Romário solta o verbo contra Crivella: ‘Não está sendo homem’

O senador Romário está publicamente insatisfeito e magoado com o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella. O eterno ídolo do futebol mundial apoiou o novo gestor da capital fluminense durante sua campanha eleitoral e agora acusa-o de não cumprir as promessas feitas.

Perguntado sobre o que era mais indigesto, futebol ou política, o senador foi direto. “Os dois são. Mas a política é pior. Há muita corrupção, sujeira, enganação. Você combina, aperta a mão, olha no olho, mas não assina um contrato. Então, as pessoas não cumprem”, disse Romário.

“Entrei para a campanha do Crivella no primeiro turno. Entendi que era e continuo achando que é o melhor para nossa cidade. Depois de eleito, ele me chamou e me convidou para participar da administração dele. O tema dele, cuidar das pessoas, tem a ver comigo. Mas sumiu”, revelou o Baixinho, em entrevista ao jornal Extra, publicada neste domingo (5).

E Romário não parou por aí. O senador deixou evidente que se sentindo “passado para trás” por Crivella.

“Ele tem que ser homem e cumprir a palavra dele. De prefeito e de homem, que ele não está sendo comigo. Não vou nem dizer que ele é safado. Vou dizer que ele não está sendo homem de palavra. Tem que ter a atitude de me ligar, me chamar no gabinete dele e dar uma satisfação. Não falo com ele desde o último dia em que estivemos juntos no plenário. A gente ficou duas horas conversando no dia 18 de dezembro. Ele disse: “Quero você participando comigo da minha admnistração. De lá para cá, nunca mais me atendeu”, explicou.

noticiasaominuto

Deu no Estadão Aeroportos de Fortaleza e mais três Estados vão a leilão em março com menos passageiros

Os quatro aeroportos que serão oferecidos à iniciativa privada em março: Fortaleza, Salvador, Florianópolis e Porto alegre, perderam 3,15 milhões de passageiros em 2016. Juntos, encerraram o ano passado com quase 4 milhões de passageiros menos do que as estimativas iniciais que constram do etital de liciração. A informação está divulgada na edição deste sábado (4) do Estado de S. Paulo.

Apesar da reclamação, o governo diz que há interesse pelos aeroportos e não mudará o processo. O secretário de Aviação Civil, Dario Raís Lopes, reconhece, porém, que o ágio tende a ser pequeno.

Confira abaixo gráfico publicado no Estadão:

Eunício Oliveira marca primeira reunião com líderes das bancadas para terça-feira

O presidente do Senado, Eunício Oliveira, terá na terça-feira (7) a primeira reunião com os líderes das bancadas. Durante a campanha à presidência do Senado, ele prometeu elaborar a pauta com todos os partidos. As votações da próxima semana só serão definidas após a reunião.

“Farei uma reunião com os líderes das bancadas, assim como prometi no meu discurso de campanha, para que a gente possa desenvolver uma pauta que não seja do presidente, mas da Casa, apresentada por todos os líderes”, ressaltou.

Eunício Oliveira não quis adiantar as matérias que podem ser incluídas na ordem do dia, mas já é certo que três medidas provisórias precisam ser votadas em breve, porque trancam a pauta do Senado. Uma deles, a MPV 744/2016, que reforma a estrutura administrativa da EBC, precisa ser votada até próxima quinta-feira (9), para não perder a validade.

(Com Agência Senado)

Se reforma já valesse, apenas 4,2% teriam aposentadoria integral

Menos de 40 mil dos trabalhadores que se aposentaram no Brasil nos últimos três anos contribuíram com a Previdência Social por 40 anos ou mais. O número corresponde a 4,2% de todas as aposentadorias por tempo de serviço concedidas no período, de acordo com dados do Anuário Estatístico da Previdência Social analisados pelo G1.

Nestas condições, um baixo número de brasileiros obteria a aposentadoria integral se aprovada a reforma da Previdência apresentada pelo governo Temer, que está em análise no Congresso. A nova regra determina que o brasileiro contribua por 49 anos para ter acesso ao benefício integral.

Em todo o Brasil, 2,307 milhões de trabalhadores se aposentaram de 2013 a 2015. Sendo 41% por tempo de serviço, 38,7% por idade e 20,3% por invalidez.

Dos que se aposentaram por tempo de serviço, 64% contribuiu por 30 a 35 anos, 18,7% contribuiu por 36 a 39 anos e 12 % contribuiu por 25 a 29 anos.

noticiasaominuto

Secretaria de Desenvolvimento Econômico quer incentivar exportação

A equipe da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação de Juazeiro do Norte, esteve reunida, no último dia 1º, com o Assessor de Comércio Exterior da Amazonas Doce Mar, Marco Vital. A reunião teve como objetivo estreitar os laços entre o poder público e empresários com interesse em enviar os seus produtos para os outros países, inicialmente o Panamá. A meta é incentivar e fortalecer o comércio de exportação no Município.

