada por um traumatismo craniano que sofreu. A causa foi uma queda durante os cuidados com um dos filhos, que tem esquizofrenia.

Depois disso, vieram as consequências de uma cirurgia para corrigir problemas na visão. Os olhos lacrimejam até hoje. Mas, segundo ela, “a força de vontade” foi maior que as barreiras.

“Eu quase não vinha mais estudar, ficava triste porque não me lembrava mais das coisas. Mas os próprios alunos tudim me dá valor. Eu não tenho vergonha de jeito nenhum, não tô estudando porque quero trabalho nem dinheiro. Tô estudando porque tenho vontade. Meu maior sonho é de aprender”, finaliza Maria do Socorro, com a sabedoria da experiência e uma curiosidade que transcende o tempo.

Fonte: G1-CE

Em nota veiculada na internet, Dr. Lorim acusa Diego Feitosa de traição e reafirma pré-candidatura a prefeito

O vice-prefeito e pré-candidato a prefeito de Missão Velha, Rosemberg Macêdo, o Dr. Lorim, publicou uma nota na última sexta-feira (4) comentando a indicação do ex-prefeito Washington Fechine — feita pelo atual gestor Diego Feitosa — como seu pré-candidato ao executivo missãovelhense.

No texto, Dr. Lorim reafirma sua pré-candidatura a prefeito de Missão Velha e ainda acusa Dego Feitosa de traição.

Veja a nota:
“Recebi hoje, junto com toda a população de nossa cidade, a notícia de que o pré-candidato da situação à prefeitura de Missão Velha, ao invés do atual prefeito, que está em seu primeiro mandato e, portanto, seria candidato natural à reeleição, será um ex-prefeito que mesmo não tendo nenhum cargo no primeiro escalão do governo participa ativamente da administração, tendo também, por esse motivo, legitimidade para defendê-la e dar continuidade ao que vem acontecendo na prefeitura, além de muitos interesses na permanência do atual grupo político no poder.

A notícia, antes de mais nada, confirma o acerto da nossa decisão, ainda no início de 2017, de não apoiar o projeto de poder daquele que se elegeu com a promessa de renovação e de novas práticas, mas que no primeiro momento após a eleição traiu todos os seus compromissos e revelou o propósito de aliar-se ao passado e fazer um governo baseado no autoritarismo, na centralização de poder, nos privilégios para poucos e no absoluto desrespeito aos compromissos assumidos com aqueles que trabalharam por um novo modelo administrativo, que deveria focar no atendimento às demandas mais importantes para a população e não nos caprichos de um pequeno grupo que sempre se locupletou às custas dos cofres públicos municipais.

O que eu dizia que não tinha a menor chance de dar certo, porque era uma traição com o nosso povo, está confirmado: deu errado.

Deu errado porque um governo baseado na perseguição, na ignorância, na incompetência, na insensibilidade e nas mais atrasadas e antidemocráticas práticas políticas não tem como dar certo, nem em Missão Velha nem em nenhum lugar do mundo.

O anúncio da decisão se deu como tudo no atual governo. Sem escutar ninguém, sem debater com a população, sem justificar o motivo da decisão e, sobretudo, sem admitir que se trata claramente de uma jogada para manter o poder nas mãos das mesmas pessoas responsáveis pela pior administração que Missão Velha já teve em toda sua história, confirmada por todas as pesquisas e pela própria decisão covarde de não se submeter ao julgamento da opinião pública.

Para nós, nenhuma surpresa, afinal nós vivemos a realidade de nossa cidade, temos contato direto com toda a população e sabemos muito bem que entre a certeza de uma derrota vergonhosa e a chance de se manter no poder, mesmo que às custas de mais mentiras, mais enganação, mais desmandos e mais perseguição, esse grupo não teria nenhum pudor em escolher a segunda opção, que, como sempre, é a pior opção para a cidade, já cansada de tanto descaso e tanta irresponsabilidade.

Se esperam de nós uma reação raivosa ou algum tipo de comemoração pela confirmação de que o atual governo é tão ruim que o prefeito não tem nem condições de pedir uma segunda chance, estão errados.

