A primeira mulher a ser reitora da UFRJ em quase 100 anos

Denise Pires de Carvalho, de 54 anos, é a primeira mulher a ocupar o cargo de reitora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que vai completar 100 anos em 7 de setembro de 1920. Ela havia sido a primeira colocada na eleição interna da instituição em abril, que elaborou uma lista tríplice, encaminhada ao presidente da República, Jair Bolsonaro. Nesta segunda-feira, 20, em um evento na Federação das Indústrias do Rio (Firjan), ele informou sobre a nomeação dela.

“É a pessoa adequada para estar à frente da UFRJ”, afirmou Bolsonaro. “Agora vão dizer que sou ‘homemfóbico'”, continuou o presidente, observando que os outros dois indicados eram homens.

Denise já havia se candidatado uma vez ao cargo, em 2015, quando perdeu para Roberto Leher, reitor que agora vai substituir. Denise faz oposição ao grupo que administrou a UFRJ nos últimos anos – critica, por exemplo, o projeto de expansão da universidade, alegando que o número de alunos cresceu sem que houvesse ampliação da estrutura.

Formada em Medicina pela UFRJ em 1987, Denise concluiu mestrado em Ciências Biológicas (Biofísica) em 1989 e doutorado em Ciências em 1994, ambos pelo Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, órgão da UFRJ. Ela também fez dois pós-doutorados: no Hôpital de Bicêtre, Unité Tiroïde, em Paris, em 1995; e na Universitá Degli Studi di Napoli, em Nápoles, em 2006.

A nova reitora é professora titular do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho e já ocupou diversos cargos na UFRJ: incluindo o de diretora do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, de 2010 a 2013; o de coordenadora de Graduação (de 1998 a 1999); e o da Pós-Graduação (de 2001 a 2005), além de ter sido vice-diretora do Instituto de Biofísica (de 2007 a 2010) e integrante do Conselho Universitário de 2012 a 2016.

Trabalhos

Ela já publicou mais de 140 trabalhos e proferiu mais de 50 conferências no Brasil e no exterior. Atualmente é revisora de mais de 20 revistas científicas internacionais. Tem experiência na área de Endocrinologia e Fisiologia, com ênfase em Fisiopatologia Tireoide. Denise também é mãe de aluna: uma de suas filhas cursa Medicina na UFRJ. A outra formou-se em Ecologia na mesma universidade.

Nesta segunda-feira, 20, apesar de feliz, ela manteve a discrição ao falar à imprensa e aos amigos. “Precisa aguardar a publicação no Diário Oficial. Sou muito pé no chão”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Noticias ao minuto

SENAC REALIZA SEMANA DE ENFERMAGEM NO CARIRI

Evento conta com palestras, minicursos, ações extensivas e workshops na área da saúde para aperfeiçoar a Arte do Cuidar

 

Nos dias 20 a 24 de maio, acontece a I Semana de Enfermagem do Senac Cariri. O evento, que tem como tema “Os Desafios da Enfermagem para a Prática com Equidade”, reúne profissionais, estudantes e investidores do segmento da Saúde, com o objetivo de atualizar conhecimentos e repassar novas técnicas e tendências. A programação é gratuita e acontece no Senac CEP Crato e em Juazeiro do Norte, na unidade de São Miguel.

De acordo com o gerente do Senac Crato, Cristiano Saraiva, todo o ano ocorre a Semana Nacional de Enfermagem, momento em que os profissionais e atividades desta área ganham destaque, por seu importante papel e relevância pelos serviços prestados a sociedade. Neste ano, é a primeira vez que o evento abraça o Cariri. “É um momento importante de valorizar o profissional da enfermagem, além de mostrar as atividades desenvolvidas pelo Senac na área da Saúde”, pontuou.

Cristiano Saraiva destaca ainda que o curso Técnico em Enfermagem do Senac na região é referência por sua qualidade e reconhecimento dos profissionais que a instituição lança no mercado de trabalho todos os anos. Para ele, o evento é uma ótima oportunidade de ampliar e qualificar os conhecimentos teórico-científicos dessa área.

A I Semana de Enfermagem do Senac Cariri conta com uma programação variada com workshop, palestra, atendimento de massagem, de verificação de pressão arterial e glicemia, além de ação extensiva de educação em Saúde, e uma feira de produtos e tecnologias da saúde. Para participar, não é necessário fazer inscrição.

