Governo do Ceará anuncia liberação de R$ 100 milhões para Programa de Microcrédito

Mais uma medida de estímulo à economia cearense será implantada pelo Governo do Ceará. Na última quarta-feira (31), o governador Camilo Santana anunciou a liberação de R$ 100 milhões para o Programa de Microcrédito Produtivo Orientado (Ceará Credi). A medida possibilitará empréstimos de R$ 500 a R$ 5 mil para a população mais vulnerável.

“Estamos muito preocupados com a população mais vulnerável, mais pobre do Ceará e que mais precisa do apoio do Estado. Nós vamos autorizar a liberação R$ 100 milhões para microcrédito, uma medida importante para aquecer a economia cearense, para dar oportunidade aos pequenos. É mais uma forma de auxiliar a população do Estado do Ceará”, comentou o chefe do Executivo

Fazem parte do público-alvo do programa microempreendedores e trabalhadores autônomos informais e Microempreendedores Individuais (MEIs), dos diversos segmentos de produção, artesanato, comércio e serviços, inclusive empreendedorismo social e cultural. A medida beneficia também agricultores familiares que desenvolvam negócios não agrícolas no meio rural. Os beneficiários não poderão ter renda superior a três salários mínimos.

Serão priorizadas pessoas em situação de vulnerabilidade e beneficiários de políticas sociais, a exemplo de mulheres vítimas de violência, mulheres chefes de família, mulheres do Programa Mais Infância Ceará, jovens do Programa Virando o Jogo, pessoas com deficiência, egressos do sistema prisional, jovens egressos da escola profissionalizante e outros empreendedores cujas atividades foram atingidas pela pandemia.

Conforme Francisco Rabelo, presidente da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), responsável pela implantação do programa, serão instalados 34 postos de atendimento, sendo um em cada região de planejamento do Estado e o restante na Região Metropolitana de Fortaleza. “A medida também contará ainda com orientação empreendedora e educação financeira para todos os beneficiados, sendo obrigatório para aqueles interessados em iniciar um novo negócio, seja individual ou em grupo”, completa.

Lei do Microcrédito

A lei que institui o programa Microcrédito Produtivo do Ceará e cria o Fundo de Investimentos de Microcrédito Produtivo do Estado, foi sancionada em janeiro de 2021 pelo governador Camilo Santana. O Fundo será operado pela Adece, vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet) e gerido por um Conselho Diretor, que vai estabelecer critérios para a concessão de recursos e acompanhar a execução das ações.

Em fevereiro do mesmo ano, a Adece criou a Diretoria de Economia Popular e Solidária. De acordo com a diretora, Silvana Parente, a equipe terá a missão de desenvolver e executar políticas de inclusão produtiva e financeira para empreendedores da base da pirâmide empresarial, sendo a principal atribuição operacionalizar o Programa de Microcrédito Produtivo.

“O Programa  vai adotar a metodologia do microcrédito produtivo orientado com empréstimos graduais de acordo com o tamanho e capacidade de pagamento do empreendedor, a ser avaliada por agentes comunitários de crédito. Durante a pandemia, a entrevista será virtual. A partir de maio será disponibilizada uma plataforma virtual para recebimento de cadastros, que entrarão na esteira de análise das operações”, explica Silvana.

Juazeiro do Norte realiza vacinação contra a Covid-19 neste sábado; saiba os locais

Juazeiro do Norte irá realizar, neste sábado, 03, das 7h30 às 15h, vacinação contra a Covid-19 para pessoas a partir de 65 anos.

O momento será destinado à aplicação da 1ª dose e acontecerá em cinco locais: Escola Jerônimo Freire (R. Virgínia de Mendonça, 196 – João Cabral); Unidade Básica de Saúde 16/43 (R. Renan Felinto de Carvalho, s/n – Frei Damião); Quadra esportiva do Juvêncio Santana (R. João Correia de Oliveira, s/n – Juvêncio Santana); Oratório Nossa Senhora Auxiliadora (R. José Antônio Severino, 179 – Tiradentes) e Quadra do Ginásio Municipal (R. Santa Isabel, s/n – São Miguel).

