Ceará registra 94 mortes nas últimas 24 horas; São 15.134 casos confirmados do novo coronavírus

O estado do Ceará chegou a marca de 997 mortes decorrentes do novo coronavírus nesta sexta-feira (8). A informação foi divulgada pela secretaria de saúde do estado (SESA), através do plataforma Integrasus.

Segundo o ultimo boletim epidemiológico divulgado pela pasta, já são 15. 134 casos confirmados da doença no estado.

A taxa de letalidade do vírus chegou a 6,6%. No total são 39.774 exames realizados pelo Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN). Ainda segunda a plataforma, o Ceará registra até o momento a marca de 28.278 casos sob investigação até esta sexta (8).

No Brasil, o número de mortos nessa quinta-feira chegou a 9.897. Foram 751 mortes somente nas ultimas 24 horas. O número de casos confirmados do novo coronavírus no Brasil, chegou a 145.328.

Pacientes recuperados devem manter rotina de cuidados após alta hospitalar

“Assusta. A gente pensa que é só uma gripe”, disse o pescador Valmyr Alves de Sá, de 77 anos. Diagnosticado com coronavírus, o idoso ficou oito dias internado no Hospital São José (HSJ), unidade da rede pública da Secretaria da Saúde do Ceará. Após receber alta, ele finalmente pôde voltar para casa.

“Fiquei feliz. Foi bonito, cantaram pra mim, nem sabia que tinha música de pescador. Todo mundo aqui [no Bairro Serviluz] ficou emocionado. Mas a doutora ainda mandou ficar isolado”, contou Valmyr, que é conhecido na praia do Titanzinho.

A recomendação de isolamento não é à toa, pois, mesmo recebendo alta do hospital, o vírus ainda pode estar no organismo. É o que explica o médico infectologista Keny Colares, do HSJ. Segundo o especialista, o processo de recuperação dos pacientes acontece de duas formas.

A primeira, a “cura clínica”, ocorre quando não há mais sintomas da doença. Já a “cura microbiológica” significa que organismo eliminou totalmente o vírus, algo que pode demorar mais para acontecer. “Isso varia muito de pessoa para pessoa. Aparentemente, os pacientes levam algum tempo eliminando o vírus, principalmente se compararmos casos leves e graves”, explica.

Nos casos mais graves, normalmente, as pessoas apresentam dificuldades para respirar e precisam de internação. “Pode ser um caso de um dia de internação ou dois. A depender da situação, medicamentos e oxigênio deixam o paciente bem o suficiente para ir para casa. O ideal é que ele fique o menor tempo possível no hospital”, afirmou o médico. Nestes casos, o isolamento em casa deve ser feito de preferência em um quarto, sem manter contato direto com os demais membros da família para não haver contaminação.

“Há casos graves mais severos em que, mesmo com o tratamento, não conseguem respirar, se cansam. Esses [pacientes] precisam de apoio, entubar, traqueotomia. Isso tudo vai depender da avaliação médica. E eles podem ficar muitos dias até que o pulmão funcione sem ajuda”, ressaltou.

Nestes casos, após a alta hospitalar, cabe ao médico avaliar a necessidade de isolamento em casa e orientar o paciente. “O paciente só está de fato recuperado quando ele está sem sintomas. Mais especificamente sem febre e tosse (forte) por, pelo menos, três dias. Lembrando que uma tosse leve, pigarro, pode permanecer com o paciente por um tempo”, ressaltou o especialista.

Os casos leves são aqueles que podem permanecer em casa. Porém, entre o quinto e o sétimo dia, o paciente deve ficar atento para uma possível piora ou melhora dos sintomas. Caso não apresente qualquer melhora, é preciso procurar ajuda médica. “Principalmente se se tratar de grupo de risco, ou seja, hipertenso, diabético, cardíaco, entre outras coisas”, disse o médico

Casos assintomáticos

Algumas pessoas podem ter o vírus e não apresentar sintomas. Com isso, não saberão que estão doentes. “A proporção da quantidade desses casos ainda não é clara. Imagina-se que a pessoa também possa transmitir, mas ainda não se sabe o alcance disso. Esse é um dos motivos que tornam o distanciamento social tão importante. Ele dificulta a transmissão, não importa se o transmissor é um caso leve, grave ou assintomático”, disse Keny Colares.