Outra parte da programação são os minicursos. Nesse caso, informa Cristiano Saraiva, é preciso se inscrever nas unidades do Senac no Cariri. Eles vão abordar temas como, Assistência de Enfermagem Materno-Infantil, Assistência ao Dependente Químico, Atualização Em Imunização, além de outros.

 

Serviço

I Semana de Enfermagem do Senac Cariri

Data: 20 a 24 de maio

Local: Senac CEP Crato e na unidade de São Miguel, em Juazeiro do Norte

 

PROGRAMAÇÃO 

20 de maio de 2019 

18:00 às 19:00 – Atendimento de Massagem

Local: Senac São Miguel

Responsável: Maria Augusta

19:00 às 20:30 – Abertura da Semana de Enfermagem com Palestra da Coordenadora da Atenção Primária de Juazeiro do Norte Enfermeira Jaqueline Rodrigues.  

Local: Senac São Miguel – Juazeiro do Norte

20:30 – Coffe break

 

21 de maio de 2019 

18:30 às 21:30 – Workshop Administração de medicamentos em idosos

Local: Senac Crato

Responsável: Kelly Teles

 

22 de maio de 2019 

18:30 às 21:30 – Ação extensiva Educação em Saúde alunos Técnico em Enfermagem e em parceria com o SESC e atendimento Quick massage alunos Técnico em Estética

Local: Praça do Giradouro

Responsáveis: Virlene, Joana, Nara e Maria Augusta.

 

23 de maio de 2019 

08:00 às 12:00 – Atendimento de verificação de pressão arterial e glicemia capilar, educação em saúde, higienização facial e Quick massage

Local: Praça Padre dos Franciscanos

Responsáveis: Nara e Ana Cristina

18:00 às 22:00 – Feira de produtos e tecnologias da saúde

Local: Praça da Sé Crato

Responsáveis: Renata Peixoto, Joana, Rafaely Carvalho e Renata Nobre.

 

24 de maio de 2019 

18:00 às 22:00 – Encerramento da Semana de Enfermagem com Apresentação Cultural dos Anjos da Enfermagem e palestra Brinquedo Terapêutico

Local: Praça da Sé

Palestrante: Jakeline Duarte.

 

Minicursos

20 a 24 de maio de 2019- 13:00 às 17:00 horas 

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM MATERNO-INFANTIL

Local: Senac Crato

Facilitadora: Kelly Teles

ASSISTÊNCIA AO DEPENDENTE QUÍMICO

Local: Senac Crato

Facilitadora: Renata Nobre

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO ENVELHECIMENTO

Local: Senac São Miguel – Juazeiro do Norte

Facilitadora: Nara

ATUALIZAÇÃO EM IMUNIZAÇÃO

Local: Senac São Miguel – Juazeiro do Norte

Facilitadora: Joanalice
 

27 a 31 de maio de 2019 

13:00 às 17 horas

ORGANIZAÇÃO DO PROCESSO DE TRABALHO NA CME

Local: Senac Crato

Facilitadora: Teresinha Neide Membro da SOBEC e consultora técnica em CME

 

18:00 às 22:00 

ORGANIZAÇÃO DO PROCESSO DE TRABALHO NA CME

Local: Senac São Miguel – Juazeiro do Norte

Facilitadora: Teresinha Neide Membro da SOBEC e consultora técnica em CME

 

Mais qualidade de vida no Serviço Público, Prefeitura do Crato lança Programa Acolhe Servidor

Com o objetivo de garantir o acolhimento e o cuidado integral aos servidores públicos municipais, assegurando a prevenção, a promoção e a recuperação de agravos e doenças, a Prefeitura do Crato, por meio da Secretaria de Administração, lançou, na tarde de ontem, 20, o Programa Acolhe Servidor. O lançamento ocorreu no Auditório da EEEP Maria Violeta Arraes de Alencar Gervaiseau.

Uma equipe multidisciplinar formada por um coordenador, agente administrativo, auxiliar de serviços gerais, médico psiquiatra, assistente social, nutricionista, educador físico e fonoaudiólogo será responsável por fazer o atendimento dos servidores.