Recebo a notícia com respeito, cordialidade e até um certo tipo de admiração, já que é preciso ter muita coragem – e nenhuma ética – pra tentar enganar uma cidade duas vezes seguidas, ainda mais tentando apresentar como novo um modelo que todo mundo já conhece e sabe muito bem o que representa.

Espero realmente que a pré-candidatura anunciada se confirme não apenas na convenção, mas, sobretudo, na Justiça, com a qual não tenho nenhum tipo de pendência que me impeça de me apresentar com o orgulho de ter, mais do que uma ficha, uma VIDA LIMPA.

Agradeço, neste momento, aos inúmeros telefonemas e mensagens recebidos nas últimas horas para reforçar o apoio ao nosso projeto, inclusive aos amigos e amigas que hoje fazem parte da administração e que não podem assumir publicamente suas posições por medo de serem perseguidos, pela necessidade de sobreviver e pelo desejo de tentar, de alguma maneira, oferecer pelo menos alguns serviços de qualidade à população, mesmo sem qualquer estrutura ou apoio da atual administração.

Podem ter certeza que saberei reconhecer o apoio e os sacrifícios e que em breve estaremos juntos trabalhando para consertar os enormes prejuízos que estão sendo causadas à nossa terra, que tanto amamos e que não merece ser tão maltratada.

Não é hora de comemorar, ainda.

É hora de renovar o compromisso de fazer uma campanha séria, baseada na Verdade, e de lutar para que nos próximos meses nossos órgãos públicos municipais não sejam ainda mais prejudicados pela busca desesperada do poder a qualquer custo.

Estejamos atentos aos desmandos, aos abusos, aos desvios e às práticas de quem não tem nada a perder e nenhuma chance de ganhar.

Que venha quem vier, A VERDADE PREVALECERÁ!”

Candidatos aprovados protestam pela homologação do concurso público de Juazeiro do Norte

POR AGÊNCIA NEWS CARIRI

Um grupo de candidatos aprovados no concurso público de Juazeiro do Norte promoveu uma manifestação neste domingo, 08, na colina do Horto, para reivindicar a homologação do certame. Os manifestantes subiram à estátutua do Padre Cícero para expor cartazes e faixas com críticas ao prefeito Arnon Bezerra, que ainda não estipulou prazo para homologar o concurso.

O resultado do certame foi divulgado ainda em dezembro do ano passado. Em nota, a prefeitura de Juazeiro do Norte informou que irá criar uma comissão para acompanhar os trâmites da homologação, mas não deu prazo para isso.

O certame foi realizado em junho do ano passado e contou com mais de 68 mil inscrições. Ao todo cerca de 1800 candidatos foram aprovados para vagas imediatas.

Mandato nas redes: confira a agenda dos deputados do Cariri do fim de semana

O site News Cariri destaca agora os principais compromissos políticos que estiveram na agenda dos deputados caririenses no fim de semana.

Confira:

FERNANDO SANTANA (PT)

O vice-presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Santana, não divulgou detalhes sobre sua agenda de compromissos políticos do fim de semana. No sábado, 08, o parlamentar anunciou, através do seu perfil no Instagram, a ida do Caminhão do Cidadão ao município de Araripe nos dias 09, 10 e 11 de março 2020. “Serviços prestados: 1ª via da certidão de nascimento, Via do RG e CPF, Certidão de antecedentes criminais e Atualização de cadastro da Receita Federal”, informou o deputado.

NELINHO DE FREITAS (PSDB)

O tucano Nelinho de Freitas esteve durante todo o fim de semana no Cariri. Ontem, 08, ele participou de uma ação social em comemoração ao dia Internacional das Mulheres, no Bairro Pirajá, em Juazeiro do Norte, na qual foram realizadas ações de valorização da mulher. O evento contou ainda com a participação da vereadora Jaqueline Gouveia (Republicanos)

GUILHERME LANDIM (PDT)

O Deputado Guilherme Landim, vice líder do PDT no parlamento cearense, não veiculou detalhes sobre sua agenda do fim de semana. No Instagram, ele publicou que no próximo sábado (14) Ciro Gomes irá proferir palestra em Brejo Santo. “Para debater o atual cenário político e os caminhos para a mudança. Avisa todo mundo e vamos juntos!”, escreveu o parlamentar.

