LOGO-NEWS-CARIRI

PM suspeito de provocar morte de adolescente durante perseguição é absolvido

Publicidade

O Policial militar Walace Feitosa da Silva, suspeito de provocar a morte do adolescente Nadson Pereira de Almeida, de 14 anos, ao atingir a vítima com uma viatura durante uma perseguição em Itabuna, no sul da Bahia, foi absolvido por juri popular durante julgamento realizado nesta terça-feira (11).

O julgamento, que aconteceu três anos após a morte do jovem, durou cerca de 12h e foi realizado no Fórum Ruy Barbosa, no centro da cidade. Os advogados da família da vítima disseram que vão recorrer da decisão.

Nadson Pereira de Almeira morreu em 2014 (Foto: Reprodução/TV Santa Cruz)Nadson Pereira de Almeira morreu em 2014 (Foto: Reprodução/TV Santa Cruz)

Nadson Pereira de Almeira morreu em 2014 (Foto: Reprodução/TV Santa Cruz)

O caso ocorreu no dia 16 de fevereiro de 2014. Segundo a polícia, Nadson estava pilotando uma moto sem habilitação e começou a ser perseguido após furar uma barreira policial, no bairro Lomanto. A vitura que seguiu o adolescente era dirigida por Walace.

Na época, testemunhas disseram que, na perseguição, Nadson teria caído da moto e sido atropelado pela viatura da PM. O inquérito concluiu, no entanto, que não houve atropelamento e que o estudante teria caído e batido em outro veículo.

A suspeita, entretanto, era de que a colisão que levou a morte do jovem tenha ocorrido após a viatura dirigida pelo policial bater propositalmente na moto do adolescente.

Segundo investigação, Walace dirigia viatura que seguiu adolescente em moto (Foto: Reprodução/TV Santa Cruz)Segundo investigação, Walace dirigia viatura que seguiu adolescente em moto (Foto: Reprodução/TV Santa Cruz)

Segundo investigação, Walace dirigia viatura que seguiu adolescente em moto (Foto: Reprodução/TV Santa Cruz)

Juri

No julgamento do policial, nove testemunhas, sendo cinco de acusação e quatro de defesa, foram ouvidas. As de acusação foram pessoas que moram no mesmo bairro onde o adolescente morreu e que presenciaram o fato. Já as testemunhas de defesa foram policiais militares que estavam de serviço no momento da abordagem. O último a ser interrogado foi o PM.

A defesa teve uma hora para posicionar e a acusação mais uma hora. Houve, ainda, réplica e tréplica e, somente depois os jurados se posicionaram.

Logo cedo, uma longa fila se formou do lado de fora do fórum. Amigos, parentes e vizinhos de Nadson se dirigiram ao local usando camisas brancas em homenagem ao estudante. “Nadson tinha um sonho a realizar e foi interrompido com 14 anos de idade. O que a gente quer é que a Justiça seja feita”, disse a mãe do jovem, Rosângela Pereira.

Familiares, amigos e vizinhos de adolescente comparecem a fórum para acompanhar julgamento (Foto: Reprodução/TV Santa Cruz)Familiares, amigos e vizinhos de adolescente comparecem a fórum para acompanhar julgamento (Foto: Reprodução/TV Santa Cruz)

Familiares, amigos e vizinhos de adolescente comparecem a fórum para acompanhar julgamento (Foto: Reprodução/TV Santa Cruz)

Um grupo de policiais militares também foi acompanhar o juri e dar apoio ao policial. “Foi um acidente. Nós acreditamos piamente nisso. O laudo pericial também disse que o menor, infelizmente, se chocou com um veículo que estava parado”, disse o diretor da Associação de Policiais da cidade, Rodrigo Rocha.

A defesa diz que o policial não é responsável pela morte do estudante. “Não cometeu nenhum ato que demonstrasse a vontade dele em causar a ação que está em julgamento hoje”, afirmou o advogado de Walace, Jorge Nobre.

Já o Ministério Público acusa o réu de ter comedito um homicídio. “Ele, durante uma perseguição, de forma deliberada, bateu propositalmente na moto que era conduzida pela vítima”, afirmou.

g1

Leia também

TV News Cariri

Publicidade

Contatos:

E-mail : nnewscariri@gmail.com

Últimas