2º BPM e poder público municipal discutem estratégias de segurança para a vaquejada de Juazeiro do Norte

Durante a tarde desta quinta-feira, 06, o comando do 2º BPM esteve reunido com representantes do poder público municipal para definir estratégias de segurança durante a realização da 41ª Vaquejada de Juazeiro do Norte.
A abertura oficial da vaquejada ocorrerá amanhã, 07, com missa na Basílica Santuário de Nossa Senhora das Dores e em seguida uma cavalgada que se inicia no centro da cidade e segue para o parque de vaquejada Padre Cícero. A festa se encerra no domingo, dia 09 de julho.

Os órgãos de segurança participarão das atividades de organização do trânsito, patrulhamento ostensivo durante o percurso da cavalgada e saturações na área externa do local do evento visando garantir a tranquilidade dos participantes.
O encontro contou com a presença de Oficiais da Polícia Militar como o Comandante da Unidade, Tenente Coronel Paulo Hermann Fernandes, auxiliado pelo subcomandante do 2º BPM, Major Victor Emannuel, o Comandante do 5º BPCOM, Major Adailton da Silva, o Comandante da 3ª Companhia do BPRAIO, Major Luciano Rodrigues e autoridades civis como o Secretário municipal de Esporte, Juventude e Cultura – SEJUC, Luciano Basílio, o secretário municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Serviços Públicos – SEMASP, Luis Ivan, o Diretor do Departamento Municipal de Trânsito – DEMUTRAN, subtenente José Pedro Cipriano, o Comandante e subcomandante da Guarda Civil Municipal – GCM, José Claudio Belino e Michelanio Lacerda, respectivamente, além da comissão organizadora do evento representada por Sávio Bezerra.

Seção de Relações Públicas do 2º BPM

Secretaria de saúde de Mauriti – CE lança campanha contra a Leishmaniose

Por Marlon Torres / Agencia newscariri

A prefeitura Municipal de Mauriti intensifica ainda mais o combate à Leishmaniose, popularmente conhecida como calazar, trazendo os seus agentes de endemias passarem por treinamentos para a prevenção da doença, que não é contagiosa.

Seu diagnostico é feito a partir de análise de coleta de amostra sanguínea em que se determina o anticorpo específico para combater o protozoário.

A secretária municipal de saúde oferece testes gratuitos para detectar a presença da doença nos animais e lança a campanha: “Seu cão não pode ser uma ameaça”.

O teste pode ser solicitado através do telefone 3552-2120 ou dirigir-se até a sede da secretaria de saúde do município.

 

Várzea Alegre – Sistema Municipal de Cultura será integrado ao Sistema Nacional de Cultura

O subsecretário de Cultura e Turismo de Várzea Alegre, Alécio Dias, esteve na última quarta-feira, dia 28 de junho, na Câmara Municipal de Várzea Alegre, onde pediu apoio dos parlamentares para a aprovação do Projeto de Lei 021/2017 de 20 de junho, de autoria do Poder Executivo, que dispõe sobre a implantação do Sistema Municipal de Cultura.

Devido à sua importância, os vereadores aprovaram o projeto em primeira e segunda discussão, devendo ser sancionado pelo prefeito Zé Helder (PMDB), logo chegue ao gabinete do Governo de Várzea Alegre.

A finalidade do Projeto é promover o desenvolvimento humano, social e econômico, com pleno exercício dos direitos culturais.

O Sistema Municipal de Cultura será integrado ao Sistema Nacional de Cultura – SNC e funciona como principal articulador no município das políticas públicas de cultura, com mecanismos de gestão compartilhada com os demais entes federados e a sociedade civil. O próximo passo será a criação do Plano Municipal de Cultura.

O município de Várzea Alegre, na região do Cariri, se constitui um dos celeiros da cultura popular nordestina com presença de grupos de penitentes, festival de quadrilhas juninas, festas populares, poetas e escritores, pintores e artistas.

Confira o vídeo com a participação de Alécio Dias, na reunião da Câmara Municipal.

Assessoria de Comunicação

Meteorologia faz alerta de chuvas moderadas a fortes no Grande Recife, Zona da Mata e Agreste

Agência Pernambucana de Águas e Clima emitiu, na manhã desta quinta-feira (6), um alerta de chuvas moderadas a fortes em quatro áreas do estado: Grande Recife, Zonas da Mata Sul e Norte e Agreste. O aviso, publicado no site do órgão às 9h30, tem validade de 48 horas.