PEDRO BEZERRA (PTB)

O Parlamentar Pedro Bezerra, que representa o Cariri na Câmara Federal, foi à Capital no fim de semana. No sábado, 07, ele participou de uma reunião com jovens empreendedores do mercado de jogos do Ceará. “Junto com Gilvan Paiva, Secretário de Cultura de Fortaleza, e Evaldo Lima, vereador pelo PC do B, discutimos sobre como o poder público pode atuar no fomento a um mercado bilionário e que mostra tanto potencial no nosso estado”, ressaltou o parlamentar.

Universidade Regional do Cariri, a primeira da região, completa 33 anos

A URCA, foi criada pela Lei nº 11.191 de 09 de Junho de 1986, autorizada a funcionar por Decreto Presidencial n° 94.016, de 11 de fevereiro de 1987 e, instalada em 07 de março e 1987. Em 1º de março de 1993 ela foi transformada em fundação, com o nome de Fundação Universidade Regional do Cariri (Lei 12.007-A).

Comemoramos hoje 33 anos de instalação deste grande projeto de Universidade.

O momento de celebrar uma história que, apesar de tão breve diante da idade de outras universidades do Brasil e do mundo, tem sua evolução marcada por êxitos e fortalecimento.

Nascida da mobilização da sociedade em torno de um ideal, a missão da URCA, expressa no seu texto regimental e evidente na sua prática sedimentou-se em suas ações destes 33 anos é: “contribuir significativamente para a transformação da realidade regional, através de atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Em sintonia com as aspirações da sociedade, constituir-se agente ativo do processo de desenvolvimento das regiões do Cariri e Centro Sul do Ceará, prioritariamente.”

Entretanto, seu raio de ação geoeducacional, ultrapassa as fronteiras do Ceará, estendendo-se aos estados do Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Piauí, beneficiando 106 municípios. Atua na busca de soluções dos problemas relacionados com o desenvolvimento econômico e social da região, desenvolvimento sustentável e includente como desiderato. Por sua função precípua a URCA se inclina também sobre os problemas nacionais e universais, sendo propulsora da ciência, da cultura e da civilização de forma criativa e inclusiva.

Atualmente a Universidade Regional do Cariri tem como demarcações a busca constate pela integração com a comunidade, o fortalecimento da produção do conhecimento aplicado em todas as suas áreas de atuação, a excelência na instrução de profissionais e o destaque na formação de professores para atuar em todos os níveis da educação.

De 2.123 estudantes matriculados no momento de sua instalação há 33 anos, somos hoje mais de 11 mil. Nesta expansão ao longo do tempo contamos com grandes avanços: a implantação de nossas unidades em Iguatu, Campos Sales e Missão Velha, aquisição do Museu de Paleontologia Prof. Plácido Cidade Nuvens em Santana do Cariri, aprovação da candidatura do Araripe Geoparque Mundial com sucessivas avaliações exitosas, projeto de grande ousadia e que já faz escola no Brasil e na América Latina; de uma universidade que antes majoritariamente formava professores, ampliamos e incrementamos a esta estratégica tarefa a produção do conhecimento inovador pela implantação da pós-graduação e consolidação da pesquisa. Fomos a primeira instituição do Cariri a implantar a pós-graduação Stricto Sensu em nível de mestrado e de doutorado.

Estudantes, professores, servidores, grupos fundadores, pessoas egressas e a comunidade regional foram e são os sujeitos protagonistas desta grande história. Congratulações a todos, reiterando o sentimento de que é momento de comemorar o resultado das lutas e da construção histórica da nossa URCA, forjando o horizonte vindouro de outras tantas lidas em defesa da universidade pública, gratuita, inclusiva e de qualidade.

Enquanto isso, Tarrafas tem nome novo e em Várzea Alegre ex-prefeito quer voltar

Por Madson Vagner

Em Tarrafas, o vereador Eronildo vai para o PTB para disputar a sucessão. Em Várzea Alegre, o ex-prefeito Joãozinho se articula para entrar na disputa.

