Memorialista e jornalista Huberto Cabral é agraciado com a Medalha Bárbara de Alencar

O Governo Municipal do Crato, a Câmara de Vereadores, o Instituto Cultural do Cariri (ICC) e a Universidade Regional do Cariri (Urca) realizaram uma noite de homenagens ao memorialista e jornalista Francisco Huberto Esmeraldo Cabral, reunindo autoridades, escritores, professores, imprensa, familiares e amigos do homenageado.

Participaram da solenidade os prefeitos do Crato, Zé Ailton Brasil; de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra; os vereadores Thiago Esmeraldo e Tota Lobo; o bispo diocesano Dom Gilberto Pastana; o vice-prefeito do Crato, André Barreto; secretários municipais; dentre outras autoridades.

A URCA concedeu o título de Doutor Honoris Causa, após proposição e análise junto ao Conselho Superior da Universidade (Consuni); a Prefeitura do Crato entregou a maior honraria do município, a Medalha Bárbara de Alencar, uma obra de Sérvulo Esmeraldo; a Câmara de Vereadores certificou-o com os diplomas João Brígido dos Santos e Mérito Legislativo; e o ICC entregou a medalha pelo mérito cultural. Todas as homenagens foram concedidas pelos relevantes serviços prestados ao Cariri.

A noite foi marcada por muita emoção, desde o cortejo de entrada, quando Huberto Cabral chegou ladeado pela esposa, a irmã Divani Cabral e o mestre da cultura Antônio de Heleno e o grupo de reisado do Riacho Verde, até a entrega das honrarias.

O médico e escritor José Flávio Vieira, através de um texto poético, cheio de humor e informações, apresentou a todos a importância do jornalista. “Ele é uma das mentes mais privilegiadas nascida ao sopé da Chapada do Araripe”, descreveu.

Em sua fala, o prefeito Zé Ailton Brasil destacou a simplicidade do homenageado e seu compromisso em manter viva a historicidade do Crato. “Ele contribui com todos sem pedir nada em troca. Não nos deixa perder nenhuma data importante do Crato. É um homem que está envolvido em todos os setores”, afirmou o gestor.

A mesma simplicidade destacada pelo prefeito foi mantida pelo homenageado em seu discurso. Ele disse ter ficado surpreso com as honrarias, mas se sentia muito honrado com todas elas.

Na oportunidade, o jornalista também recebeu um troféu das mãos de estudantes da Escola Municipal José do Vale, uma forma de expressar a amizade e gratidão do patrono da escola e de Seu Huberto, que foram amigos pessoais. Dois corais, o da URCA e da Sociedade de Cultura Artística do Crato (SCAC) participaram da solenidade, apresentando músicas da trilha sonora da vida do memorialista e em sua homenagem. A Banda de Música também abrilhantou a solenidade.

O homenageado

Huberto Cabral nasceu em Crato, em 1936, filho de José Leite Alves Cabral e Pia Alves Cabral. Tem atividade permanente junto à Diocese do Crato e a Rádio Educadora. Passou pelos jornais O Levita, onde foi um dos editores ainda no Seminário, e A Ação, porta-voz da Diocese do Crato, fundado em 1939. Também atuou na Amplificadora Cratense, pioneiro no serviço de autofalante da região do Cariri.

Com a fundação da Rádio Araripe do Crato, primeira emissora do interior cearense, o jornalista passou a atuar na emissora dos Diários Associados, maior conglomerado de mídia da América Latina. Além disso, o comunicador foi assessor de imprensa da URCA, no início da criação da universidade, e pela assessoria da Prefeitura do Crato.

Chamado de “enciclopédia viva do Crato”, Huberto passou a ser uma testemunha ocular de episódios históricos da cidade, e uma das fontes essenciais de muitos acontecimentos. É um guardião e documentos de notável relevância, além de ser requisitado com frequência por pesquisadores de universidades da região, além da imprensa, para dar depoimentos relevantes para pesquisas acadêmicas e matérias que são veiculadas junto à imprensa.

Com informações da assessoria de comunicação

Hospital São Lucas realiza transferência de recém-nascido com cardiopatia para o Hospital de Messejana

Foi realizada na tarde do último sábado (09) a transferência de um bebê nascido no Hospital Maternidade São Lucas que estava na UTI Neonatal, diagnosticado com cardiopatia congênita grave, para o Hospital de Messejana, em Fortaleza.

Todo o encaminhamento esteve sendo acompanhado pelo Prefeito Arnon Bezerra, no sentido de proporcionar o pronto atendimento do paciente pelos profissionais de saúde e respectivos estabelecimentos, dando a assistência necessária.

