Há dois anos sem sexo, Luiza Brunet dispara: ‘Tesão afloradésimo’

Ex-modelo diz que nunca mais esteve com outro homem desde o término do casamento com Lírio Parisotto

A ex-modelo Luiza Brunet, de 56 anos, está solteira desde que terminou com o bilionário Lírio Parisotto, há dois anos. Mesmo assim, a beldade garante que a dor do conturbado término não tirou sua vontade de explorar a solteirice.

Em entrevista à coluna da Marina Caruso, do jornal ‘O Globo’, Brunet revela que nunca mais esteve com outro homem. ‘Estou há dois anos sem transar nem beijar’, dispara.+

Ainda sim, a ex-modelo diz que está pronta para voltar “com tudo”. “Já tinha tirado o útero, o que mexe com a libido, e fiquei doente depois de tudo, precisei me cuidar. Fiz tratamento, coloquei um monte de chips (de hormônios), menos o da beleza, porque não aguento ficar mais bonita (risos). Não tenho mais enxaqueca, mau humor. E tô com o tesão afloradésimo!”, afirma.

Fonte: Notícias ao Minuto 

Sistema penitenciário: 220 agentes iniciam trabalho nas unidades da RMF

O Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Administração Penitenciária (SEAP), deu posse a 220 agentes penitenciários na manhã desta segunda (7), na sede da Secretaria. Após a nomeação, os profissionais se apresentaram imediatamente na Unidade Prisional Agente Luciano Andrade Lima (CPPL I) e na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Jucá Neto (CPPL III).

Maria Glaise, 30 anos, uma das agentes que tomou posse hoje, está satisfeita por representar o Estado e contribuir com a segurança. “Lá dentro eu serei a ponte entre a proteção do cidadão aqui fora e a ressocialização de quem está preso. Nós somos esse vínculo”, diz a nova agente. Glaise também indica que, desde o curso de formação, só há uma vontade de todos os concursados: colaborar da melhor forma com o sistema.

É o que pensa também o recém-empossado Samuel Robson, 29 anos. “Nesse momento crítico, nós chegamos e trazemos sangue novo para dentro das unidades, somando com a experiência e o conhecimento dos agentes veteranos”. Robson também aconselha os companheiros de trabalho: “Estamos aqui para receber orientações e conhecimento”.

Mauro Albuquerque, titular da SEAP, deu as boas vindas aos 220 agentes e destacou as obrigações dos recém-chegados. “Nós somos responsáveis pelo o que acontece dentro das unidades. Cabe a nós administrar, tudo dentro da legalidade, identificando as crises e ajustando os procedimentos necessários para que tudo funcione”, diz Mauro, que também indica que a posse imediata também faz parte do plano do Governo do Estado de dar, cada vez mais, melhores condições de trabalho para os agentes penitenciários do sistema prisional cearense.

Cagece realiza serviço de prevenção de vazamentos no bairro Horto, em Juazeiro

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) deu início, nesta segunda-feira (7), a um serviço de prevenção de vazamentos por meio da substituição de ramais de ligação de água e também a recuperação das vias no bairro Horto, em Juazeiro do Norte.

A primeira etapa dos trabalhos prevê a substituição de aproximadamente 150 ramais que ligam a rede de distribuição de água da companhia aos imóveis, bem como a recomposição das vias.

O bairro Horto é o principal ponto turístico da cidade. O objetivo dos serviços é evitar ocorrências de vazamentos e a consequente intervenção na via, especialmente em época de romaria, período em que há maior concentração de população flutuante no local. No total, três equipes da companhia executam os serviços no bairro.

De acordo com o gerente da unidade da Cagece em Juazeiro, Gilberto Júnior, a ação no bairro Horto é intensa, pois concentra prevenção e recuperação. “Este trabalho já acontece em alguns pontos da cidade, mas neste momento estamos intensificando, junto a Prefeitura Municipal de Juazeiro, os trabalhos no Horto, com uma ação de prevenção de vazamentos. Além disso estamos recuperando trechos que já receberam intervenções anteriormente”, explica.