Em Tarrafas, o vereador Eronildo Santos está de malas prontas para o PTB do deputado federal Pedro Bezerra. Eronildo quer disputar a sucessão à Prefeitura e temia ficar sem a legenda controlada pelo prefeito Taiano Cândido. Eronildo tem o aval do prefeito de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra, presidentes estadual da sigla, que promete apoio ao vereador.

Mas, o enfraquecimento do PP no Ceará, deve motivar, também, a saída do prefeito Taiano. Ele negocia com o PDT de Cid Gomes. Apesar da articulação não há certeza da candidatura à reeleição de Taiano. Ele é investigado por improbidade e enriquecimento ilícito. O Ministério Público pediu o afastamento do prefeito e de familiares, por formação de quadrilha.

Em Várzea Alegre, a disputa pela Prefeitura promete uma terceira via. O ex-prefeito João Eufrásio, conhecido como Joãozinho, se articula para entrar na disputa e promete enfrentar o prefeito Zé Helder de frente. Inimigos históricos, os dois já se enfrentaram com vitória de Zé Helder. Em 2004, Zé Helder derrotou o candidato de Joãozinho, Dr. Amarilio.

Joãozinho foi prefeito entre os anos de 1993 e 2004 e acabou condenado por improbidade e fraude em licitação. Ficou 8 anos fora da política e agora promete voltar com força. Está filiado ao PP e aposta na divisão da base de Zé Helder, após o rompimento de Vanderlei Freire. Aliados de Joãozinho, não descartam uma conversa com Vanderlei.

Conheça mulheres que trabalham pela educação do Ceará

Quem frequentou escola durante os anos da educação básica, muito provavelmente, tem guardadas lembranças marcantes de alguma professora. O mais comum, entretanto, é que várias educadoras estejam registradas na memória afetiva de cada um. Não à toa, a presença feminina no ambiente de ensino e aprendizagem é tão expressiva. O protagonismo das mulheres nesta área se faz notar não apenas pelas maneiras com que realizam seu trabalho, com sensibilidade e devoção à prática pedagógica, muitas vezes, como também pelos números: grande parte dos profissionais ligados à educação é formada por mulheres. Não só ensinando, diretamente, mas também na diretoria, na coordenação e na produção da merenda escolar, por exemplo, elas deixam sua marca. E nas atividades administrativas, para que toda a engrenagem funcione, ocorre da mesma forma.

Nas escolas da rede pública estadual cearense, existem 355 diretoras, 962 coordenadoras, 11.659 professoras e 2.729 servidoras em funções diversas. Nas Coordenadorias Regionais de Desenvolvimento da Educação (Crede) e Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza (Sefor), encontram-se 13 coordenadoras e 142 funcionárias. Na Secretaria da Educação (Seduc), à frente de alguns setores, estão outras 10 mulheres. E há, ainda, mais 250 trabalhadoras exercendo suas funções na sede da instituição.

Além disso, a gestão da própria Secretaria está sob a liderança feminina. Eliana Nunes Estrela assumiu a função em janeiro de 2019 e tem como uma das principais bandeiras a defesa do protagonismo estudantil e a construção de boas relações nas escolas. Há, ainda, as secretárias executivas Jussara Batista e Rita Colares, respectivamente de Gestão da Rede Escolar e Planejamento e Gestão Interna, que também atuam dando suporte direto à administração do órgão.

“Ser mulher e estar à frente da Secretaria da Educação é, ao mesmo tempo, um desafio e motivo de muito orgulho. A rede estadual de ensino é formada por muitas mulheres fortes, corajosas e, acima de tudo, competentes nas áreas que ocupam. Sem dúvida o olhar cuidadoso e o comprometimento diário destas mulheres são fundamentais para o sucesso da nossa educação cearense”, considera Eliana.

Giovanna Rachele dos Santos, de 15 anos, é aluna da 2ª série na Escola de Ensino Médio em Tempo Integral (EEMTI) Matias Beck, em Fortaleza. A jovem faz parte do grêmio estudantil e observa que nos eventos organizados na unidade de ensino, “as meninas destacam-se em dedicação e interesse na participação”.

