Dólar cai e Bolsa sobe com maior disposição do investidor a tomar risco

A quarta alta seguida dos preços do petróleo melhorou a disposição dos investidores de comprar ativos mais arriscados nesta segunda-feira (15) e levou à quinta valorização do real em relação ao dólar – a moeda americana encerrou o dia cotada a R$ 3,10.

As principais Bolsas do mundo também foram favorecidas por este apetite maior a risco e subiram. O dólar comercial recuou 0,54%, para R$ 3,108, menor patamar desde 17 de abril. O dólar à vista, que fecha mais cedo, teve queda de 0,47%, para R$ 3,105, menor nível desde 18 de abril.

A desvalorização da divisa americana não ocorreu apenas no Brasil. Das 31 principais moedas do mundo, 29 se valorizaram em relação ao dólar nesta sessão.

A sinalização de um acordo entre os maiores produtores de petróleo do mundo para estender o corte na oferta da matéria-prima impulsionou os preços da commodity nesta sessão e também as moedas de países emergentes.O barril do Brent, negociado em Londres, subiu 1,73%, para US$ 51,72, enquanto o barril do WTI, dos Estados Unidos, teve alta de 1,94%, para US$ 48,77.

“O real é muito correlacionado com petróleo, então a notícia ajudou a valorizar a moeda em relação ao dólar”, afirma Ronaldo Patah, estrategista de investimentos do UBS Wealth Management.

Quando se olha para o universo de moedas de emergentes, 23 das 24 principais divisas ganharam força em relação ao dólar nesta sessão. No cenário doméstico, o IBC-Br, indicador de atividade econômica do Banco Central, trouxe otimismo ao mercado, afirma Patah.

“Veio menos negativo do que o esperado. O de março foi positivo. Aumenta a chance de o PIB [Produto Interno Bruto] ter sido positivo no primeiro trimestre do ano e de o país ter voltado a crescer”, ressalta.

O Banco Central não fez intervenção no mercado cambial nesta segunda. Em junho vencem US$ 4,435 bilhões em contratos de swap cambial tradicional (equivalentes à venda de dólares no mercado futuro).

BOLSA

O dia foi de vencimento de opções sobre ações na Bolsa, o que aumenta o volume financeiro negociado -o total do dia foi de R$ 12,24 bilhões, enquanto a média diária do ano está em R$ 8,06 bilhões.

O vencimento de contratos de opções sobre ações movimentou R$ 3,7 bilhões, de acordo com a B3, dona da BM&FBovespa. O Ibovespa, índice que reúne as ações mais negociadas na Bolsa, subiu 0,37%, para 68.474 pontos, no maior nível desde 22 de fevereiro deste ano.

“A economia começa a demonstrar pequena melhora e empresas do setor produtivo, que estavam comprimidas, como Gerdau e Usiminas, ajudaram a impulsionar a Bolsa”, afirma Marco Tulli Siqueira, gestor da mesa de operações da Coinvalores.

As ações da Gerdau subiram 3,74%, enquanto as ações mais negociadas da Usiminas tiveram alta de 6,04%. Os papéis da mineradora Vale também contribuíram para a alta da Bolsa nesta segunda, apesar da queda de 0,94% dos preços do minério de ferro no exterior. Os papéis mais negociados da Vale subiram 2,15%, para R$ 25,13. As ações com direito a voto se valorizaram 2,86%, para R$ 26,65. Com informações da Folhapress.

Após mudança, ‘favela marmitex’ é destruída em presídio de Roraima

Uma operação retirou 348 presos da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Boa Vista (RR), e está destruindo, desde o fim de semana, a ala que ficou conhecida como “favela marmitex”.

A transferência dos detentos foi deflagrada entre a noite de sexta-feira (12) e a madrugada de sábado (13) e envolveu cerca de 150 homens, entre policiais militares, agentes penitenciários e membros da Força Nacional.

A “favela marmitex” foi revelada pela Folha de S.Paulo em janeiro, quando 33 detentos foram mortos na penitenciária em um ataque da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

Com barracos feitos de madeira, lona, restos de alvenaria e até tampas de marmitex, a favela nasceu no interior da penitenciária no setor conhecido como “ala da cozinha”, em alusão ao seu objetivo antigo. O local abrigava presos acusados de crimes sexuais, de falta de pagamento de pensão alimentícia, de embriaguez ao volante e os ameaçados por detentos de outros setores da unidade prisional.

“Era uma situação deplorável de presos dentro de uma favela no presídio, sem as condições de higiene mínimas. Fizemos um planejamento para tirar os presos de lá e tivemos aval de que teríamos condições de fazer isso no final de semana”, disse o secretário de Justiça e Cidadania de Roraima, Ronan Marinho.

Ele assumiu o cargo no início deste mês.A operação toda incluiu a transferência de 431 presos. Os 348 que estavam na penitenciária agrícola foram encaminhados à cadeia pública de Boa Vista, enquanto 83 que estavam na cadeia foram removidos para a penitenciária.

“A favela dava um aspecto muito negativo, deixava o Estado em condições frágeis. Os presos agora têm banheiro, cela de alvenaria e são protegidos por uma ala. As condições melhoraram consideravelmente”, disse o secretário. Na ala da cozinha ainda há resquícios a serem concluídos, como a demolição de um muro para melhorar a visibilidade da equipe de vigilância externa.

A transferência foi definida, também, após a Dicap (Divisão de Inteligência e Captura) ter interceptado mensagens sobre uma possível invasão de presos de outras alas à cozinha para matar os detentos que ali cumpriam suas penas.

noticiasaominuto

Vírus do atual surto de febre amarela tem mutação genética inédita, diz Fiocruz

Pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) finalizaram o sequenciamento completo do genoma do vírus responsável pelo atual surto de febre amarela no país. A partir dessa análise, eles encontraram variações inéditas em algumas de suas sequências genéticas. Não há registro anterior dessas mutações na literatura científica mundial, de acordo com a instituição.

A equipe de cientistas informa, no entanto, que a vacina usada atualmente protege contra diferentes genótipos do vírus, incluindo o sul americano e o africano, e que as alterações detectadas no estudo não tiram a eficácia de quem tomou uma dose.

“A vacina vai proteger certamente. Um exemplo disso é que em qualquer lugar do mundo que você tem variantes da febre amarela, a vacina protege com a mesma eficácia. A princípio não muda nada”, disse uma das pesquisadoras, Myrna Bonaldo.

Esse é o maior surto de febre amarela das últimas décadas. O último boletim do Ministério da Saúde confirmou 756 casos no país, com 259 mortes devido à infecção. Os casos continuam silvestres, com infecções em regiões de mata e/ou rurais. A doença é transmitida pelos mosquitos Sabethes e Haemagogus.

O sequenciamento

Desde o aumento de casos no Brasil, a Fiocruz fez os primeiros sequenciamentos do vírus. Foram utilizadas duas amostras de macacos bugios do Espírito Santo, mortos em fevereiro de 2017. Os resultados foram publicados na revista científica “Memórias do Instituto Oswaldo Cruz”.

“Os macacos bugios são especialmente importantes nas investigações sobre a febre amarela por serem considerados ‘sentinelas’: como são muito vulneráveis ao vírus, estão entre os primeiros a morrer quando afetados pela doença. Além disso, estes animais amplificam eficientemente o vírus em seu organismo”, descreve Ricardo Lourenço, que é veterinário e entomologista.

Um resultado inicial apontou que esse vírus da febre amarela pertence ao subtipo genético conhecido como linhagem Sul Americana 1E, que atua no Brasil desde 2008. No entanto, com o final da análise completa, os cientistas conseguiram detectar as variações genéticas, que estão associadas a proteínas envolvidas na replicação viral.

De acordo com os pesquisadores, os impactos da descoberta para a saúde pública ainda precisam ser investigados e apontam a necessidade de que mais amostras sejam sequenciadas, relativas a outros lugares do Brasil e com coletas em humanos, macacos e mosquitos. Novos resultados deverão ser apresentados nas próximas semanas.

Primatas são as principais vítimas da febre amarela (Foto: Arquivo TG)Primatas são as principais vítimas da febre amarela (Foto: Arquivo TG)

Primatas são as principais vítimas da febre amarela (Foto: Arquivo TG)

Os resultados da pesquisa foram encaminhados pela presidência da Fiocruz ao Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis, do Ministério da Saúde. De acordo com Bonaldo, os resultados também foram encaminhados para a comunidade internacional, incluindo Itália, Estados Unidos e Inglaterra.

A instituição informa, adicionalmente, que outros dados ainda não publicados apontam os mesmos resultados para a análise de mosquitos coletados no Espírito Santo e para um macaco morto no Rio de Janeiro.

A fundação diz, ainda, que o estudo “partiu de uma constatação que vem ganhando cada vez mais espaço”. Segundo eles, “a atual situação de febre amarela tem lacunas de entendimento sobre sua dinâmica de dispersão.”

Entenda a diferença entre febre amarela selvagem e urbana, e saiba quem precisa se vacinar

Entenda a diferença entre febre amarela selvagem e urbana, e saiba quem precisa se vacinar

Hipóteses de mutação

Segundo Bonaldo, uma possibilidade para a mutação ter ocorrido é a capacidade do vírus se modificar geneticamente com frequência (não tanto como o da gripe), e também devido à baixa cobertura vacinal antes do surto na região do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

A pesquisadora também detalhou como serão os próximos passos do estudo e destacou que ele serve para conhecer a capacidade circulação do vírus no país.

“O estudo dá ferramentas preciosas para fazer uma melhor vigilância sanitária e prever piores casos, além de saber que regiões do Brasil podem ser priorizadas na hora de uma vacinação”, disse.

A partir de agora, a equipe irá estudar o vírus em laboratório e comparar o tipos anteriores ao surto atual. Também tentarão estabelecer se esse caso pode ser mais agressivo ou não.

Bonaldo disse que os pesquisadores estão com mosquitos selvagens e urbanos, uma busca por entender se eles possuem o mesmo potencial de infecção.

“Vamos poder conhecer um pouco mais da biologia do vírus”, afirmou.

g1

Uma pessoa é baleada em estacionamento de supermercado na Vasco da Gama, em Salvador

Uma pessoa foi baleada na noite desta segunda-feira (15) no estacionamento do supermercado Extra, localizado na Avenida Vasco da Gama, em Salvador. Segundo informações da Central de Polícias (Centel), houve uma troca de tiros no local por volta das 20h.

Ainda não há informações sobre os envolvidos na troca de tiros e nem sobre a identidade e estado de saúde da pessoa que foi baleada. Segundo a Centel, o ferido foi encaminhado para o Hospital Geral do Estado (HGE).

A assessoria de comunicação do Extra confirmou que uma pessoa foi baleada no estacionamento do estabelecimento. A assessoria disse que a pessoa ferida não é nenhum funcionário do local. Equipes da 26ª e 41ª Companhias de Independentes da Polícia Militar (CIPM) foram encaminhadas ao local.

Uma pessoa foi baleada no estacionamento do supermercado Extra da Av. Vasco da Gama. (Foto: Arquivo pessoal)

g1

Farias Brito – Abertura da semana da luta antimanicomial

A administração municipal de Farias Brito , tem investido na saúde , em todos os setores . Um dos investimentos mais importante é a dos profissionais qualificados , que formam as equipes de saúde . O trabalho realizado nos CAPS , tem a coordenação da Dra Maria Jose , e merece um destaque especial , por se tratar de um equipamento de muita importância . Na manhã desta segunda feira , dia 15, aconteceu o evento de abertura da semana  antimanicomial. O evento contou com apresentação do coral do CAPS , que visitaram o Hospital Geral de Farias Brito . O prefeito José Maria , esteve presente ao evento .