Afastado da Globo, José Mayer já tem data para voltar à TV

Afastado pela Globo desde o escândalo de assédio sexual contra a figurinista Su Tonani veio à tona, José Mayer já tem projeto para voltar às telinhas.

O ator deve ser escalado para o “O Sétimo Guardião”, trama escrita por Aguinaldo Silva. Vale lembrar que o nome de Mayer já estava certo, mas ele foi suspenso em seguida, e seria substituído, supostamente, por Humberto Martins.

Acontece que o folhetim foi adiado e, como deve ir ao ar apenas no fim do ano que vem, a emissora considera que é tempo suficiente para aliviar os efeitos do escândalo.

A Globo não confirmou a escalação do elenco da novela.

fonte: Noticias ao Minuto

10 perguntas e respostas sobre o dente do siso

Também conhecido como dente do juízo – porque calha de surgir em um momento em que passamos para a vida adulta –, o siso provoca alguns questionamentos. Quem responde alguns deles é Paulo Coelho Andrade, especialista em implantodontia e odontologia estética, de Belo Horizonte (MG).

1- Todo mundo tem os quatro sisos?
Não. Há pessoas que podem não apresentar algum deles ou todos. Em alguns casos, o dente até pode estar ali – mas a erupção não ocorre. Mas, na maioria das vezes, surgem os quatro sisos mesmo: dois superiores e dois inferiores.

2- É preciso extraí-lo em qualquer circunstância?
Nada disso. Segundo Andrade, a remoção só se faz necessário se o nascimento do terceiro molar atrapalhar o alinhamento da arcada dentária, causar inflamação ou disparar a dor.

3- Então o siso pode interferir no alinhamento da arcada dentária?
Sim. Como ele nasce mais tarde, existe a possibilidade de o paciente não ter espaço suficiente na boca para acomodá-lo. Aí, ao apontar, ele pode empurrar os dentes que já estão ali, entortando-os. Mas, lembre-se: cada caso é um caso.

4- É possível retirar os quatro sisos de uma vez?
Na verdade, não só é possível como, em geral, é preferível. Afinal, como o pós-operatório demanda repouso, uso de medicação e dieta especial — entre outras coisas — o melhor mesmo é vivê-lo só uma vez.

5- O dente do siso precisa ser retirado na adolescência?
Aí depende. Se a extração for indicada, a vantagem de ela acontecer na adolescência é que, nessa fase, as raízes ainda não estão totalmente formadas e o tecido ao redor do dente está mais maleável.

6- Se ele não for retirado na adolescência, há riscos em fazer isso na fase adulta?
O dente pode ser removido na fase adulta, mas é preciso levar em consideração que a cirurgia se torna mais difícil, já que as raízes dos sisos terão crescido.

7- Caso uma pessoa não precise tirar o siso, precisará ter cuidados especiais com ele?
Sim. Os sisos são dentes localizados no fundo da arcada dentária, uma área de difícil limpeza. Os cuidados são: uma boa higienização e controle radiográfico a critério do dentista.

8- Por que, entre quem ainda tem o siso, muitas vezes vem uma dor e depois some?
A dor é sinal de algum problema. Em geral, ocorre uma inflamação dos tecidos gengivais que circundam os sisos. Se ele estiver semi-incluso, e não nascido totalmente, as inflamações são mais frequentes.

9- Negligenciar a dor pode ser um problema?
Não se pode fazer isso em hipótese alguma. Quando houver sensação dolorosa e inflamação, é preciso procurar o dentista para avaliar a necessidade de remoção do dente ou de limpeza e remoção de bolsa periodontal. Outro procedimento que pode ser feito é uma cirurgia de ulectomia, em que o objetivo é retirar o excesso de gengiva ao redor do siso para facilitar sua higienização diária.

10- Sorvete e outros itens gelados ajudam mesmo na recuperação após a retirada do siso? Como deve ser a dieta nesse período?
Depois da remoção, deve-se ingerir sorvete e ter uma alimentação líquida (ou pastosa) por 48 horas. Também é preciso evitar atividades físicas e sol. Faça compressas de gelo na parte externa da boca de hora em hora, por 15 minutos.

Fonte: Editora Abril

Líder indígena é agredido e tem corpo incendiado com gasolina no Ceará

O líder indígena da etnia Pitaguary Maurício Alves Feitosa, de 45 anos, foi espancado e incendiado com gasolina dentro de casa na madrugada deste domingo (27) em Maracanaú, na Grande Fortaleza. De acordo com a Polícia Militar, Maurício acordou na madrugada com o cheiro do combustível, que era colocado sobre a casa dele. Ele tentou sair da residência, mas foi espancado por dois homens e colocado de volta no interior da casa.
Ele sobreviveu e recebe atendimento no Hospital Instituto Doutor José Frota (IJF), no Centro de Fortaleza. A unidade não divulgou informações sobre o estado de saúde de Maurício.
De acordo com o Observatório Socioambiental, que denuncia casos de violência contra povos indígenas, ele “sofreu queimaduras de terceiro grau e está internado, em estado grave, no setor de queimados” do IJF. Este é “mais um caso brutal ocorrido no interior do território Pitaguary e as motivações ainda não foram esclarecidas”, aponta a associação.
Ainda conforme a Polícia Militar, a vítima trabalha em uma vacaria na zona rural de Maracanaú, onde sofreu o ataque. Os policiais recomendaram que fosse registrado um boletim de ocorrência sobre o caso.
A Fundação Nacional do Índio (Funai) no Ceará afirma que acionou a Polícia Federal para que investigue o caso.
Agressões contra os Pitaguary
Maurício Alves é irmão de Ceiça Pitaguary e juntos participam de protestos e manifestações em prol de direitos indígenas. Em março deste ano, eles lideraram a ocupação da Funai em Fortaleza em protesto contra a demissão de servidores e a indicação política para cargos no órgão.
Em maço de 2014, Ceiça Pitaguary sofreu também sofreu agressões. Ela foi agredida com golpes de facão, que causaram lesões nos braços e na cabeça.
Fonte: G1