LOGO-NEWS-CARIRI

Mãe de garoto morto por segurança em estação de trem não consegue voltar para casa: ‘Tenho medo de ficar sozinha com as lembranças’

Publicidade

Seis dias após as mortes do filho e de um amigo dele, baleados em uma estação de trem no subúrbio de Salvador, a mãe do garoto, Cleidiane Santos, ainda não conseguiu voltar para casa. “Eu quero e preciso ir para casa, mas eu tenho medo ficar sozinha com as lembranças. Eu sei que eu tenho outros filhos e é por isso que eu estou aqui, por isso que eu estou tentando resistir. Por isso eu procuro fugas, para poder tentar reagir. Mas é muito difícil”, disse.

Cleidson Santos, de 15 anos, e o amigo Deivid Barreto, de 16, foram mortos a tiros por um segurança do sistema ferroviário. O caso aconteceu na Estação Santa Luzia, no dia 27 de abril, quando os adolescentes voltavam da escola, em grupo. As vítimas estavam com um irmão de Cleidson e outros dois amigos, que também foram baleados pelo segurança. O suspeito, identificado como Júlio Cesar de Jesus Perpétuo, foi preso na quarta-feira (3).

De acordo com informações da delegada Pilly Dantas, da 3ª Delegacia de Homicídios (DH/BTS), que investiga o caso, em depoimento, o segurança confessou o crime, mas alegou que atirou nos adolescentes para se defender, porque vinha sendo ameaçado pelas vítimas. A mãe de Cleidson contesta a versão do suspeito.

“Eu sei que no momento que houve lá a discussão ele deve ter dito alguma coisa, porque ele não ia ficar calado. Como o irmão disse que ele perguntou pro segurança: ‘você está ameaçando ele?’, e ele [ó segurança] disse: ‘é, estou sim, quando você voltar vai ver’. Ele [Cleidson] falou. Ele deve ter dito alguma coisa. Mas ele [o segurança] dizer que os meninos vinham ameaçando ele não é verdade”, disse Cleidiane Santos.

Segundo o irmão de Cleidson, que preferiu não ser identificado, os adolescentes discutiram com o segurança antes do crime, mas não o ameaçaram. “Os dois tiveram uma discussão, mas uma discussão besta”, contou.

O jovem contou ainda que o irmão pediu socorro a ele após ser baleado pelo suspeito, mas ele não teve como ajudar, porque estava tentando se proteger dos tiros. “Na hora que ele mirou para atirar para mim, eu me abaixei. Aí quando eu me abaixei, meu irmão ainda ficou chamando o meu nome. Ele chamou três vezes”, disse.

Adolescente foram enterrados na tarde deste sábado (Foto: Reprodução/TV Bahia)

Adolescente foram enterrados na tarde deste sábado (Foto: Reprodução/TV Bahia)

Arma

De acordo com a polícia, o segurança Júlio Cesar disse no depoimento que não trabalhava armado na estação de Santa Luzia do Lobato, onde os adolescentes foram baleados, mas afirmou que no dia do crime ele levou a arma para se defender dos menores. Segundo a polícia, o segurança relatou que tinha a arma, um revólver calibre 38, há cinco anos e que se livrou dela durante a fuga. Ele contou, ainda, que trabalhava na estação de trem desde junho de 2016.

“A gente ainda não conseguiu localizar essa arma, que é particular dele, e estamos tentando saber se é ou não legal. Ele afirmou que, após atirar nos jovens, jogou a arma em um contêiner de lixo durante a fuga. No depoimento, ele é muito prolixo e a gente, inclusive, encontra dificuldades para extrair as informações dele”, disse a delegada Pilly Dantas.

Antes de o suspeito se apresentar, a polícia informou que realizou buscas em dois imóveis na capital baiana, mas que ele não tinha sido localizado. Conforme a delegada, primeiro Júlio Cesar relatou que estava na casa de um irmão e, depois, disse que estava no imóvel de um amigo. A polícia suspeita, no entanto, que ele estava escondido em uma cidade que fica a cerca de 190 km de Salvador.

A delegada ainda contou que o suspeito disse que só se apresentou à polícia nesta quarta, quase uma semana após o crime, porque estava assustado e esperou se acalmar. A delegada disse que, após o depoimento, ele seria conduzido ao Instituto Médico Legal (IML) para realização de exames antes de ser levado para a carceragem da Delegacia de Furtos e Roubos, para onde, segundo ela, estão sendo levados os suspeitos com prisão temporária.

Antes da prisão do suspeito, a Polícia Civil também havia divulgado que o segurança já foi denunciado por agressão à mulher e também por abusar sexualmente da filha, uma criança de 2 anos.

Amigos e familiares protestaram após morte de dois adolescentes em estação de trem em Salvador (Foto: Reprodução/TV Bahia)

Amigos e familiares protestaram após morte de dois adolescentes em estação de trem em Salvador (Foto: Reprodução/TV Bahia)

Protesto

Familiares e amigos de Deivid Barreto, de 16 anos, e de Cleidson Santos, de 15, mortos a tiros na estação de trem do Subúrbio Ferroviário de Salvador, protestaram, na terça-feira (2), para pedir a elucidação do caso. Os manifestantes bloquearam a linha do trem do subúrbio na Estação Santa Luzia, onde ocorreu o crime, e o grupo caminhou até a Estação da Calçada. Lá, eles impediram a entrada de passageiros nos trens.

A irmã de Deivid Barreto, Geiza Marques, participou do protesto. Mesmo ainda muito abalada, ela falou sobre o crime. “Tirar a vida de dois jovens assim, sem motivos. Sendo assim ele iria ter que matar muitos jovens, porque todo jovem entra no trem e quer ficar na porta. É uma fase”, disse.

Crime ocorreu na estação de trem de Santa Luzia, em Salvador (Foto: Reprodução/ TV Bahia)

Crime ocorreu na estação de trem de Santa Luzia, em Salvador (Foto: Reprodução/ TV Bahia)

Caso

Os adolescentes foram baleados na Estação de trem Santa Luzia, no subúrbio de Salvador. Deivid Barreto e Cleidson Santos morreram. Outros dois jovens atingidos por disparos de arma de fogo sobreviveram e já receberam alta.

Segundo a polícia, o segurança trabalhava no local e teve um desentendimento com o grupo por causa das portas do trem que eram mantidas abertas pelos jovens. A confusão ocorreu quando os jovens estavam a caminho da escola.

Depois, quando voltavam para casa depois da aula, os adolescentes se reencontraram com o segurança e foram baleados. Júlio César de Jesus Perpétuo, que trabalhava na estação Santa Luzia e não tinha autorização para usar armas no local, foi identificado por testemunhas como autor dos disparos.

Leia também

TV News Cariri

Publicidade

Contatos:

E-mail : nnewscariri@gmail.com

Últimas