Jonas Esticado faz visita a Gustavo Lima, que promete vir a Juazeiro em breve

O cantor Juazeirense Jonas Esticado foi recebido pelo astro da música sertaneja, Gustavo Lima, para um almoço na manhã desta segunda-feira (22). No encontro, os dois reafirmaram a amizade para além de parcerias musicais.

No cardápio, galinha caipira, prato típico da culinária nordestina, muito aparecida por ambos. “Já tem três dias que você tá me dando despesa (sic)”, brincou Gustavo. “A próxima vai ser na sua casa, em Juazeiro”, completou.

O sertanejo esteve pela última vez na região do Cariri em dezembro de 2019, quando fez o lançamento do DVD “Embaixador In Cariri”, em show realizado no Parque Pedro Felício Cavalcante, no Crato.

Chuvas devem ocorrer abaixo da média no Ceará entre março e maio, prevê Funceme

O prognóstico climático aponta ainda 50% de as chuvas terem volume abaixo da média; 40% em torno da média e ainda 10% de chance de ficar acima da média.

O Ceará tem maior chance de apresentar chuvas abaixo da média entre os meses de março e maio, conforme estudo divulgado pela Fundação Cearense de Meteorologia a Recursos Hídricos (Funceme) na manhã desta segunda-feira (22).

O prognóstico climático para o trimestre indica as seguintes possibilidades:

  • 50% de probabilidade de chuvas abaixo da média;
  • 40% em torno da média;
  • 10% de chance do volume total ser acima da média histórica.

 

“Nós atualizamos as condições oceânicas para inicialização do sistema de modelagem numérica da Funceme e combinados com resultados de outros centros de pesquisa. Com isto, chegamos a um resultado para estes cenários prováveis no que diz respeito aos totais de precipitação para o estado do Ceará”, comenta o presidente da Funceme, Eduardo Sávio Martins.

Em janeiro, a Funceme havia divulgado previsão de chuva abaixo da média para o período de fevereiro a março.

Pouca chuva em janeiro e fevereiro

 

Em janeiro deste ano, o Ceará acumulou 48 milímetros em todo o estado, enquanto a média para o período é de 98 milímetros.

Até esta segunda-feira, as precipitações de fevereiro encontram-se com desvio negativo de 21,5%. A expectativa para os próximos meses são de alerta, já que, no 1º prognóstico, havia uma tendência de acumulados mais expressivos apenas no noroeste do Ceará.

“Basicamente, o que resultou nesse prognóstico foi a situação do oceano Atlântico Tropical Norte, onde persiste um aquecimento desde o início do ano até agora, enquanto o sul vem variando entre frio e aquecido, mas agora está numa situação próximo à normalidade. O cenário para o próximo piorou, pois agora nós temos uma generalização do cenário abaixo da média para o Estado”, finaliza Martins.

Fonte: G1/Ceará

Para combater assaltos, BPRAIO amplia presença na estátua de Nossa Senhora de Fátima

Equipes de Policiamento do BPRAIO aumentaram a presença no Horto de Nossa Senhora de Fátima, no Crato, para garantir a segurança de pessoas que moram nas adjacências, turistas e fiéis que frequentam o local.

Recentemente, permissionários que atuam nas proximidades do monumento haviam reclamado da falta de segurança no local. Segundo eles, uma onda de assaltos estava acontecendo, principalmente no período noturno.

Conforme o Tenente Regis, diante da queixa da população, o BPRAIO intensificou ações de fiscalização na área e passou a monitorar com frequência maior a movimentação no local. “Vamos garantir segurança para que todos tenham um passeio tranquilo e sem riscos”, assegurou.

Centro de Controle de Zoonoses disponibiliza telefone para agendamento de atendimentos

O Centro de Controle de Zoonoses de Juazeiro do Norte (CCZ) informa que os serviços do setor foram ampliados e que está disponível um telefone para agendamento de atendimentos.

A população pode entrar em contato por meio do número (88) 9 8873 7986, de segunda à sexta-feira, de 7h30 às 11h30 e de 13h30 às 17h.

O centro conta, atualmente, com duas médicas veterinárias, realizando triagem e orientações, diariamente, mediante agendamento. São realizados teste rápido DPP (leishmaniose visceral canina) e confirmatório para leishmaniose, com encaminhamento; recebimento de animais doentes para laudo ou com exames já realizados. A vacina antirrábica também se encontra à disposição.

É importante ressaltar que o CCZ atua no controle de zoonoses, que são doenças ou infecções naturalmente transmissíveis entre animais vertebrados e seres humanos. O local não funciona como clínica veterinária ou abrigo para animais saudáveis.

Crato: cinegrafista flagra acidente entre duas motos na Avenida Padre Cícero

.

Uma equipe de reportagem da TV Verde Vale, de Juazeiro do Norte, flagrou uma colisão entre duas motocicletas na Avenida Padre Cícero, no Crato, na manhã desta segunda-feira (22). O acidente ocorreu por volta das 10h, quando o repórter Eri Menezes e o cinegrafista Hilberlon Cavalcante gravavam uma passagem ( jargão do jornalismo de TV que identifica o momento em que o repórter aparece falando diretamente com os telespectadores) sobre aumento no preço da gasolina, em frente a um posto de combustíveis.

Durante a fala do jornalista, um homem que trafegava na via em uma moto com uma mulher na garupa fez um aceno para a câmera com o polegar para cima – gesto conhecido como jóia. Na sequência, sem observar o movimento da outra faixa, ele colide seu veículo com outra motocicleta que passava pelo local.

Com a batida, os três foram ao chão, mas conseguiram se levantar a tempo de serem atingidos pelos outros veículos que passavam na rodovia. Felizmente, nenhum dos envolvidos teve ferimentos graves. Eles saíram do local minutos após o acidente com pequenas escoriações no corpo.

Novo lote de vacinas contra a Covid-19 deve chegar ao Ceará até o fim de semana

Logística para transporte das vacinas deve ser a mesma já utilizada com outros lotes, com vias terrestres e aéreas

Mais um carregamento de vacinas contra a Covid-19 deve chegar ao Ceará até o fim desta semana, segundo Magda Almeida, secretária-executiva de Vigilância e Regulação do Governo do Ceará. A previsão segue o cronograma do Ministério da Saúde enviado aos estados.

Após a chegada do lote ao Ceará, a previsão é entregar as vacinas às cidades em até 48h. A logística utilizada para distribuição aos municípios deve ser a mesma adotada nas primeiras remessas, conforme Magda. Para o transporte, foram traçadas seis rotas de distribuição aérea e duas terrestres.

Conforme a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), um carregamento com dois milhões de doses da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford deve chegar ao Brasil na terça-feira (23).

O lote vem já pronto da Índia ao País, a partir de contrato do Governo Federal com o Instituto Serum, que prevê a compra de 10 milhões de doses. Dessa forma, devem chegar mais oito milhões de doses nos próximos dois meses, sem data definida.

No cronograma de vacinação, o Ceará tem a meta de vacinar, neste primeiro momento:

  • 254,2 mil profissionais da saúde;
  • 3,4 mil idosos institucionalizados;
  • 20 mil indígenas;
  • 341,8 mil idosos acima de 75 anos.

Conforme Magda, já foi concluída a vacinação de indígenas e idosos abrigados em Instituições de Longa Permanência. As novas doses devem ser destinadas aos profissionais de saúde e idosos acima de 75 anos.

Até sexta-feira (19), 259.525 cearenses foram vacinados contra a doença. E 44.900 pessoas já receberam as duas doses. O Estado já recebeu 449.900 doses de vacinas contra a Covid-19, segundo a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa).

Em 23 de janeiro, o Ceará recebeu o primeirolote da vacina de Oxford/AstraZeneca. O Estado também recebeu lotes do imunizante CoronaVac, produzido pela empresa Sinovac em parceria com o Instituto Butatan.

Vacinação no Ceará

O Ceará iniciou a vacinação contra a Covid-19 em 18 de janeiro. A quantidade de vacinados até o momento equivale a cerca de 40% da meta dos prioritários.

De acordo com o monitoramento da campanha de vacinação no Estado, até sexta-feira (19), pelo menos 72 municípios concluíram a aplicação da primeira dose. Quaro municípios já concluíram a vacinação da segunda dose.