Saiba Mais
A ação é uma das medidas previstas no Plano de Melhorias para Juazeiro do Norte, lançado pela Cagece em junho de 2018, e é realizado nas áreas mapeadas pelo plano

Estimativa para Selic no fim de 2019 passa de 7,13% para 7,00% ao ano

Os economistas do mercado financeiro alteraram suas projeções para a Selic (a taxa básica) para o fim de 2019. O Relatório de Mercado Focus trouxe nesta segunda-feira, 7, que a mediana das previsões para a Selic este ano passou de 7,13% para 7,00% ao ano. Há um mês, estava em 7,50%.

Já a projeção para a Selic no fim de 2020 seguiu em 8,00%, igual ao visto quatro semanas atrás. No caso de 2021, a projeção também seguiu em 8,00%, igual ao verificado um mês antes.

Em 12 de dezembro, o Comitê de Política Monetária (Copom) anunciou a manutenção, pela sexta vez consecutiva, da Selic em 6,50% ao ano.

Ao mesmo tempo, o BC indicou que a Selic tende a permanecer no atual nível – o mais baixo da história – pelo menos nos primeiros meses do governo de Jair Bolsonaro.

Entre as indicações, o colegiado avaliou que, desde o encontro anterior, de outubro, houve alta do risco de a ociosidade na economia produzir inflação abaixo do esperado.

Top 5

Para o grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções (Top 5) de médio prazo, a mediana da taxa básica em 2019 seguiu em 6,50% ao ano ante 7,25% de um mês antes. No caso de 2020, seguiu em 8,00% e, para 2021, permaneceu em 8,00%. Há um mês, estavam em 8,00% em ambos os casos.

Ciclo de alta

Em um ambiente de inflação baixa e atividade ainda fraca, os economistas do mercado financeiro esperam pela manutenção da Selic (a taxa básica) no atual patamar, de 6,50% ao ano, até outubro de 2019, quando o Banco Central daria início a um novo ciclo de alta de juros.

Conforme o Sistema de Expectativas de Mercado do relatório Focus, divulgado nesta segunda, a projeção é de que a Selic suba de 6,50% para 6,75% em outubro.

Depois, em dezembro de 2019, a taxa passaria para 7,00% ao ano. Conforme o Sistema de Expectativas, a Selic seguiria subindo até abril de 2020, quando atingiria 8,00% ao ano, encerrando o ciclo de alta. Com informações do Estadão Conteúdo.


 
 Fonte: notícias ao minuto 

Barbalha fomenta a cultura e realiza Festival de Reis

Grupos de Tradição, Reisados, Lapinha, Bandas de Pífano e Zabumbeiro participaram da Festa de Reis, promovida pela Secretaria de Cultura de Barbalha. O III encontro de Reisados ocorreu na tarde desse domingo (06) envolvendo a população dos bairros, finalizando com um cortejo saindo do Centro Histórico, passando pelas principais ruas da cidade até a Praça Engenheiro Dória (Praça da Estação).

O evento fecha a programação do II Natal da Família Unida, que desde o dia 15 de dezembro, promovia ações culturais, apresentações e muitas outras atividades voltadas para a população barbalhense. A programação teve como ponto alto a noite do dia 27 passado, quando 80 famílias inscritas em programas sociais ganharam, por meio de sorteio, prêmios valiosos, adquiridos numa parceria entre o Município e empresários locais.

Para o secretário de Cultura, Rômulo Sampaio, essa é uma das oportunidades que a gestão tem para promover a cultura local através dos grupos de tradição. Ele conta que ano que vem a festa deve ser ainda maior, com apresentações não só dos grupos de Barbalha, mas de várias cidades da região do Cariri, em um cortejo inédito.

Por Previdência, equipe econômica aceitou incentivo a Norte e Nordeste

 

Com a proposta de reforma da Previdência pronta, a equipe econômica do governo Jair Bolsonaro preferiu se desviar de uma briga com parlamentares do Norte e Nordeste em um momento chave para a discussão do tema no Congresso Nacional.

A equipe do ministro Paulo Guedes (Economia) quer apresentar a proposta de reforma aos parlamentares em fevereiro, logo na abertura dos trabalhos do Legislativo. Vetar os incentivos tributários a empresas que se instalem no Norte e Nordeste, como chegou a ser cogitado na semana passada, poderia abrir uma ferida e desestabilizar a relação logo na largada.

