Cachorro tenta proteger amigo atropelado na Avenida Leão Sampaio entre Juazeiro e Barbalha-CE; veja o video

Por Agência News Cariri

Que os cães são os melhores amigos do homem ninguém mais duvida. E  da mesma forma que eles são leais aos humanos, também são leais a sua espécie. Um vídeo divulgado na manhã de hoje nas redes sociais mostra exatamente isso. 

Após ver que seu amigo foi atropelado por um carro, um cãozinho tentou “reanimá-lo” de todas as formas. O incidente aconteceu na Rodovia que liga as cidades de Barbalha a Juazeiro do Norte-CE.

Nas imagens é possível ver que o cão fica tentando proteger seu companheiro dos outros carros, até que a Vereadora Juazeiro do Norte,  Jacqueline Gouveia,  que é conhecida por trabalhar voluntariamente com animais abandonados estava passando no local e resolveu parar pra ajudar.

Mesmo após o animal morto ser retirado da via, o outro permaneceu ao lado dele. 

Inflação para famílias de baixa renda fecha em alta em 2018

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), que diz respeito às famílias de menor renda (1 a 2,5 salários mínimos) fechou o mês de dezembro com alta de 0,32%, ficando 0,57 ponto percentual acima da taxa de novembro, quando o índice fechou com deflação (inflação negativa) de 0,25%. Com o resultado, o indicador fechou o ano passado com alta acumulada de 4,17%.

Os dados foram divulgados hoje (4), pelo Instituto Brasileiro de Economia de Fundação Getulio Vargas (Ibre – FGV). Segundo a fundação, em dezembro, a inflação para as famílias de baixa renda ficou 0,03 ponto percentual acima do Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que registra a variação dos preços para o total das famílias brasileiras e que subiu em dezembro 0,29%. No ano, o indicador fechou com alta acumulada de 4,32%, resultado 0,05 ponto percentual acima do registrado pelo IPC-C1.

Os dados da FGV indicam que a alta de 0,32 relativa ao IPC-C1 de dezembro reflete aceleração de preços em seis das oito classes de despesa componentes do índice, com destaque para Habitação, grupo que saiu de uma deflação de 1,10% para uma alta de 0,10% (variação de 1,20 ponto percentual); Alimentação (de 0,34% para 0,83%); Saúde e Cuidados Pessoais (de -0,17% para 0,29%); e Vestuário (0,14% para 0,70%).

Educação, Leitura e Recreação passou de uma alta de 0,27% para 0,66% e Despesas Diversas de 0,03% para 0,09%. Nestes grupos, os destaques partiram dos itens tarifa de eletricidade residencial (-6,04% para -1,05%), laticínios (-4,76% para -3,19%), artigos de higiene e cuidado pessoal (-1,10% para 0,36%) e roupas (0,29% para 0,87%).

Em contrapartida, fecharam com desaceleração de preços os grupos Transportes (de -0,42% para -0,52%) e Comunicação (de 0,07% para -0,02%). Nestas classes de despesa, destacam-se os itens gasolina (-2,96% para -4,43%) e pacotes de telefonia fixa e internet (0,63% para 0,00%). Com informações da Agência Brasil.

 
Fonte: notícias ao minuto 

Projeto ‘Verão da OSBA’ terá apresentações gratuitas no Forte São Diogo, em Salvador

A Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) vai realizar, entre os dias 9 e 12 de janeiro, o projeto “Verão da OSBA”.

Além de grupos de câmara, o público poderá apreciar também concertos sinfônicos, em apresentações gratuitas e ao ar livre, sempre a partir das 18h, no Mirante do Forte São Diogo, no Porto da Barra, em Salvador.

Todas as apresentações do “Verão da OSBA” são gratuitas, mas estão sujeitas à lotação do espaço.

