Novo decreto amplia toque de recolher e reduz funcionamento de atividades no Ceará

Anunciou ocorreu na tarde desta sexta-feira (26)

O governador Camilo Santana (PT) anunciou, nesta sexta-feira (26), a ampliação do toque de recolher e reduziu novamente o funcionamento das atividades consideradas não essenciais. A circulação de pessoas, que antes era proibida a partir das 22 horas, passa a ser às 20h. Já as empresas deverão fechar às 19h. As restrições valem a partir deste sábado (27) até o próximo dia 7 de março.

O novo decreto será publicado nesta sexta-feira (26), no Diário Oficial do Estado. No atual, havia sido determinada a suspensão das aulas presenciais em escolas e universidades públicas e privadas, além do fechamento de todos os espaços públicos às 17h.

Veja quais as novas medidas anunciadas a partir deste sábado:

– Toque de recolher entre 20h e 5h, de segunda a sexta-feira, e entre 19h e 5h aos sábados e domingos, com saídas permitidas somente em situação de comprovada necessidade;

– Comércio de rua funciona de segunda a sexta-feira até as 17h. As outras atividades econômicas e as religiosas, até 19h. Serviços essenciais podem funcionar após esse horário. No sábado e domingo, restaurantes funcionam até as 15h, e outras atividades econômicas e religiosas até as 17h;

– Espaços públicos continuam com circulação restrita todos os dias a partir das 17h;

– Igrejas devem realizar suas atividades com até 30% de sua capacidade, e estimular as celebrações de forma virtual;

– Academias de ginástica devem funcionar com 30% de sua capacidade, devendo fazer o agendamento de horários para o devido cumprimento de todos os protocolos sanitários;

– Continua remoto o trabalho para servidores públicos, com exceção das atividades essenciais. Recomendação para a mesma medida junto ao setor privado;

– Seguem as barreiras sanitárias em Fortaleza, com recomendação para o controle por parte dos municípios no Interior.

Fonte: Diario do Nordeste 

População de Mauriti poderá contar com 33 km da CE-397 prontos nas próximas semanas

Na Região Sul do Estado, um trecho de 33 quilômetros (km) da CE-397 entra em etapa final de obras. A rodovia compreende o município de Mauriti, passando pelas localidades de São Miguel e Nova Santa Cruz, até a divisa com o estado da Paraíba.

A intervenção é feita através da Superintendência de Obras Públicas (SOP), e inclui integralmente os serviços de restauração, no segmento que vai de Mauriti a São Miguel, e pavimentação, a partir de São Miguel até o acesso a Nova Santa Cruz e deste ponto à Paraíba. São aproximadamente R$ 22 milhões investidos pelo Governo do Estado e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para as melhorias da estrada, que está com 95% de apronto.

“Temos que observar que, apesar de a obra ocorrer em uma rodovia do território cearense, abrangendo duas localidades de Mauriti, os benefícios se estendem para o trânsito, a agricultura, a segurança viária, e a acessibilidade entre ambos os estados, Ceará e Paraíba”, destaca o gerente de Obras Rodoviárias da SOP, Quirino Ponte.

Os dois segmentos da rodovia estão praticamente finalizados, e já passaram por terraplanagem, drenagem, revestimento asfáltico, entre outros serviços, restando apenas a aplicação da sinalização vertical e horizontal. A previsão é que obra seja concluída até abril.

Quando entregue, o trecho da CE-397 vai garantir melhores condições de trafegabilidade na região, beneficiando, principalmente, a produção agrícola regional, como milho e feijão, cultivos típicos em Mauriti.

Leonardo Da Vinci chega a 150 UTIs para atendimento Covid com abertura de nova ala

O governador do Ceará, Camilo Santana, e o secretário da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho (Dr. Cabeto), entregaram mais 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Estadual Leonardo da Vinci (HELV). O anúncio foi realizado nesta sexta-feira (26) durante transmissão ao vivo nas redes sociais.

A entrega amplia a capacidade de atendimento da unidade para pacientes com coronavírus. O HELV passa a contar, agora, com 150 leitos de UTI Covid-19. “São 20 leitos de UTI, novos, com toda equipe médica aqui já pronta para receber. Todos os equipamentos já preparados para atender os nossos pacientes do Ceará. Com isso, estamos passando de 130 leitos de UTI para 150 só aqui no Hospital Estadual Leonardo da Vinci”, ressalta o governador.