De acordo com a Apac, a previsão é de chuvas mais intensas na noite desta quinta e na manhã de sexta-feira (7). Existe, ainda, a tendência de manutenção das precipitações até sábado (8).

Diante do alerta, a Defesa Civil do Recife orienta moradores de áreas de risco a procurar abrigo em locais seguros, em caso de necessidade. O órgão mantém um plantão permanente e pode ser acionado pelo telefone 0800 081 3400. A ligação é gratuita e a Central de Atendimento funciona durante 24 horas.

Nas últimas 24 horas, de acordo com o monitoramento pluviométrico feito pela Apac, o maior volume de chuvas no Grande Recife foi registrado na estação de Barra do Riachão, em São Lourenço da Mata. Houve notificação de 43,74 milímetros.

No Recife, foi registrado um índice pluviométrico de 33, 03 milímetros, no mesmo período. Barreiros, na Mata Sul, uma das cidades atingidas pelas chuvas e enchentes de maio, teve 31,27 milímetros.

G1-Pe

Quase metade das ligações para o Samu 192 Ceará são trotes

Quase metade das ligações para Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (192) no Ceará são trotes. Segundo a direção do Samu, entre janeiro e maio deste ano, das 65 mil ligações para o serviço, excluídos os pedidos de informação, 30.424 se tratavam de trotes, 46,8% do total, e 26.210, ou 40,3%, foram chamadas efetivas para regulação médica.

O órgão reforça ainda que o número de trotes recebidos pelo Samu, já é maior que o de ligações para realização de socorro e regulação médica. Somadas aos 4.533 enganos, as chamadas improdutivas somam 34.957, o correspondente a 53,8% do total. É mais que as chamadas efetivas para regulação e transferências reguladas ou não, que somam 30.043 ligações, ou 46,2%. De acordo com o coordenador do Núcleo de Educação Permanente (NEP), Rogério Pinto Giesta, os telefonistas do Samu 192 Ceará são treinados para identificar trotes e a maioria dessas chamadas é reconhecida.

“Os telefonistas são treinados para formular perguntas específicas que ajudam a identificar o trote, mas que também acabam atrasando algumas chamadas efetivas”, admite Rogério Giesta. Mas mesmo com o treinamento, ele diz que pelo menos uma viatura é deslocada diariamente para o atendimento a uma chamada que se revela trote. “Isso pode eventualmente atrasar o atendimento a uma pessoa que realmente precisa de socorro rápido”, lamenta o coordenador do NEP.

Atendimentos por mês

Em 2016, o Samu fez um total de 51.573 atendimentos no Ceará, o que representa 4.297 atendimentos por mês. O serviço funciona 24 horas por dia com equipes multiprofissionais de saúde, formada por médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e socorristas, que prestam o socorro em qualquer lugar, seja ele privado (residências, locais de trabalho etc) ou público (vias públicas), após chamada gratuita, feita através do 192. A cobertura do Samu 192 Ceará abrange 129 municípios, com população de 4.766.311 habitantes.

Quando o Samu recebe a ligação, um médico regulador faz o diagnóstico da situação e inicia o atendimento no mesmo instante, orientando o paciente ou a pessoa que fez a chamada sobre as primeiras ações que podem ser tomadas, como a prestação dos primeiros socorros ou a imobilização das vítimas, dependendo da gravidade do caso.

Em casos graves, o paciente é transferido de uma ambulância com UTI. O médico comunica a urgência ou emergência aos hospitais públicos ou Unidades de Pronto Atendimento (UPAs 24hs) e assim garante atendimento rápido com menos riscos de sequelas e redução de óbitos ao socorro precoce.

O serviço realiza atendimentos de naturezas diversas, como a vítimas de acidentes de trânsito, de ferimentos por arma de fogo e armas brancas, quedas, choque elétrico, afogamento e intoxicação. Atende, ainda, pacientes vítimas de infarto agudo do miocárdio, de AVC (Acidente Vascular Cerebral) e crises convulsivas e realiza atendimento pré-hospitalar de pacientes com insuficiência cardíaca e crise diabética.

Também é acionado para a realização de atendimento de casos gineco-obstétricos, como trabalho de parto e aborto; atua no atendimento médico de urgências psiquiátricas; efetua transferências hospitalares de pacientes graves que necessitam de remoção em UTI móvel entre os municípios.