Os pais da criança agradeceram todo o empenho oferecido pelas equipes médicas, ao Hospital São Lucas e também à saúde municipal, que não poupou esforços para garantir os cuidados necessários no transporte do paciente.

A Prefeitura de Juazeiro do Norte, juntamente com o Instituto Médico de Gestão Integrada (IMEGI), atuaram para solucionar a transferência, através da solicitação da vaga para cirurgia cardíaca e de UTI em Fortaleza.

A equipe de profissionais do Hospital São Lucas prestou todo o suporte necessário para que a situação clínica do recém-nascido estivesse adequada para a transferência. O transporte foi realizado pelas equipes do SAMU e CIOPAER.

Em semana de largada da reforma da Previdência, Onyx vai a Antártida

Ministro visitará o Programa Antártico Brasileiro para a inauguração da infraestrutura de telecomunicações

Na semana em que a reforma da Previdência terá largada na Câmara, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, responsável pela articulação com o Legislativo, se ausentará de Brasília.

Ele foi escalado pelo presidente Jair Bolsonaro para uma viagem oficial à Antártida, onde visitará o Programa Antártico Brasileiro para a inauguração da infraestrutura de telecomunicações.

Segundo a assessoria da Casa Civil, Onyx viajou ao local para representar o presidente e de lá fará uma ligação para Bolsonaro, dando início ao funcionamento da estrutura de telecomunicação da estação científica brasileira, destruída por um incêndio em 2012.

A viagem do ministro foi alvo de críticas de parlamentares, que têm se queixado do atendimento dado pelo Palácio do Planalto no início do governo.

Em meio às reclamações, a equipe de Bolsonaro busca formas de apaziguar os ânimos e ampliar sua base de apoio no Congresso com o objetivo de aprovar pautas consideradas prioritárias, em especial, a Previdência.

É preciso ainda destravar as nomeações para cargos nos estados, o que Bolsonaro prometeu fazer a lideranças do Legislativo logo depois do Carnaval.

Em reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), no sábado (9), Bolsonaro foi alertado que não será possível conquistar os 308 votos necessários para aprovar o texto na Casa sem que o Planalto faça sinalizações e concessões aos partidos.

O governo trabalha com a necessidade de construir uma base de apoio entre 320 e 330 deputados para ter alguma margem de folga.

Porém, conta com apenas 160 deputados com apoio garantido à proposta enviada ao Congresso em fevereiro.

Um outro bloco, de 100 parlamentares, é acompanhado com cuidado por assessores do Planalto e do Ministério da Economia. Esse grupo intenção de votar de forma favorável à proposta, mas reconhece dificuldades em apoiar pontos como as mudanças no BPC e na aposentadoria para trabalhadores rurais.

Para se chegar aos 330 votos, é necessário conquistar o apoio de 70 votos deputados.

Bolsonaro ouviu de Maia que esse número dependerá de que sejam aceleradas as nomeações para cargos.

Após impasses nas indicações dos partidos, a Câmara instala na próxima quarta-feira (13), a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça).

O governo espera com ansiedade o início dos trabalhos da comissão, já que é por ela que passará primeiro a proposta de emenda constitucional da reforma da Previdência.

Com uma base de apoio ainda indefinida, o governo ainda não tem os votos necessários na Câmara para aprovar o texto.

Maia é o principal articulador da proposta por ter bom trânsito com diferentes setores do Congresso, em especial com a esquerda. Além disso, ele tem contato diário com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

A relação de Maia e Onyx, embora ambos sejam do DEM, é ruim por divergências de ambos no passado.

A ausência do chefe da Casa Civil esta semana de Brasília pode dar ao presidente da Câmara ainda mais espaço nas negociações, enfraquecendo o ministro, alvo de queixas do Congresso.

Onyx enfrenta dificuldades dentro da própria pasta. Ele perdeu na sexta-feira (8) um de seus principais aliados, Pablo Tatim, que teve sua exoneração publicada no Diário Oficial da União.

Desde o período transição, Tatim foi alvo de críticas de militares por suspeitas de irregularidades envolvendo seu nome.

Onyx queria inicialmente indicá-lo para a SAJ (Subchefia de Assuntos Jurídicos), a mais importante subchefia da Casa Civil, por onde passam todos os atos assinados pelo presidente da República.

Após desgaste, o ministro perdeu a disputa e Jorge de Oliveira, ex-assessor de Bolsonaro na Câmara, foi escolhido para o cargo.

Coube a Tatim então assumir a Subchefia de Assuntos Governamentais.