Com nova ala sendo reformada, outros 20 leitos devem ficar disponíveis em breve, aumentando o número de vagas em UTI para 170. “Nós estamos no andar de cima (do HELV) com outra obra. Serão mais vinte leitos de UTI que nós queremos inaugurar agora, já em março, o mais rápido possível”.

Camilo Santana destacou que a rede de saúde do Estado deverá contar com mais de mil leitos de UTI Covid-19 até o fim de março. “Queremos chegar, só no Leonardo (da Vinci) a 170. Com isso, estamos saindo de 680 leitos de UTI na segunda-feira e chegando a 710 leitos hoje (sexta-feira, 26) nos nossos hospitais e em nossos conveniados. Vamos continuar toda uma expansão. Deveremos chegar, na próxima semana, aos 811 leitos de UTI, conforme tínhamos anunciado e, até o final de março, ultrapassar os mil leitos em toda a rede do Ceará”, detalhou o governador.

Titular da Saúde do Ceará, Dr. Cabeto fez um apelo aos cearenses quanto à prevenção da doença, destacando a importância dos cuidados. “Cada um tem que fazer a sua parte e ninguém pode se eximir dessa responsabilidade. Nós temos visitado as UTIs diariamente, assistido os pacientes em vista da angústia dessas pessoas e dessas famílias. Nós precisamos, independentemente das determinações, trazer a responsabilidade para si, para que a gente possa colaborar”, sublinha o secretário.

Nova ala

Com uma área de aproximadamente 550 m², a ala entregue nesta sexta-feira (26) conta com o diferencial de um posto centralizado, permitindo a observação permanente dos pacientes, além das áreas de serviço e dois isolamentos, de acordo com o regulamento técnico RDC 50, que atende as edificações assistenciais de saúde.

Em março de 2020, no início da pandemia, o HELV foi requisitado à iniciativa privada pelo Governo do Ceará para somar aos equipamentos da rede estadual de saúde no tratamento de pacientes com Covid-19. Já em novembro do mesmo ano, o governador Camilo Santana anunciou a aquisição definitiva da unidade pelo Estado.

Prefeitura do Crato realiza fiscalização para coibir poluição sonora

Garantir a qualidade sonora é uma forma de preservar a saúde pública e de respeito à população. Nesta perspectiva, a Prefeitura Municipal do Crato, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Territorial, tem realizado fiscalização no Centro da cidade para garantir que o comércio e os ambulantes, que fazem uso de equipamento sonoro, respeitem às normas estabelecidas na Lei Ambiental Nº. 2.638/2010, que institui o código ambiental do município. A ação tem por objetivo evitar a poluição sonora através da medição do nível de pressão sonora (decibéis), que não pode ultrapassar os limites permitidos.

 

O trabalho se dá diante da crescente movimentação de trânsito no Centro e para chamar a atenção do público, e de alguns estabelecimentos fazem uso de propaganda eletrônica expandida por caixas de som. A disputa por atenção, somada aos sons externos, provoca a perturbação e pode sim comprometer a saúde. De acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) o nosso sistema auditivo suporta determinadas condições sonoras. Ruídos acima de 80 decibéis já podem causar prejuízos na audição. Ambientes com níveis elevados de ruídos somados a uma exposição contínua representam uma combinação que pode levar à surdez.

 

Mas no Crato, existe uma Lei que assegura o controle da emissão de ruídos, visando garantir o sossego e bem-estar da população. Após ações educativas, objetivando conscientizar os usuários de som, a Secretaria de Meio Ambiente está realizando a fiscalização para evitar perturbação por emissões excessivas ou incômodas de sons de qualquer natureza ou que contrariem os níveis máximos fixados em Lei. O Secretário Stephenson Ramalho destaca, que após a notificação, aqueles estabelecimentos que continuarem descumprindo o decreto poderão perder o seu alvará de funcionamento.

 

“No município do Crato temos regulamentado, através de portaria, o uso de som na cidade. Em alguns casos são permitidos o uso de som, interno dentro das lojas e a caixa não pode ser virada para fora do estabelecimento, respeitando também o nível de decibéis permitido. Precisamos da colaboração da população denunciando possíveis abusos no uso desse serviço”, afirma Stephenson.