Durante o seu pronunciamento, o Prefeito Zé Ailton Brasil agradeceu aos envolvidos na elaboração do programa e explicou que a administração tem se preocupado com os servidores e sempre está disponível para dialogar com as pessoas. “Nós, nessa administração, temos feito um grande avanço em termos de política para os servidores públicos, como é o caso do calendário de pagamento. É uma obrigação, mas a gente paga em dia. E a questão do Acolhe Servidor, onde a administração tem uma equipe para cuidar das pessoas”, comentou.

O gestor acrescentou que a gestão tem implementado uma série de benefícios, como insalubridades, Plano de Cargos e Carreiras e equiparado salários, com o objetivo de mudar a situação dos servidores, para assim, eles prestarem um melhor atendimento aos cidadãos.

A titular da Secretaria Municipal de Administração, Águeda Duarte, agradeceu a servidora Fabiana Eulina, que esteve a frente na elaboração do programa e ao prefeito Zé Ailton Brasil, que acreditou no projeto e garantiu a estruturação do Acolhe Servidor. Acrescentou que o servidor precisa de um olhar diferenciado e é isso que a gestão está fazendo.

As falas do professor Júnior Matos, que representou os servidores do município e do vice-prefeito André Barreto, foram de contentamento e de agradecimento pela concretização do programa.

Já o vice-presidente da Câmara Municipal do Crato, vereador Fernando Brasil, parabenizou o Chefe do Executivo pela iniciativa e reforçou a parceria e o comprometimento da Câmara Municipal na aprovação de projetos que beneficiem os servidores.

A solenidade teve a participação da Banda de Música do Crato, de secretários municipais, representantes da SAAEC, Demutran, Guarda Civil Metropolitana; da Presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais do Crato; Denise Pinheiro; do presidente da CDL, José Alves Lobo; do vereador Thiago Esmeraldo e de diversos servidores das mais variadas categorias.

Moro demite delegado da PF investigado por receber propina

O ato de Moro é amparado em parecer da Consultoria Jurídica do Ministério da Justiça, Controladoria-Geral da União e Advocacia-Geral da União

O ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) demitiu o delegado de Polícia Federal Ênio de Paula Salgado. Por meio da portaria 498, o ministro excluiu de vez dos quadros da PF o delegado que foi investigado na Operação Inversão – suposto esquema de propinas instalado em 2016 na Delegacia de Crimes Previdenciários da Superintendência Regional da PF em São Paulo.

O ato de Moro é amparado em parecer da Consultoria Jurídica do Ministério da Justiça, Controladoria-Geral da União e Advocacia-Geral da União, datado de 23 de abril.

O parecer imputa ao delegado violação dos incisos VIII e IX da Lei nº 4.878, de 3 dezembro de 1965 (regime jurídico dos policiais), ou seja, “praticar ato que importe em escândalo ou que concorra para comprometer a função policial” e “receber propinas, comissões, presentes ou auferir vantagens e proveitos pessoais de qualquer espécie e, sob qualquer pretexto, em razão das atribuições que exerce”.

A Operação Inversão, ação integrada do Ministério Público Federal e do Setor de Contra-Inteligência da PF, foi deflagrada em julho de 2016. Na ocasião, outros dois delegados federais da ativa e um aposentado foram presos. O inquérito principal da Inversão deu origem a outra investigação, que apontou para o suposto envolvimento de Ênio de Paula Salgado.

O esquema de propinas a policiais operou entre 2010 e 2015. Segundo a investigação, a vantagem ilícita era repassada a policiais federais por alvos de inquéritos sobre crimes contra a Previdência. A Operação Inversão foi deflagrada por ordem da 9ª Vara Criminal Federal de São Paulo.

Segundo a Procuradoria, um dos presos, Marivaldo Bispo dos Reis, o “Miro”, dono de uma consultoria previdenciária, teria pago de R$ 500 mil a 800 mil, para engavetar uma operação policial que investigava seu envolvimento em fraudes em dezenas de agências do INSS em São Paulo e que movimentaria em torno de R$ 50 mil diariamente.