Shows serão entre os dias 9 e 12 de janeiro — Foto: Divulgação

Shows serão entre os dias 9 e 12 de janeiro — Foto: Divulgação

A programação tem início com música de câmara nos dias 9 e 10 de janeiro (quarta e quinta-feira) com apresentações dos grupos Bahia Cordas, Quadro Solar e Quarteto Novo, que compõem Projeto Cameratas da OSBA, às 18h.

Logo em seguida, às 19h30, será a vez do Quinteto de Metais da OSBA se apresentar no mesmo espaço.

Já nos dias 11 e 12 de janeiro (sexta e sábado), com orquestra completa e regência do maestro Carlos Prazeres, a Sinfônica da Bahia promove um repertório todo composto por serenatas, em dois horários: a 1ª apresentação, às 18h, traz serenatas compostas por A. Nepomuceno, E. Elgar e A. Dvorák; e no 2º horário, às 20h, a Orquestra executa uma serenata de J. Brahms.

SERVIÇO:

VERÃO DA OSBA 2019
Datas: 09 a 12 de janeiro (quarta, quinta, sexta e sábado)
Horário: sempre a partir das 18h
Local: Mirante do Forte de São Diogo (Porto da Barra)
ENTRADA GRATUITA* (Sujeita à lotação do espaço)

Programação detalhada:

  • 09 E 10/Janeiro| VERÃO DA OSBA
    Cameratas da OSBA (duas por dia) – 18h
    Quinteto de Metais da OSBA – 19h30
  • 11 E 12/JAN | VERÃO DA OSBA
    ORQUESTRA SINFÔNICA DA BAHIA – 18h e 20h
    Regente: Carlos Prazeres

 
Fonte: G1

Sesc promove feira para troca de livros novos ou usados no Recife

Unidades do Sesc no Grande Recife recebem livros didáticos, infantis e literários, novos ou usados, que serão disponibilizados na feira de troca, marcada para o dia 19 de janeiro, na capital pernambucana. Os exemplares podem ser doados até o dia 16 deste mês.

Em sua 14ª edição, a Feira do Troca-Troca de Livros do Sesc ocorre das 8h às 11h, no ginásio da unidade de Santo Amaro. Na edição anterior, foram arrecadados quatro mil títulos para o evento e participaram da iniciativa mais de 500 pessoas.

Os livros devem ser levados para as bibliotecas do Sesc em Santa Rita, Santo Amaro e Casa Amarela, na capital pernambucana, além de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana.

Quem doa um livro ganha uma senha e tem direito a pegar um exemplar. Para cada volume entregue, a pessoa leva para casa outro título. Cada interessado pode participar com até 20 publicações, segundo as regras da feira.

Ainda de acordo com o Sesc, as obras doadas passam por uma avaliação feita pelo responsável pela biblioteca de cada unidade. A instituição informa que são aceitos livros didáticos editados a partir de 2015.

A instituição alerta que materiais sujos, infectados, deteriorados ou rasgados ou do Programa Nacional do Livro Didático, além de exemplares direcionados a professores, não são válidos na iniciativa.

Sesc

O Serviço Social do Comércio (Sesc) foi criado em 1946. Em Pernambuco, iniciou as atividades em 1947. Atualmente, existem 20 unidades do Sesc do Litoral ao Sertão do estado.

Fonte: G1

Padrasto esfaqueia e mata enteados de 13 e 11 anos no Grande Recife, diz polícia

Um menino de 11 anos e uma adolescente de 13 foram assassinados a facadas pelo padrasto na manhã desta quinta-feira (3), em Moreno, no Grande Recife, de acordo com a Polícia Civil. A corporação informou que ele tentou estuprar a enteada, mas a criança tentou impedir. 

O padrasto, de 28 anos, foi preso após ser agredido por moradores da Vila Holandesa, bairro em que aconteceu o crime. O assassinato dos jovens ocorreu por volta das 5h. Ao chegar em casa com sinais de embriaguez, Robson José dos Prazeres tentou estuprar a enteada, de 13 anos, e a garota reagiu.

