Modelo entra na Justiça após fazer cirurgia no maxilar e ficar com pernas queimadas, em Fortaleza

Publicidade

Gastos para reparar danos foram de R$ 185 mil, segundo consta a modelo. Ela também diz que o nariz dela ficou torto depois do procedimento. Cirurgião responsável citou “problema que está para ser esclarecido”.

O investimento da modelo cearense Monique Lopes, 31 anos, por melhorias estéticas causou prejuízos: ela fez uma cirurgia no maxilar em junho de 2021, mas ficou com queimaduras nas pernas, nariz torto e abalo emocional. Pouco mais de um ano depois do procedimento, a rotina da paciente ainda não voltou à normalidade, e ela pede, na Justiça, indenização de cerca de R$ 864 mil por danos materiais, morais e estéticos.

“Até hoje, só eu sei o que passei com essa cirurgia. Pra mim, foi um baque na minha vida. Hoje, não sinto dores, mas tô sofrendo com consequências psicológicas”, afirmou Monique.

 

O cirurgião-dentista que fez o procedimento, Sormani Bento Queiroz, afirmou ao g1 que a paciente teve um “problema na perna” que “está para ser esclarecido” e que apresentará uma proposta de acordo em audiência de conciliação. (leia mais abaixo)

Busca por melhorias estéticas

 

Monique relatou que, em 2021, buscou um dentista para aplicação de lentes na arcada dentária. No entanto, o profissional sugeriu uma cirurgia ortognática em razão de a modelo precisar corrigir a mordida, indicando Sormani Bento Queiroz para o procedimento.

Seguindo a sugestão do dentista, a paciente marcou consulta e foi atendida pelo profissional pouco tempo depois. Conforme relatou, tudo aconteceu “muito rápido” — ela precisava voltar para a Europa e disse não se importar com valores. Monique afirmou ter pagado R$ 25 mil pela cirurgia, ocorrida no dia 23 de junho de 2021 no Hospital Uniclinic, em Fortaleza.

No mesmo dia do procedimento, a modelo acordou sentindo dores nas pernas, mas não percebeu os ferimentos no momento em razão de os membros estarem enfaixados. Ainda segundo Monique, os médicos a convidaram para uma conversa no dia seguinte.

A modelo contou que os profissionais envolvidos na cirurgia questionaram se ela possuía “algo” em seu corpo, e a paciente disse possuir próteses de silicone. Em seguida, os dois questionaram o porquê de essa informação não ter sido repassada, e a paciente afirmou não ter sido indagada sobre o assunto, segundo relatou ao g1.

“Quando ele veio me perguntar: ‘Monique, por que você não falou que tinha silicone?’, se eu não falei foi porque não me perguntaram. Se eu tivesse assinado alguma coisa afirmando que eu tinha algum procedimento, por que ele operou?”, questionou. “Já que ele disse que se soubesse que eu tinha silicone, nunca teria operado, por que não me perguntou? […] Eu teria falado. Eu jamais teria operado se eu soubesse que isso iria acontecer.”

Pós-cirurgia

Segundo consta no processo judicial, a paciente recebeu alta para a enfermaria no mesmo dia da cirurgia, onde fez curativos e foram constatadas queimaduras. Além disso, o documento cita danos no nariz da paciente, que ficou torto, segundo ela, após o procedimento.

Publicidade

Leia também

TV News Cariri

Publicidade

3073C881-B9D1-475B-8DB1-34F55FB87061
25AFD2D6-B201-4EB9-AB79-497BD30A6E8B

Contatos:

E-mail : nnewscariri@gmail.com

Últimas