A investigação teve início em agosto de 2015, quando uma advogada investigada na Operação Trânsito foi procurada por pessoas que falavam em nome de policiais dizendo que se ela pagasse uma propina de R$ 15 mil poderia se livrar da investigação. Pedido este que depois subiu para R$ 150 mil.

Ela e o marido procuraram a Corregedoria da PF em São Paulo e denunciaram o esquema, revelando mais provas da suposta ligação de policiais, que passaram a ser investigados em ações de contra-inteligência da PF.

Conversas de WhatsApp entre os intermediários e a vítima de extorsão foram entregues à corregedoria.

Para os procuradores responsáveis pelo caso, “os investigados transformaram a Deleprev, que deveria atuar na apuração de delitos previdenciários que tanto sangram os cofres da União num balcão de negócios e de impunidade”.

O inquérito principal da Operação Inversão resultou na abertura de uma outra investigação, que acabou citando o delegado federal Ênio de Paula Salgado.

Na portaria 498, o ministro da Justiça é expresso. “Demitir Ênio de Paula Salgado, ocupante do cargo de Delegado de Polícia Federal do Quadro de Pessoal da Polícia Federal, Mat. DPF nº 8039, por infringir o disposto nos arts. 43, incisos VIII, IX e XLVIII, da Lei nº 4.878, de 3 dezembro de 1965, e132, inciso IV, da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990 (dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos), combinado com o art.9º, caput e inciso I, da Lei nº 8.429, de 2 de junho de 1992, ao praticar ato que concorra para comprometer a função policial; receber propinas, comissões, presentes ou auferir vantagens e proveitos pessoais de qualquer espécie e, sob qualquer pretexto, em razão das atribuições que exerce; prevalecer-se, abusivamente, da condição de funcionário policial e praticar ato de improbidade administrativa, observando-se, em consequência, o disposto nos arts. 136 e 137, parágrafo único, da Lei nº 8.112/1990, de 11 de dezembro de 1990.”

Defesa

A reportagem busca contato com a defesa de Ênio de Paula Salgado. O espaço está aberto para manifestação.

Fonte: Madson Vagner

Contrária a atos pró-Bolsonaro, Janaina Paschoal ameaça deixar o PSL

Após criticar publicamente a organização dos atos de apoio ao governo Jair Bolsonaro previstos para o dia 26 de maio, a deputada estadual Janaina Paschoal ameaçou deixar o PSL, partido do presidente. Candidata mais votada na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), a advogada sinalizou a possível desfiliação em uma mensagem enviada nesta segunda-feira, 20, no grupo de WhatsApp da bancada do partido no Legislativo paulista.

Amigos, vocês estão sendo cegos. Estou saindo do grupo, vou ver como faço para sair da bancada. Acho que os ajudei na eleição, mas preciso pensar no país. Isso tudo é responsabilidade”, escreveu a parlamentar na mensagem reproduzida pela site O Antagonista e confirmada pelo jornal O Estado de S. Paulo com deputados do PSL. Em seguida, ela deixou o grupo, Janaina foi a deputada estadual mais votada da história do País, com 2 milhões de votos, o que ajudou o PSL a ter a maior bancada da Assembleia, com 15 deputados.

Nos últimos dias, a deputada que ficou conhecida por ter sido uma das autoras do pedido de impeachment da ex-presidente cassada Dilma Rousseff (PT), em 2016, publicou uma série de mensagens no Twitter na qual afirma ser contra os atos que estão sendo convocados para apoiar o presidente Bolsonaro no dia 26 de maio. Para ela, é um erro os políticos do PSL se envolverem na organização das manifestações pró-governo pouco mais de uma semana após os atos que ocorreram em mais de 250 cidades do País contra os cortes feitos na Educação.

“Pelo amor de Deus, parem as convocações! Essas pessoas precisam de um choque de realidade. Não tem sentido quem está com o poder convocar manifestações! Raciocinem! Eu só peço o básico! Reflitam!”, escreveu no fim de semana. “Àqueles que amam o Brasil, eu rogo: não se permitam usar! Não me calei diante dos crimes da esquerda, não me calarei diante da irresponsabilidade da direita”, afirmou Janaina.

