Casos de Covid-19 no Cariri, litoral Leste e Jaguaribe crescem acima da média do Ceará

Situação atual é mais grave na cidade de Juazeiro do Norte, que teve aumento 136% no número de casos em duas semanas.

O Ceará passou de 131.128 casos da Covid-19para 136.790 entre 28 de junho e 12 de julho, segundo a plataforma a Secretaria de Saúde do Estado (Sesa). Isso representa um aumento de 4,31%. Neste intervalo, as macrorregiões do Cariri e Litoral Leste/Jaguaribe foram as que apresentaram o maior crescimento, 12,07% e 6,6%, respectivamente. Ambas, acima da média estadual.

Em números absolutos, a macrorregião de Sobral lidera os casos no interior, com 33.810; mas se olhar as últimas duas semanas, quando havia 32.523 casos, o crescimento foi de 3,9%, abaixo da média estadual. A situação também é mais tranquila no Sertão Central, que saiu de 8.423 pessoas que contraíram a doença para os atuais 8.663 casos, que representam um aumento de 2,8%.

Alerta em Juazeiro do Norte

A situação de Juazeiro do Norte continua sendo a mais preocupante. A partir dos dados da Secretaria Municipal da Saúde, em 28 de junho, havia 2.609 casos, enquanto o último boletim epidemiológico registrava 6.179. Um salto de 136,8%.

O crescimento no número de óbitos também está entre os maiores (53.93%) durante este intervalo de tempo entre os principais municípios de cada macrorregião, saindo de 89 para 137 mortes.

O Cemitério Público Municipal Bom Jardim é o maior da cidade. — Foto: Divulgação/Prefeitura de Fortaleza

O Cemitério Público Municipal Bom Jardim é o maior da cidade. — Foto: Divulgação/Prefeitura de Fortaleza

Apesar do salto, a diretora de Vigilância em Saúde de Juazeiro do Norte, Evanusia de Lima, acredita que a rede de assistência hospitalar ainda está numa situação satisfatória no Município. “O hospital de campanha tem uma certa margem de leitos clínicos”.

A preocupação são os leitos de unidade de terapia intensiva (UTI), que são ofertadas pelo Hospital Regional do Cariri, hoje com 90% dos seus 90 leitos ocupados. “Mas ainda não tem histórico de morte de pessoas sem assistência médica”, pondera.

Outra cidade que começa a preocupar é Russas, que lidera o número de casos na macrorregião Litoral Leste/Jaguaribe com 1.550 casos. Há duas semanas, o número era de 900 pessoas confirmadas com a Covid-19, um crescimento de 72,2%. Já em óbitos, o Município supera, proporcionalmente, Juazeiro do Norte, saltando de 20, no último dia 28 de junho, para 32, segundo o último boletim do Município. O aumento é de 60%.

Nossa equipe de reportagem tentou entrar em contato com a Secretaria de Saúde de Russas através dos telefones disponíveis e também das páginas oficiais da Prefeitura nas redes sociais, mas sem sucesso até a publicação desta matéria.

Regiões em queda

Uso de máscara segue obrigatório em todo o Ceará — Foto: PCR/Divulgação

Uso de máscara segue obrigatório em todo o Ceará — Foto: PCR/Divulgação

Em Sobral, segunda cidade com maior número de casos da doença (8.826), atrás apenas de Fortaleza, houve uma diminuição no crescimento dos casos e também no número de óbitos. De 14 a 28 de junho, o aumento de pessoas com a doença de 57,65%, saindo de 4.332 para 6.672. Em mortes, pelo mesmo período, o acréscimo foi de 172 para 227 (31,97%).

Já nas duas últimas semanas, o maior Município da região Norte teve aumento de 6.672 para 8.826 (32,2%), enquanto os óbitos pela covid-19 saíram de 227 para 259 neste intervalo de 14 dias, que representa 14,09%.

O coordenador de Vigilância do Sistema de Saúde de Sobral, Marcos Aguiar Ribeiro, acredita que o isolamento social mais rígido que o Município viveu por seis semanas foi fundamental para esta redução. “A gente também percebeu uma redução na ocupação dos hospitais. Ficou mais confortável de chegar na fase de transição, mas, claro, com todo cuidado e com envolvimento de toda uma rede de acompanhamento”, pondera.

No Sertão Central, Quixadá lidera o número de casos, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. Mesmo assim, a situação é mais confortável. De 28 de junho para 12 de julho, saltou de 2.289 para 2.522 casos confirmados (10,1%). Já no número de óbitos, o crescimento é um pouco maior, saindo de 52 para 58, que representa um aumento de 11,5%.

