Criador do Woodstock confirma edição de 50 anos do festival

Uma nova edição de Woodstock foi confirmada por um de seus criadores. Para celebrar os 50 anos do evento, Michael Lang anunciou um festival de três dias (16, 17 e 18 de agosto) em Watkins Glen, no estado de Nova York.

O lineup do Woodstock 50 ainda não foi definido mas, segundo Lang, haverá ao menos cerca de 40 atrações divididas em três palcos principais -incluindo grandes bandas.

“Será um evento eclético. Terá hip-hop, rock, pop e um legado das bandas do festival original”, afirmou à revista Rolling Stone. Haverá, por exemplo, tributos a Janis Joplin e Joe Cocker, grandes nomes da primeira edição em 1969.

Aos 74 anos, Michael Lang espera reunir um público de várias gerações e também transmitir uma mensagem de ativismo social. “Queremos ser algo mais do que apenas ir a um show”, disse em entrevista ao New York Times.

Segundo a Rolling Stone, a organização não vai divulgar nomes do linep até que a venda de ingressos comece em fevereiro.

Criado pelo quarteto John Roberts, Joel Rosenman, Artie Kornfeld e Michael Lang, Woodstock foi realizado de 15 a 18 de agosto de 1969, atraiu cerca de 400 mil pessoas a uma fazenda em Bethel (norte do estado de Nova York) e se tornou um dos principais eventos culturais e sociais da história.

Entre as mais de 30 bandas, estavam atrações como Jimi Hendrix, The Who e Joan Baez, além de Janis Joplin e Joe Cocker.

À época, os Estados Unidos debatiam intensamente temas como a guerra do Vietnã, a liberação sexual e as drogas.

OUTRA CELEBRAÇÃO

Em dezembro, a produtora Live Nation em parceria com o Bethel Woods Center For The Arts também divulgou um festival para comemorar os 50 anos do Woodstock.

Será o Bethel Woods Music and Culture Festival, também de 16 a 18 de agosto de 2019, no mesmo local onde a primeira edição se desenrolou -cerca de 200 km da cidade de Nova York.

Além de música, haverá palestras, debates e o museu de Bethel Woods estará aberto para contar a história da década de 1960 com uma experiência imersiva e objetos da primeira edição do festival. Com informações da Folhapress.

 
Fonte: notícias ao minuto 

Academia decide que Oscar 2019 não terá apresentador

 

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, entidade que organiza o Oscar, não vai escolher um novo apresentador para a 91ª edição da premiação,de acordo com a revista norte-americana “Variety”. No início de dezembro, o comediante Kevin Hart desistiu de apresentar a cerimônia após ser acusado de homofobia por tuítes que escreveu há cerca de dez anos.

“Lamento por ter machucado as pessoas. Estou evoluindo e quero continuar fazendo isso. Meu objetivo é unir as pessoas, não separar. Muito amor e apreço pela Academia. Espero que possamos nos encontrar de novo”, escreveu o ator, em sua conta no Twitter.

A Academia decidiu não escolher um substituto para apostar em um time de “celebridades do primeiro time” e em apresentações musicais dos indicados, como a cantora e atriz Lady Gaga. Esta será a sexta vez na história que o Oscar não terá um “anfitrião”, as demais ocorreram em 1939, 1969, 1970 e 1971.

A premiação será realizada no próximo dia 24 de fevereiro, em Los Angeles. (ANSA)

Fonte: notícias ao minuto 

 

Samuel L. Jackson é o ator mais influente e rentável da história

Aos 70 anos, completados em dezembro passado, o ator Samuel L. Jackson está prestes a estrear mais um filme nos cinemas, “Vidro”, de M. Night Shyamalan, e garante a primeira posição entre os atores mais influentes de todos os tempos.

O estudo americano Applied Network Science usou algoritmos para medir a importância e o impacto de atores na cultura pop. Jackson ficou em primeiro, e na sequência, Clint Eastwood e Tom Cruise. O ator que estrela clássicos como “Pulp Fiction” (1995) e o mais recente “Django Livre” (2013) , ambos de Quentin Tarantino, ainda é o artista mais rentável de todos os tempos, informou a revista Hollywood Reporter.

O ator já rendeu, com seus 120 filmes, um total de US$ 5,76 bilhões (cerca de R$ 21 bilhões) em bilheteria, passando os astros Harrison Ford (US$ 4,96 bilhões) e Tom Hanks ( US$ 4,6 bilhões). Claro que boa parte vem dos blockbusters da Marvel, que Jackson atuou como Nick Fury, como a série de filmes “Vingadores” (2012-) e, agora, “Capitã Marvel”, que estreia dia 8 de março.