A Casa Civil nega desgaste e alega que ele saiu do cargo a pedido para ocupar um posto na Funasa no Rio Grande do Norte, onde vive a família de sua esposa. Com informações da Folhapress.

Fonte: Notícias ao Minuto

Janaina chega à Assembleia descolada de Doria e rejeita a prefeitura

“Olhe bem para ele e diga se é seu líder ou não.” Diante de Jair Bolsonaro, Janaina Paschoal se surpreendeu com o questionamento feito por um auxiliar do então presidenciável.

A advogada estava ali para discutir a possibilidade de se tornar candidata a vice na chapa. Um tanto constrangida, respondeu ter afinidade com o parlamentar, mas que acabara de o conhecer e que não entendia a política assim. “Sou contra a ideia de ter um líder, não aceito o endeusamento de ninguém.”

A conversa fora marcada por Gustavo Bebianno, que coordenou a campanha. O plano era que ocorresse no quarto do hotel do candidato a fim de se manter reserva sobre o propósito.

Janaina, porém, não aceitou. Disse que não ficava bem para uma mulher casada se reunir com um homem num quarto de hotel. Uma sala precisou ser requisitada. Nohara Paschoal, uma de suas irmãs, a acompanhou no encontro.

A tantas horas, alguém lhe perguntou qual ministério gostaria de ter se, de fato, fossem eleitos. “Nenhum”, devolveu, causando um novo instante de estranhamento.

Deixou claro também ter posições divergentes das do candidato, como por exemplo em relação à redução da maioridade penal (ela é contra) e à política de cotas para negros (ela é a favor).

Rindo, Bolsonaro lhe perguntou: “Você é militante do PSOL e está nos enganando?”.

Embora tenha saído da reunião com ótima impressão do deputado, dizendo ser o único concorrente com percepção correta do grau a que chegou o crime organizado, acabou recusando a proposta da vice-presidência por pressão da família, que temia pela sua segurança.

Desde 2015, quando apresentou com os juristas Miguel Reale Júnior e Hélio Bicudo o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, sofreu inúmeras ameaças.

De acordo com correligionários, precisou de seguranças até mesmo na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, onde se formou em 1996 e é professora do departamento de direito penal.

“A faculdade viveu um tensionamento político intenso”, diz o diretor Floriano de Azevedo Marques Neto. “Não tenho notícias de ameaças ou de agressões, mas realmente os ânimos ficaram aflorados.”

Floriano descreve a colega como uma ótima professora, gentil, fidalga, discreta e de convicções firmes. “No trato pessoal, ela é o oposto da figura pública eloquente, engajada e algumas vezes de retórica exagerada”, afirma, recordando-se do chamado “discurso da cobra”.

Em abril de 2016, Janaina subiu ao parlatório da faculdade, localizado no Largo São Francisco, para falar em um evento em favor do impeachment.

Exaltada, ora girando uma bandeira do Brasil sobre a cabeça, ora andando para frente e para trás, gritava que o país não era a república da cobra.

“Queremos libertar nosso país do cativeiro de almas e mentes”, dizia, aos berros. “Acabou a república da cobra.”

A contundência, o temperamento forte e a verborragia incomodaram alguns dos próprios aliados durante o processo de impeachment. A relação com Reale Júnior, que fora orientador do seu doutorado na USP, nunca mais foi a mesma.

Também incomodados, tucanos chegaram a tentar, sem sucesso, que ela fosse excluída da sessão do julgamento da destituição no Senado, quando os advogados de acusação puderam fazer questionamentos à presidente.

“Não concordo com tudo o que ela fala ou pensa, mas Janaina tem uma grande qualidade: não abaixa a cabeça para ninguém”, afirma a advogada Marina Coelho Araújo, amiga da deputada eleita.

O ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, que defendeu Dilma no processo, afirma que os embates foram muito duros. “O momento assim exigia, mas ela sempre foi extremamente cortês”, afirma.

A queda da presidente transformou Janaina numa celebridade, muito embora diga que não se considere como tal. É invariavelmente reconhecida, abraçada e fotografada, ainda que também presencie com certa frequência caras feias e outras demonstrações de antagonismo.

A fama lhe rendeu diversos convites para disputar as eleições de 2018, mas resolveu se filiar apenas nas vésperas do prazo legal, em abril daquele ano, após Bolsonaro lhe telefonar pela primeira vez.

Na conversa, a advogada disse que não estava decidida a concorrer. O presidenciável sugeriu que ela se habilitasse mesmo assim, ganhando tempo para decidir com mais calma. “Escolha um partido, tanto melhor se for o nosso”, disse. Assim foi feito.