Os números das Secretarias da Saúde dos municípios trazem diferença dos números ofertados pela Sesa. A assimetria ocorre devido ao repasse das informações dos municípios ao Estado não acontecer de forma automática. Deste modo, pode levar alguns dias até o IntegraSus compilar todos os dados.

Fonte: G1

Governo do Ceará antecipa o pagamento do Cartão Mais Infância pelo 5º mês seguido

Mais de 45 mil famílias cearenses que vivem em situação de extrema pobreza e são beneficiadas mensalmente com o Cartão Mais Infância serão contempladas, pelo quinto mês consecutivo, com a antecipação do pagamento do benefício. No valor de R$ 85, a ajuda representa um investimento anual de aproximadamente R$ 50 milhões por parte do Governo do Ceará. O anúncio do pagamento de mais uma parcela foi feito pelo governador Camilo Santana, em transmissão pelas redes sociais, na noite desta segunda-feira (13).

“Autorizei hoje a antecipação do pagamento do Cartão Mais Infância. É um auxílio para mães que têm crianças de zero a cinco anos e 11 meses, de baixa renda e vulneráveis. São quase 46 mil famílias cearenses que todo mês o Governo do Estado dá esse auxílio. O pagamento seria apenas no final do mês e estamos antecipando esses 15 dias”, declarou Camilo.

O governador aproveitou para apresentar a situação da pandemia do novo coronavírus no Ceará, que tem seguido em ritmo diferente de acordo com as regiões. Segundo o chefe do Executivo estadual, a Capital e seu entorno são as que apresentam melhor situação hoje em dia. “Cada vez mais aqui em Fortaleza e na macrorregião há uma queda, com estabilização dos casos. Fortaleza está na segunda semana da terceira fase (do Plano de Retomada Responsável das Atividades Econômicas e Comportamentais)”, comentou.

Hoje (13), mais atividades tiveram o direito de voltar a funcionar em Fortaleza seguindo os protocolos sanitários estabelecidos, como barracas de praia, cafés e padarias a partir das 6h, agências de turismo e o retorno dos jogos de futebol do Campeonato Cearense. “São ações que foram autorizadas pelo Comitê Científico e que são importantes pra a retomada de algumas atividades aqui em Fortaleza”, disse Camilo.

Interior

Diferente da Capital, as regiões interioranas e RMF ainda não puderam avançar a mesma quantidade de etapas do Plano de Retomada Responsável das Atividades Econômicas e Comportamentais. A Região Norte ainda está na fase de transição, mas com queda no número de casos e óbitos. Já as regiões do Sertão Central, Litoral Leste e Jaguaribe se encontram na segunda semana da primeira fase da retomada da economia.

O Sul do Estado é a área que mais preocupa nesse momento, segundo Camilo Santana. “Apesar dos casos no Centro-Sul estarem diminuindo, continua aumentando o número de casos principalmente no Cariri, é tanto que continuamos ampliando o número de leitos para atender a demanda. Os cinco principais municípios (Iguatu, Juazeiro do Norte, Crato Barbalha e Brejo Santo) continuam em isolamento rígido”, alertou.

Pesquisa

Teve início hoje a segunda etapa da pesquisa de soroprevalência em Fortaleza. Serão mais 3.300 amostras, dessa vez com testes PCR e rápido. “Essa pesquisa identifica o percentual de pessoas que já tiveram a Covid-19. Isso é fundamental para que a gente possa tomar decisões. A primeira etapa dessa pesquisa nós tivemos 14,2% das pessoas que já tiveram a Covid-19”, enfatizou o governador. Sobral e Iguatu também estão sendo contemplados e Juazeiro do Norte ainda participará.

Economia

As reuniões para decidir o próximo decreto estadual já terão início nessa terça-feira (14), informou Camilo. “Vamos iniciar a discussão para as próximas fases do novo decreto que será anunciado no final dessa semana e que valerá a partir da próxima segunda-feira (20). Estamos nos antecipando para avaliar quais são as atividades que serão autorizadas para que as empresas possam saber mais cedo em relação às atividades que serão autorizadas. Fortaleza poderá ir para a quarta fase. Temos tido muito critério nas decisões que temos tomado”, reforçou.

O governador comunicou ainda que o está sendo programado “um conjunto de anúncios agora em agosto com investimentos do Governo do Estado para acelerar o retorno da economia no estado do Ceará”. Camilo finalizou reforçando que “não voltamos à normalidade e que é fundamental e obrigatório o uso da máscara”.