O irmão da menina, de 11 anos, também enteado de Robson, tentou impedir que o crime acontecesse, mas o padrasto esfaqueou os dois. Feridos, os dois jovens chegaram a sair de casa, mas não resistiram aos ferimentos e faleceram do lado de fora. Segundo a mãe das crianças, Géssica Nascimento, a filha de 9 anos presenciou a morte dos irmãos.

Menino de 11 anos e adolescente de 13 eram irmãos e foram mortos pelo padrasto — Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

Menino de 11 anos e adolescente de 13 eram irmãos e foram mortos pelo padrasto — Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

Os dois jovens mortos eram filhos de uma primeiro relacionamento da atual companheira de Robson. O casal tem outros dois filhos, de cinco e nove anos. A mãe dos jovens não estava em casa no momento do assassinato.

“Eu estava na casa do meu tio, que é cadeirante, e não pode ficar sozinho. Quando eu estava quase indo embora, minha sogra me ligou e disse que o filho dela [Robson] tinha matado os meus dois filhos. Na hora, eu não entendi e pedi para ela repetir. Essa foi a última palavra que eu ouvi”, diz a mãe dos jovens assassinados, Géssica Nascimento. (

Ao lamentar a morte dos filhos, ela lembra que os dois gostavam de estudar e sonhavam com um futuro de trabalho. “A minha mais velha queria ser advogada e o meu filho de 11 anos queria ser um policial. Mas isso não vai mais acontecer”, lamenta. Segundo ela, Robson costumava agredi-la com frequência.

“Ele me batia, já chegou a tirar sangue e dizer que ia me matar. Isso era constantemente. Só que o roxo [na pele] some, né?”, diz Géssica.

Mãe das crianças, Géssica Maria do Nascimento estava cuidando de um parente idoso quando os filhos foram assassinados — Foto: Reprodução/TV Globo

Mãe das crianças, Géssica Maria do Nascimento estava cuidando de um parente idoso quando os filhos foram assassinados — Foto: Reprodução/TV Globo

Um vizinho testemunhou o assassinato dos jovens e entrou em contato com a polícia. Robson José dos Prazeres foi agredido por outros moradores da região e, com a chegada da viatura, foi levado à Delegacia de Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes.

“Nós fomos verificar onde estava este elemento e, ao chegarmos, ele empreendeu fuga em direção a uma região de matagal, mas não teve êxito. Nossas equipes o prenderam e o conduziram até a Delegacia de Prazeres para ser feito o devido flagrante delito”, conta o major José Leandro, da Polícia Militar.

Na delegacia, os policiais constataram que o homem já havia sido preso por assalto. A companheira dele, Géssica, tinha uma medida protetiva contra Robson pela Lei Maria da Penha, devido às agressões.

“Quando a polícia saía, ele ia pra lá de todo jeito. Ele dizia que se eu não fosse dele, não seria mais de ninguém”, conta Géssica, que planejava ir a São Paulo com os filhos em maio. “Uma tia minha está morando lá e eu ia viajar com os meninos. Ele sabia e acho que não aceitou”, conta.

De acordo com a Polícia Civil, Robson Prazeres vai ser autuado em flagrante por tentativa de estupro e duplo homicídio. Ele deve passar por audiência de custódia na sexta (4). “Nós estamos consternados com toda a cena, com toda a atitude desse elemento e o que resta é a Justiça para ele”, diz o delegado Petrúcio Jucá.

 Fonte: G1

Férias no Grande Recife: confira programação gratuita e paga

O preço médio de imóveis residenciais anunciados em 20 cidades teve queda norminal – sem considerar a inflação – de 21% em 2018. Os dados são do Índice FipeZap, divulgados pelo ‘G1’ nesta sexta-feira (4).

A queda real do valor dos imóveis, considerando a inflação esperada para o ano passado – IPCA de 3,69%, segundo o Boletim Focus – foi de 3,76%.

Das 20 cidades monitoradas, as que tiveram maior queda nominal no preço de venda de imóveis residenciais são Niterói (-4,06%), Rio de Janeiro (-3,59%), e Fortaleza (-2,25%).