“Ele adora genuinamente entreter as pessoas. É algo em que ele tem grande orgulho”, afirma Shyamalan. O diretor conta que ele sempre foi chamado nas ruas pelo grito de ‘Ei, me chama de filho da puta’. “Você sabe quantos atores passam por suas carreiras e as pessoas não podem repetir uma frase que eles já tiveram?”, completa o diretor. Jackson ficou conhecido por usar a palavra “filho da puta” em quase todos os seus personagens.

O ator afirma que sua popularidade e fama de vilão dos cinemas se transformaram com “Pulp Fiction”. Pouco antes do filme, ele nunca tinha ouvido falar em Tarantino. Chegou a participar de uma leitura de roteiro de “Cães de Aluguel” (1992), que achou péssimo. Tempos depois, foi surpreendido no festival de Sundance. “Pensei, bem, é um filme bom. Depois é que eu me dei conta de que o diretor era o cara daquela leitura. Então, eu fui até ele para dizer o quanto gostei do filme, mas que o longa poderia ser melhor ainda comigo no elenco”, disse Jackson.

No momento, Tarantino estava preparando “Pulp Fiction” e, claro, colocou Jackson no elenco. Quando leu o roteiro do filme, ficou surpreendido. “Eu me lembro perfeitamente de chegar ao fim do texto e dizer ‘Uau’. Essa merda é tão boa ou eu estou apenas pensando isso porque ele escreveu para mim? Acho que é tão bom assim?’ Então, boom, eu virei e li tudo de novo”. Com informações da Folhapress.

 Fonte: notícias ao minuto 

Governo prepara indulto humanitário excluindo condenados por corrupção

 

O governo de Jair Bolsonaro (PSL) prepara um indulto para pessoas condenadas ou submetidas a medidas de segurança.

O texto tem sido chamado internamente de “indulto humanitário”, pois deve focar, por exemplo, pessoas com doenças graves ou terminais.

A medida, em discussão no Ministério da Justiça, pode ser editada até o fim do mês. A palavra final sobre sua publicação é do presidente Bolsonaro.

Condenados por corrupção não estão contemplados no documento ainda em elaboração.

O ex-presidente Michel Temer (MDB) desistiu de última hora de dar o benefício, que é uma espécie de perdão de pena, geralmente concedido todos os anos, em período próximo ao Natal.

A prática está prevista na Constituição como atribuição exclusiva do presidente da República.

O ano passado foi o primeiro sem o indulto desde a redemocratização.

A medida de Bolsonaro atingiria aqueles que até 25 de dezembro do ano passado estejam dentro das exigências que estão em elaboração.

A equipe do ministro da Justiça, Sergio Moro, está trabalhando em cima do tema, que também precisa ser avaliado pela Casa Civil.

O novo indulto, se for confirmado, pode representar um recuo de Bolsonaro, que já declarou diversas vezes ser contra a concessão de qualquer tipo de perdão a presos.

A edição do ato virou polêmica especialmente por causa daquele dado por Temer em 2017, que beneficiou também condenados por corrupção.

O texto do ex-presidente naquele ano dava liberdade para aqueles que tivessem cumprido um quinto da pena exigido, nos casos de crimes sem violência ou grave ameaça.

Na opinião dos envolvidos na discussão do novo indulto, não há razão para conceder o benefício em casos parecidos. Internamente, avalia-se que o indulto, no modelo antigo, não era capaz de melhorar a superlotação dos presídios.

O assunto foi parar no STF (Supremo Tribunal Federal), que já decidiu ser a favor da manutenção do decreto, mas o julgamento foi paralisado por um pedido de vista do ministro Luiz Fux.

Bolsonaro declarou em dezembro que se Temer editasse o indulto de 2018, seria o último.

“Fui escolhido presidente do Brasil para atender aos anseios do povo brasileiro. Pegar pesado na questão da violência e criminalidade foi um dos nossos principais compromissos de campanha. Garanto a vocês, se houver indulto para criminosos neste ano, certamente será o último”, disse o presidente.

Em outra oportunidade, dois dias depois, reafirmou seu posicionamento.

“Já que o indulto é um decreto presidencial, a minha caneta continuará com a mesma quantidade de tinta até o final do mandato em 2022. Sem indulto”, declarou Bolsonaro.