Capital 

Fortaleza deve concluir a aplicação da primeira dose nesta segunda-feira (22), com o fim do estoque, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

Na Capital, 114.762 pessoas receberam a primeira dose da vacina, entre profissionais de saúde, idosos abrigados e idosos acima de 75 anos.

A campanha da segunda dose da vacina Coronavac foi iniciada em 13 de fevereiro e deve seguir até a imunização completa de quem já foi vacinado. Até esta segunda-feira (22), 29.514 pessoas já receberam as duas doses do imunizante.

A campanha de segunda dose da vacina de Oxford ainda não foi iniciada, pois o intervalo entre doses previsto pelo Ministério da Saúde é de 90 dias.

Fonte: Diario do Nordeste

Governo do Ceará supera meta e capacita mais de 300 profissionais de saúde para uso do capacete Elmo

Para utilizar o capacete Elmo como alternativa de tratamento em quadros de insuficiência respiratória hipoxêmica, a Escola de Saúde Pública do Ceará Paulo Marcelo Martins Rodrigues (ESP/CE), vinculada à Secretaria da Saúde do Estado, já realizou capacitações presenciais de mais de 300 profissionais de saúde da rede pública para uso do dispositivo. Os treinamentos do suporte foram planejados, inicialmente, para capacitar 285 profissionais de saúde da rede pública até março. A meta foi atingida em menos de dois meses.

Iniciadas em dezembro de 2020, as formações possibilitam aos treinados o desenvolvimento das competências técnica e educacional para manejo adequado do aparelho e para que se tornem multiplicadores do aprendizado aos demais profissionais que atuam na linha de frente no combate à Covid-19.

As capacitações são voltadas para médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e engenheiros clínicos, e acontecem no Centro de Simulação Realística da ESP/CE, espaço que permite, em ambiente simulado, o desenvolvimento de habilidades clínicas. Dividida em etapas, a formação contempla a discussão de conteúdo teórico sobre o funcionamento do Elmo, apresentado por um instrutor, a aplicação do aparelho e as habilidades que os profissionais precisam desenvolver, além da experiência prática do manejo do equipamento.

Nesta fase, o treinamento é dividido em estações de habilidades com um passo-a-passo do uso que envolve a montagem, utilização no paciente simulado – representado por um ator -, desmontagem e desinfecção do dispositivo. O instrutor demonstra as habilidades a serem desenvolvidas em cada estação para, em seguida, os profissionais em treinamento praticarem, sob supervisão, a aplicabilidade do Elmo.

“O uso dessas estratégias, principalmente do treinamento de habilidades in situ, ou seja, presencialmente, e com a presença de um paciente simulado (ator), é o principal diferencial dessa capacitação, o que a torna muito mais eficaz em termos de desenvolvimento de habilidades e competências no manejo do sistema Elmo”, explica José Batista Tomaz, supervisor do Centro de Desenvolvimento Educacional em Saúde da ESP/CE.

Os profissionais capacitados finalizam a formação satisfeitos. “O treinamento possui uma estratégia muito interessante. Além da parte teórica, a gente já consegue aplicar nas situações práticas. O ator, por exemplo, realmente simula situações do cotidiano da assistência e aí a gente já aprende o que pode ocorrer no leito”, destaca Denise Fernandes, enfermeira da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jangurussu.

Nessa abordagem de treinamento de habilidades, em um turno os profissionais já saem prontos para utilizar o Elmo como alternativa de tratamento e podem repassar os conhecimentos adquiridos a outros colegas. “O treinamento é objetivo. Dá a oportunidade de podermos participar, pois, como somos da assistência, não é necessário nos ausentarmos por muito tempo neste momento da pandemia. Saímos da ESP prontos para aplicar o Elmo na unidade e cuidar da população”, ressalta Marco Aurélio Pinheiro, médico da UPA do Jangurussu.

Formações

As formações continuam sendo realizadas em turmas formadas para cada turno, de terça a quinta-feira. Gestores podem buscar informações sobre capacitação de profissionais para unidades de saúde da rede pública por meio do e-mail treinamentoelmo@gmail.com. Para a rede privada, o contato é comercial@esp.ce.gov.br.

Médico da UPA do Jangurussu, Marco Aurélio Pinheiro foi um dos profissionais capacitados para uso do Elmo. FOTO: Jackson de Moura

No momento, a ESP/CE prepara o treinamento de habilidades do capacete Elmo na modalidade à distância e com suporte online para atender unidades de saúde do interior do Ceará e de outros Estados.

Força-tarefa

Testes clínicos realizados com o Elmo mostram que o capacete pode reduzir em 60% a necessidade de internações em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O projeto do equipamento foi idealizado e desenvolvido pelo Governo do Ceará, por meio da Sesa, ESP/CE e Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/Ceará), Universidade Federal do Ceará (UFC) e Universidade de Fortaleza (Unifor), com o apoio do Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) e Esmaltec.

O treinamento de habilidades do equipamento Elmo conta também com o apoio da Santa Casa da Misericórdia de Fortaleza e do Centro Universitário Estácio do Ceará.

Ciopaer realiza transporte de bebê com cardiopatia de Barbalha para Fortaleza

O transporte aéreo é utilizado com o intuito de reduzir o tempo de deslocamento entre as cidades por vias terrestres e agilizar o socorro a pacientes mais debilitados. Mais uma vez, o helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) foi essencial para salvar a vida. O bebê de seis meses foi transportado, na manhã do último sábado (20), da cidade de Barbalha – Área Integrada de Segurança 19 (AIS 19) para uma unidade de saúde na Capital.

De acordo com os profissionais que atenderam a ocorrência, o menino possui cardiopatia congênita e agenesia de septo. O coração estava sem a separação dos átrios e ventrículos. Após o acionamento, a criança foi levada por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), do Hospital São Vicente, em Barbalha, para a base da Ciopaer, em Juazeiro do Norte.

De lá, o paciente foi transportado pela aeronave Fênix 06 para o Hospital do Coração de Messejana (AIS 3) em Fortaleza, onde passará por uma cirurgia com um cirurgião cardíaco pediatra. O voo durou aproximadamente duas horas. Durante a missão, foram empregadas equipes da Ciopaer e Samu Ceará.

Voo com 2 milhões de doses de vacinas decola da Índia

Chegada a São Paulo está prevista para as 6h55 de amanhã

Um avião da companhia Emirates, com remessa de 2 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca contra covid-19 decolou na madrugada de hoje (22) de Mumbai, na Índia, e deve chegar a São Paulo às 6h55 desta terça-feira.

A aeronave deixou a cidade indiana por volta das 10h30 da manhã (horário local), o que equivale a 2h da madrugada de hoje no horário de Brasília. A carga fará escala em Dubai, nos Emirados Árabes, de onde decolará para São Paulo às 22h40 (horário local) – 15h40 de hoje (horário de Brasília).

O voo chegará a São Paulo amanhã de manhã e as vacinas seguirão para o Rio de Janeiro, onde serão levadas para o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz).

As doses foram produzidas pelo Instituto Serum, parceiro da AstraZeneca na Índia e maior produtor mundial de vacinas. Mesmo prontas, as vacinas precisarão passar primeiro por Bio-Manguinhos para que possam ser rotuladas antes de serem distribuídas ao Programa Nacional de Imunizações.

A importação de doses prontas é uma estratégia paralela à produção de vacinas acertada entre a AstraZeneca e a Fiocruz. Para acelerar a disponibilidade de vacinas à população, 2 milhões de doses já foram trazidas da Índia em janeiro e está previsto um total de 10 milhões de doses prontas a serem importadas. Além dos 2 milhões que chegam amanhã ao país, mais 8 milhões estão previstas para os próximos dois meses.

Enquanto negocia a chegada das doses prontas, a Fiocruz trabalha na produção local das vacinas Oxford/AstraZeneca. Segundo o acordo com a farmacêutica anglo-sueca, a Fiocruz vai produzir 100,4 milhões de doses de vacinas até julho, a partir de um ingrediente farmacêutico ativo (IFA) importado. A primeira remessa desse insumo já chegou ao Bio-Manguinhos e o primeiro milhão de doses produzido na Fiocruz tem entrega prevista para o período de 15 a 19 de março.

De acordo com a fundação, os dois primeiros lotes estarão liberados internamente nos próximos dias. Esses lotes são destinados a testes para o estabelecimento dos parâmetros de produção.

“Com esses resultados, a instituição produzirá os três lotes de validação, cuja documentação será submetida à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Esses lotes somarão cerca de 1 milhão de doses e seus resultados serão enviados à Anvisa até meados de março”.

Também está em andamento na Fiocruz o processo de transferência de tecnologia para a produção do IFA no Brasil, o que tornará a fundação autossuficiente na produção das vacinas. A previsão é que as primeiras doses com IFA nacional sejam entregues ao Ministério da Saúde em agosto, e, até o fim de 2021, seja possível entregar 110 milhões de doses, elevando o total produzido no ano pela Fiocruz para 210,4 milhões.

Fonte: AGÊNCIA BRASIL

Entenda por que a conta de energia deve ficar mais cara em 2021

Entenda os fatores que devem encarecer a conta de luz e impactar o bolso do consumidor

A crise em decorrência da pandemia de Covid-19 levou muitos setores a acumular saldo negativo no último ano, incluindo o de energia. A consequência deve ser o aumento da cobrança ao consumidor em 2021. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) já adiantou, no último dia 10 de fevereiro, que a conta de luz dos brasileiros deve subir, em média, 13% este ano.

O Sindicato das Indústrias de Energia e de Serviços do Setor Elétrico do Estado do Ceará (Sindienergia-CE) explica os fatores que devem levar impacto ao bolso do consumidor.O principal deles é a crise sanitária, que gerou uma reação em cadeia.

Custos mais altos

A pandemia fez com que a demanda de energia residencial aumentasse, por conta da maior permanência das pessoas em suas casas, ressalta o presidente do Sindienergia-CE, Luís Carlos Queiroz.

“Além da questão de que as concessionárias tiveram que evitar o corte dos clientes inadimplentes durante a pandemia, o que exigiu muito do fluxo de caixa dessas empresas e, mesmo com o programa de apoio do Governo, isso afetou em algumas operações, fazendo com que o custo dessa operação elevasse e tivesse que, em algum momento, chegar à ponta final da cadeia, ao consumidor de energia. Por isso que nós veremos nos próximos meses e talvez até nos próximos anos um aumento de conta de energia considerável”, explica.

Em março do ano passado, a Aneel anunciou a suspensão de cobranças extras durante todo o ano, devido à pandemia. No entanto, em dezembro, a decisão foi revogada e a agência decidiu aplicar a bandeira vermelha patamar 2,justificando os baixos níveis dos reservatórios.

Inadimplência maior

Apesar dos custos “segurados” pelas concessionárias naquele período, não repassados ao consumidor, com a queda da renda familiar de boa parte da população e, em contrapartida, o aumento do consumo de energia, já que muitos tiveram de passar mais tempo em casa, a situação levou à inadimplência.

No Ceará, o consumo de energia elétrica residencial aumentou 7,34% em 2020, comparado ao ano anterior, segundo a Empresa de Pesquisa Energética (Epe).

“Soma-se a isso, a diminuição da rotina industrial e consequente queda no consumo de energia por parte desse setor. Então, esses múltiplos prejuízos amargados pelas concessionárias no ano passado precisariam ser compensados de alguma forma nesse ano para a recuperação da saúde financeira dessas empresas. Diante dessa situação, inevitavelmente, o consumidor deverá sentir esse impacto”, completa o presidente Queiroz.

Reservatórios

De acordo com o diretor técnico do Sindienergia-CE, Daniel Queiroz, outro ponto recorrente para a mudança na cobrança de energia é a questão hídrica. Quando a situação não vai bem, é necessário acionar as termelétricas, que geram maior custo de produção de energia, levando ao aumento de tarifas.

“Temos um problema climático no Sul e Sudeste do Brasil, que hoje concentram a maior parte das hidrelétricas do Brasil – 61% da energia que o Brasil consome é decorrente dessas fontes de energia, dessas hidrelétricas”, aponta Queiroz.

“Então, hoje, com o baixo volume desses reservatórios devido às secas na região, não é possível suprir toda a demanda com a oferta de energia que vem dessas hidrelétricas, fazendo com que a gente acione, fazendo uma analogia, ‘o cheque especial’ do mercado energético, que são as termelétricas. Tal ação onera o custo de energia e, então, entramos no patamar de bandeira amarela, bandeira vermelha 1 e bandeira vermelha 2”, detalha o diretor.