Entre as 12 cidades que tiveram aumento de preço, as maiores variações foram em Curitiba (3,39%), Goiânia (+2,50%) e São Caetano do Sul (+2,49%).

Valor médio dos imóveis

No mês de dezembro, o valor médio dos imóveis residenciais nas 20 cidades monitoradas foi de R$ 7.528 por metro quadrado. Mesmo após queda, o Rio de Janeiro ainda é a cidade com o metro quadrado mais caro do país: R$ 9.402. Na sequência, aparecem São Paulo (R$ 8.829) e Distrito Federal (R$ 7.781).

Veja o valor médio do metro quadrado por cidade, em dezembro de 2018:

Rio de Janeiro: R$ 9.402

São Paulo: R$ 8.829

Distrito Federal: R$ 7.781

Niterói: R$ 7.005

Florianópolis: R$ 6.894

Belo Horizonte: R$ 6.427

São Caetano do Sul: R$ 6.060

Curitiba: R$ 5.921

Recife: R$ 5.895

Vitória: R$ 5.854

Fortaleza: R$ 5.778

Porto Alegre: R$ 5.591

Campinas: R$ 5.564

Santo André: R$ 5.334

Santos: R$ 5.288

São Bernardo do Campo: R$ 4.908

Salvador: R$ 4.904

Vila Velha: R$ 4.727

Goiânia: R$ 4.210

Contagem: R$ 3.552

 
 Fonte: G1

Preço de imóveis cai pelo 2º ano consecutivo em 2018; veja valores

O preço médio de imóveis residenciais anunciados em 20 cidades teve queda norminal – sem considerar a inflação – de 21% em 2018. Os dados são do Índice FipeZap, divulgados pelo ‘G1’ nesta sexta-feira (4).

A queda real do valor dos imóveis, considerando a inflação esperada para o ano passado – IPCA de 3,69%, segundo o Boletim Focus – foi de 3,76%.

Das 20 cidades monitoradas, as que tiveram maior queda nominal no preço de venda de imóveis residenciais são Niterói (-4,06%), Rio de Janeiro (-3,59%), e Fortaleza (-2,25%).

Entre as 12 cidades que tiveram aumento de preço, as maiores variações foram em Curitiba (3,39%), Goiânia (+2,50%) e São Caetano do Sul (+2,49%).

Valor médio dos imóveis

No mês de dezembro, o valor médio dos imóveis residenciais nas 20 cidades monitoradas foi de R$ 7.528 por metro quadrado. Mesmo após queda, o Rio de Janeiro ainda é a cidade com o metro quadrado mais caro do país: R$ 9.402. Na sequência, aparecem São Paulo (R$ 8.829) e Distrito Federal (R$ 7.781).

Veja o valor médio do metro quadrado por cidade, em dezembro de 2018:

Rio de Janeiro: R$ 9.402

São Paulo: R$ 8.829

Distrito Federal: R$ 7.781

Niterói: R$ 7.005

Florianópolis: R$ 6.894

Belo Horizonte: R$ 6.427

São Caetano do Sul: R$ 6.060

Curitiba: R$ 5.921

Recife: R$ 5.895

Vitória: R$ 5.854

Fortaleza: R$ 5.778

Porto Alegre: R$ 5.591

Campinas: R$ 5.564

Santo André: R$ 5.334

Santos: R$ 5.288

São Bernardo do Campo: R$ 4.908

Salvador: R$ 4.904

Vila Velha: R$ 4.727

Goiânia: R$ 4.210

Contagem: R$ 3.552

 Fonte: notícias ao minuto 

Equipe de Bolsonaro quer aumentar IOF para compensar subsídio a N e NE

O presidente Jair Bolsonaro avalia elevar a alíquota do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) para crédito pessoal para compensar a prorrogação de benefícios fiscais às regiões Norte e Nordeste, que pode aumentar os custos do governo em R$ 3,5 bilhões por ano.

