Governo do Ceará e União assinam ordem de serviço para início das obras do Ramal do Salgado e retomada do Cinturão das Águas

Foto: Divulgação/Governo do Ceará

Publicidade

Governador e ministro visitaram as obras em andamento do Cinturão das Águas e também a Transnordestina

O governador Elmano de Freitas e o ministro do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, assinaram as ordens de serviço para o início das obras do Ramal do Salgado e para a retomada das obras do lote 3 do Cinturão das Águas do Ceará (CAC). A solenidade aconteceu nesta terça-feira (19), no distrito de Felizardo, no município de Ipaumirim.

As obras são demandas importantes não apenas para a população da Região do Cariri, mas como para toda a população do Estado. O chefe do Executivo cearense comemorou o fato de poder dar esse passo antes do fim do seu primeiro ano de mandato.

“Eu tô muito feliz e muito alegre. Feliz porque estamos aqui, com tranquilidade, junto ao ministro Waldez, representando o presidente Lula, dando essas ordens de serviço”, comemorou o governador. “Obra muito importante, ainda mais no momento em que nós estamos sabendo que tem uma previsão de seca em 2024 e não sabemos como será em 2025, nem em 2026. Portanto, acelerar essa obra é muito estratégico, muito importante para o povo cearense”, complementou.

O ministro Waldez Góes destacou a importância de poder, junto com o Estado, proporcionar benfeitoria para tantos cidadãos brasileiros.

“Eu quero, em nome do presidente Lula, reafirmar todos os compromissos com as políticas públicas que são prioridade para o povo nordestino”, pontuou o ministro do Desenvolvimento Regional. “O que estamos anunciando aquí são assuntos que a gente vem tratando todos os dias, todos os meses. E está aqui o resultado. Hoje vai ser dada a ordem de serviço para o Lote 3 do Cinturão das Águas do Ceará, que é a maior obra de segurança hídrica no Brasil, no momento”, ressaltou o Waldez Góes.

Água para o sertanejo

O Ramal do Salgado faz parte do projeto original da estrutura do Eixo Norte da Transposição do São Francisco e vai permitir que 4,7 milhões de pessoas de 54 cidades cearenses tenham acesso à água do Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional (PISF).

A dona Luiza Santos, que se descreveu como “mulher do campo e do interior”, descreveu o momento como a “realização de um sonho”. “Água é importante, né? Aqui, na região, demora para cair água do céu. Então, quando a gente sabe que uma obra que traz água pro sertão vai ser feita, é a realização de um sonho”, comentou.

A obra terá uma infraestrutura total de 34,3 quilômetros de extensão e será responsável pelo transporte de água do São Francisco desde o Ramal do Apodi, na Paraíba, até o leito do Rio Salgado, ampliando a capacidade de entrega de água para o Ceará e reduzindo em 150 km a viagem das águas até o Castanhão.

Presente no evento, o deputado federal Robério Monteiro enfatizou o compromisso estadual com a política de segurança hídrica. “Estou feliz de poder testemunhar esse momento ímpar na história, apesar de termos vindo de governos que fizeram muito pela política hídrica do Estado. Nós temos cumprido o compromisso de trabalhar e fortalecer a política pública hídrica no Estado e a prova disso está aqui hoje, essas obras”, pontuou.

O prefeito de Ipaumirim, Puica, agradeceu poder ser o anfitrião de um momento tão importante para o Ceará, principalmente para o povo sertanejo. “Quero dizer da alegria que estamos sentindo, hoje, de receber todos vocês para esse momento tão importante”, comentou.

Nova etapa do Cinturão das Águas

Outra ação que leva água para o sertão também foi assinada nesta terça-feira (19), a retomada das obras do Lote 3 do Cinturão das Águas. A obra tem o valor de contrato de R$ 319 milhões e vai representar um relevante aumento da garantia hídrica da Região do Cariri, a segunda em densidade demográfica e em importância econômica do Estado.

O Lote 3 começa no Município de Barbalha, passando pelo município de Juazeiro do Norte e findando no município do Crato. Possui 25,34km de canais e 8,89km de sifões. A assinatura autoriza a contratação de empresa para elaboração de projeto básico/executivo e execução das obras remanescentes de engenharia necessárias à conclusão do Lote 03 do 1o Trecho – Jati/Rio Cariús do Projeto Cinturão das Águas do Ceará – CAC.

Os lotes 1, 2, e 5 do Cinturão das Águas já estão concluídos e com água. No total, as obras estão com 75% de execução, faltando apenas a conclusão dos lotes 3 e 4. Em 2023, o Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR) aportou um recurso de R$ 150 milhões para continuidade das obras dos lotes 03 e 04 do Cinturão das Águas do Ceará (CAC).

Com uma obra tão grande, o titular do Ministério de Desenvolvimento Regional ainda citou o Ceará como referência em política pública de recursos hídricos. “Na questão de segurança hídrica, o Ceará tem uma experiência gigante e nós compartilhamos essas experiências para aplicarmos em outras partes do país. O Estado é uma referência”, finalizou.

Elmano de Freitas e Waldez Góes ainda visitaram a Rodovia Transnordestina, no município de Missão Velha, que será um ponto de transporte importante para a economia da região.

Geração de emprego

Para além de levar água para o povo, o governador Elmano de Freitas destacou a geração de empregos que uma obra desse porte leva para a região. Descrevendo a iniciativa como “importante em todos os âmbitos”.

“Hoje visitamos uns trechos da obra do Cinturão das Águas, lá tem cerca de 400 pessoas já trabalhando. É muito importante essa obra para o nosso Estado, importante para essa região e uma quantidade de empregos que vai ser criada aqui na nossa região. Vamos ter mais de 350 empregos só no trecho dessa obra. É mais emprego para o povo cearense, um dos pontos que temos trabalhado de forma firme”, concluiu o gestor estadual.

Fonte: Ascom Governo do Ceará

Publicidade

Leia também