Para receber a vacina é necessário apresentar RG, CPF, comprovante de residência e cartão SUS devidamente atualizado.

Comitê acompanhará cenário da Covid-19 durante a Páscoa para decidir novo decreto

Após reunião virtual com o comitê formado por profissionais de Saúde, presidentes do Tribunal de Justiça e Assembleia Legislativa, e Ministério Público Estadual, Federal e do Trabalho, e a prefeitura de Fortaleza, o governador Camilo Santana utilizou as redes sociais para atualizar as ações contra a pandemia, e informar que o atual decreto estadual de isolamento social rígido, em vigência por todo o Ceará, será revisto na noite do próximo domingo (4).

“Tivemos um debate bastante profundo, rico, com os dados dessa pandemia, e os números seguem uma tendência de estabilização, mas ainda é um momento muito delicado, pois ainda há uma pressão enorme no sistema de saúde, e pedidos de internação. Faremos uma nova reunião neste Domingo de Páscoa, e com a atualização dos dados ao final do dia, analisaremos o que mudou de quinta-feira, sexta-feira, sábado e domingo, para que o Comitê – que funciona há mais de um ano deliberando ao respeitar a ciência – possa tomar uma decisão com segurança, sem retrocesso”, apontou Camilo.

Vacinômetro e 12º lote de vacinas

“Nós temos sempre atualizado os números em nosso site Vacinômetro, com a quantidade de vacinas aplicadas todos os dias, por município, vacinas de primeira ou segunda dose, com informações sempre abertas e transparentes para a população. Aliás, o Ceará é nota 10, e 1º lugar em transparência segundo a Controladoria Geral da União, que avalia os estados brasileiros”, apontou o governador. Segundo o Vacinômetro, da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), na última quarta-feira (31), o Ceará superou a marca de um milhão de pessoas vacinadas, e com dados atualizados até às 12h desta quinta-feira (1), já foram aplicadas 1.077.641 doses, sendo, 851.824 da primeira dose e 225.817 da segunda dose.

“Recebemos no final da tarde desta quinta-feira (1) mais 371.750 doses de imunizantes contra a Covid-19, para dar continuidade à vacinação no Ceará. E as equipes de logística do Governo do Estado farão a distribuição à Capital e para as 22 Áreas Descentralizadas de Saúde, que repassarão as vacinas a todos os municípios para dar celeridade ao processo de imunização com seis rotas de distribuição aérea e duas terrestres, garantindo a conservação e agilidade no envio dos imunizantes para os 184 municípios em até 24 horas após sua chegada à Fortaleza”, explicou Camilo.

Fake News

“Tenho de expressar minha indignação com tantas fake news, colocando que o Ceará não tem vacinado, inclusive através de pessoas que eram contra as vacinas e agora estão se aproveitando dessa situação. Quero então esclarecer aqui que todas as informações estão no site da Sesa, nos sites oficiais do Governo do Ceará, e nós somos um dos estados que mais aplica as vacinas recebidas no Brasil”, ressaltou o governador.

Na transmissão, Camilo Santana fez agradecimento especial ao Instituto Butantan, visitado pelo governador. “Se não fossem as vacinas Coronavac do Butantan, que muitos não acreditavam, nós não teríamos vacina hoje no Brasil, nós não estaríamos vacinando as pessoas. É o Butantan que tem garantido nos últimos três meses as doses de vacinas ao povo brasileiro e aos irmãos e irmãs cearenses. Vamos continuar sempre firmes, e de forma transparente, honesta e séria seguimos fazendo o nosso trabalho. Eu não descansarei enquanto toda a população do Ceará não estiver vacinada, e se não vacinamos ainda mais, é porque não temos vacinas para todos, nem no Ceará, nem no Brasil. Dizer que não está se vacinando no Ceará é um desrespeito aos profissionais de saúde de todo o Estado e aos cearenses”, desabafou.

Quase 5 mil leitos

O Governo do Ceará segue entregando diariamente novos leitos exclusivos para atender a pacientes com Covid-19. Camilo listou que o sistema estadual de saúde e suas unidades de saúde conveniadas contam com um total de 4.798 leitos exclusivos, sendo 3.543 de enfermaria e mais 1.255 leitos de UTI. Na transmissão, Camilo afirmou que atualmente o Ceará já ultrapassou em quase 2 mil o número de leitos exclusivos para atender pacientes com Covid do que tinha no pico da pandemia em 2020.