Ceará se aproxima da marca de 7 mil mortes por Covid-19

O estado do Ceará tem 137.234 casos confirmados de Coronavírus. Os dados foram atualizados pela secretaria de saúde do estado, e divulgados pela plataforma IntegraSUS, na noite desta segunda-feira (13).

O número de óbitos ocasionadas pelo Coronavírus no estado subiu para 6.975. No total já são 111.238 casos recuperados em todo o Ceará.

Já são 348.190 exames realizados para diagnóstico de novos casos. Segundo a plataforma integraSUS, o número de casos sob investigação chegou a 70.309 no estado. A taxa de letalidade da doença no estado caiu para 5,1%.

Juazeiro do Norte registra 3 novos óbitos nas últimas 24 horas

A Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte, por meio da Secretaria da Saúde,  confirmou na tarde desta segunda-feira (13),  mais três óbitos por coronavírus no município.

Trata-se de uma mulher, de 92 anos, com pneumopatia crônica; um homem, de 81 anos, com hipertensão; e uma mulher, de 43 anos, com obesidade. Os óbitos ocorreram nos dias 27/06, 05/07 e 07/07, respectivamente.

Até a tarde desta segunda-feira (13), o Município notificou 19.115 pacientes, dos quais 15 são casos suspeitos que aguardam os resultados dos exames, 12.790 casos descartados e 6.310 casos confirmados. Entre os pacientes confirmados há 76 hospitalizados, 3.265 em isolamento domiciliar, 2.809 que já estão recuperados, e 160 óbitos.

Prefeitura de Barbalha irá adiantar metade do 13º salário aos servidores do município

A prefeitura de Barbalha irá antecipar o pagamento de metade do 13º salário dos servidores públicos do município. A informação foi confirmada pelo próprio prefeito Argemiro Sampaio (PSDB), através de suas redes sociais na manhã desta segunda-feira (13).

Segundo o gestor, o dinheiro será creditado na conta dos servidores já nesta terça-feira (14). Barbalha é a primeira cidade do eixo Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha (CraJuBar), a realizar o pagamento do 13º aos servidores. Juazeiro do Norte e Crato ainda não tem previsão da data de pagamento dos recursos.

VEJA O POST:

 

Juazeiro: Demutran endurece fiscalização para fazer cumprir o lockdown

O Departamento Municipal de Trânsito – Demutran intensificou ações de fiscalização nas vias públicas de Juazeiro do Norte para restringir a circulação de veículos e de pessoas, conforme os decretos municipal e estadual do último fim de semana, que determinam o isolamento social mais rígido em Juazeiro do Norte.

Junto à Guarda Civil Metropolitana, Polícia Militar e órgãos de Saúde, o Demutran fiscaliza as barreiras sanitárias instaladas nos limites do município com o Crato, Barbalha, Missão Velha e Caririaçu. Além disso, realiza blitze educativas no Centro de Juazeiro do Norte, orientando as pessoas a ficarem em casa.

Segundo Socorro Loureito, Diretora de Operações do Demutran, desde o início do lockdown percebeu-se redução na movimentação de pedestres e condutores, nas áreas centrais, em cerca de 20%. A expectativa é de maior queda. “Caso contrário, vias poderão ser interditadas”, alerta.

Crato: cadastramento do Minha Casa, Minha Vida será retomado nesta terça (14)

A Prefeitura do Crato, por meio da Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social (SMTDS), através do setor de Habitação, comunica o retorno dos atendimentos para a montagem de dossiês dos contemplados pelo Programa Minha Casa Minha Vida, dos Residenciais São Bento I e II.

Os atendimentos iniciam amanhã, terça-feira (14), já agendados e obedecendo aos critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS), evitando aglomeração e preservando a saúde diante desse momento em que o mundo vivencia, a pandemia da COVID-19.

Posteriormente, serão divulgados os agendamentos dos demais grupos. A SMTDS informa que os contemplados devem observar as datas e horários; e garante que todos serão atendidos.

O local de atendimento será na sede da Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social, na Avenida Perimetral Dom Francisco, SN, bairro São Miguel.

É muito importante que todos compareçam de máscara e se por algum motivo, sobretudo de saúde, não puder ir presencialmente ao atendimento, basta ligar para 88 – 981854086 e solicitar o reagendamento.

