Abertas as inscrições para o programa Bolsa Social em Juazeiro do Norte

Estão abertas as inscrições para o Programa Bolsa Social, da prefeitura de Juazeiro do Norte, em parceria com a Faculdade de Juazeiro do Norte (FJN), Faculdade Paraíso do Ceará (FAP/CE) e Centro Universitário Doutor Leão Sampaio (Unileão), irão iniciar a partir desta sexta-feira, 17.

A Seduc destaca que cada instituição tem suas datas específicas para inscrição, realização de provas, divulgação de resultados e matrículas, sendo assim o interessado deve acessar os editais de cada uma delas no site: juazeirodonorte.ce.gov.br, para inteirar-se dos prazos, bem como do quantitativo de vagas disponibilizadas para cada curso.

Dentre os requisitos para se inscrever estão: ser brasileiro nato ou naturalizado, residir no município de Juazeiro do Norte, ter concluído o Ensino Médio na Rede Pública de Ensino e inscrever-se para o Concurso Vestibular Programa Bolsa Social da instituição que almeja, ou ter concluído o Ensino Médio na Rede Particular, desde que Bolsista Integral e inscrever-se para o Concurso Vestibular Programa da instituição, não possuir diploma de graduação superior, nem estar matriculado em outro curso de ensino superior, devidamente comprovado, ser economicamente carente, comprovando renda familiar per capita no valor máximo de R$ 1.039,00 (um mil e trinta e nove reais) e não ter no grupo familiar beneficiário de bolsa de estudos concedida pelo município de Juazeiro do Norte-CE.

Documentação necessária

No ato da inscrição deverá ser apresentada duas fotos 3×4 e uma cópia dos documentos autenticada ou acompanhada do documento original, juntamente com a ficha de inscrição em uma via do RG, CPF, histórico e certificado de Ensino Médio de conclusão de curso nas escolas da Rede Pública de Ensino ou histórico e Certificado de Ensino Médio de conclusão de curso da Rede Particular de Ensino, acompanhado da Declaração de Bolsista Integral, assinado pelo diretor da Instituição de Ensino; comprovante de renda do candidato e dos demais membros da família.

Os candidatos e membros da família menores de 18 anos de idade deverão apresentar cópia da Certidão de Nascimento. Os maiores de 18 anos deverão providenciar carteira profissional e contracheque, declaração de um contador ou declaração particular; título eleitoral e comprovante de votação quando maiores de 18 anos; Certificado de Alistamento Militar, Certificado de Dispensa de Incorporação ou Reservista para candidatos do sexo masculino maiores de 18 anos; Comprovante de Residência, onde o titular da conta deve ser o(a) candidato, o(a) cônjuge ou um dos genitores.

Picolé de Cajuína” será vendido a partir do dia 20 deste mês

O sabor inconfundível da cajuína São Geraldo está prestes a se tornar picolé. Uma parceria entre a empresa de refrigerantes coma a Pardal Sorvetes vai possibilitar que uma das marcas de refrigerante mais consumidas no Nordeste se torne sabor de picolé/sorvete, estando disponível para vendas já partir do dia 20 de janeiro em estabelecimentos do Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

A parceria entre as duas empresas não é de hoje. Desde março do ano passado elas planejavam o acordo. Desde então, diversos testes foram feitos até se chegar ao sabor de cajuína no picolé.

No Instagram, a cajuína São Geraldo publicou uma mensagem anunciando a novidade. “Sim, meu povo! Agora é VALENDO! Vou fazer aquela dupla de sucesso com a pardal sorvetes num sabor mega especial pro sabor do verão (e de toda estação) ser a cara do Nordeste! Picolé de São Geraldo, PODE COMEMORAR”, diz o post.

Dieta cetogênica: consegue cortar os carboidratos das refeições?

Quando se fala em emagrecer, a primeira coisa que a maioria das pessoas pensam é em diminuir o consumo de carboidratos. Um exemplo disso é a dieta cetogênica, que já existe há muito tempo; nos anos 1920, a dieta cetogênica surgiu como tratamento para epilepsia, e foi ganhando fama como alternativa para a perda de peso apenas nos anos 60. A prática foi evoluindo com o tempo, e hoje em dia é utilizada até mesmo por famosas, como a atriz Giovanna Antonelli e a norte-americana Megan Fox.

 Segundo a Dra. Marcella Garcez, médica nutróloga e professora da Associação Brasileira de Nutrologia, a dieta é eficaz, mas a custos altos: “fisiologicamente falando, faz sentido diminuir o apetite através da produção dos corpos cetônicos, mas a prática traz efeitos colaterais relevantes e não deve ser iniciada sem o acompanhamento de um especialista”, afirma.

Como explica a nutróloga, geralmente, as refeições nessa dieta são compostas de proteínas de alto valor biológico; cada uma dessas refeições contém proteínas, carboidratos e gorduras, em quantidades e calorias restritas e costuma ter três fases: ativa, reeducação e manutenção.

“A fase ativa pode variar de 30 a 45 dias é a fase que ocorre a maior perda de peso. Na segunda fase, a de reeducação, o paciente vai incorporando, gradualmente, comidas naturais e saudáveis na sua rotina. Após uma dieta muito restrita, a pessoa retorna a se alimentar com uma quantidade mais segura de calorias, no geral, em torno de 1200 a 1800 por dia, mas nessa fase ainda há perda de peso – ainda que menor do que na fase anterior. Por fim, vem a fase de manutenção do peso obtido nas duas fases anteriores”, detalha.

A grande questão que cerca o tema é: a dieta cetogênica é segura? Segundo a Dra. Marcella, sim, mas com ressalvas. “É uma dieta que não pode ser feita por tempo prolongado; é eficaz a médio e curto prazo, e não pode ser seguida por qualquer pessoa. No grupo que deve evitar a prática estão os diabéticos, os hipertensos, e pacientes com problemas no fígado ou rim. O alto consumo de gorduras é outro ponto a ser considerado antes de optar pelo plano, já que, ao fazer com que 90% das calorias venham da gordura, há o risco de alterações no perfil lipídico”, completa.

Em suma, pode-se dizer que a dieta cetogênica tem, sim, eficácia, especialmente no combate à obesidade e/ou síndrome metabólica. No entanto, deve ser feita sob acompanhamento nutrológico, para que os riscos de efeitos colaterais sejam excluídos, assim como para uma boa indicação de alimentos. Além disso, a Dra. Marcella reforça: “O tempo máximo para praticar a dieta cetogênica deve ser de seis meses”, finaliza.