A conta que está sendo feita é a seguinte: não vale a pena, por um custo avaliado em cerca de R$ 2 bilhões (dos incentivos fiscais), colocar em risco a aprovação de uma reforma da Previdência, que pode gerar uma economia de R$ 1 trilhão em dez anos.

O Norte e o Nordeste têm, juntos, 42% dos deputados federais e 59% dos senadores do Congresso.

 

Nesta semana, a missão do time econômico é apresentar ao presidente e sua equipe política os detalhes da reforma da Previdência. A avaliação é que se interpretou errado o que Bolsonaro disse na entrevista ao SBT, na semana passada. Por isso, o esforço de explicação no front político será intensificado.

O presidente afirmou que a idade mínima de aposentadoria será de 62 anos (homens) e 57 (mulheres), menos do que o pretendido por Michel Temer -65 e 62 anos, respectivamente.

A fala presidencial levou à leitura de que Bolsonaro pretende endossar uma reforma mais branda e, com isso, menos eficiente em termos de redução de gastos. O último desenho da reforma de Temer dava conta de uma economia de pouco menos de R$ 500 bilhões em dez anos.

A equipe econômica, no entanto, sabe que este valor é pouco para a atual situação das contas públicas -a reforma de Temer é de dois anos atrás (2016) e o governo está no vermelho há cinco anos (desde 2014), fazendo o rombo subir rapidamente.

Os estudos que estão sendo feitos pretendem ampliar a economia gerada e R$ 1 trilhão é o potencial a ser alcançado.

A idade de 62 anos, dita por Bolsonaro, indica como será feita a transição em seu mandato, explica uma pessoa inteirada dos debates internos da equipe econômica.

No desenho da reforma da Previdência de Temer, a idade mínima aumentaria pouco a pouco ao longo de 30 anos. Guedes quer que a mudança seja feita de maneira mais rápida.

Neste caso, os trabalhadores que estão à beira da aposentadoria serão chamados ao sacrifício de atrasar em um ano a saída do mercado de trabalho. E isso de maneira imediata. Não haveria, portanto, transição no curto prazo.

O resultado é uma economia maior do que o oferecido pela reforma de Temer, cuja redução de despesas só começaria a se materializar no médio prazo.

A partir daí haveria uma transição até a idade de 65 anos. Mas como a escalada completa levará mais de quatro anos, a idade cheia não seria alcançada na gestão de Bolsonaro -se ele não concorrer à reeleição, como prometeu na campanha eleitoral.

A aposta do time de Guedes é entregar um ajuste mais rápido das contas, em linha com o objetivo de zerar o déficit fiscal em um ano.

Sobre os incentivos tributários, a tendência é que os projetos oferecidos à Sudam e à Sudene (Norte e Nordeste, respectivamente) sejam analisadas bem lentamente, para que seu efeito fiscal só apareça nas contas de 2020.

Até lá, a equipe econômica pretende se organizar para cortar outros subsídios. O benefício tributário concedido ao xarope de refrigerantes, cuja retirada foi esticada por lobby do setor, e o dado a fabricantes de motocicletas na Zona Franca de Manaus, estão no alvo.

A análise técnica mostra que o custo benefício é ruim -custam em torno de R$ 1,5 bilhão por ano e geram menos de 100 empregos. Esta relação é o critério que será observado pela equipe econômica na análise dos incentivos.

Aumento de impostos, como chegou a ser ventilado, não está na agenda do time de Paulo Guedes.

Um assessor presidencial disse que o ministro telefonou ao presidente na sexta-feira (4) e desaconselhou o caminho. De formação liberal, Guedes é contrário ao aumento da carga tributária em qualquer circunstância e sua ordem é a de que, a cada novo gasto, um outro seja cortado para substitui-lo.

A segurança jurídica da opção por manter o incentivo sem o aumento de tributos correspondente será dada pela AGU (Advocacia Geral da União) e pela SAJ (Secretaria de Assuntos Jurídicos). Com informações da Folhapress.


 Fonte: notícias ao minuto