LOGO-NEWS-CARIRI

Representantes de Sisar e Saaec debatem projetos de Lei que deram entrada na casa

06D9BD30-B509-46DE-92FE-2B4EF87AE66F

Publicidade

A Câmara de vereadores recebeu na sessão desta terça-feira (08) as visitas do presidente da Saaec, Yarley Brito, e da representante do Sistema Integrado de Saneamento Rural (Sisar), Jomávia Lacerda, que foram convidados para discutir dois projetos de Lei. O primeiro deles em que o município autoriza a atuação do Sisar no Crato e o segundo que trata da participação do Crato em um consórcio municipal para a criação de uma agência reguladora de saneamento básico.

O presidente da Saaec,Yarley Brito, declarou que há alguns meses o Ministério Público acionou a sociedade cobrando explicações sobre o aumento nas tarifas de água, já que ela não possui uma agência reguladora. Yarley afirmou que viu a necessidade de regularizar a empresa perante a Lei, negociando as dívidas com a Enel, Coger, INSS e Receita Federal. De acordo com o presidente, as dívidas surgiam porque muitas pessoas não pagavam suas contas, gerando um descontrole financeiro. Ele ainda acrescentou que 62% dos funcionários tinham problemas na justiça do trabalho. Yarley destacou que todas as questões foram resolvidas para que a Saaec conseguisse após mais de 30 anos as certidões negativas, e assim poderá criar a agência reguladora após a aprovação do projeto pelos vereadores.

Jomávia Lacerda disse que a sessão foi um momento para que fosse apresentado o trabalho já desenvolvido pelo instituto, e para debater o projeto de Lei que trata da concessão do Sisar com o município, ou seja, a prefeitura irá autorizar a prestação de serviço público na zona rural do Crato. Jomávia afirmou que a população terá a continuidade do abastecimento de água, do controle e qualidade da mesma, ressaltando que o Sisar só fornece água tratada e de qualidade.

O presidente da casa, Florisval Coriolano (PRTB), informou que os projetos são exigências do Ministério Público e explicou que a partir desta terça os vereadores começam a discutir e até a próxima sexta as comissões permanentes da Câmara deverão votar e dar um parecer. Logo em seguida, na sessão ordinária da próxima segunda-feira, 14, os projetos serão votados.

Leia também