G1-Ce

Como a digitalização pode ajudar as empresas

Tecnologias digitais como internet das coisas e big data desenham um novo cenário dentro de indústrias de todo o mundo. Em países como Estados Unidos e Alemanha, as decisões no chão de fábrica são tomadas por máquinas inteligentes, a partir de informações fornecidas em tempo real. Esse processo de automatização industrial é conhecido como digitalização. Mas seus benefícios são inúmeros para empresas de diversos setores, que podem aproveitar as soluções digitais para não perder espaço em um ambiente cada vez mais competitivo.

Segundo João Emílio Gonçalves, gerente-executivo de política industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI), um dos maiores desafios das fábricas, por exemplo, sempre foi aumentar a produtividade, mas sem aumentar os custos ou perder qualidade. “Empresas de vários países estão conseguindo isso com a adoção das tecnologias digitais em suas linhas de produção, e é importante que o Brasil não fique para trás”, afirma.

Segundo pesquisa da CNI, os empreendedores brasileiros ainda estão pouco familiarizados com a digitalização e seus impactos nos negócios. O estudo, publicado em maio de 2016, foi feito com 2 225 companhias. Em uma lista com dez opções de inovação, 42% não identificaram quais tecnologias seriam mais interessantes para suas empresas. Mais do que escolher as melhores soluções digitais, é preciso compreender como esses processos funcionam na cadeia de produção. Veja a seguir os quatro elementos centrais que devem ser considerados durante a digitalização dos negócios.

(Reprodução/Getty Images)

Software e automação
O modelo de fabricação da maior parte das indústrias brasileiras realiza processos em lotes. Isso significa que a produção é feita em grande volume e resulta em produtos iguais entre si. “Não existe flexibilização da linha de produção, então não é possível personalizar o pedido”, diz José Roberto Soares, professor de engenharia elétrica da Universidade Presbiteriana Mackenzie e especialista em controle e automação industrial.

Nessa lógica, se um cliente quiser comprar um carro laranja, por exemplo, seria preciso interromper toda fabricação em massa para reconfigurar a máquina manualmente, em um processo lento e caro. “As empresas dependem de processos, e quando um pedido é fora do comum, o custo e o tempo para produzi-lo sobem muito. Sem contar a necessidade de testes para que não ocorram erros. Com a digitalização, isso tudo quase desaparece”, afirma Soares.

Hoje, já existem ferramentas que permitem a produção individualizada. O cliente pode desenhar seu pedido, que será enviado para uma linha de produção capaz de se modificar automaticamente para atender à demanda. Os softwares de moldagem já atingiram níveis de eficiência tão grandes que, quando o desenho está pronto, não há necessidade de testes. “O computador já mostra se as peças irão se encaixar corretamente, o que confirma a possibilidade de fabricação do produto. Com isso, a empresa ganha vantagens enormes em tempo e redução de custos.”

(Reprodução/Getty Images)

Comunicação digital
Para que benefícios como a produção individualizada sejam possíveis, é preciso que exista uma comunicação não apenas entre as máquinas, mas sim de todos os agentes envolvidos – inclusive, a matéria-prima. “É preciso que exista um ambiente em que peças e máquinas se comuniquem”, diz Eduardo Zancul, professor do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica (Poli), da USP.

A comunicação entre máquinas e peças tem início quando o cliente faz o pedido. “Os detalhes são adicionados à matéria-prima de tal maneira que ela carrega consigo um manual do que deve ser feito. Assim que ela chega às respectivas máquinas, transmite essa informação. Então, se um cliente pede um skate verde, por exemplo, quando a peça chegar à máquina, ela automaticamente indicará de que cor precisa ser pintada”, diz.

As vantagens são muitas até para a gestão do estoque, por exemplo. Se uma loja de sapatos identifica todos os itens de forma inteligente, o sistema identifica quando uma numeração específica está em falta e faz o pedido automaticamente para o fornecedor. Além disso, na produção individualizada, as tomadas de decisões são descentralizadas e automáticas. “Hoje, a ordem parte de cima. Vem da equipe que controla a produção e que determina se serão fabricados, por exemplo, 100 skates azuis. A digitalização redesenha o processo.”

(Reprodução/Getty Images)

Segurança digital
Embora aumente a eficiência dos processos, a maior conectividade também pode criar a possibilidade de ataques virtuais. Afinal, equipamentos antes offline agora ficam conectados a uma rede de computadores. Portanto, é preciso que a empresa se preocupe em melhorar sua segurança. “Qualquer negócio pode ser invadido se não tiver cuidado, desde fábricas e comércios a até mesmo clínicas?”, diz o professor Soares.