A facada que o candidato sofreu em Minas Gerais, cerca de cinco meses depois daquele diálogo inicial, reforçou em Janaina a convicção de que tomara a resolução correta ao optar por disputar uma vaga na Assembleia Legislativa de São Paulo, em vez de integrar a chapa presidencial.

A amigos confidenciou que a disputa majoritária teria jogado um peso gigantesco sobre os ombros da sua família, sobretudo numa eleição marcada pela violência.

Candidata a deputada estadual, recebeu a maior votação da história da Assembleia paulista com o ‘sim’ de mais de 2 milhões de eleitores, situação que coloca seu nome inevitavelmente nas especulações eleitorais para a Prefeitura de São Paulo no ano que vem.

“[Não concorrerei] de jeito nenhum”, diz Janaina, que tem em São Tomás de Aquino uma de suas referências no direito. “Acredito ser preciso cumprir os mandatos na íntegra.”

A posse na Assembleia será nesta sexta (15). No mês passado, o PSL lançou seu nome para a presidência da Casa num evento seguido de um ato no qual dezenas de militantes percorreram os corredores do Legislativo emulando uma torcida organizada com o coro “Direita São Paulo, olha quem chegou, Doutora Janaina, da esquerda um terror!”.

A campanha, intensificada por uma espécie de guerrilha virtual, com mensagens muitas vezes agressivas para celulares e redes sociais de parlamentares, gerou enorme irritação na Assembleia.

“Esse tipo de atuação trouxe apenas antipatia para a futura parlamentar”, diz Campos Machado (PTB), 79, que é deputado estadual desde 1987. “É mais fácil um brasileiro pisar em Marte do que ela virar presidente da Casa.”

Campos prevê que Janaina terá dificuldades até mesmo para aprovar projetos de sua autoria se não passar a atuar com mais habilidade política, previsão que aparentemente não a preocupa.

Em recente post no Twitter, onde já pediu até o afastamento de um ministro de Bolsonaro, disse que “se equivoca quem pensa que o bom parlamentar é aquele que emplaca muitas leis”.

Janaina considera que uma das principais funções de um deputado é a fiscalização das contas públicas e diz que não fará oposição ao governador João Doria (PSDB), mas tampouco atuará como “vassala”.

“O governo quer deputados que fiquem felizes em aprovar o dia do vegetal, mas, definitivamente, não foi para isso que vim para cá.”

PERFIL

Idade

44 anos

Nascimento

São Paulo (SP)

Partido

PSL

Estado civil

Casada

Cor/raça

Branca

Grau de instrução

Superior completo

Ocupação

Advogada

Reeleição

Não

Descrição dos bens declarados do parlamentar

Carro, apartamento, aplicações de renda fixa, caderneta de poupança, depósito bancário em conta no país, fundos de investimentos, dinheiro em espécie e outras participações societárias

Valor declarado dos bens

R$ 2.395.439,93

Com informações da Folhapress

Fonte: Notícias ao Minito

CCJ deve ser instalada na quarta para iniciar discussão da Previdência

Líderes partidários já poderão indicar nomes para compor o colegiado a partir desta segunda-feira (11), segundo Rodrigo Maia

O Congresso Nacional retoma as atividades nesta semana, após o recesso de carnaval, e conforme anunciado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, a instalação da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) deve ocorrer na próxima quarta-feira (13).

Segundo Maia, com a definição da data de instalação, os líderes partidários já poderão indicar nomes para compor o colegiado a partir desta segunda-feira (11)

“Eu estou marcando para quarta-feira a instalação da CCJ. Se eu estou anunciando hoje, a partir de segunda os líderes começam a indicar [nomes] e eu espero que na quarta a gente consiga instalar [a comissão]”, disse o presidente da Câmara, na última sexta (8).

Neste ano, a instalação da CCJ ganhou ainda mais importância em razão da análise da reforma da Previdência – Proposta de Emenda à Constituição (PEC 6/19) – enviada ao Congresso pelo governo federal no dia 20 de fevereiro. A PEC é a prioridade mais urgente do governo.

Cabe a CCJ, no prazo mínimo de cinco sessões do Plenário, manifestar-se sobre a constitucionalidade da PEC, que só então poderá ser analisada por uma comissão especial e depois votada em dois turnos pelo Plenário.