Fonte: Diario do Nordeste

91% dos leitos de UTI para Covid-19 no Ceará estão ocupados

Treze unidades de saúde estão com 100% de sua capacidade. Hospital referência para tratamento só tem três leitos vagos, dos 129 instalados. Governador prometeu mais de mil leitos até 31 de março.

Dados da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) apontam que os leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes com Covid-19 estão perto do limite. De acordo com a plataforma IntegraSUS, cujas informações foram coletadas às 21h07 deste domingo (21), 91,09% desses leitos exclusivos para a doença estão ocupados.

A proximidade da saturação dos leitos de UTI ocorre em um contexto no qual o governador Camilo Santana (PT) anunciou que está ampliando a rede de atenção. Segundo ele, o número vai subir das atuais 1.478 unidades para 2.133 em todo o Ceará. Essa quantidade deve ser atingida até o dia 31 de março deste ano.

Neste domingo, 13 unidades de saúde (entre entidades públicas, privadas e sem fins lucrativos) já apresentam 100% de lotação. Mais da metade destas são em Fortaleza, cidade que concentra o maior número de casos e óbitos pela doença desde o início da pandemia. Até este domingo, a capital cearense já havia registrado 114.182 casos confirmados da infecção, dos quais 4.596 resultaram em óbito.

Unidades com 100% de ocupação neste domingo

 

  • Casa de Saúde e Maternidade São Raimundo, em Fortaleza (8 leitos)
  • Hospital Geral Dr. Waldemar de Alcântara, em Fortaleza (17 leitos)
  • Hospital Otoclínica, em Fortaleza (34 leitos)
  • Hospital São Carlos, em Fortaleza (21 leitos)
  • Hospital Uniclinic, em Fortaleza (25 leitos)
  • Hospital São Raimundo, em Fortaleza (10 leitos)
  • Hospital São Vicente, em Fortaleza (8 leitos)
  • Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza (8 leitos)
  • Hospital São José, em Fortaleza (8 leitos)
  • Hospital Municipal Dr. João Elísio de Holanda, em Maracanaú (10 leitos)
  • Hospital Regional Norte, em Sobral (50 leitos)
  • Hospital Regional do Sertão Central, em Quixeramobim (40 leitos)
  • Imtavi, em Brejo Santo (7 leitos)

 

O Hospital Leonardo da Vinci, referência no combate à Covid-19 no Ceará, dispõe de 129 leitos de UTI exclusivos para a doença, dos quais 126 estão com pacientes, são 97,6% de todas as unidades ocupadas. Assim como essa unidade, outras duas maiores na Capital, como o Hospital Antônio Prudente e o Hospital Regional Unimed já têm ocupação desses leitos mais críticos superior a 90%.

Ocupação em regiões diferentes

 

As maiores unidades de saúde descentralizadas e instaladas nas regiões cearenses também apresentam ocupação alta. O Hospital Regional Norte, em Sobral, e o do Sertão Central, em Quixeramobim, estão com 100% das UTIs ocupadas; o do Cariri tem 29 leitos com pacientes dos 31 que lá estão disponíveis.

No Centro-Sul, só há duas vagas das 18 instaladas para pacientes que vierem a ter complicações por causa da Covid-19. Em Limoeiro do Norte, o Hospital São Camilo não tem mais vagas. Esta é a única unidade da região que tem leitos exclusivos para a infecção. Em Icó, só resta um leito no Hospital Regional Prefeito Walfrido Monteiro Sobrinho.

Cenário parecido

 

Os números convergem com as declarações do secretário da saúde do estado, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto. Ele afirmou em transmissão por redes sociais durante a semana que o cenário epidemiológico do Ceará está começando a “ficar parecido” com o período do pico da pandemia. Abril e maio do ano passado concentraram os maiores índices de casos e óbitos pelo coronavírus desde então.

Os meses de janeiro e fevereiro deste ano, porém, vêm batendo recordes de atendimentos por Síndrome Gripal, quadro suspeito de Covid-19, em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Fortaleza. Janeiro foi o mês em que houve o maior número total desses serviços, e a Secretaria da Saúde espera que fevereiro atinja 20 mil atendimentos nesse sentido, quase o dobro do período do pico.

Fonte: G1/Ceara