LOGO-NEWS-CARIRI

Será que A COVID-19 foi feito em laboratório chinês?

Laboratório em Wuhan: em agosto de 2017, a China aprovou atividades de pesquisa envolvendo vírus Ebola, entre outros-Foto: Reprodução

Publicidade

Por Paulo André Lima Economista , Advogado OAB /CE 43.277, poliglota, MBA Direito Empresarial FGV, pós graduando Direito Tributario e Civil.

Na última semana, jornais como o Washington Post e a TV Fox News, dos Estados Unidos, noticiaram que provavelmente o COVID-19 tenha saído do maior banco de vírus na Ásia, justamente localizado no epicentro da pandemia: Wuhan, China. Os chineses negam. De acordo com a Fox News, o “paciente zero” da pandemia pode ter sido infectado por uma variedade de vírus de morcego que estava sendo estudada no laboratório e que foi transmitido para a população de Wuhan.

O que se pode afirmar é que China sempre foium dos principais locais de origem de pandemias que assolaram as comunidades ocidentais. O COVID19 não foi a primeira. O mundo deseja que seja a última.

Entre os anos de 1347 e 1351, a Peste Negrafoi a pandemia mais devastadora registada na história humana. Tendo resultado na morte entre 75 a 200 milhões de pessoas na Europa e na Ásia, sendo seu pico no Reino Unido onde matou 70% de toda a população.

A peste negra teve sua origem no continente asiático, precisamente na China. Sua chegada à Europa está relacionada às caravanas de comércio que vinham da Ásia através do Mar Mediterrâneo e aportavam nas cidades costeiras europeias, como Veneza e Gênova.

A propagação da doença, inicialmente, deu-sepor meio de ratos e, principalmente, pulgas infectadas com o bacilo, que acabava sendo transmitido às pessoas quando essas eram picadas pelas pulgas – em cujo sistema digestivo a bactéria da peste multiplicava-se. Num estágio mais avançado, a doença começou a se propagar por via aérea, por meio de espirros e gotículas, como o atual COVID-19.

A praga criou uma série de convulsões religiosas, sociais e económicas, com efeitos profundos no curso da história da Europa. Inclusive foi fundamental, para aqueles que gostam de história, para a transição do Feudalismo para o Capitalismo. Uma vez que a peste matou grande parte da força de trabalho, a procura de mão de obra fez subir os salários no campo, fazendo acabar com a servidão e criando a mão de obra assalariada. Vale lembrar que naquela época a economia era baseada na atividade agrícola, com servos entregando grande parte de sua produção para os nobres senhores feudais.

E em 1918 surge a gripe espanhola — que nada tem de espanhola — matou de 50 a 100 milhões de pessoas em 1918 e 1919. Esse número representa mais mortes do que o montante provocado pelas duas grandes guerras juntas. Foi e ainda é a maior pandemia de que se tem notícia. E o Brasil não passou ileso por ela. Por aqui foram cerca de 35 mil óbitos, entre eles o do presidente da época, Rodrigues Alves (1848-1919).

Vários estudos documentam que a origem do vírus da gripe espanhola foi novamente a China. Lá houve relativamente poucas mortes por gripe em comparação com outras regiões do mundo. Tal fato teria acontecido porque a estação de gripe foi relativamente leve e as taxas mais baixas de mortalidade por gripe no país em 1918 podem ser explicadas pelo fato de que a população chinesa já possuía imunidade adquirida ao vírus da gripe

Depois tivemos epidemias controladas, tais como o SARS, MERS, H1N1 e o COVID-19, que se alastraram mais rapidamente pela globalização mundial. Se o vírus surgiu de laboratório ou pelas condições de convívio de chineses com animais exóticos (inclusive para alimentação), só o futuro dirá.

Leia também

TV News Cariri

Publicidade

Contatos:

E-mail : nnewscariri@gmail.com

Últimas