Ponto final. Bender não será candidato em 2018

Por Madson Vagner

O empresário e ex-candidato a prefeito de Juazeiro do Norte, Gilmar Bender (PDT), fechou questão sobre a possibilidade de ser candidato a deputado federal em 2018. Bender disse a Rádio 100 FM, que não houve uma manifestação do partido sobre a propositura e, por isso, está recuando da pretensão.

Segundo Bender, o atual cenário político dificulta sua posição na disputa interna. O partido em Juazeiro deve fechar com a candidatura à reeleição do deputado federal André Figueiredo. Apesar de sair da disputa do próximo ano, Bender disse que deve ser candidato a prefeito em 2020.

Sobre as alianças, o empresário garantiu que continua no grupo político dos irmãos Cid e Ciro Gomes. Já em Juazeiro do Norte, Bender disse que o prefeito Arnon Bezerra (PTB), continua sendo adversário, mas jamais inimigo. O ex-candidato a prefeito não declarou seu voto para deputado estadual.

ASSESSOR E BAJULADOR – O PERIGO DA SOMA

 

O ASSESSOR é técnico, é cartesiano. Fala em cima de fatos, da realidade, vive sempre antenado no que se refere ao seu campo de atuação. Está sempre fazendo uma ponte entre o ontem e o hoje para sentir o que acontecerá depois. Como sabe que suas opiniões podem não agradar à massa infantil, procura ser discreto. Por isso que falar em ASSESSORIA TÉCNICA é quase uma redundância, um pleonasmo. Já o BAJULADOR (que jura que é ASSESSOR) precisa sempre andar com um BABADOURO atado ao pescoço, logo ali abaixo da região de onde expele milhões de tolices. O perigo é que quando se torna ASSESSOR, faz o impossível para lamber o chefe. Ele, o BAJULADOR, que se diz ASSESSOR, luta com unhas e dentes para defender a sua gratificação mensal. Se há dificuldade de descobri-los? Não, não. Com facilidade pode-se esbarrar em um deles.

Prof. Augusto

Dia de combate à hepatite tem testes gratuitos em Salvador; BA registra 16,5 mil casos em 10 anos

Nesta sexta-feira (28), Dia Mundial da Luta Contra Hepatites Virais, o Complexo Hospitalar Universitário Professor Edgard Santos (Hupes), conhecido como Hospital das Clínicas, oferece testes rápidos de Hepatites B e C, além de distribuição de material educativo e orientações médicas, das 8h às 12h.
De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), no período de 2007 a junho de 2017, foram notificados 31.321 casos suspeitos de hepatites virais no estado. Foram confirmados 16.531 casos, 26% de hepatite A (4.477 casos) , 33% de hepatite B (5.490) e 33.9% de C (5.618).
O atendimento do ambulatório de hepatologia do Hospital das Clínicas acontece nas terças, quartas e quintas-feiras, das 13h às 19h, no Pavilhão de Ambulatórios Magalhães Neto (AMN). Para ser atendido no serviço, o paciente deve ser encaminhado por um médico da rede SUS.
Segundo a Sesab, o mês de julho é designado “Julho Amarelo” pela Lei Estadual Nº 13.697, de 11 de Janeiro de 2017, para marcar a luta, prevenção e controle das hepatites virais.
As hepatites virais são infecções sistêmicas causadas por vírus hepatotrópicos, sendo conhecidos como vírus A (HAV), B (HBV), C (HCV), D (HDV) e E (HEV). As hepatites virais A e E são de transmissão fecal-oral, enquanto as hepatites B, C e D são transmitidas pelo sangue (via parenteral, percutânea, vertical), esperma e secreção vaginal (via sexual).
Os vírus B, C e D podem evoluir para doença crônica, que pode apresentar como desfecho a fibrose hepática, cirrose, além de carcinoma hepatocelular. Ainda segundo a Sesab, o vírus é considerado um grave problema de saúde pública, sendo a primeira causa de transplantes de fígado no Brasil e, nas fases avançadas, podem levar à morte.
No Brasil, 800 mil pessoas já foram infectadas pelo vírus da hepatite B e 1,5 milhão pelo vírus C. A média de casos notificados no Brasil no período 2007 a 2016 é de 6,9 por 100.000 hab. de hepatite B e de 6,6 por 100.000 habitantes casos suspeitos de hepatite C (SVS/MS/ 2010).