Para garantir a proteção, todos os níveis da empresa devem ser resguardados  simultaneamente. O cuidado deve ser feito tanto no acesso físico aos terminais de controle, quanto na proteção virtual dos dados da empresa. Para isso, além de soluções atualizadas de antivírus e firewall, a empresa também pode utilizar sistemas biométricos de identificação, serviços de armazenamento de dados na nuvem e ferramentas de criptografia na comunicação entre funcionários e máquinas.

“A questão da segurança sempre existiu. A única novidade é que, hoje, a quantidade de informação cresceu exponencialmente, e a segurança precisa aumentar nesse mesmo ritmo”, afirma Pietro Delai, gerente de consultoria e pesquisa de infraestrutura e telecom da IDC Brasil.

(Reprodução/Getty Images)

Serviços industriais
Com a digitalização, um número maior de informações é gerado durante os processos. Esses dados devem ser armazenados e analisados de maneira inteligente pela empresa, pois podem trazer benefícios estratégicos, como na manutenção de máquinas. Em vez de trocar uma peça apenas quando ela quebra, é possível prever quando o equipamento irá falhar. Isso permite substituir uma peça antes mesmo que ela apresente problemas e evitar interrupções não planejadas da produção. “Com a análise em tempo real dos dados, é possível fazer uma manutenção preditiva”, explica Delai, da IDC Brasil.

Outra vantagem é a possibilidade de gerar novos serviços, como a personalização da manutenção periódica de veículos. Atualmente, as empresas recomendam que os carros passem por manutenção de acordo com o tempo decorrido após a compra, mas cada consumidor tem um perfil de uso diferente. “Com a internet das coisas nos carros e a geração de dados de consumo, seria possível fornecer o serviço de forma individualizada. Afinal, alguns clientes podem precisar de revisão mais cedo, enquanto outros podem esperar mais. E o próprio carro pode se comunicar com a oficina para pedir as peças necessárias”, diz.

Os benefícios vão além da indústria automotiva. Uma fabricante têxtil, por exemplo, pode rastrear toda a sua linha de produção. Assim, caso alguma peça apresente defeito, como na costura, a empresa pode verificar todo o processo de produção da roupa. Além de identificar o problema para que ele não se repita, o processo de digitalização representa um avanço sem precedentes para os clientes, que passam a ter acesso a produtos de qualidade garantida.

Exame.com

Erros e acertos na saúde bucal

Muitos brasileiros ainda cometem erros graves na hora da escovação (Ilustração: André Moscatelli/SAÚDE é Vital)

Responda rápido: é importante escovar os dentes imediatamente após as refeições? É necessário enxaguar a boca com água depois da escovação com pasta? Se você acha que as respostas parecem óbvias, vai se surpreender com os resultados de uma pesquisa encomendada pela Federação Mundial de Odontologia (FMO), realizada para avaliar quanto os brasileiros e a população de outros países sabem sobre saúde bucal. Confira os destaques:

Editora Abril

Com demissões no ‘Zorra’, atores buscam vaga no ‘A Praça É Nossa’

Desde que a Globo anunciou que dispensaria boa parte dos veteranos do elenco do “Zorra”, Carlos Alberto de Nóbrega, veterano ator e apresentador de “A Praça É Nossa”, do SBT, não para de receber ligações.

Recordando que a Globo decidiu, recentemente, modificar a estrutura do humorístico e os quadros do programa, conforme divulgou o colunista Flávio Ricco.

Como parte da chamada “renovação”, deve demitir mais de 15 atores da atração entre setembro e outubro deste ano (os programas gravados em 2017 vão ao ar até este período).  A maioria deles já foi avisada que não terá o seu contrato renovado.

Sem a vaga no “Zorra”, alguns profissionais não sabem como vão pagar as contas. Mesmo ajudando muita gente, “A Praça É Nossa” não tem como comportar todos eles, segundo a colunista Keila Jimenez.

Dentre os nomes que não deverão fazer mais parte do programa estão: Toni Tornado, Anselmo Vasconcelos, José Santa Cruz, Antônio Pedro, Isio Ghelman, Nizo Neto, Bernardo Schlegel, Tadeu Melo, Renata Ricci, Renata Tobelem, Cris Pompeo, Claudio Cinti, Alexandre Regis e Roberto Guilherme. Alguns deles estão há mais de dez anos na atração, que estreou em 1999.

NOTICIASAOMINUTO