 

Segundo o Secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Michel Araújo, a cidade de Juazeiro do Norte está localizada em uma posição estratégica e é preciso começar a aproveitar isso. No caso das exportações, o Porto do Pecém é a principal entrada para os produtos vindos do Porto do Panamá, o que facilita o trânsito dos produtos nos processos de importações e exportações.

 

No caso de Juazeiro, há uma forte tendência, no primeiro momento, para a exportação dos calçados fabricados no próprio Município, um dos maiores polos industriais do País.

Ao exportar, haverá mais incentivo ao desenvolvimento econômico e social, através da geração de emprego, e consequentemente de renda. Além de impulsionar os empresários, a intenção é prestar todo auxílio necessário para aqueles que desejarem realizar o processo.

 

Segundo Marco Vital, “hoje o Panamá tem muito calçado de origem asiática. Entretanto, o calçado brasileiro para eles ainda é de melhor qualidade. Especificamente a moda feminina, para os panamenhos, é bem melhor e de uma aceitação superior à que eles têm da China. Daí o interesse em fomentar algumas empresas, e prospectar algumas indústrias aqui da região para que possamos exportar esse produto de interesse dos panamenhos”, disse ele.

Imunoterapia: o maior avanço do ano contra o câncer

Se 2016 não foi um ano bom sob vários aspecto, para os tratamentos contra o câncer esteve entre os mais frutíferos. A FDA (agência que regula os medicamentos nos Estados Unidos) aprovou oito novas terapias contra a doença e 12 novos usos para outras já existentes.

Nessa avalanche de novidades, destaca-se a imunoterapia, considerada a mais promissora em 2016 pela Sociedade Americana de Oncologia Clínica (Asco, na sigla em inglês). Em resumo, trata-se de um grupo de drogas que, ao invés de mirar o câncer, ajuda as nossas defesas a detectá-lo e agredi-lo.

Curiosamente, os primeiros estudos sobre o tema foram feitos há mais de um século: em 1881, cientistas usaram bactérias para impulsionar a resposta do sistema imunológico contra tumores malignos. Mas só em 1980 que uma medicação que se vale dessa lógica foi aprovada — e era bastante agressiva.

Hoje, as drogas imunoterápicas agem de diferentes maneiras —  a principal envolve os chamados inibidores de pontos de verificação imunológicos. Esses “pontos” na verdade são moléculas especializadas que agem como freios no sistema imune, assegurando que as células de proteção sejam utilizadas apenas quando necessário. O mecanismo é extremamente importante, porque tropas de defesa descontroladas, que entram em cena sem a presença de um inimigo, podem causar inflamações e doenças autoimunes.

Leia também: Câncer de pulmão: o florescer de uma nova era de tratamentos

O problema é que as células cancerosas conseguem enganar esses pontos de verificação. Nesse contexto, o sistema imunológico não percebe a doença como uma ameaça e a deixa evoluir. E é aí que entra a imunoterapia: ao bloquear esse sistema, ela faz o próprio corpo consegue combater o tumor.

O que anima a comunidade científica é que, só no ano passado, foram descobertos cinco novos usos para os inibidores de pontos de verificação imunológicos. São eles: câncer de cabeça e pescoço, bexiga e pulmão e linfoma de Hodgkin. Aliás, esse é o primeiro tratamento que surge contra nódulos malignos originados na bexiga em três décadas.

Apesar disso, não são todas as pessoas com esses tumores que se beneficiam dos medicamentos. Os estudos estão focados justamente em identificar quem pode tirar mais proveito da imunoterapia, poupando os pacientes dos custos altos e dos efeitos colaterais. Mas isso não é motivo para desanimar: a Asco liberou um relatório com várias terapias que ganharam destaque em 2016. Você pode fazer o download do arquivo (em inglês) aqui.

veja

Acupuntura contra o Parkinson

Além da acupuntura clássica, que se vale de pontos pelo corpo todo, existem versões focadas em sistemas específicos. A auriculopuntura, por exemplo, se restringe à orelha. Já a craniopuntura, como o nome sugere, tem como alvo a cabeça.

Pois um estudo realizado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)revela que a técnica – craniopuntura de Yamamoto, para sermos exatos – melhora alguns sintomas e a qualidade de vida de portadores de Parkinson, distúrbio marcado por tremores involuntários e enrijecimento muscular. “Notamos ganhos nos movimentos, na flexibilidade e na redução da dor”, conta o fisioterapeuta e autor da pesquisa Leandro Turati. “O método pode ser usado junto ao tratamento-padrão e não provoca efeitos colaterais”, destaca.

 

Acupuntura também se indica para…

…doenças do sistema motor

enxaqueca e outras dores crônicas

…desordens musculares e esqueléticas

…distúrbios hormonais

veja