O governador lembrou da importância dessas novas estruturas em hospitais e unidades de saúde, que hoje atendem aos casos de Covid, mas que ao fim da pandemia será um legado que vai ficar para os municípios. “Próxima semana deveremos chegar a 5 mil leitos exclusivos Covid, e lembrando que, antes da pandemia, o Ceará tinha apenas três áreas de saúde com leitos de UTI, e hoje 16 áreas espalhadas pelo Estado possuem leitos de UTI, numa estrutura que ficará permanente nas unidades de saúde para atender a população”, explicou.

CearáCredi

Mais uma medida de estímulo à economia cearense será implantada pelo Governo do Ceará. O governador Camilo Santana citou na transmissão desta quinta-feira (1) que o Estado vai liberar R$ 100 milhões para o Programa de Microcrédito Produtivo Orientado (CearáCredi). A medida possibilitará empréstimos de R$ 500 a R$ 5 mil para a população mais vulnerável.

 

Serão priorizadas pessoas em situação de vulnerabilidade e beneficiários de políticas sociais, a exemplo de mulheres vítimas de violência, mulheres chefes de família, mulheres do Programa Mais Infância Ceará, jovens do Programa Virando o Jogo, pessoas com deficiência, egressos do sistema prisional, jovens egressos da escola profissionalizante e outros empreendedores cujas atividades foram atingidas pela pandemia.

 

Fique em casa

Camilo terminou fazendo um apelo aos cearense, para que respeitem o isolamento social e fiquem em casa. Lembrou também que todas as decisões do Governo do Ceará serão divulgadas apenas pelos canais oficiais do Estado, e nas redes sociais do governador. “Não vamos acreditar em notícias falsas, todos os números oficiais estão disponíveis no IntegraSUS. Peço que aproveitem essa Semana Santa, de hoje até domingo, para fazer um momento de reflexão, de fazer uma oração, e pedir a Deus que possamos superar esse momento desafiador. Cuide de quem você ama, não é oportuno visitar ninguém, fique em casa, não circule e vamos respeitar o isolamento social”, finalizou o governador, que desejou uma feliz Páscoa a todos os irmãos e irmãs cearenses.

Fonte:  Daniel Herculano – Ascom Casa Civil

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) negou nesta quarta-feira (31) um pedido de autorização excepcional de importação e distribuição da vacina Covaxin, desenvolvida pela empresa indiana Bharat Biotech.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) negou nesta quarta-feira (31) um pedido de autorização excepcional de importação e distribuição da vacina Covaxin, desenvolvida pela empresa indiana Bharat Biotech.

O pedido havia sido feito pelo Ministério da Saúde na última semana. Em fevereiro, a pasta firmou acordo com a Precisa Medicamentos, que tem uma parceria com a Bharat, para obter 20 milhões de doses do imunizante.

Segundo a agência, o pedido analisado nesta quarta foi feito com base em resolução da agência que prevê autorização excepcional e temporária para importação e distribuição de remédios e vacinas contra a Covid sem registro ou aval no Brasil.

A regra, feita com base na lei 14.124/2021, previa prazo de sete dias úteis para análise.

O prazo, no entanto, já havia sido suspendido pela Anvisa devido à falta de entrega de todos os documentos necessários para análise.

Entre esses itens em falta, estavam dados técnicos sobre a vacina, certificado de liberação dos lotes importados e licença de importação.

Segundo o relator da proposta, diretor Alex Machado Campos, havia divergência também quanto à quantidade de doses e prazo de validade dos produtos.

“O importador não cumpriu os requisitos mínimos”, disse ele, que frisou que “é rotina da Anvisa deferir ou indeferir pedidos” e que a posição pode ser reavaliada em novos pedidos, caso os dados sejam apresentados.

A posição foi seguida por outros diretores. “Os elementos demonstram que não há possibilidade de aprovação”, disse a diretora Meiruze Freitas.