Clique no link e veja a listagem dos atendimentos com nome, data e horário.

http://agendamentocrato.kbsistemas.com.br/dossie-2020.php

Ceará investe em tecnologia e manejo para voltar a ser um dos principais produtores de algodão no Brasil

Após ser destaque nacional na produção de algodão há cerca de três décadas, o Ceará viu suas plantações serem devastadas pela praga do bicudo, levando embora a fonte de renda de muito agricultores que tiveram que se adaptar a outros cultivos. Contudo, há pouco mais de dois anos o Governo do Ceará firmou uma parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Instituto Federal do Ceará (IFCE) para o desenvolvimento de sementes e uma metodologia que possa trazer de volta ao Estado o protagonismo na produção, além de dar mais sustentabilidade à cadeia têxtil cearense, um dos polos nacionais e que precisa adquirir fora de suas divisas a matéria-prima de seu negócio. Através do Programa de Implantação da Cultura do Algodão no Ceará, essa realidade parece estar mudando aos poucos. Há algumas semanas foi iniciada a colheita de milhares de hectares (ha) plantados em solo cearense, ainda pouco em relação à demanda das empresas locais, mas um alento para o futuro, visto o resultado nas lavouras. A expectativa do Estado é colher 3.500 ha este ano.

O crescimento de áreas plantadas com a cultura no Ceará tem sido relevante. Em 2019, o aumento superou em 80% o ano anterior. Mas além da quantidade, o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo Programa de Implantação da Cultura do Algodão no Ceará tem ampliado também a produtividade por área, como explica o coordenador Euvaldo Bringel. “Ano passado chegamos a 1.800 kg por hectare e esse ano acho que vamos para uma produtividade média de 2.500 kg/ha.  Acredito que em dez anos a gente volte a ter a nossa produtividade do passado. É importante que a gente continue com esse programa e a Aprece (Associação dos Municípios do Ceará) já se manifestou que quer levar para outras regiões. Nós queremos levar com o pacote controlado para que não volte a dar prejuízo. O governador Camilo Santana já garantiu que vai ampliar”, destacou Bringel.

O coordenador do programa, que é tocado pela Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet), explica que o aumento da produção é fruto da utilização de tecnologia, capacitação dos produtores, aproveitamento da infraestrutura de irrigação do Estado e parcerias. “São várias regiões no Ceará que a gente tem condições de plantar algodão em larga escala com altíssima produtividade. Dentro desse pacote a gente fez parceria com as empresas para garantir a compra do algodão. Articulamos a cadeia de compra, de máquinas colheitadeiras, de insumos. A gente está dando todo o apoio para o agricultor produzir. Estamos organizando o negócio e abrindo caminhos”, enfatizou.

Condições favoráveis

O Ceará possui um conjunto de características naturais que o credencia a voltar a ser um grande produtor de algodão se aliado à tecnologia. Nessas primeiras colheitas, o novo produto cearense está apresentando um custo de produção menor que o produzido em outras áreas do País – entre 30% e 50%.  “O Ceará já foi o maior produtor do Nordeste de algodão e o terceiro maior do Brasil. Nos anos 1980, antes do bicudo, a gente chegou a plantar cerca de 1,2 milhão de hectares. Muitas pessoas no Ceará viviam do algodão. Existem estudos já bem sedimentados de que o sol no Ceará produz o melhor algodão do Brasil, com fibras longas, a planta vegeta muito bem com a insolação, então nós temos condições edafoclimáticas (relacionadas ao solo e clima) fantásticas para a questão do algodão”, comentou Euvaldo Bringel.

Além do ganho qualitativo com as novas sementes desenvolvidas pela Embrapa, o protocolo de manejo da cultura tem ajudado a reduzir o custo da plantação e controlar pragas. No Ceará foi implementado um vazio sanitário entre os meses de outubro e dezembro, nos quais o agricultor é obrigado a limpar a terra de qualquer presença de algodão, fazendo assim com que o bicudo não tenha com o que se alimentar e consequentemente diminua sua capacidade de reprodução. Em outros estados brasileiros esse hiato é somente de dois meses.

Essa diferença de um mês a mais no Ceará tem refletido na quantidade de defensivos agrícolas utilizados na lavoura, o que acaba por diminuir o investimento e aumentar o uso sustentável da terra. A expectativa é que, em um futuro breve, o Ceará possa estar produzindo 4 mil kg de algodão por hectare em média. Atualmente, o Estado já registra áreas plantadas no Vale do Jaguaribe, Cariri e Sertão Central. Para o ano que vem a ideia é ampliar para o Centro Sul e os Inhamuns.

Alternativa para produzir em meio à seca

Por ser bem adaptada à nossa realidade climática, com precipitações chuvosas irregulares no decorrer dos anos, a produção de algodão, seguindo os protocolos estabelecidos no Programa de Implantação da Cultura, tem sido vista por agricultores como um produto confiável. Em Limoeiro do Norte, a Federação das Associações do Perímetro Irrigado Jaguaribe-Apodi (Fapija) apostou no novo algodão e já está colhendo os 260 hectares plantados por seus associados. Raimundo César, presidente da Fapija, comenta que os 324 agricultores que compõem a entidade sofreram bastante com os recentes seis anos de estiagem no Ceará, mas que hoje estão confiantes que com o algodão isso será diferente.