Vida pós-Covid-19

Uma semana após receber alta hospitalar, Valmyr Alves de Sá teve de comparecer a uma consulta de acompanhamento ambulatorial no HSJ. Dependendo de como o paciente reage à doença, a avaliação é necessária para evitar complicações futuras. “Eu fui pra consulta, a doutora me examinou e passou uns exames. Eu vou fazer pra ficar bom. Graças a Deus e aos doutores do São José, eu estou ótimo, respiro e como bem”, disse o pescador, ainda está em processo de recuperação.

 

Ginásio Poliesportivo se transformará em hospital de campanha, anuncia Secretário de Saúde

Em transmissão ao vivo no Facebook realizada na tarde desta sexta-feira (08), o secretário de saúde de Juazeiro do Norte, Lucimilton Macedo, anunciou a construção de um hospital de campanha no ginásio poliesportivo municipal. “Teremos 28 leitos exclusivos para atender casos de covid-19”, informou o secretário.

Ainda segundo Lucimilton, o equipamento será construído em parceria com o Governo do Estado, com previsão de início das obras para os próximos 15 dias. “Estamos nos preparando para o pior”, frisou ao comentar a necessidade da abertura de novos leitos para tratar pacientes acometidos pela doença.

Lojistas avaliam queda de 90% nas vendas em meio à pandemia em Juazeiro do Norte

A pandemia do novo coronavírus tem preocupado os lojistas de Juazeiro do Norte. Com todo o comércio fechado, a estimativa dos donos de estabelecimentos comerciais, é de uma queda em cerca de 90% na vendas em relação à períodos anteriores.

Segundo os comerciantes, com o novo decreto de isolamento social emitido pelo governo estadual e municipal, impondo medidas mais rígidas em todos os setores do município, comerciantes tem avaliado que as consequências econômicas do setor comerciário em Juazeiro, pode trazer danos irreparáveis ao comércio local.

Ainda nesta semana, órgãos de fiscalização da prefeitura municipal realizaram vistorias em lojas e estabelecimentos comerciais, para que os mesmos cumpram as medidas exigidas pelo decreto.

 

Homem é condenado a 10 (dez) anos e 06 (seis) meses de prisão por estuprar criança, em Aurora-CE

Um homem foi condenado pela Justiça do Ceará à 10 (dez) anos e 06 (seis) meses de prisão em regime fechado por ter praticado o crime de estupro de vulnerável (Art. 217-A do Código Penal Brasileiro), em Aurora-CE. O condendo era próximo à família.

De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público, através do titular da Promotoria de Aurora, Dr. Luiz Alexandre C. P. Machado Cogan, o estupro aconteceu dentro da casa do próprio réu. Segundo consta da denúncia, o fato ocorreu no ano de 2019, quando o menor tinha 11 anos de idade.

A investigação policial se deu após a vítima relatar para os pais, a violência sofrida. Indignados, os responsáveis pelo menor procuraram a delegacia local da polícia civil e registraram a notícia crime ao Delegado Dr. Paulo Hernesto que conduziu o Inquérito Policial.

Uma vez recebida a denúncia e decorrida toda a instrução processual, mesmo o réu negando a prática do crime, concluiu o MM. Juiz da Comarca de Aurora-CE, o Dr. João Pimentel Brito, que a autoria e a materialidade delitiva estavam suficientemente comprovadas, motivo pelo qual o réu foi condenado a uma pena privativa de liberdade de 10 (dez) anos e 06 (seis) meses de reclusão em regime fechado. Além disso, por entender que continuam presentes os motivos que deram causa a prisão cautelar, o Juízo de primeiro grau negou ao réu o direito de recorrer em liberdade.

Sabe-se ainda que a defesa do réu já impetrou dois Habeas Corpus perante o Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, o que não lograram êxito, pois foram negados por unanimidade pela Colenda primeira Câmara Criminal.

Vale salientar que a acusação está sendo assistida pelo advogado Dr. Luciano Daniel.

Os nomes do réu e da vítima não foram divulgados devido o processo correr em segredo de justiça.