“Quero deixar claro que não há juízo de valores para a empresa, que está na área desde 1996. Esperamos realmente a adequação para que haja mais um portfólio de vacina mundial”, disse.

Ao longo do processo, a agência pediu reuniões com o ministério, mas ainda assim não obteve todos os dados necessários.

Esse é o segundo revés sofrido nesta semana ligada à previsão de fornecimento da vacina Covaxin.

Na terça (30), a agência negou um pedido de certificado de boas práticas de fabricação que havia sido feito pela Precisa, relativo à Bharat Biotech. A decisão ocorreu após inspeção de fábrica na Índia feita por equipes da Anvisa no início de março e análise de documentos.

As medidas indicam um atraso no cronograma previsto pelo Ministério da Saúde para fornecimento das doses -que ainda precisam de aval para uso emergencial.

Em nota, a Anvisa informou nesta terça que o plano de ação enviado pela empresa “não era suficiente para mitigar todos os riscos envolvidos na fabricação da vacina no curto prazo”. Por isso, negou o pedido do certificado.

A agência diz ainda que encontrou diferentes “não conformidades” na inspeção, “sendo três críticas, 12 maiores e 14 menores, que, em conjunto, denotam um risco significativo à fabricação e garantia de qualidade do produto, implicando em risco sanitário aos usuários”.

Após a divulgação da negativa do certificado, a Precisa informou que iria recorrer da decisão, “apresentando novamente todos os prazos de ajustes revisados e as evidências de todos os processos adequados já realizados para a obtenção do certificado”.

Atualmente, a Covaxin é usada na Índia e em outros quatro países (Irã, Mianmar, Guiana, Zimbábue e Ilhas Maurício). A vacina apresentou, em dados preliminares, eficácia de 80,6% em testes clínicos da fase 3.

Fonte: Notícias ao minuto

OMS: situação da pandemia é grave, mas produção local de vacinas auxilia o Brasil

A situação da pandemia de coronavírus no Brasil é “claramente crítica”, com a maioria das unidades de tratamento intensivo em hospitais com 90% ou mais de ocupação e novas variantes mais infecciosas em circulação, segundo avaliou a epidemiologista responsável pelo resposta da Organização Mundial da Saúde (OMS) à pandemia, Maria Van Kerkhove, durante coletiva de imprensa nesta quinta-feira, 1º.

A cientista brasileira e chefe do setor de vacinas da OMS, Mariangêla Simão, afirmou que a situação no Brasil a “preocupa muito”, mas que produção de imunizantes no País por entidades como a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto Butantan auxiliam o combate local ao vírus, em meio à dificuldade da OMS distribuir vacinas a todos os países por meio da iniciativa Covax. Ela alertou, porém, que é importante manter as restrições à circulação mesmo com a imunização em larga escala. “Disponibilidade de vacinas não pode dar falsa impressão de segurança aos brasileiros”, disse Simão.

Fonte: Notícias ao minuto

Coronavírus: Pfizer diz que estudo mostra eficácia de 91,3% de vacina em 6 meses

A Pfizer informou nesta quinta-feira (1) novos dados sobre a vacina contra o coronavírus desenvolvida em parceria com a BioNTech. Conforme mostrou análise de 927 casos sintomáticas da doença, o imunizante se mostrou 91,3% eficaz na prevenção da covid-19 e não apresentou problemas de segurança, em um prazo de até seis meses.

O estudo também indicou que o produto ofereceu proteção em 100% dos casos na África do Sul, onde prevalece a cepa B.1.351 – o que sugere que ele funciona contra essa variante. O profilático foi ainda 100% eficaz contra a versão severa da enfermidade, seguindo as definições do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês).

De acordo com a farmacêutica, o produto já foi avaliado em mais de 44 mil pessoas com idade acima de 15 anos, com 12 mil voluntários sendo analisados seis meses após a aplicação da segunda dose.

“A alta eficácia da vacina observada em até seis meses após uma segunda dose e contra a variante predominante na África do Sul oferece mais confiança na eficácia geral de nossa vacina”, disse o CEO da Pfizer, Albert Bourla.

Fonte: Notícias ao minuto