“Começamos a plantar o algodão esse ano, que nos mostrou que é uma saída para voltar a produzir. Começamos aos poucos, ainda tem muita área. Para 2021 a gente espera plantar dois mil a três mil hectares só aqui no projeto. O Ceará por ser seco a saída é o algodão. Estamos esperando de 4 mil a 5 mil kg por hectare, então é uma produção excelente”, comemorou Raimundo César. Com o trabalho feito pelo Programa de Implantação da Cultura do Algodão no Ceará, de ligar os produtores às empresas do setor têxtil, o quilo está sendo vendido pelos agricultores por R$ 2,15 e toda a produção com venda garantida.

Esperança de dias melhores

Criado dentro das plantações, o agricultor José da Silva Ferreira, conhecido em Limoeiro do Norte como “Negro de Júlio”, desde de criança acompanha o pai na agricultura. Nesses anos lutando pela sobrevivência junto à terra, o sertanejo disse que já plantou diversas culturas. Contudo, “Negro de Júlio” se viu nos últimos anos sem muitas alternativas para furar as dificuldades geradas aos agricultores pela pouca oferta hídrica. “Aqui, a gente estava sem opção de plantar” confessou.

Foi então que ele decidiu arriscar no novo algodão, que, até o momento, tem representado um fio de esperança diante do passado que assombra a vida no campo.  “Minha produção está lá. É um algodão lindo, uma das melhores produções que têm por aqui. Segui as regras e está surpreendendo. Tenho 150 hectares e plantei 50 esse ano. Tudo saindo bem posso plantar o dobro ano que vem ou até mais”, fala com entusiasmado com dias melhores.

Outro que tem uma realidade parecida é o agricultor João Batista, que resolveu experimentar a cultura em 37 hectares. Na opinião do homem do campo, 2020 será um ano para se comemorar e de fazer planejamentos mais ousados para o que se avizinha. “Quem entende diz que a qualidade do algodão está boa. Acredito que vai ser bom. Para a gente que vinha sofrendo com a seca, é uma alternativa a mais. Dando o retorno esperado, quero plantar pelo menos uns 100 hectares no próximo ano”, ressalta.

Crato: restaurante “Só Baião” encerra atividades após quase 20 anos de tradição”

Após mais de 19 anos em atividade como um dos principais pontos de encontro das famílias cratenses, o tradicional restaurante SÓ BAIÃO encerra as suas atividades em meio a crise econômica causada pela pandemia de covid-19. 

O fechamento do estabelecimento comercial foi anunciado por meio do perfil oficial do restaurante no instagram, na manhã desta segunda-feira (13). Leia a nota oficial:

“Foram 19 anos e 10 meses de uma grande história construída com amor, dedicação e compromisso…
E hoje, dia 13 de Julho de 2020, queremos comunicar a todos os nossos clientes e amigos, que estamos encerrando nossas atividades. Agradecemos a todos os que, de alguma forma, contribuíram para chegarmos até aqui. Especial gratidão aos nossos colaboradores que não mediram esforços nessa jornada. Nosso muito obrigado.

Em nome de Iolanda, César Morais e seus filhos”.

Cariri ultrapassa doze mil casos de covid-19 e atinge 80% na ocupação de UTIs

POR AGÊNCIA NEWS CARIRI

Dados da plataforma Integrasus, atualizados na noite deste domingo, apontam que a região do Cariri ultrapassou a marca de doze mil casos confirmados de covid-19 e soma 287 mortes em decorrência da doença. Conforme a estatística, o epicentro da contaminação na região é Juazeiro do Norte, que concentra 6.179 casos positivos e 157 óbitos. Na sequência vem o Crato, onde já foram confirmados 1985 casos e 28 mortes. O município de Barbalha completa a lista das três cidades com maiores registros de contaminação na região. Até agora foram contabilizados 761 casos e 23 óbitos.

Ainda de acordo com os dados da plataforma integrasus, da secretaria da saúde do Ceará, a taxa de ocupação dos leitos de UTI no Cariri chegou a 80%, ante 65% na semana passada. Em alguns hospitais da região, a ocupação já chegou no limite, conforme as informações de ontem, a exemplo do Hospital Geral de Brejo Santo, onde as 10 vagas de UTI já estão ocupadas, e do Hospital São Raimundo, no Crato, com cinco leitos ocupados.