A avaliação de que o aumento do tributo seria a medida adequada foi alvo de reuniões que se estenderam ao longo de quinta-feira (3) e envolveu técnicos do Palácio do Planalto e da equipe econômica.

Em uma negociação considerada tensa e difícil, auxiliares do presidente entenderam que o aumento da alíquota, que atualmente está em 0,38%, seria a melhor solução para cobrir o aumento de gastos com a prorrogação até 2023 dos incentivos fiscais para a Sudam (Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia) e a Sudene (Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste). A edição de um Diário Oficial extra contendo o decreto com a nova alíquota do IOF é cogitada já para esta sexta-feira (4).

O texto que estende os incentivos foi sancionado parcialmente por Bolsonaro nesta quinta, prazo máximo para a análise presidencial. Ele vetou o trecho que também concedia os benefícios para a Sudeco (Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste).

Segundo números apontados pela equipe econômica do governo de Michel Temer à época da aprovação do projeto, o impacto era de um gasto de R$ 3,5 bilhões por ano.

A alíquota do IOF sobre empréstimos é de 0,38% atualmente mais uma variação diária que, ao fim de 360 dias, corresponde a 3% ao ano. A cobrança do IOF sobre operações de crédito é diária, correspondente a uma fração do percentual anual.

Na campanha eleitoral, Bolsonaro negou que sua equipe econômica estudava criar novos tributos ou elevar as alíquotas das cobranças já existentes.

Além disso, a poucos dias de tomar posse, sua equipe distribuiu aos ministros uma cartilha na qual o governo falava que a revisão da política de programas financiados com subsídios da União seria a primeira medida na área econômica do governo.

Auxiliares do ministro da Economia, Paulo Guedes, passaram os últimos dois dias no Palácio do Planalto negociando com a equipe técnica sobre como o texto seria analisado pelo presidente. Ele poderia sancionar total ou parcialmente o projeto ou ainda vetá-lo integralmente.

A prorrogação dos incentivos, aprovada em dezembro de 2018 na Câmara dos Deputados, foi vista como uma pauta-bomba.

O episódio rendeu críticas do então ministro da Fazenda Eduardo Guardia, que teve sua fala ironizada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

No mês passado, Maia chegou a ameaçar que o Congresso poderia derrubar os vetos se o ex-presidente Michel Temer decidisse não sancionar o texto.

Temer decidiu deixar para o prazo máximo a sanção e coube a Bolsonaro decidir sobre o tema.

A lei é tem como base um projeto de autoria do presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE). De acordo com assessores de Bolsonaro, ele decidiu sancionar o projeto em ‘deferência’ ao Congresso.

Parlamentares das regiões Norte e Nordeste se sentiram desprivilegiados com o fato de nenhum dos 22 ministros nomeados ser dessas regiões, as únicas a ficarem de fora da equipe ministerial.

Pelo texto sancionado por Bolsonaro na quinta, e que será publicado em Diário Oficial de sexta-feira (4), serão prorrogados para 2023 incentivos fiscais que venceriam em dezembro do ano passado.

Empresas que tenham projeto de instalação, ampliação ou modernização em setores prioritários para o desenvolvimento regional terão direito à redução de 75% de imposto de renda e adicionais sobre lucro.

As firmas também podem pleitear até 50% dos valores depositados em imposto de renda para fazer investimentos em capital de giro e aquisição de máquinas e equipamentos.

Bolsonaro analisou no total 11 projetos de lei que estavam no prazo máximo para sanção presidencial. Entre as medidas, ele sancionou integralmente um texto que congela os coeficientes de distribuição dos recursos do FPM (Fundo de Participação dos Municípios).

O texto que será convertido em lei determina que a divisão dos recursos do FPM obedeça o mesmo critério de 2018 até a atualização de índices com base em um novo censo demográfico do IBGE, previsto para 2020. Com informações da Folhapress.

 Fonte: notícias ao minuto