Disque-Denúncia: tráfico de drogas lidera denúncias no Ceará em quatro meses

No Ceará, as denúncias sobre crime de tráfico de drogas lideraram o número de ligações recebidas no serviço de Disque-Denúncia 181, da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), entre janeiro e abril deste ano. O canal recebeu 3.198 chamadas no período, sendo 1.620 sobre o agravante.

Em seguida, aparecem denúncias relacionadas a maus-tratos contra animais, com 584 registros de ligações sobre o crime e 110 chamadas recebidas acerca de crimes de homicídio no Estado. As demais 884 ligações ao serviço no período estão relacionadas a outros agravantes, como posse de armas, roubo, dentre outros ilícitos.

Nos primeiros quatro meses deste ano, o serviço de denúncias registrou um aumento de 61% nas ligações recebidas em comparação ao mesmo período no ano passado, quando foram registradas 1.987 ligações.

Um balanço da SSPDS revelou, no último dia 9 de maio, que o canal registrou uma alta de ocorrências no ano passado, quando encerrou o período com aumento de 27,9% no número de denúncias, passando de 5.569, em 2022, para 7.127 ligações, em 2023.

Conforme o coordenador de inteligência da SSPDS, Nelson Pimentel, assim que a denúncia é registrada no canal do 181 ou no WhatsApp Denúncias, uma equipe da Inteligência ou dos setores de Investigação iniciam as diligências.

“São checados se os dados são verídicos e se condizem com a realidade. Caso seja confirmado, já são montadas ações policiais voltadas à realização de prisões e apreensões de armas, drogas e outros ilícitos”, disse.

Ainda segundo o coordenador, há uma diferença entre as denúncias realizadas no Disque-Denúncia 181 e no canal do 190, da Polícia Militar. “O canal do 190 serve para que a população repasse informações de crimes que estão em andamento, crimes que estão acontecendo no momento da ligação e que demandam uma ação imediata da Polícia”, explica.

Em relação ao 181, Nelson esclarece que é um meio para investigação de médio prazo. “O canal do 181 e Whatsapp Denúncias servem para que a população repasse informações de crimes que já ocorreram ou vêm ocorrendo e que demandam ações de médio prazo, em uma investigação ou trabalho de inteligência para a confirmação do crime e, só depois, realizar a ação policial.”

Conforme dados da Coordenadoria de Inteligência (Coin), da SSPDS, divulgados no último dia 9 de maio, nos primeiros quatro meses deste ano, foram realizadas 105 capturas com apoio de informações recebidas por meio do Disque-Denúncia.

Para Pimentel, o aumento das denúncias reflete no maior uso do serviço pela população. “A sociedade está conhecendo e se apropriando. Isso é resultado do trabalho de divulgação. Esse envolvimento é essencial para o trabalho ostensivo, investigativo e de inteligência das Forças de Segurança do Ceará”, disse.

No serviço, que funciona há 13 anos no Estado, a população pode repassar informações por meio de mensagem, áudio, vídeo e fotografia pelos números 181 ou (85) 3101 0181, que é o número de WhatsApp do canal.

A Coin informa ainda que todas as denúncias são checadas e um trabalho integrado de inteligência é iniciado. As ferramentas funcionam 24 horas para a população contribuir com os trabalhos policiais no Estado. As denúncias são feitas de forma segura e anônima.

Fonte: Jornal O POVO/Mirla Nobre