O Estado tentou contato com a deputada pelo telefone celular, mas não obteve resposta. No gabinete dela na Alesp, uma assessora informou que ela não daria entrevistas a respeito. Janaina se filiou ao PSL em abril de 2018 e chegou a ser cotada para ser vice na chapa de Bolsonaro na corrida presidencial, mas declinou alegando motivos pessoais. Em março deste ano, ela foi derrotada por Cauê Macris (PSDB) na eleição da presidência da Assembleia Legislativa.

O líder do PSL na Alesp, Gil Diniz, confirmou que Janaina sinalizou sua saída do partido sem apresentar justificativas além das críticas públicas que fez à organização dos atos e ao comportamento do próprio presidente nas redes sociais, como compartilhar um vídeo no Facebook do pastor congolês Steve Kunda dizendo que Bolsonaro era um político “estabelecido por Deus” para guiar o país.

“Ela realmente disso isso (sair do partido), pela discordância das manifestações de apoio ao presidente e às reformas. A maior parte da bancada concorda com as manifestações convocadas pela população. Não tem nada sendo feito de cima para baixo, não vamos pagar pão com mortadela nem ônibus para ninguém. Se a população quiser ir às ruas defender as reformas e o governo é direito das pessoas em uma democracia. Eu concordo com a manifestação, ela não”, disse Gil Diniz.

Para ele, Janaina já dá sinais a algum tempo de que gostaria de deixar o partido. “Não é uma atitude que você toma do dia para a noite. Não foi uma coisa impulsiva. Acho que ela já vinha pensando nisso e externou isso hoje dentro da bancada”, completou o líder do PSL, que disse que irá defender a permanência do mandato dela caso ela decida mesmo deixar a legenda. “Vou defender dentro da bancada que ninguém peça a expulsão dela do partido ou o mandato. Ela foi a mais votada e o mandato dela é mais do que legítimo”.

Fonte: Notícias ao Minuto

Bolsonaro avalia participação em protesto favorável ao seu governo

Os filhos do presidente e parlamentares do PSL querem aproveitar o momento para protestar contra o STF

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O presidente Jair Bolsonaro considera participar, no próximo domingo (26), de manifestações convocadas no país inteiro em apoio ao seu mandato.

O movimento, que é também contrário ao Congresso e ao STF (Supremo Tribunal Federal), tem sido defendido, nas redes sociais, pelos filhos do presidente e por parlamentares do PSL, partido de Bolsonaro.

Segundo relatos feitos à reportagem, o presidente indicou, em conversas reservadas, a disposição de comparecer, mas afirmou que ainda não havia tomado uma decisão.

A presença dele é defendida pelo núcleo ideológico do Palácio do Planalto, formado por seguidores do escritor Olavo de Carvalho. Para eles, a participação do presidente seria um gesto importante a seus apoiadores.

O grupo moderado, que é composto pelos militares, no entanto, considera a ida de Bolsonaro um erro. Para eles, o presidente sofrerá um desgaste independentemente da adesão do público.

Conforme publicou a Folha de S.Paulo, no domingo (19), a avaliação é de que manifestações de pequeno porte seriam associadas a perda de capital político.

Se foram amplas e em tom beligerante, têm potencial para elevar a tensão do Executivo com o Judiciário e o Legislativo.

Os atos, que estão sendo convocados sob o mote de que “corruptos querem sabotar o governo e destruir o Brasil”, afastaram os grupos que estiveram à frente das manifestações pelo impeachment de Dilma Rousseff.

Em nota divulgada na noite desta segunda (20), o Vem Pra Rua afirmou que não aderiu aos atos porque respeita “o equilíbrio institucional entre os poderes da República”. “A democracia não pode prescindir de poderes fortes e independentes.”

Mais cedo, nas redes sociais, o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), um dos líderes do MBL (Movimento Brasil Livre), afirmou que o grupo não defende e nem vai participar das manifestações de domingo “por uma razão muito simples”.

“Duas pautas principais das manifestações são a invasão ou fechamento do Congresso, o que por si só já é uma medida antiliberal, anticonservadora e antirrepublicana. E outra, da mesma maneira, é o fechamento do STF”, disse.

Apoiadores de Bolsonaro contrários às convocações beligerantes estão atuando para tentar mudar a pauta da manifestação. O esforço é que o movimento seja de apoio à reforma da Previdência e ao pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro.

Fonte: Notícias ao Minuto