Fonte: G1

Governo de PE decreta emergência devido à estiagem em 62 municípios do interior

 

Situação de emergência deve durar 180 dias, diz decreto do Diário Oficial. Caruaru e Bonito, que também estavam em emergência pelas chuvas, integram a lista.
O Governo de Pernambuco decretou situação de emergência em 62 municípios do interior devido à estiagem. “Fica declarada a existência de situação anormal […] por um período de 180 dias”, assinalou o governador Paulo Câmara por meio do decreto publicado no Diário Oficial do estado nesta sexta-feira (28).
Ainda conforme consta no decreto, haverá “adoção imediata das medidas que se fizerem necessárias para, em regime de cooperação, enfrentar situações emergenciais”. Caruaru e Bonito, que também estavam em emergência pelas chuvas em junho deste ano, integram a lista.
Ao G1, a assessoria de imprensa do governo esclareceu que as chuvas registradas nos últimos meses não foram suficientes para retirar alguns municípios, como Caruaru, da lista de emergência por estiagem. O município já integrava o grupo desde antes das chuvas.
“Esta lista traz municípios que estavam em situação de emergência antes das chuvas, que não foram suficientes para retirar as cidades do racionamento. Este é um prolongamento da situação por estiagem”, detalhou a assessoria.
Os municípios que estão em situação de emergência são os seguintes: Águas Belas, Alagoinha, Altinho, Angelim, Belo Jardim, Bezerros, Bom Conselho, Bom Jardim, Bonito, Brejão, Brejo da Madre de Deus, Buíque, Cachoerinha, Calçado, Canhotinho, Capoeiras, Caruaru, Casinhas, Correntes, Cumaru, Cupira, Feira Nova, Frei Miguelinho, Gravatá, Iati, Ibirajuba, Itaíba, Jataúba, João Alfredo, Jucati, Jupi, Lagoa do Ouro, Lajedo, Limoeiro, Machados, Orobó, Panelas, Paranatama, Passira, Pedra, Pesqueira, Poção, Riacho das Almas, Sairé, Salgadinho, Saloá, Sanharó, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria do Cambucá, São Bento do Una, São Caetano, São João, São Vicente Férrer, Surubim, Tacaimbó, Taquaritinga do Norte, Terezinha, Toritama, Tupanatinga, Vertente do Lério, Vertentes, Venturosa.

Fonte: G1

Vendas de supermercados cresce 0,95% no 1º semestre

As vendas do setor de supermercados apresentaram alta real de 0,95% no primeiro semestre de 2017. Segundo dados da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), apenas em junho as vendas aumentaram 0,59% frente a maio e 2,71% na comparação com igual mês do ano passado.

“O que sentimos é que a queda da inflação, o pequeno crescimento das contratações e o dinheiro do Fundo de Garantia na compra de eletrodomésticos e móveis fizeram o resultado ficar positivo”, avaliou o presidente da Abras, João Sanzovo Neto.

Segundo Sanzovo, diante do cenário econômico atual, a entidade revisou para melhor a projeção de vendas para 2017, de crescimento de 1,30% para 1,50% de alta. “Essa foi uma reavaliação conservadora”, observou.

Recuperação econômica

“O setor é o último a sentir quando há recessão e um dos primeiros a reagir quando a economia volta a apresentar sinais de crescimento. Acho que isso já está acontecendo”, ponderou. Ainda segundo a pesquisa, as maiores quedas de preço no mês de junho foram registradas em produtos como tomate (-13,68 %), batata (-13,20 %), cebola (-7,73 %) e pernil (-4,47 %). Com informações do Portal Brasil.

noticias ao minuto

Aposentados recebem em agosto a 1ª parcela do 13º

Aposentados e pensionistas devem receber em agosto a primeira parcela do 13º salário. O decreto do governo federal que estabelece a data foi publicado no “Diário Oficial da União” desta sexta-feira (28).

Como explica o G1, a parcela de agosto será correspondente a até 50% do valor do benefício do mês e será paga junto com os benefícios da folha mensal. Já a segunda parcela será paga em novembro.

O pagamento da primeira parcela começará a ser depositado seguindo o calendário de pagamentos dos benefícios previdenciários do mês de agosto, para os segurados que recebem até um salário mínimo e possuem cartão com final 1, desconsiderando-se o dígito. Quem ganha acima do mínimo começa a receber a partir de setembro.

Os cidadãos que têm direito ao 13º são aqules qe, durante o ano, receberam benefício previdenciário como aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio-reclusão ou salário-maternidade.

Já para quem recebe auxílio-doença e salário-maternidade, o valor do 13º vai ser proporcional ao período recebido.

Aqueles que recebem benefícios assistenciais (Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social – BPC/LOAS e Renda Mensal Vitalícia – RMV) não têm direito ao abono anual.

noticias ao minuto