“Falar sobre o protagonismo feminino, não só no âmbito escolar, mas em todos os lugares onde há presença feminina, é de suma importância. E na escola onde estudo, entendemos essa importância e damos o real valor a situações que envolvem meninas. Estou estudando e me dedicando para que em anos futuros eu adquira minha independência, possa ter uma melhor qualidade de vida e proporcionar isso a minha família. Espero ingressar em uma universidade pública e almejo Medicina”, explica.

A coordenadora de Diversidade e Inclusão Educacional da Seduc, Nohemy Rezende, entende que as mulheres vêm conseguindo conquistar espaço crescente na ciência e no mundo do trabalho. Para a professora, apesar de importantes, as conquistas ainda não correspondem à valorização que seria devida a elas e, por isso, é necessário lutar pela consolidação e ampliação de horizontes.

“De sujeitos caracterizados como frágeis, sensíveis, afeitos exclusivamente ao lar e aos cuidados maternos, as mulheres construíram um novo olhar sobre si mesmas. Ultrapassaram padronizações de comportamentos, ocuparam um outro lugar de fala e de ação e se reconheceram como sujeitos da cultura, em que a igualdade de gênero ainda é conquista em curso. Na educação, as mulheres têm despontado não apenas como professoras e educadoras, mas como pesquisadoras, gestoras, inspiradoras, e produtoras de conhecimento”, ressalta Nohemy.

Histórico

A primeira mulher que administrou a Seduc foi Maria Antonieta Cals de Oliveira, em 1966. A professora, conhecida carinhosamente como dona Toni Cals, era educadora dedicada e empenhou toda a vida à causa da educação cearense. Em 1991, as mulheres estavam no comando novamente com Maria Luiza Chaves, mestre e doutora em Educação. Maria Luiza seguiu atuando na área, até os 77 anos, demonstrando disposição inabalável. Foi secretária da Educação do Estado do Ceará durante quatro anos e também esteve à frente da Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza (SME).

A professora e pós-doutora em Filosofia Sofia Lerche Vieira foi titular da Educação em 2003, quando colaborou com a modernização do processo de gestão e a expansão do Ensino Médio nas localidades rurais e urbanas. Em 2007, a psicóloga e professora Maria Izolda Cela de Arruda Coelho levou o Estado a ser referência em Educação em todo o País. Atualmente, destaca-se como a primeira vice-governadora do Ceará.

IBGE Ceará abre mais de 8 mil vagas para o Censo Demográfico 2020

Estão abertas as inscrições para os processos seletivos simplificados, para o preenchimento de vagas para trabalhar no Censo Demográfico 2020. As inscrições começam, dia 5, e vão até 24 de março.Serão realizados dois processos, um para Agente Censitário Municipal e Agente Censitário Supervisor, com 1.118 vagas no Ceará; e outro para Recenseador, com 7.270 vagas, distribuídas nos municípios cearenses. A taxa de inscrição para as funções de nível médio é de R$ 35,80 e para Recenseador, de R$ 23,61. Os valores podem ser pagos em qualquer banco, casa lotérica ou pela internet. O concurso será realizado pela Cebraspe, para acessar os editais completos e realizar a inscrição, acesse https://www.cebraspe.org.br/concursos/.

As vagas são temporárias e os contratos terão duração prevista de três meses, para Recenseador, e de cinco meses para ACM/ACS, podendo ser renovados de acordo com as necessidades do IBGE e a disponibilidade orçamentária. Os profissionais contratados temporariamente pelo IBGE também terão direito a férias e 13º salários proporcionais, de acordo com a legislação em vigor e conforme o estabelecido pelo edital.

As provas para ACM / ACS serão em 17/05/2020 e as provas para Recenseadores, em 24/05/2020.

Confira o release completo em anexo. 

Confira os editais – https://www.cebraspe.org.br/concursos/IBGE_20_AGENTE

https://www.cebraspe.org.br/concursos/IBGE_20_RECENSEADOR