LOGO-NEWS-CARIRI

PMCE completa formação de mais 28 policiais militares para atuarem em novas bases fixas do Proteger

Publicidade

A Polícia Militar do Ceará (PMCE) completou a formação de 28 policiais militares para atuarem no Programa de Proteção Territorial e Gestão de Risco (Proteger). O programa que contava com 29 bases fixas, recebeu na manhã desta segunda-feira (13) uma nova base no município Caucaia, no bairro Padre Júlio Maria, na Área Integrada de Segurança 11 (AIS 11), do Ceará. As bases funcionam 24 horas por dia, com policiais militares atendendo a comunidade em um raio de até 3 km da sua localização.

A instalação da 30º base do Proteger contou com a presença do secretário da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa. O gestor da pasta salientou a importância do trabalho realizado pelos policiais junto aos moradores do Padre Júlio Maria. “A mudança que acontece nos territórios que recebem o Proteger não é apenas na redução dos homicídios, que vão a praticamente a zero, mas é algo bem mais profundo. A gente tem o apoio da Prefeitura e do Estado na área social, com melhorias na iluminação pública, na limpeza dos locais. A gente vê mais crianças e adolescente usando esses espaços. Ver isso de perto é muito gratificante”, informou.

O assessor de Policiamento Comunitário da PMCE, capitão Messias Mendes, frisa que o método de atuação dos militares do programa vai além do atendimento de ocorrências. “O trabalho que realizamos no Proteger não foca somente nas respostas da Polícia no controle do crime, mas também, no bem estar e na sensação que nossas bases transmitem. Como atuamos 24 horas por dia na localidade, passamos a ter um conhecimento muito preciso da comunidade e de sua população. Realizamos visitas às residências, fazemos os cadastros das famílias, ouvimos as necessidades da população que ali mora, tudo isso faz parte dos princípios do Proteger”, destacou.

O programa, que após a implementação da base na Caucaia, passou a contar com 30 unidades, receberá em breve mais quatro. Outras regiões que apresentaram índices elevados de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), este ano, como os bairros Granja Portugal, Jangurussu e Mondubim, em Fortaleza; e Maracananzinho, na cidade de Maracanaú também ganharão, em breve, uma base fixa da Polícia Militar do Ceará cada. A perspectiva é que mais 15 bases sejam instaladas ainda neste ano de 2020. As unidades do Proteger são instaladas em locais apontados a partir do mapeamento de 70 indicadores como renda, saneamento e educação, referentes às áreas críticas de cada cidade.

Aproximação entre Polícia e população

Por não focar somente na prisão como meio de combater o crime, os policiais que trabalham nas bases do Proteger constroem um vínculo com a população que é assistida pelo programa. Buscando entender o porquê da ocorrência de crimes na região onde as unidades são implantadas, uma das linhas de atuação do programa é o Grupo de Segurança Comunitária, que é treinado para atuar na aproximação com a comunidade, realizando visitas, procurando sempre interagir com os moradores, gerando assim, uma relação de confiança entre a polícia e a população.

“Com o tempo, nossos policiais vão se tornando conhecidos da população, passando a identificar necessidades que alguma família ou comunidade está passando. Por estar 24 horas por dia na região, os policiais passam a conhecer a rotina de cada morador. Um homem que é visto trafegando às 4 horas da madruga, poderia ser um indivíduo em atitude suspeita, mas por conhecer o dia-a-dia daquele local, sabemos que é o “Seu João” que está indo para padaria em que trabalha. E isso é muito importante para o nosso trabalho”, destaca o capitão Messias Mendes.

Outra vertente do Proteger, é o Grupo de Prevenção Focada (GPF), que atua em situações pontuais. O grupo consiste em ser uma equipe de policiamento que age com abordagens de alta precisão, com alvos específicos, identificados após o trabalho de inteligencia da PMCE. Por atuar somente dentro da comunidade no qual a sua base do Proteger abrange, o GPF conhece a rotina da comunidade, elaborando assim, alvos em potencial que podem realizar algum dano à segurança e bem-estar local.

Outro diferencial do programa é o método de trabalho que é utilizado, a “proteção em rede”, que consiste em ser um método de segurança que engloba a comunicação policial com outros órgãos, como postos de saúde, escolas, igrejas, com os Centros de Atenção Psicossocial (Caps), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Cras), entre outros. Como resultado desta relação de estreitamento entre as unidades, demandas além do âmbito policial podem ser solucionadas através do intermédio entre o policial e os moradores.

Leia também

TV News Cariri

Publicidade

Contatos:

E-mail : nnewscariri@gmail.com

Últimas