Durante a transição dos governos, o ministro Sergio Moro se manifestou apenas uma vez sobre o assunto em uma entrevista no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), em Brasília.

Ele disse que “a política do governo vai ser mais restritiva em relação a esses indultos generosos” e que “o tempo desses indultos excessivamente generosos” chegaria ao fim com Bolsonaro.

Além desse, o novo governo trabalha também em cima de outro decreto, sobre posse de armas.

O texto que vem sendo preparado diminui as restrições existentes na atual legislação.

A ideia do presidente era editar a medida logo no primeiro dia do ano, mas discussões internas sobre o tema o impediram.

Em reunião nesta semana, ministros passaram boa parte do encontro debatendo o assunto.

A expectativa é que o decreto esteja pronto nos próximos dias. Com informações da Folhapress.

 
 Fonte: notícias ao minuto 

Decisão de Gleisi de participar da posse de Maduro dividiu o PT

A presença da presidente do PT, Gleisi Hoffmann, à cerimônia de posse do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, causou discordâncias internas no partido.

Parte dos dirigentes e militantes da sigla entendia que bastaria uma carta ou nota de parabenização a Maduro. A ala que apoiou a viagem, porém, argumentou, segundo a Folha de S. Paulo, que o ato seria estratégico pelo viés político, tendo em conta a oposição ao governo venezuelano protagonizada pelo presidente brasileiro, Jair Bolsonaro.

 
 Fonte: notícias ao minuto 

Maia articula ‘traições’ na esquerda e no MDB por reeleição na Câmara

 

Após o anúncio de que o PSB não estará a seu lado na eleição para a presidência da Câmara, o atual presidente da Casa, Rodrigo Maia, estaria articulando nos bastidores para que deputados de partidos de esquerda e do MDB “traiam” os acordos de cúpula e optem por ele no momento do voto, que é secreto.

Segundo a Folha de S. Paulo, Maia espera ter um terço dos votos do PT e do PDT e mais uma parcela oriunda de parlamentares do MDB, partido do qual teria apoio de alguns senadores que o estariam ajudando no trabalho de articulação.

A principal ala de oposição ao presidente da Câmara é liderada por PP e MDB, que espera agregar também a maior parte das siglas de esquerda.

 Fonte: notícias ao minuto 

Governo Municipal e CDL discutem Projeto “Olhar a Cidade”

Nesta quinta-feira, 10, o prefeito Zé Ailton Brasil recebeu, em seu gabinete, os representantes da Câmara dos Dirigentes Lojistas do Crato – CDL para discutir o Projeto “Olhar a Cidade”.

Recentemente, a cidade do Crato foi a única do Cariri contemplada pelo Projeto da Federação das Câmaras os Dirigentes Lojistas do Estado do Ceará (FCDL), que vai transformar uma das ruas do centro comercial do município em “Rua Gentil”— nome sugerido pela Federação à rua que receberá a intervenção.

INTERVENÇÃO

O projeto propõe um processo colaborativo com a sociedade, com a aplicação de arborização, jardins drenantes, nivelação da rua com faixa de pedestre em nível mais alto, mobiliários urbanos, paradas de ônibus sustentáveis, dentre outras iniciativas.

O Presidente da CDL Crato, José Alves Lobo, explica que a cidade do Crato foi contemplada pelo projeto, através do trabalho de prestação de serviços desenvolvido pela CDL. “Quando a gente assumiu a presidência, resolvemos pensar a cidade com um olhar diferente, que tivesse mais ações junto aos lojistas e mudasse a cara do comércio do Crato”, lembrou, para depois agradecer ao prefeito Zé Ailton pela parceria com a CDL.

O Chefe do Executivo parabenizou a gestão da CDL pelo trabalho desenvolvido e reafirmou o compromisso de colaborar com o projeto. Lembrou que a gestão tem desenvolvido diversas ações de melhoria das vias públicas do Centro da cidade. O gestor destacou que as praças públicas têm ganho tratamento especial, e as ruas passado por nova iluminação. O objetivo é oferecer conforto e segurança para os munícipes e lojistas.

Estiveram presentes na ocasião, o Chefe de Gabinete, Fabiano Brasil; Clea Nunes – Vice-presidente da CDL Crato; Nilda Moreira – Diretora Social; Mikaele Ribeiro – Gerente e Geraldo Pinheiro, diretor distrital da FCDL Ceará; e o Assessor Especial do Gabinete, Rondinele Brasil. O encontro foi finalizado com a entrega do documento com o projeto que será executado nos próximos meses.