Fonte: Notícias ao Minuto

Bolsonaro terá agenda internacional intensa a partir deste mês

Bolsonaro confirmou também que o presidente da China, Xi Jinping, virá ao Brasil para participar da 10ª Cúpula do Brics

A agenda internacional do presidente Jair Bolsonaro começa intensa na segundaquinzena deste mês e prossegue até o próximo semestre. Além dos Estados Unidos, Chile, de Israel, há viagens programadas para o Japão e a China. Em pauta, desde a crise na Venezuela ao incremento das relações econômicas e comerciais.

No Japão, o presidente participará da Cúpula do G20 (que reúne as 20 maiores economias mundiais) em Osaka, que ocorrerá de 28 a 29 de junho. A viagem para a China está em fase de organização e deve ocorrer no segundo semestre. Bolsonaro disse que, nessa visita, pretende  ampliar negócios e fronteiras.

Bolsonaro confirmou também que o presidente da China, Xi Jinping, virá ao Brasil para participar da 10ª Cúpula do Brics (grupo que reúne Brasil, Índia, China e África do Sul). A data do encontro será definida.

Neste mês  Bolsonaro deverá ter reuniões com os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e do Chile, Sebastián Piñera, e com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

A viagem aos Estados Unidos deve ocorrer entre 18 e 22 de março, sendo que o encontro com Trump está confirmado para o próximo dia 19, segundo comunicado da Casa Branca.

Dos Estados Unidos, Bolsonaro segue para o Chile, onde ficará até o dia 23, e no fim do mês, irá para Israel. A imprensa israelense informou que, de acordo com o Ministério das Relações Exteriores, a viagem do presidente ao país deve ocorrer entre 31 de março e 4 de abril.

Temas

A viagem do presidente a Israel é uma retribuição à visita, em dezembro, do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, ao Brasil e à presença dele na cerimônia de posse. Em janeiro, o israelense enviou um grupo de militares para ajudar nos resgates das vítimas do rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG).

No Chile, Bolsonaro deve participar do fórum Prosur, organizado pelo presidente chileno, que se destina a propor ações e acordos para a promoção do desenvolvimento na América do Sul. Segundo o presidente Sebastián Piñera, o fórum será um órgão “sem ideologias ou burocracia”.

A crise na Venezuela deve ser tema das conversas de Bolsonaro com Trump e também das reuniões no Chile. Com informações da Agência Brasil

Fonte: Notícias ao Minuto

Secretaria de Desenvolvimento Agrário e IFCE realizam segunda edição da Feira de Piscicultura Ornamental

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agrário e Recursos Hídricos, em parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) – Campus Crato, realizou no domingo, 10, a segunda edição da Feira de Piscicultura Ornamental, que reuniu centenas de pessoas na Praça da Sé.

A feira reuniu criadores de vários municípios que tiveram a oportunidade de realizar a venda de peixes ornamentais, expandindo ainda mais a iniciativa de criação doméstica, dando visibilidade aos criadores de peixes da cidade e aquecendo esse comércio local.

O Secretário Adjunto de Desenvolvimento Agrário, Tiago Ribeiro, comemora o sucesso dessa, que é a segunda feira em parceria com o IFCE. “Estamos realizando a segunda feira fruto do sucesso do projeto. O público está além do que nós esperávamos, o que fez com que assumíssemos o compromisso que realizar a feira uma vez por mês”, disse.

Para o professor do IFCE, Yure Lacerda, esse é um mercado com um potencial enorme, pelo número surpreendente de procura, principalmente de crianças e adolescentes. “É uma atividade que envolve toda a família. A Região tem um número considerado de pessoas que trabalha profissionalmente nessa área de criação de peixes ornamentais. O projeto conta hoje, com oito produtores, entre eles ex alunos do IFCE. A ideia é fortalecer esses produtores, pois esse é um mercado em grande crescimento”, afirmou o professor.

O produtor de Barbalha, Siqueira Araújo, agradece a iniciativa da Prefeitura do Crato em apoiar esse projeto que vem fortalecendo o comércio dos criadores. “Está sendo um grande momento para nós criadores de vários municípios que estamos conhecendo e diversificando nossos produtos, tanto com os peixes como na parte ornamental de aquários e alimentos para os peixes”, frisou Siqueira.

O número de crianças e adolescentes surpreendeu os criadores que venderam praticamente todo o produto disponibilizado na feira.

A jovem Ana Clara, de 12 anos, estava feliz em adquirir um peixe como animal de estimação e aproveitou para montar seu próprio aquário. “Foi o melhor animal de estimação que poderia ganhar. Vou seguir as instruções direitinho, como lavar o aquário a cada três dias e dar o alimento uma vez por dia”, comemorou a garota.

Nesta edição, o público presente na feira foi animado pela banda de música da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE).