Show de Gilberto Gil em Salvador terá sessão extra; ingressos começam a ser vendidos na segunda-feira

 

Com ingressos quase esgotados para duas apresentações do novo show em Salvador, o cantor Gilberto Gil abriu uma sessão extra. Agora, além de 8 e 9 de fevereiro, o artista se apresenta também no dia 10, às 20h, na sala principal do Teatro Castro Alves (TCA).

Os ingressos para a sessão extra, que custam a partir de R$ 75, vão começar a ser vendidos na segunda-feira (7), a partir das 10h. A compra poderá ser feita na bilheteria do Teatro; nos SAC dos Shoppings Barra e Bela Vista e por meio da internet, pelo site ingressorapido.com.br.

Considerado pela crítica especializada um dos melhores e mais completos shows da carreira, o show da nova turnê de Gil, que estreou em novembro em Belo Horizonte, já arrancou elogios dos jornalistas e do público.

O álbum “OK OK OK” traz a família, os encontros do núcleo íntimo de amizades, a doença que experimentou e aqueles que o ajudaram a passar por ela.

SERVIÇO

Show Gilberto Gil “OK OK OK”
Quando: 8 e 9 e 10 de fevereiro
Local: Teatro Castro Alves
Valores: Filas A – Y (R$200 inteira e R$100 meia). Filas Z a Z11 (R$150 inteira e R$75 meia)
Vendas: Bilheteria do TCA, SAC dos Shoppings Barra e Bela Vista e site ingressorapido.com.br
Informações: 3014-1209
Classificação: Livre

 
 Fonte: G1

Jiboia é achada no quintal de casa em condomínio no Litoral Norte da Bahia

Uma jiboia com cerca de 1,20 foi encontrada na manhã deste domingo (6), por volta das 8h, no quintal de uma casa de um condomínio em Barra do Jacuípe, no Litoral Norte da Bahia.

Barra do Jacuípe é uma praia que pertence ao município de Camaçari, região metropolitana de Salvador, e que durante o verão costuma estar cheia por conta da grande procura pelas praias da região.

De acordo com a Companhia Independente de Polícia de Proteção Ambiental (COPPA), a guarnição foi acionada, por volta das 8h, para atender uma ocorrência de resgate de uma cobra no condomínio.

No local, a guarnição encontrou a jiboia na árvore que fica no quintal da casa. Ninguém foi ferido pela cobra. O animal foi resgatado e solto em uma área de mata não habitada.

A Coppa informou que como foi verificado que o animal estava saudável, sem sinais aparentes de lesões ou ferimentos, foi realizada a soltura da cobra em área de mata não habitada, na mesma região onde ela foi capturada.

Agentes da Coppa fizeram resgate da cobra em Barra do Jacuípe, na Bahia — Foto: Divulgação/Coppa

Agentes da Coppa fizeram resgate da cobra em Barra do Jacuípe, na Bahia — Foto: Divulgação/Coppa

Cobra achada em Barra do Jacuípe foi solta por agentes da Coppa em área de mata não habitada — Foto: Divulgação/Coppa

Cobra achada em Barra do Jacuípe foi solta por agentes da Coppa em área de mata não habitada — Foto: Divulgação/Coppa

Coppa soltou animal em área de mata não habitada, em Camaçari  — Foto: Divulgação/Coppa

Coppa soltou animal em área de mata não habitada, em Camaçari — Foto: Divulgação/Coppa

 Fonte: G1

Queima da Lapinha encerra ciclo natalino com apresentações de pastoris no Recife

Encerrando os festejos natalinos e abrindo as portas para o carnaval, a Queima da Lapinha acontece a partir das 17h do domingo (6), no Pátio do Carmo, no Centro do Recife. O evento, que conta com a apresentação de 11 pastoris, termina no Pátio de São Pedro, também no Centro.

Durante a manifestação cultural, a Lapinha, símbolo da manjedoura onde nasceu o menino Jesus, é conduzida pelos pastoris do Pátio do Carmo até o Pátio de São Pedro, onde acontece a queima propriamente dita das folhas, palhas e outros materiais.

No ritual, originado no século 19, o público pode escrever pedidos e jogá-los nas chamas, para que eles sejam atendidos ao longo do ano.

O cortejo tem concentração marcada para as 17h, com a presença dos pastoris Lindas Ciganas, Estrela Brilhante, Estrela Guia do Cabo, Estrela do Mar, Giselly Andrade, Pastoril Infantil da UR-3, Luz do Amanhecer, Sonho de um Adolescente, Tia Marisa, Tia Nininha 3ª Idade e Viver a Vida 3ª Idade. Depois da queima da Lapinha, o frevo anuncia os preparativos para os dias de Momo.

 
 Fonte: G1

 

Olinda oferece atividades de saúde, esportes e lazer de graça na orla

 No primeiro domingo de 2019, a orla de Casa Caiada, em Olinda, fica fechada para atividades gratuitas de saúde, cultura e esportes. A iniciativa, denominada “Olinda Mais Cidadania e Mais Saúde”, acontece das 6h às 12h.

Com o projeto, a orla fica aberta para a prática de esportes como vôlei, futevôlei, futebol de praia, frescobol e capoeira. Há, também, opções como torneio de dominó, artesanato e música ao vivo para quem quer relaxar.

Para as crianças, há a opção de brinquedos montados na orla. Já para quem deseja fazer exames de saúde, estão disponíveis avaliações nutricionais e exames como aferição de pressão e glicemia.

 Fonte: G1

Subornos pagos pela Odebrecht no Panamá superam US$ 100 milhões

Investigações realizadas por autoridades panamenhas, com ajuda da Suíça, mostram que as propinas pagas pela Odebrecht no Panamá superaram US$ 100 milhões e foram duas vezes superiores ao que a Justiça dos EUA estimou em 2016. O esquema envolveu pagamentos a mais de 70 pessoas, durante três governos diferentes.

Os dados fazem parte do inquérito conduzido pelo Ministério Público do Panamá, que contou com extratos bancários e informações enviadas pela Suíça. Durante o período investigado, as obras da Odebrecht sob suspeita envolveriam contratos de mais de US$ 9 bilhões. São 21 licitações públicas vencidas pela empresa sob exame.

As investigações esmiuçaram mais de 14 contratos no governo de Martín Torrijos, que terminou em 2009, e Ricardo Martinelli, entre 2009 e 2014. Já no atual governo de Juan Carlos Varela, que termina neste ano, são cinco obras sob análise, incluindo a Linha 2 do metrô avaliada em mais de US$ 2 bilhões.

Segundo apuração do Estado, em dez dos 21 contratos, o preço final pago pelas autoridades do Panamá para a construtora ficou acima dos valores previstos no orçamento. Um dos casos foi um túnel de saneamento, que passou de US$ 139 milhões, em 2009, para US$ 384 milhões quando a obra foi entregue, em 2013.

Em outro caso, nas obras para a Linha 1 do metrô, o orçamento final ficou mais de US$ 600 milhões acima do US$ 1,4 bilhão estimado inicialmente. Já a estrada Don Alberto Motta passou de US$ 280 milhões, em 2007, para US$ 488 milhões, em 2014.

A apuração do Estado identificou que uma parte substancial das informações partiu de forma espontânea dos suíços, que enviaram detalhes de contas e extratos bancários para que o caso pudesse ser investigado na América Central. Também foram consideradas as delações premiadas de ex-funcionários da Odebrecht no Brasil, a assinatura de um acordo com a empresa e confissões de outros suspeitos, como Mônica Moura, que trabalhou para campanhas eleitorais do PT.

No Panamá, os procuradores também passaram a contar com o instrumento da delação premiada e os resultados indicaram subornos acima dos valores inicialmente conhecidos. A Odebrecht afirma que colaborou nessa fase do processo.

Em 2016, o Departamento de Justiça dos EUA havia estimado que os pagamentos de propinas da Odebrecht no Panamá chegavam a US$ 59 milhões. Agora, mesmo com o inquérito ainda em andamento e faltando cerca de 20% para a investigação ser concluída, a marca dos US$ 100 milhões já foi ultrapassada.

Caminho

Parte da dificuldade em encontrar a dimensão total do esquema resulta da sofisticação na forma de fazer o dinheiro chegar aos beneficiários. As investigações indicam que a construtora usou até quatro níveis de transações bancárias para camuflar os pagamentos. “O objetivo era que se perdesse o rastro do dinheiro”, explicou a procuradora do Panamá, Zuleika Moore.

Apenas uma parte dessa estrutura de quatro camadas se encontra na Suíça. As transferências a outros paraísos fiscais prejudicam a busca pelo dinheiro. Por enquanto, foram descobertas 18 empresas offshore que eram usadas para fazer o dinheiro circular por diferentes jurisdições.

A procuradora do Panamá dá uma nova dimensão da diferença entre o que era a descoberta original e o que já se sabe hoje. Em um dos casos específicos, a Justiça americana disse que dois suspeitos teriam recebido US$ 6 milhões da Odebrecht. “Com nossa investigação, determinamos que esse valor era de US$ 53 milhões”, disse Zuleika.

Um dos esquemas, que teria sido delatado por Mônica Moura, indica um “pagamento direto” para uma campanha presidencial no Panamá em 2014. Segundo a procuradora, a transferência de informação e de extratos da Suíça para seu gabinete mostrou que os valores iam além, usando uma conta secreta no país europeu em nome de um tesoureiro.

A propina não distinguia partido político nem posição ideológica. Entre 2006 e 2009, no governo de Martín Torrijos, os pagamentos foram de US$ 5,5 milhões. Entre 2009 e 2014, a Odebrecht teria pago mais US$ 96 milhões durante a gestão do presidente Ricardo Martinelli. Em troca, a empresa garantia contratos importantes de obras públicas.

Na lista de envolvidos estão Ricardo Alberto e Luis Enrique Martinelli Linares, filhos do ex-presidente do Panamá, diretores de bancos, ex-ministros de Obras Públicas, diplomatas, tesoureiros de partidos e dezenas de outros intermediários, políticos locais e seus parentes.

Segundo investigações, a construtora também teria financiado campanhas de três partidos panamenhos, assim como alguns dos principais candidatos. Entre eles estaria José Domingo Arias, que concorre às eleições de 5 de maio.

Procurada, a empresa indicou que, por conta de um acordo no Panamá, já pagou uma multa de US$ 220 milhões. “A Odebrecht admitiu responsabilidade sobre fatos que são objeto de investigação pelo Ministério Público do Panamá e, em julho de 2017, assinou um acordo de colaboração, já homologado judicialmente, o qual formaliza o compromisso de cooperação”, disse a assessoria de imprensa da construtora.

“Além da informação preliminar divulgada pelo Departamento de Justiça dos EUA, no sentido de que haviam sido feitos pagamentos em valor superior a US$ 59 milhões, desconhecemos quaisquer estimativas e percepções atribuídas às autoridades”, completou a empresa, por meio de sua assessoria. Com informações do Estadão Conteúdo.

 Fonte: notícias ao minuto