Com chuva de 110 milímetros canal do rio granjeiro em Crato transborda nesta sexta-feira (26)

A cidade do Crato registrou a melhor chuva da região do Cariri nas últimas 24 horas, o que foi suficiente para que o canal do rio granjeiro, que corta a cidade, viesse a transbordar na manhã desta sexta-feira (26). Com um acumulado de 110 milímetros, moradores registraram através de vídeos e fotos, a forte correnteza de água que ”desce” pelo canal.

Veja o Vídeo:

Veja também as principais precipitações da região nas últimas horas:

Crato (Lameiro) – 110 mm

Missão Velha (Gameleira S. Sebastião) – 47,2 mm

Cedro – 42 mm

Crato -34 mm

Jucás – 25 mm

Juazeiro do Norte –  10 mm

Primeiro caso de covid-19 no Brasil completa um ano

O Brasil identificou a primeira contaminação pelo novo coronavírus no final de fevereiro de 2020, enquanto a Europa já registrava centenas de casos de covid-19. A declaração de transmissão comunitária no país veio em março, mês em que também foi registrada a primeira morte pela doença.

Em abril, em meio ao isolamento social, o governo adotou medidas para mitigar o efeito da doença na economia, como linhas de crédito para as empresas, e enviou ao Congresso Nacional proposta de criação de auxílio emergencial, direcionado à população mais vulnerável.

Ainda em 2020, estudos sobre a vacina contra covid-19 avançaram e tornaram real a possibilidade de imunizar a população. Em janeiro deste ano, o Brasil começa a vacinar grupos prioritários, após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar o uso emergencial da CoronaVac e da vacina de Oxford.

Com casos ainda em alta e vacinação em andamento, no início de 2021, vários estados decretam toque de recolher para tentar conter o avanço da doença. E o carnaval é cancelado para evitar aglomerações.

Prefeitura do Crato-CE retoma vacinação contra Covid-19 em idosos após chegada de nova remessa de doses do imunizante

A Prefeitura do Crato, através da Secretaria de Saúde, retoma, nesta sexta-feira (26), a vacinação dos idosos acima de 75 anos. Foram 1.160 novas doses de vacinas contra a COVID-19 da Astrazeneca/Oxford, destinadas aos cratenses de mais idade. O novo lote será destinado a vacinação desse público, respeitando a ordem prioritária.

A vacinação é domiciliar e respeita a ordem prioritária definida pela Comissão Bipartite, sendo primeiro àqueles idosos acima de 75 anos acamados, seguidos dos maiores de 90 anos, de forma decrescente, até alcançar os de 75 anos.

Serão vacinados os idosos que já realizaram o cadastro junto à Secretaria de Saúde, pelos canais disponibilizados.

Vacinação domiciliar

Para a logística desta modalidade, a Prefeitura disponibiliza seis equipes, que atuam das 8h às 17h, de segunda à sexta-feira. Os profissionais trabalham devidamente paramentados com todos os equipamentos de proteção individual (EPIs) e nos veículos oficiais da prefeitura municipal.

No ato da vacinação, os pacientes devem apresentar os documentos de identificação com foto e cartão do SUS.

Caso o idoso não esteja no seu domicílio, a equipe seguirá com a vacinação e o idoso deverá ser reagendado conforme disponibilidade de novas doses.

Profissionais de Saúde

O município do Crato continua a aplicação da segunda dose da Coronavac aos trabalhadores da saúde. Nesta semana, recebeu mais 330 novas doses do imunizante.

Em breve, a SMS também disponibilizará o cadastramento dos demais profissionais de saúde do município para dar seguimento à vacinação deste público específico.

Saúde compra 20 milhões de doses da vacina indiana Covaxin

O Ministério da Saúde assinou nesta quinta-feira (25) contrato para compra de 20 milhões de doses da vacina Covaxin da Precisa Medicamentos/Bharat Biotech. O investimento total foi de R$ 1,614 bilhão na compra da vacina produzida na Índia.

Para agilizar o processo de compra de novas doses de vacinas, o Ministério da Saúde dispensou o uso de licitação para a compra dos imunizantes. A iniciativa é uma exigência amparada pela MP 1.026/21, que facilita a compra de vacinas. ()

Segundo a pasta, as primeiras 8 milhões de doses do imunizante devem começar a chegar em março, em dois lotes de 4 milhões a serem entregues entre 20 e 30 dias após a assinatura do contrato.

Em abril, o governo federal espera receber mais 8 milhões de doses de imunizantes importados da Índia, no prazo de 45 e 60 dias após a oficialização da compra. Em maio, é esperado o último lote de doses, com 4 milhões de unidades.

Ao todo, foram distribuídas mais 3,2 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 em todo país. Estados e Distrito Federal estão recebendo as 2 milhões de doses da vacina da AstraZeneca/Oxford, importadas da Índia, e 1,2 milhão de doses do imunizante do Instituto Butantan.

Com esse novo lote, foram distribuídos mais de 15 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 desde o dia 18 de janeiro, início da campanha de vacinação. Até julho, a pasta prevê o envio de mais de 200 milhões de doses, vacinando, assim, metade da população brasileira.

Pazuello espera vacinar 170 milhões de brasileiros até o fim deste ano

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse nesta quinta-feira (25) que espera imunizar até junho 50% da população vacinável do país, atingindo 100% até o final do ano. Pelos cálculos do ministro, isso totalizaria cerca de 170 milhões de brasileiros. Segundo Pazuello, a conta exclui as pessoas que estão na faixa etária até 18 anos, mulheres grávidas, portadores de comorbidades graves e pessoas imunodeprimidas. “Tem pessoas que ainda não podem ser vacinadas.”

Pazuello informou que, desde o início da campanha de vacinação até o momento – em torno de 35 dias –, foram distribuídos entre 13 milhões e 14 milhões de doses de vacina. “É uma vitória do nosso país, com produção própria, em alguns casos; com importação, em outros; e com a capacidade logística de distribuir isso para os estados e para 5.570 municípios de forma simultânea.”

De acordo com o ministro, não existe nenhuma ação que não esteja sendo feita para garantir a vacinação. Pazuello destacou que foram contratadas todas as vacinas “possíveis de ser contratadas. Falo do cronograma com contratos assinados e entregues”. Quem não cumprir os contratos sofrerá medidas cabíveis, advertiu.

Pazuello ressaltou a responsabilidade de cada um no Sistema Único de Saúde (SUS) neste momento da pandemia. “Não podemos deixar de fazer nada”. Ele afirmou que, na ponta da linha, os secretários estaduais e municipais de Saúde e os diretores de hospitais têm que fazer de tudo para aumentar a capacidade de atendimento, de pronto atendimento “e de salvar vidas”.

O ministro prometeu apoio aos secretários, “com tudo que for necessário”, e se disse convicto de que não deixou nada, nem ninguém para trás.

Cepas

Pazuello admitiu que diversas cepas do coronavírus já estão no Brasil e destacou que o modo como se desenvolvem em cada cidade e região depende de fatores climáticos, sociais, de saneamento e de cultura.

Segundo o ministro, em Manaus, as medidas implementadas reduziram o número de pacientes infectados, inclusive em unidades de terapia intensiva (UTIs). “Hoje, a informação é que não haveria mais fila em Manaus. É uma grande notícia e isso mostra resultados de um grande trabalho.”

Ele informou, porém, que o número de casos aumentou no oeste do Pará, em Belém, nas capitais do Ceará e da Paraíba, em Goiás, na cidade catarinense de Chapecó e no Rio Grande do Sul, com pontos focais subindo. “Na nossa visão, estamos enfrentando uma nova etapa da pandemia. Ela tem esse vírus mutável que nos dá três vezes mais contaminação. E a velocidade com que isso acontece em pontos focais pode surpreender o gestor em termos de estrutura de apoio. Essa é a realidade que nós vivemos hoje no Brasil.”

O ministro disse que a nova realidade não está centrada apenas no Norte e Nordeste do país, como ocorreu em 2020 e que há outros locais impactados agora. Por isso, destacou a necessidade de o país estar alerta e preparado para combater o vírus.

Com esse objetivo, Pazuello citou três grandes ações. A primeira é o atendimento imediato nas unidades básicas de saúde. A segunda envolve a estruturação da capacidade em leitos para atendimento, incluindo desde recursos humanos e equipamentos até o uso de leitos remoto, ou seja, remoções. E a terceira é a vacinação. “Com essas três grandes estratégias, nós vamos enfrentar a pandemia nessa nova etapa”, afirmou.